Quantcast
PplWare Mobile

Utilizadores Tesla estão a comprar atualizações sem querer e não podem ser devolvidas

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Mestre em direito says:

    Estão a comprar extras “Sem querer” / ” inesperadamente”? Haha essa é de rir!

    Ou seja, têm que ir aos upgrades, escolher qual o upgrade, tem que ir para a frente, depois ainda aparece o resumo/ valor e… ainda tem que pagar! E conseguem fazer tudo isso de maneira inesperada e sem querer? Haha essa é muito boa.

    • Filipe F. says:

      Agora experimenta deixar uma criança no carro a brincar enquanto estás parado por algum motivo e ela decide andar a clicar no ecra e faz esses passos? Parece-te de loucos? Vai ver quantas dezenas e centenas de casos em telemóveis e tablets acontece isso.
      Âqui a falha é simples e objetiva: não há mecanismo de proteção para a compra, e pior ainda, que por cá seria ilegal na Europa, não há opção de arrependimento ou devolução para uma compra/subscrição online. Portanto é nada mais que uma grande falha da Tesla, e o apoio ao cliente é o que se vê para este caso.

      Até te digo, mesmo que o utilizador tivesse comprado, e experimentado, e quisesse devolver ao fim de um dia qual o mal? Como podes saber se gostas de algo que a unica forma de ‘experimentar’ é comprando? Por isso na UE temos leis para compras e subscrições online com direito ao arrependimento.
      Neste caso culpa-se a Tesla a 100% mas acredito que vão resolver e tornar as compras de acordo com a lei e com a opção do cliente poder experimentar antes de querer realmente efetivar.

    • Miguel Costa says:

      Nada disso… o problema é a App nos Iphones. É que a ligação directa ao ApplePay faz o pagamento nas datas que o utilizar define. Como a Tesla activa os updates (pagos) por defeito, mal abrem a app, no telemóvel, o pagamento é registado e o software fica pronto para ser transferido para o automóvel, assim que o utilizar abra o automóvel. Estes problemas estão a surgir SÓ nos iphones.

      • PedroC says:

        É por isso que detesto Apple’s Pay’s, autorizações com fingerprint, etc. Não tenho cartão de crédito, uso mbnet apenas quando preciso e não há cá logins e pagamentos com impressão digital ou faceID ou algo parecido.

      • winetree says:

        Fascinante como se consegue chegar à conclusão que o problema são os iPhones…

    • Toder says:

      Tu deves ser um de aqueles iship fanboy em que todo o mundo é errado e só os iship fãs que são corretos, essa é muito boa

  2. Mendez says:

    Compram um windows com rodas ! sempre a precisar de upgrades

  3. qwers says:

    Inesperadamente comprei 10 000 dolar por uma app.

  4. King Banido says:

    @Pedro Simões, Podes explicar o motivo de ser sem querer?

    É que pelos prints ai do user, vi que ele clicou no botão de buy, ou seja, não foi algo “acidental” ou “automatico”… Se poderiam ter uma double confirmation? Claro que podiam, “N” aplicações, com valores irrisorios já o fazem, mas não é por não ter, que passa a ser sem querer…
    User experience as vezes não corre como é esperado e as empresas sabem bem disso. Eu trabalho numa empresa que faz serviços VAS, eu conheço bem os fluxos e isto de deixar ao encargo do user, nunca dá bom resultado, existem sempre reclamações, apesar do “problema” ser do user, ou melhor, nos dedos dele…
    Existe sempre forma de não “enganar” o user, mas o dinheiro ganho vs as multas que podem ou não pagar, compensa imenso.

    • Filipe F. says:

      O maior problema é nao poderes experimentar e devolver se não gostares. Na UE esta forma de compra da Tesla é simplesmente ilegal. Se não podes experimentar ‘em loja’, ou melhor se é uma compra online tens direito legal a devolver mesmo apos experimentares, pelo obvio. Mas a Tesla não permite. Acha que a pessoa sem experimentar, ao comprar vai logo gostar. Na America vale tudo, por cá é apenas uma ‘appStore’ que não cumpre as regras ao permitir o utilizador experimentar e devolver

      • King Banido says:

        Lá está, isto vai gerar reclamações, mas a multa que eles “vão” pagar, face ao dinheiro que ganham com este “esquema” é vantajoso… A menos que sejam condenados a pagar uma multa e ainda devolver o dinheiro a quem reclamou, é um negocio do caraças!

    • Miguel Costa says:

      O problema é simples de explicar: Só está a acontecer nos Iphones e com quem tem o ApplePay.
      A app da tesla tem ligação directa ao ApplePay. É a forma de aceder as apps, gratuitas, que necessitam de confirmar a identidade de quem as compra (um serviço, básico, da appstore americana). E é aqui que está o problema. Os utilizadores tinham isso activo para a app normal, onde não existiam pagamentos. Desde que a Tesla começou a vender “serviços extra” é necessário remover essa autorização. Muitos utilizadores chatearam-se de cada vez que abriam a app, terem de fazer o reconhecimento do cartão (recebendo uma SMS da Apple para inserir um código) para abrir a app (para poderem abrir ou fechar os seus Tesla). Por isso, voltaram a activar o serviço automático, que não precisa dessas autorizações, de cada vez que existe um update da app.
      É aqui que a coisa rebenta: é que os updates pagos estão dentro do mesmo âmbito dos gratuitos. Por isso, quando surge um update daqueles serviços, a app activa-o, quando o cliente abre a app, é feito o pagamento (sem nenhum aviso) e o software é instalado no automóvel.
      O erro é da Apple e da Tesla… tem de separar os updates, para que um necessite da confirmação externa e o outro não.
      Não é só na Tesla que isto está a acontecer. Até no Spotify aconteceu o mesmo, pois a versão paga foi parar ao mesmo âmbito da gratuita. Só depois de muita reclamação é que a Apple (e a Spotify) alterou isso, transferindo as pagas noutro serviço, que exige que o utilizador vá à shop e aceite a actualização (aceitando o pagamento). É um dos problemas do “facilitismo”.

      • Paulo L says:

        Não é bem assim, pelas fotos em cima, isto é uma compra e podes pagar com Apple Pay, está bem claro.
        Quanto ao ser feito por uma criança sem o conhecimento dos pais ( um post em cima menciona isso) também não é possible, porque quando clicas em pau with Apple Pay, tens de autenticar com o Touch ID ou o Face ID.

      • King Banido says:

        Miguel, se percebi bem o teu comment, a Apple já teria resolvido esse problema, certo?
        Custa-me a acreditar que fossem resolver apenas um caso especifico(spotify) e não dessem logo fix na plataforma geral…

        Não quero meter culpas em ninguem,porque se realmente for verdade, ainda há muito a apurar dessa historia. É a primeira vez que tou a “ouvi-la”, mas a ser verdade, a culpa está inteiramente na Tesla. As empresas conhecem bem o funcionamento das AppStores… Facilmente o Musk colocava a double confirmation na propria aplicação, mas cagou… Eu diria que é muito dinheiro que a Tesla vai arrecadar, face aquilo que vai devolver, e nesse sentido é um negocio de outro mundo!

      • winetree says:

        Meu, a sério. Já se percebeu que não gostas da Apple e dos iPhones, mas não nenhuma app paga, conteúdos pagos, cobrados pela Apple onde não haja um processo de confirmação.
        O que se está a passar aqui não é isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.