Quantcast
PplWare Mobile

Starlink: SpaceX espera fornecer cobertura global já em setembro

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. asdasa says:

    Ate que enfim por apenas 100 euros por mes mais 600 o router conseguimos ter uma estonteante velocidade de 100 megas variaveis que raramente passam dos 40

    • MACnista says:

      … UAUUU 100 megas, c’um caraças!!! LOLOLOL

      • Berto says:

        Gostava que vocês estivessem na minha situação de pagar por 30Mb e ter 0,5Mb não havendo alternativa.
        Espero que chegue depressa, só queria que Portugal fizesse como Alemanha que assumiu que certas zonas não teem cobertura e pagam eles o investimento inicial.

    • Nuno says:

      quem me dera, eu aqui pago 55€ por 40mb que é uma sorte quando passa dos 10 quando chegar a esta zona vou pagar os 100 sem qualquer problema

    • Louro says:

      Quando as pessoas nao percebem que este tipo de servicos nao sao direccionados para eles…

      É tipo ter uma linha dedicada, há uns anos atrás tive um cliente empresarial a usar uma linha dedicada fez a descoberta que podia contratar um servico residencial por 1/3 do preco e que ainda por cima tinha mais velocidade, dizia ele que nao havia justificacao para o que nós cobravamos por uma linha dedicada e que ia mudar.
      Na altura estive umas 2 horas ao telefone com ele a explicar quais as diferencas, mesmo assim ele decidiu focar-se na velocidade e saiu do contrato, conclusao, “If you peanuts you get monkeys”, esteve com a ligacao residencial uns 5 meses, saiu do contrato a meio com penalizacao claro, e voltou para uma linha dedicada em que com o novo contrato pagava quase 30% a mais do que pagaria se tivesse mantido o contracto anterior.

      A maioria das pessoas só pensa “mais download” esquece da estabilidade ou neste caso especifico este tipo de ligacoes nao é para o average joe que tive na cidade e que já consegue ligacoes velocidades altas por uma fraccao do preco, mas sim para aquelas situacoes em que nao há opcoes.

      Um bom exemplo disso sao as plataformas petroliferas, se voces tivessem a ideia dos valores que pagam para ter uma ligacao a internet nas plataformas ficavam malucos, isto, a funcionar, irá reduzir o preco para menos de 1/10 e dar-lhes melhor qualidade/estabilidade.

    • Paulo says:

      40 ahah? com o aumento de lançamentos as velocidade vão aumentando vou só recordar que recentemente o record foi estabelecido por um utilizador alemao que conseguiu mais de 600mb d velocidade ahah
      https://wccftech.com/starlinks-649-mbps-download-speed-is-eye-popping-blisteringly-fast/?fbclid=IwAR3A655GQmFJkz6JEPgEwqANlRNQK4e-ERjrpeljqzfv3Z-_uG5yX8i4sj4

  2. qwantum says:

    Estou curioso para saber quando vai haver disponibilidade do serviço para frota marítima.
    Vai ser um avanço enorme.

  3. Samuel MG says:

    Um grande falhanço do Elon Musk!! Pelo menos no Alentejo, América Central, Brasil, Continente Africano 🙂

    • David says:

      falhanço? vai ver o dinheiro que eles já estao a fazer com isto ahahah

    • Paulo says:

      não me parece um falhanço já fazem muito dinheiro com isto e já estão a fazer contratos com a google e outras empresas para o que o google cloud possa usar os starlink por todo o mundo, para um serviço ainda em fase prototipo parece-me tudo menos um falhanço

  4. Vasco says:

    Absolutamente fantástico. A possibilidade que se nos oferece de fazermos uma ligação com velocidade de banda larga a partir de qualquer lado do mundo, com baixa latência, só consegue ser verdadeiramente apreciada por quem já teve de passar noites a enviar backups à estonteante velocidade de 1 ou 2 KB/s com timeouts pelo meio a partir de uma aldeia no meio de África, por exemplo, ligado a um gerador para poder carregar o portátil… Respeitando a opinião de cada um, não compreendo sinceramente como se pode criticar está alternativa que poderá vir a ser um game changer and m muitas áreas. Para empresas e particulares fora de Portugal o investimento inicial e os 100 euros são quase insignificantes, face à inexistência de alternativas equivalentes em termos tecnológicos.

    • Pedro says:

      porque este pessoal tem o cerebro uito pequenino e acha que a internet é uma coisa que só interessa no escritorio deles que está no prior velho esquece-se que à mais meio mundo a precisar de melhores alternativas

  5. miguel says:

    O pior disto tudo é o lixo espacial, acho que quem explora o espaço deveria pagar uma taxa por cada satélite ou nave no espaço, para depois esses valores financiarem projectos para recolher esse lixo e não esperar que ele caia sempre na terra sem magoar ninguém e até é um perigo para os outros satélites no espaço.

  6. Bibosjoao says:

    Nem tinha admitido esta hipótese de eles terem acesso a todos os países. Agora sim, acredito que no prazo de 5 anos vamos ter qualquer coisa de extraordinário: não pagar a rede e pagar por conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.