Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft Teams é a ferramenta mais utilizada por quem faz teletrabalho

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. André R. says:

    O teletrabalho até deveria continuar, até porque:
    – Poupança de combustível
    – Poupança nas portagens
    – Desgaste do carro e as suas manutenções.
    – Para a empresa seria uma poupança na água e luz, no entanto deveria fornecer material ao trabalhador (papel, caneta, tinteiros, etc…)

    Só se iria à empresa quando fosse necessário, nomeadamente a reuniões.

  2. Nuno says:

    Também tem a ver com as políticas comerciais dessas empresas.
    A Microsoft e a sua rede de parceiros estão mais próximas das empresas.

    • Sergio J says:

      Concordo em parte, mas tem também a ver com a confiança, com um parceiro sólido, com um modelo de negócio claro, que não está assente na publicidade e venda de dados. Por isso é que as empresas sentem confiança em usar Skype, Teams, Sharepoint, Office, Windows

  3. Spoky says:

    Para quem quiser têm aqui um serviço jetsi grátis, criado pela Flokinet.is com total segurança nos servidores, firewall, anti-ddos.

    https://jitsi.is/

    Usem e abusem a vontade!

  4. Pisca says:

    Só para ficar esclarecido, o padeiro, o motorista da Carris, o pedreiro, o enfermeiro, e afins, fazem o teletrabalho com que aplicação
    Anda aqui gente que só conhece “trabalho” sentado na secretária, olhem que o leite não nasce nos pacotes

    • Francisco says:

      O que é que essas profissões têm que ver?! Para bom entendedor meia palavra basta!
      Pelos vistos não é o teu caso.
      TRABALHO REMOTO PARA QUEM PODE, ou será difícil subentender o resto?!
      Irra penico

      • Pisca says:

        Chegou um iluminado

        • Francisco says:

          Pela maneira de desconversar deves ser tu, e também deves ser apoiante do Bolsonaro.
          Mas vai lá ver o anúncio de como se lava as mãos corretamente, que é especialmente direccionado ao grupo de pessoas que lhes têm de explicar tudo, e se possível com demonstrações.

          • Pisca says:

            Para terminar, não me trata por “tu”, devo ter idade suficiente para ser seu Pai se não Avô, e quanto ao resto, o comentário revela a grunhice, pena não haver uma App que distribua Boa Educação

          • Carlos says:

            Pisca, esse pensamento está…….
            Eu até trato por tu um gajo de 90 anos
            eh pah menos… o “voce” até devia acabar, não faz sentido nos dias de hoje, considero uma falta de respeito
            Em relação ao teletrabalho devia continuar e apenas para quem está agarrado à secretária e ponto.

    • travelelr says:

      motorista da Carris, assim como todos os motoristas nem necessitam de teletrabalho já há condução autónoma, medicina vai ver como muitas operações já são assistidas remotamente e com o 5G sem latências muitas podem ser feitas de casa.
      Vai ver quantos médicos estão a marcar a consultas hoje por conferencia, pedreiros com o avanço da impressão 3D também podem ficar em teletrabalho, se é para todos como é obvio não mas muitos podem fazer teletrabalho e com muito mais produção.

      • Nightingale says:

        Lool Vê-se logo que nunca entraste em um bloco operatório e viste uma cirurgia… De que importa do outro lado estar o médico se na sala tem de estar 3 enfermeiros (anestesista, instrumentista e circulante) + 2/3 médicos (anestesista+1/2 a operar). Isto só dentro da sala, fora os que também participam neste processo. De que importa ser assistida, se pelo menos estas pessoas têm de lá estar?! Ainda vai demorar décadas para isto ser sequer equacionado… Quanto ao resto das profissões, nem vale a pena dizer que a tecnologia não está desenvolvida o suficiente. Mesmo as consultas dos médicos ou enfermeiros sem nenhum contacto físico só servem para alguns casos… Quanto ao resto dos argumentos nem sequer vale a pena explicar que a tecnologia não está minimamente desenvolvida para tal…
        Quem gosta de tecnologia pode pensar que todos os problemas do mundo se resolvem com ela, mas não… Muitos dos problemas do mundo ainda se resolvem no terreno e não em uma secretária!…

    • Woot! says:

      Tu és um bocado retrógado ou não entendes que o trabalho remoto é só para quem pode como é óbvio não é para o padeiro. Não são precisos dois dedos de testa para entender isso.

    • edgar says:

      acho que te enganaste e comentaste o tópico errado

    • decode says:

      Ok Pisca, ficou bem esclarecido.

  5. Crow- says:

    Tendo em conta que são imensas as empresas que usam Office 365 o Teams é a solução mais natural para elas, e daí muitas empresas estarem a substituir o software de colaboração que têm pelo Teams.

    • Spoky says:

      Experimenta o https://jitsi.is/ e depois diz qualquer coisa 😉

      • Diogo says:

        Se uma empresa tem Office 365, com Teams, OneDrive, Exchange e uma data de coisas por 10.50€ por utilizador, porque raio iriam utilizar isso?!?

        Não é prático, nem é útil.

        • Nightingale says:

          E já te perguntaste porque é tão barato? (se é que para vários utilizadores isto pode ser chamado de barato) Já te perguntaste se cumpre o RGPD?

        • mlopes says:

          eu explico-te: porque uma licença office perpétua é mais do que suficiente e comprada em grande volume sai mais barata do que a retalho e praticamente ninguém precisa “atualizações de funcionalidades” sistemáticas word e no excel, p.e., e por isso as licenças de subscrição só são um bom negócio para quem as vende, ou tens dúvidas disso?
          ora com licenças perpétuas do office e com possibilidade de criar o seu próprio jitsu server, não só a empresa está mais segura como gasta muito menos dinheiro a médio e longo prazo

    • Diogo says:

      Cada vez mais as empresas optam pelo Office 365 pela relação qualidade/preço.

  6. Nightingale says:

    Sem sombra de dúvidas a grande revelação é o Jitsi conseguir 8%… Fico feliz saber que as pessoas começaram a perceber que é possível ter um serviço gratuito, de qualidade, com bastante recursos que fazem concorrência às grandes e que respeita a nossa privacidade, não vendendo os nossos dados.

  7. Ross says:

    De facto fico impressionado com estes comentários sem nexo. Ilustra muito bem porque é que Portugal está na cauda da Europa, literalmente e figurativamente também. Tendo vivido e trabalhado em diversos países no mundo, digo que a prática de teletrabalho está mais do que aceite e aliás encorajada no norte da Europa, por exemplo. Se querem que se torne uma realidade, deixem de fazer parte do problema, e comecem a participar na solução! Um abraço para todos e permaneçam saudáveis.

    • Paulo L says:

      Nada substitui o contato cara a cara.
      Eu tenho colaboradores em trabalho remoto pelo facto que o escritório está para alguns a 900 Km de distância, mas para quem está próximo, tem as suas mesas no escritório.
      Trabalhar de casa existe uma auto-disciplina que a maioria não tem, exige a necessidade de um espaço em casa para o efeito e viver sozinho ou ter a casa vazia no horário de trabalho.
      Caso contrário temos uma reunião marcada para as 17:30 e o indivíduo atrasa-se porque estava nas compras (caso real).

      • Toni da Adega says:

        Como o Ross disse, é uma questao de mentalidade.

        Todos que trabalham na empresa tem as suas mesas no escritório, mas possuem sempre a opção de trabalhar de casa. Eu moro a 10km do escritório e trabalho bastantes vezes a partir de casa simplesmente porque posso.
        E não se precisa de viver sozinho ou ter a casa vazia, todos os meus colegas tem família, filhos, etc. Aliás normalmente fica-se a trabalhar de casa quando os miúdos não podem ir para a escola.

        Se alguém falha uma reunião e atrasa-se porque estava nas compras, simplesmente é mau profissional e não tem nada haver se trabalha remotamente ou nao.

        • Paulo L says:

          Na realidade, ficar em casa a tomar conta dos miúdos porque não puderam ir á escola (seja porque motivo for) não é ficar a trabalhar mas sim estar disponível.
          O minha empresa paga por 8 horas de produção e não para tomar conta dos miúdos.

          Digo isto com o maior respeito, sou pai de 6,9 filhos ( 18,13,6,5,2,1 e uma para nascer no final de este mês)

          Eu muitas das vezes fico em casa, tal como muitos dos meu colaboradores, mas sabemos que em casa não produzimos tanto, estamos disponíveis mas muitas vezes inacessíveis, participamos em reuniões mas não dedicamos atenção.

          Trabalhar de casa, para muitos significa produzir com base no tempo que se tem e muitas vezes fora das horas normais de escritório, significa que quando os teus colegas necessitam, provavelmente não estas a olhar para o telemóvel porque estás com os miúdos.

          Eu prefiro promover o contacto entre equipas, nada me dá mais orgulho do que escutar um dizer, “vou para casa” e o outro dizer, “eu tenho de ficar mais tempo porque isto correu mal e preciso de enviar hoje”, nessa altura a maioria diz, “que necessitas que damos-te uma ajuda”.
          Isto do distanciamento social que agrava com o trabalhar de casa, é uma m***, deixamos de ter colegas para passar a ter conhecidos.
          No escritorio de Chicago isso acontece muito, por isso quando vem, todos gostam de trabalhar com uma equipa que depois de um dia de cão, sai para tomar uma cerveja e relaxar, nem que seja para falar mal de mim (vem com o título) ao menos estão unidos.

          Trabalhar de casa pode ser uma questão de mentalidade, mas eu não gosto dessa mentalidade e enquanto depender de mim, ela não se vai instaurar na minha equipa.

  8. Pisca says:

    Eu explico um bocadinho.
    Durante vários anos, tive a responsabilidade, contabilistica/financeira e logistica de uma mina de pedras ornamentais em Angola. Coisa simples a 80 km da casa onde vivia e tinha escritório, caminho de 40 km de estrada e outros 40 de picada (caminho de terra batida) para cada lado e onde ia várias vezes por semana
    Ligações por radio vhf, e pela net e telefone com os “donos” em Luanda e Lisboa, tudo simples e imediato
    Para além dos mais diversos problemas que podiam surgir a qualquer hora do dia ou da noite, quando eram feitas as exportações, tinhamos por exemplo cerca de 20 camioes a levar blocos mais ou menos (100 a 159) de 15 a 30 toneladas para o porto mais proximo, um total de 250 km cada ida, depois outro tanto na respectiva volta, juntava-se o cuidado com o embarque e respectivo processo documental
    Será de imaginar o conjunto de pessoas envolvidas, os custos, a necessidade de “lutar” com os processos burocráticos e afins
    Imaginemos o tele trabalho
    Não foi no século 18, nos anos 2006 a 2010 por exemplo

  9. Nuno says:

    É preciso saber avaliar as necessidades do teletrabalho.
    Muitas gente contrata serviços com muito mais funcionalidades do que as necessita.
    Compram-se canivetes suiços, quando o que é preciso é apenas um simples canivete.
    Soluções complexas, trazem mais do que é necessário além de maiores riscos de segurança, complexidade de utilização (afeta a produtividade, nem toda a gente é formado em tecnologias da informação), complexidade na gestão e manutenção e são mais onerosas.
    A informática tem de ser uma alavanca e não uma areia na engrenagem.
    Keep it simple!

  10. junior says:

    Tenho usado o Teams e com um call de 7 pessoas num pc de 8gb de ram tenho de fechar as restantes aplicações. Aquilo consome recursos que é um louco. A minha mulher faz calls com o zoom com 20 alunos e tudo bem.

    • Crow- says:

      Faço reuniões todos os dias com 13 pessoas sem problemas. Fazer blur à câmara consome muito mais recursos e bateria.

    • Paulo L says:

      Que estranho, eu uso em grandes grupos, normalmente em reuniões de uma hora e chagamos a estar 20 na mesma call e não tenho problemas, tanto no tlm como no tablet ou Pc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.