Quantcast
PplWare Mobile

Última hora: Intel vai despedir 12 000 funcionários

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Carlos says:

    funcionários? as empresas chamam-lhes números. 🙂

    • ViraODizCu says:

      Sem do nem piedade, querem fazer crer que somos respeitados e reconhecidos, criando eventos que parecem para criancas, oferecendo pizza days, cafe e cha gratis, e etc, mas quando veem os numeros a baixar a primeira coisa a fazer e sempre despedir pessoal, e nao interessa se es bom ou nao, se estiveres no sector errado es sempre irradicado.
      Na minha opiniao se as empresas continuam a agir desta maneira a tendencia sera para perderem qualidade nos produtos e servicos, e serao ultrapassadas por aquelas que conseguirem inovar voltando as origens, tratando os funcionarios com respeito, fazendo com que se sintam gente e nao numeros.

  2. Zé Montanelas says:

    Espero que ao menos influencie o preço final, pois pra comprar 1 CPUzeco decente com uma performance quase equivalente à umas quantas gerações anteriores, tenho de gastar quase 400€…

  3. Alucard says:

    Qual crise, a Intel é uma das empresas mais lucrativas do mundo! Eles querem é aumentar mais os lucros já astronómicos, mandando imensa gente para a rua. E quando a robótica se desenvolver, mandam os trabalhadores que restarem e ficam só as máquinas. É assim que vai o mundo.

    • 007 says:

      o mundo onde tu vives… o mundo onde tu colaboras… o mundo onde participais para que isto aconteça 😉 lembra te disso antes de dizeres que as coisas acontecem….
      todos participam para o mundo em que estamos, uns mais outros menos

    • Rui says:

      É que não tenha a menor dúvida. A Foxconn, que fabrica para a Apple entre outras, já introduziu recentemente mais de mil robôs nas linhas de produção.

    • JP says:

      e quem produz os robos?

    • Joao Magalhaes says:

      Verdade, mas alguém tem que construir o Robot, peças têm que ser feitas, manutenção, etc. etc. e isso são postos de emprego que vão ser criados. a vida é mesmo assim, o consumo é diferente, antigamente o telemóvel era uma mala, agora são feitos aos milhões, por robots e acredito que haja mais emprego agora nesta área do que à 30 anos atrás.

      • David Ramos says:

        E quando o robot fizer o próprio robot? Nem têm noção no que vai acontecer no futuro.

        • Pedro says:

          Alguem vai ter que fazer esse robot, novos empregos serão criados, nada é feito do nada, novos setores serão criados.

          • Nicetry123 says:

            Quem ira fazer esse robot provavelmente vao ser empresas especializadas nisso que ja existem ha um tempo, nada vai ser criado de novo. E essa mesmo empresa esta a fazer esses robots com outros robots e ninguem vai criar mais nenhuma empresa porque esses robots ja existem.

    • ervilhoid says:

      Era o que vinha aqui dizer, qual crise???? Quando via regularmente o Euronews, na parte da economia, regularmente aparecia uma empresa qualquer a despedir, normalmente eram empresas gigantes do sector onde atuam, e 99% não era porque tinham prejuizo, mas sim porque tinham quebra nos lucros.. Eu sei que um bom gestor dá lucro, o ideal seria dar mais lucro que o ano anterior, e sempre assim, porque accionistas também têm de comer.

      Quando estas empresas notarem que estão a despedir a mais e a destruir mercado de trabalho, talvez passem a dar menos importância a accionistas do que trabalhadores, até lá vão sugar o que podem

      • Pedro says:

        Nicetry123, se penssasemos como vc ainda estariamos no tempo da pedra, a inovação só gera consumo´pois aumentos da produtividade são a unica forma de produzir mais e vender mais.

  4. David Guerreiro says:

    Provavelmente movem grande parte do R&D para a China. Há lá muitos chineses qualificados e a ganhar bem menos do que um americano.

  5. A B says:

    A evolução tecnológica nem aqueles que a promovem poupa ao despedimento. Infelizmente o capital apodera-se de tudo, até do conhecimento que pertence à Humanidade e coloca-o ao seu serviço. É a escravidão total e global.

  6. Manuel costa says:

    Tem um nome. Contar cabeças. Dividem o lucro pelo número de empregados. Quando desce abaixo dum certo limiar mandam uns milhares embora e a ratio volta a subir. Não é para proteger a empresa. É pra proteger os lucros.

  7. Samuel L. J. says:

    Tudo isto para baixar os preços dos novos cpu’s…e era, ainda vão ser mais caros xD

  8. Vasco says:

    Há uma coisa que ainda não perceberam: as empresas não são a santa casa da misericórdia, e o seu objectivo principal é o lucro.

    Se é imoral ou não, fica ao critério de cada um.

    • Sergio J says:

      Esquecem que é esse lucro que cria novos empregos, que cria inovação. Fazem dos investidores o bicho papão, mas são eles que criam os empregos. Provavelmente despendem 1000 para mais a frente não despedir 10000 ou para vir a criar mais 1000 noutra altura e se calhar noutro sector.

    • Carlos says:

      Realmente despede os teus funcionários e depois vais ver lucro, vais vais. Eles vão dizer mal do teu produto, de ti, da tua empresa e acima de tudo nunca mais vão comprar material vindo de ti. Boa sorte com essa mentalidade.

  9. Paulo says:

    Ao menos a AMD lá vai ganhando uns tustos a fazer cpus para as consolas,sem despedir muita gente.

    • Homo Erectíssimo says:

      Isso é verdade,”Paulo”.Mas em relação à parte de CPU’s para PC’s a AMD ainda está muito longe de chegar aos pés da INTEL.A nível de processadores a AMD está bem atrás da INTEL.

      • Paulo says:

        Eu tenho um PC com um AMD X6 há já um bom par de anos,e realmente como só o uso para jogar o COH2,e por agora vai servindo,nem estou a pensar trocar,a Intel realmente tem processadores mais rápidos,mas tendo em conta o custo qualidade e o clubismo a AMD lá vai vendendo alguns.

    • RML says:

      A AMD foi pioneira nos 64bits!!
      E ao comprarem a ATI já compensam a perda no mercado com os CPUS com o ganho no mercado das GPUs!!

  10. djofight says:

    “obviamente q a Intel tem mt mercado no sector móvel” epá parece-m q n
    É onde tem mais concorrência. “Zenfons e memopads’ n chega

  11. Rafael says:

    Espera daqui cinco anos… desemprego geral no globo

  12. Kel Cardoso Brasil says:

    Quem ainda usa pc? Hj em dia fazemos tudo, através do smartphone.

  13. neapo says:

    E depois aparecem os “famosos” estudos por aqui “vão ser precisos mais X milhares de «inginheiros» informáticos…” right.

  14. ze says:

    Ainda dizem que há falta de informáticos…
    Então aqui na Tugalândia…!

  15. David says:

    Vamos lá ver… eu uso AMD no meu pc principal. A Intel pode despedir quem bem quiser, os trabalhadores são livres de fazer concorrencia a essa empresa migrando para outras industrias.

    Mas, li nos comentários pessoal a justificar mão humana quando foi dito que hoje robos fazem robos… É uma realidade cada vez mais presente. Não só nas industrias de tecnologia. Numa simples industria de telhas (das maiores do nosso pais) conta-se facilmente o numero de funcionários. Tudo é feito usando máquinas, robos e muita engenharia.

    Depois falam-me que isto desenvolve mais mão de obra qualificada… cada vez menos. Não é bem assim… Na verdade o emprego sobe quando há um novo evento. Existem ciclos. E cada vez por conta da tecnologia o emprego como o conhecemos está a escapar-nos das mãos. Independentemente do nível de formação de cada um.

    Caminhamos para lá… actualmente as coisas ainda nos parecem normais. Aproveitem! (esperem para 2020)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.