Quantcast
PplWare Mobile

OE 2020: Portugal vai ter mais radares de velocidade

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Joao says:

    Se os carros saissem de fabrica limitados é mais fácil.

    • bukowski says:

      limitados para que situações? auto-estrada? cidade? obras? ou o carro identifica as situações por si só…? custa assim tanto ter civismo e respeito pelas normas, quando se conduz? o ser humano está cada vez mais preguiçoso…

      • Joao says:

        Limitado à velocidade máxima do pais, por exemplo 120 em Portugal.
        Isto já é aplicado a camionetas de passageiros à muitos anos. (Vi com os meus olhos a funcionar)
        O povo portugues não sabe fazer rotundas quanto mais respeitar limites de velocidade, só vejo anormais na estrada.
        O limite por radar é uma treta, abrandar apena sno local, ponham o limitador no com a multa automatica que o pais fica rico em menos de um mês.

    • Infinity says:

      Havia de ser bonito, ias a meio de um ultrapassagem e se precisasses de fazer a manobra o mais rapidamente possível já não dava.

      A única vantagem seria os carros descaracterizados da policia ou os carros com que os governantes andam as 200 Km/h já só davam 120 Km/h.

    • Alex says:

      Limitado? Você é um cómico Meu caro, o que vem limitado, “deslimita-se”. Nada que preocupe. Barato, rápido e ainda dá para ir para uma esplanada esticar as pernas (se for no verão, claro).

    • nop90 says:

      LOL, cá temos a solução fácil.

      E que tal: educar, banir de vez escolas que aceitam subornos, examinadores incompetentes, fazer exames mais complicados? aumentar o número de aulas? inserir a componente “Psicologia” nas aulas? etc, etc, etc… Ah pois, se calhar metade nunca ia tirar a carta e essas medidas não dão dinheiro. Mas sim, o papá estado que limite os carros e varra o verdadeiro problema para baixo do tapete, espertos, xico-espertos em todo lado…

      • Andre says:

        comentario interessante, mas sendo profissional de conduçao, camionista, internacional por sinal. Se tiver um azar de pingar fora da sanita, porque vou a 30 a mais, tou lixado da vida. Tenho aqui ao lado de casa a famosa Via Norte no Porto que o limite é 70, mas muito pessoal vai a 100 ou mais, eu ja fui apanhado a 100, porque eles simplesmente metem radares onde sinistralidade é zero.

        Eles simplesmente nao metem radares onde ha acidentes, mas sim onde há facilidade de apanhar infratores.

        Sabe o que faço a todas as multas (que foi esta) mas numa outra que possa vir aparecer. Meto no aviso de recepçao ou na carta “Desconhecido, mudou-se”

        Tudo devolvido ao remetente. Passado 2 anos prescreve

    • Louro says:

      Ao invés de limitar os carros a determinadas velocidades, porque nao aumentar os valores de multas e acrescentar outras penanlizacoes.

      – Multas sem tecto máximo e correspondentes a uma percentagem do salário anual,
      – Menos pontos na carta a implicar seguros mais caros, pois claro que se apanhas multas há mais provabilidade de teres acidentes,
      – É apanhado a mais de uma determinada velocidade (por ex. 2 vezes o limite máximo do local), é retirar a carta, se voltar a fazer o mesmo é retirar a carta e nao a tira mais.

      Iam ver se os Portugueses nao andavam mais na linha e respeitavam mais os outros na estrada.

  2. Rui says:

    Tem que ir buscá-lo algum lugar……
    Xulos

    • fc says:

      Se não concorda com o código da estrada porque é que tirou a carta? Agora a única solução é fazer uma petição para a assembleia da republica alterar a lei e a velocidade ficar em consonância com o que deseja.

      • João says:

        Convém saber porque em Portugal a velocidade está limitada a 120Km/h.
        Todos os pressupostos para os 120 Km/h já foram superados à décadas, como tal deveria ser limitada a uma velocidade superior, por ex: 140 ou 150Km/h.
        Neste caso é mesmo a caça à multa.
        Temos que ir buscar dinheiro seja onde for, desde que mexa, há dinheiro.
        É curioso observar Governos de esquerda gostarem tanto de dinheiro.

        • Louro says:

          A velocidade máxima é determinada pela distancia que um carro demora até conseguir ser imobilizado em seguranca.
          Claro que há carros que conseguem fazer isso em metade do espaco defenido, mas vamos deixar os meninos andarem de clio a 200 quando aquilo a 120 já parece que se vai desfazer?

          Ainda por cima em Portugal onde os carros sao extremamente caros e os salários baixos?

  3. Rodrigo Da Silva says:

    acho bem! A velocidade mata. Ponto final

    • Tomás Pacheco Mendes dos Santos says:

      Há uma diferença entre prevenção e caça. A Velocidade deve ser controlada de forma preventiva, da forma que consciencializa e que faz com que as pessoas andem mais devagar. Todos sabemos que os radares são o oposto disso, servem simplesmente para faturar. Não é por acaso que a maioria deles está no final de descidas, entre as quais algumas há carros que nem em cruise control conseguem manter a velocidade. Este é um estado que persegue para encher os cofres e isso está totalmente errado. É repugnante e de terceiro mundo! O interesse por cá não é que as pessoas andem mais devagar. É que sejam mais apanhadas.
      Sim radares não reduzem sinistralidade nenhuma, é só uma desculpa para echer os cofres e para dizerem que estão a fazer alguma coisa contra a sinistralidade, mas não estão de todo!

      • fc says:

        Qual é então a sua sugestão para a prevenção?
        Deixo a questão, se o objectivo do estado é a caça à multa como é que deixam prescrever tantas multas de transito?
        E ainda deixo uma prenda de natal, é aproveitar a acelerar porque o papa vem a portugal em 2022 e é prática dar indulto a esse tipo de infracções.

        • Carlos Correia says:

          Na última visita papal não tive direito a indulto por infracção de excesso de velocidade (+11 Km/hora num limite de 100). Passados quase seis meses após a infracção, chegou a notificação e foram-se 2 pontos e 60€.

        • 3434 says:

          Pôr mais polícia de trânsito na rua em vez de estarem a coçar os tomates no escritório.

        • Tomás Pacheco Mendes dos Santos says:

          A sugestão do 3434 é obviamente uma das coisas que devia de acontecer, mas muitas outras existem que devem, em conjunto ser implementadas.
          Por exemplo:
          – Polícia visivel nas autoestradas para fazer cumprir e dar apoio a possíveis problemas durante os percursos (Consigo fazer Lisboa Porto a 200 e abrandar apenas nos 4 radares pelo caminho, isto não deveria ser possível)
          – Anunciar operações stops e zonas de fiscalização (Tal como em espanha)
          – Deixar de meter radares moveis escondidos em descidas para evitar que a população os veja ainda mais como uma força opressora em vez de uma força de fiscalização e auxilio ao cidadão.
          – Podia ficar aqui o dia todo…

      • radamel says:

        A verdade é mesmo essa. Os policias já saiem para a rua com os objetivos definidos: “X multas esta manhã”

        Apanhei uma multa por ir a 91 numa zona que tem uns 70 metros em que se tem de ir a 60kms/h. Antes dessa zona de 70 metros pode ir a 90 e depois também. Onde o policia se vai colocar a apanhar a velocidade? Na zona de 90, a ver se aparece algum em excesso? Claro que não. Vai fazer caça a multa no curto espaço em que se deve ir a 60.

        • fc says:

          Se o policia tivesse na zona de 90Km/h quando mesmo ao lado existe uma de 60Km/h era um convite às pessoas circularem sempre a 60Km/h. Se fosse num emprego qualquer esse empregado levava logo uma repreensão. Se não existe razão para estar lá o sinal de 60Km/h é tirar o mesmo, e é verdade que existem sítios onde os sinais não fazem sentido.

          • Tomás Pacheco Mendes dos Santos says:

            Das duas uma, ou nao conduzes ou tens um microcar concerteza. Eu tambem saio as 18h do trabalho, mas as vezes as 19, 20h o que seja, e as vezes tambem saio ás 17h45, é razao de despedimento tambem por essa logica. Tudo o que é regra tem de ter contenção. Se tens carta o código que estudaste diz que as regras devem ser cumpridas mas em primeiro liugar está a segurança e outras coisas. Se reduz de 90 para 60 num sitio dêm pelo menos tempo de um gajo tirar o pé e o carro chegar la, evitanto assim uma travagem brusca pondo em risco a viatura em circulação e as que vem atrás dela, não?

        • Vitolas says:

          Ou seja és apanhado a mais 31km/h do que o permitido no local aproximadamente 35% a mais do que devias e pior,aparentemente sabes que existem vários limites no mesmo troço e num curto espaço e ainda consideras que é caça a multa.Se existem variantes de velocidade nesse local existe um motivo não é só porque sim.

          Espero que não te aconteça a ti o que aconteceu a um amigo meu que era tal como tu um dos tais que se a policia faz o seu trabalho quando as pessoas não cumpre largam logo o “caça a multa”,mudou logo o discurso quando infelizmente o filho foi atropelado e acabou por falecer por um anormal que ia a 80 numa zona de 50.

        • Joao says:

          Voce passou mais 50% do que é permitido, o que esperava?
          Numa autoestrada voce anda a 240?

        • 3434 says:

          Foi em Leiria? Já me aconteceu a mim lá no N1/IC2.

          • radamel says:

            Foi mesmo. Para quem diz que eu ia a mais de 50% do que é permitido, volto a frizar que ia a 91 numa zona de 90 – com duas faixas no mesmo sentido. Passa para 60, durante uns 70 metros e depois de volta a 80 ou 90. Ninguém conhece os limites de uma estrada ate la passar. Quantas vezes vou em estradas (por exemplo no Alentejo) que não têm placas e nem consigo perceber qual o limite?

      • Fyh says:

        Concordo consigo.

      • dgfgfdg says:

        Andam por aqui e por muitos lados ignorantes a defender um estado autoritário e repressivo em vez de um estado justo e razoável.

    • Leite Pão says:

      Nossa que inteligente, fumar mata e contínua a ser vendido!
      De que adianta subir o imposto sobre o tabaco?

    • xoninhas says:

      Nada, mas nada mais errado. E por isso vamos continuar a discutir para sempre este problema, até porque isto interessa manter assim, pois é fonte de receita. Mas não é a velocidade que mata.

      • rodrigo says:

        nao ‘e a velocidade qua mata? ai sim?! Então ‘e o que? O carro? O muro que apareceu do nada?

        Se tiveres um acidente de carro a 20 km/h sairás vivo. Agora duplica ou triplica essa velocidade e veras o que acontece ao corpo humano.. ‘E com cada um!

        • xoninhas says:

          Não consegues ver mais do que isso, pois não? Os que nos governam, fazem-no deliberadamente, já tu, devias pensar. E é por isso que vais continuar a ver cada vez mais radares por aí. O que mata é o comportamento humano perante a condução que pratica. O estado não quer gastar dinheiro em educação. Isso é caríssimo. Portanto, lancem-se campanhas com eficácia zero para a malta ficar contente e assim cobrar mais uns trocos. Por isso, a velocidade não mata. O teu comportamento é que é na tua desgraça.

          • rodrigo says:

            nao fazes sentido nenhum ou então nao queres perceber. A velocidade mata como referi em antes no meu exemplo de 20 km/h ou de 40 ou 60.

            Se todos fôssemos pessoas civilizadas andaríamos todos a conduzir com cuidado e com atenção. Se fossemos todos civilizados nao haveria necessidade de por radares em lado nenhum porque o povo civilizado andaria conforme a velocidade.

            Podem por um radar a cada km de estrada que eu nao me preocupo porque eu vou conforme a velocidade estipulada pela lei. Se sentes que os radares estão cada vez mais presentes ‘e porque fazes parte do problema.

            Ora explica-me como ‘e que o meu comportamento mata? Ou o comportamento do governo que tem de governar pessoas como tu que nao sao civilizadas?

          • xoninhas says:

            Não faço sentido? Tu falas da velocidade e depois argumentas com “se todos fossem civilizados”. Então o que mata ? A velocidade ou o comportamento? Tens de refletir melhor sobre esse assunto. Revelas pensamento manipulado.

      • Joao says:

        Não é a velocidade, são os otários que não a respeita.
        Quem não deve não teme…

        • xoninhas says:

          O problema é comportamental. Excesso s de velocidade são consequências de mau comportamento.

        • rodrigo says:

          olha outro…ha bastantes videos no YouTube a demonstrar o que acontece ao corpo humano quando ha um acidente com diferentes velocidades. Esta mais do que evidente que A VELOCIDADE MATA!!!!

          • xoninhas says:

            Estás errado. És vítima de manipulação. Não é a velocidade que mata. A velocidade que tu dizes que mata é a consequência de algo muito mais completo e essa sim a verdadeira causa da morte: comportamento

    • João says:

      ” A velocidade mata. Ponto final”
      Brilhante… é melhor nem sairmos da cama, nunca saberei se á velocidade que me levanto. posso escorregar, bater com a cabeça no chão e morrer.
      Mais vale prevenir e ficar deitadinho.

  4. Lesma Acelerada says:

    Prevenção rodoviária aplicada da única forma que nós entendemos.
    Mas mesmo assim não cumprimos.
    Assim junta-se o útil ao desagradável.

  5. Bruno says:

    Só à espera do típico comentário à notícia “sou contra, eu conduzo como quero”…

    • xoninhas says:

      Não é “como quero”, mas não é assim que se resolve o problema. Até porque isto não pretende resolver o problema. A ideia de instalar os radares é exatamente essa: explorar ao máximo a clientela. É como abrir uma loja : #ali há clientes, vamos lá montar o negócio ! É a mesma coisa. Ninguem está interessa em acabar com os excessos de velocidade.

  6. Tomás Pacheco Mendes dos Santos says:

    Alguem tem de pagar as contas dos chulos não é?

  7. LA says:

    Muito pior que o excesso de velocidade é enviar mensagens e jogar a conduzir. Mas para isso não há radares, nem fiscalização.

    • Joao says:

      Atualização: os novos radares vão conter sistema de deteção de utilização de dispositivos moveis na condução. Já não há o que reclamar. vamos ser felizes.

      • xoninhas says:

        Não vão nada. Confundes as noticias que lês.

          • xoninhas says:

            E então? São esses radares que vão ser instalados???

          • Joao says:

            Alguem disse que iam ser estes?
            ” Atualização: os novos radares vão con…”
            Diferente de:
            Atualização: Estes novos radares vão con…

          • xoninhas says:

            Então vens para aqui mandar laranchas fora de contexto, é isso? Aqui fala-se da instalação de novos radares não das características destes.

          • Joao says:

            Para além de ser limitado ainda és orgulhoso a querer ficar com a razão de uma limitação tua.
            Pronto não chores, aqui só se fala de radares sem caracteristicas.
            Vais longe…

          • xoninhas says:

            Espera: tu despejas observações fora do contexto do artigo e da discussão e, pasme-se, eu é que estou aqui mal… E humildade, a quem a deves?

          • Joao says:

            Fora do contexto? O tema não são radares ou eu confundi? Humildade? é o que não estás a ter, como já te disse ficas com a razão e não faças mais birra. Escusas de estar sempre a insistir no mesmo quando já te dei razão, estás a ser importuno e mal educado.

          • xoninhas says:

            De certeza que estás a falar para um espelho. Tentas inverter a história, mas está tudo aqui escrito. Quem foi mal educado? Quem veio para aqui falar de assuntos fora do contexto? Quem veio dar informação desprovida de fundamento? Quem veio fazer insinuações? Quem não mostra humildade? Quem se defende com argumento fácil? Quem tentou desvirtuar a discussão com informação enganadora?

          • Joao says:

            Como continuas a ser mal educado e nem foste capaz de responder à pergunta: ” O tema não são radares ou eu confundi? ” que desmistifica toda a tua treta nem mereces mais respostas.
            Adeus, que o proximo ano te torne mais adulto e aceites a opinião dos outros.
            (não respondo mais a este tópico.)

      • xoninhas says:

        Queres a todo o custo inverter a ordem das coisas. O tema são radares sim, como sabes. Mas não são as características dos mesmos como de forma enganadora quiseste introduzir na discussão, pois não vão ser instalados em Portugal ( tema desta discussão) os radares que estão a ser testados no outro lado do mundo. Queres discutir com elevação, fa-lo. Queres ofender fa-lo. Queres me calar, nao conseguirás. A atitude é toda tua, pois desde o primeiro momento que mostras não ter capacidade para discutir um tema. A resposta á tua questão foi dada há muito tempo. Tu próprio a deste.

  8. David says:

    A velocidade máxima devia ser aumentada para pelo menos 150klmh nas autoestradas como já e em Itália a muitos anos. Os nosso limites de 120klmh são da época em que os carros pouco mais davam que os 120 e não tinha segurança nenhuma. Já evoluímos tanto a nível de segurava e potência que o normal era os valores de velocidade em ( Autoestrada) deveriam ser actualizados

  9. Toto says:

    Eu compreendo estas regras afinal estamos a viver em comunidade. Tem que existir regras de segurança. Mas Poderiam também aumentar a velocidade nas autoestradas, afinal os carros de hoje em dia tem mais segurança. Ou então limitar a velocidade conforme as carateristicas/ano dos carros.

    • xoninhas says:

      Podiam era investir sim em educação para o civismo e educação para a condução. Também não deveria ser permitido que a escola de condução fosse mais um negócio a coberto da lei e do qual muitos se aproveitam.

  10. Silva says:

    E baixar o preço das portagens nas SCUT’s não? É que é mais caro ir de Lisboa à Guarda do que apanhar um avião para qualquer cidade europeia.
    SCUT, que nome tão curioso para autoestrada sem custos para os utilizadores…

  11. King Banido says:

    Uma coisa é serem radares periodicos(caça a multa), a outra é serem radares fixos…
    Aprovo sem duvida os radares fixos, pois sem eles, de que forma se vai controlar a velocidade? Metemos “mil” carros da PSP de transito em patrulha?

    Sem radares, a malta tasse nas tintas pa velocidade(Cada um tem a sua responsabilidade, mas há doidos para tudo) em zonas ditas “perigosas” ou de muitos acidentes… É por isso que os radares estão na final de uma descida, numa curva, etc…

  12. ToFerreira says:

    Se realmente fosse para “para apanhar quem goste de acelerar muito” seria bom, o problema é que normalmente é para apanhar uma distração ou alguém que não conhece o local e acaba apanhado numa das muitas ratoeiras das nossas estradas, porque é aí que costumam colocar os radares e não nos locais de maior sinistralidade.

  13. Xnelox says:

    Parece que as únicas contra ordenações na estrada são a velocidade. Podiam investir em mais ativos para atuar noutras regras tais como circular na faixa do meio, não respeitar a prioridade do peão nas passadeiras, utilização de telemóveis durante a circulação, etc. Mas como não existe formas automáticas de aplicar a multa já não interessa os outros casos

  14. Miguel says:

    Muito fácil controlar a velocidade. Leitor de matricula a entrada da portagem e à saída e fazer os calculas e já sabem se passou dos 120km/h.
    O problema está em que as pessoas deixavam de andar nas auto-estradas, porque pela nacional ia ser mais rápido.

  15. Tavares says:

    Não posso confirmar mas, só na zona de Neuchâtel (Suíça) as multas renderam à comuna, 80 milhões de francos!
    Por que raio acham que todos investem em radares?
    Boa receita, fraca contestação!
    Um dia destes, vou ser apanhado por distracção mas, até lá, a melhor forma de lutar contra isso, é andar minimamente dentro dos limites! É garanto-vos que eles (os radares) são às centenas e não param de crescer.
    Cumprimentos

  16. Certissimo says:

    O problema é km anda a 50 km/h na autoestrada. Devia haver multa pa km anda abaixo da velocidade minima

  17. Pedro Fernandes says:

    As autoridades Preocupam-se muito com os Radares em querer passar as multas mas acabar com a Praga dos Iluminados que continuam achar que ultrapassar é pela a Direita (A5, A16, IC19, etc.) conta-se pelo os dedos ;), acabar com a Praga do condutor de fim de semana que acha que andar devagar é na faixa da Esquerda e do Meio 😉 resolvam essas situações pois para mim é a causa da maior parte dos acidentes do dia a dia.

    Radares para mim continuo afirmar 😉 em certos locais é simplesmente Caça à multa.

  18. ASilva says:

    Conduz tudo acima da velocidade permitida e depois acham que os radares estão lá para caçar multas…..

  19. JC says:

    Pela amostra dos comentários concluo, com satisfação, que a maioria cumpre escrupulosamente os limites de velocidade.

    Então, pergunto: quem são os gajos, mais do que as mães, que passam por mim a voar quando conduzo na autoestrada, em excesso de velocidade, a 130Km/h?

  20. iscas says:

    comprem veyrons e outros que andem a mais de 350 e os radares já não vos apanham!

  21. falcaobranco says:

    Isto é daqueles assuntos que além de dar pano para mangas, ou neste caso, muitos paginas de comentarios, nunca ninguem assume a culpa de nada… mas a verdade seja dita… já se começa a ver pelas estradas fora, muita gente que se vê que já foi multada em excesso de velocidade… não é o andarem devagar… é andarem devagar em certas e determinadas estradas, certas e determinadas atitudes que têm… claro que existe sempre aquele chico esperto que ainda não foi multado…até um dia… e depois aprende… e conheço muita gente boa que só á segunda multa de excesso de velocidade, lhe caiu a ficha… pensem bem nisso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.