PplWare Mobile

Finalmente Google Maps emitirá alertas de radares, tal como o Waze


Artigo escrito por Rui Bacelar para o Pplware

Destaques PPLWARE

  1. anonymous says:

    Se avisam onde estão os radares e a velocidade máxima, então para que servem os radares? Servem para os condutores andarem devagar nos radares e passarem nos radares à velocidade máxima do radar e depois de passar o radar acelerar a fundo no acelerador depois de passar o radar? Na minha opinião, devia ser ilegal informar onde estão os radares e a velocidade máxima permitida na passagem desses radares.

    • Alpha says:

      ai sim, como queres “ilegalizar isso”? Proibindo a aplicação? Já agora estou também estaria proíbido de avisar os meus amigos?

      Já não chega tantos regulamentos, ainda querem mais

      • anonymous says:

        A forma é muito simples, pensa um bocadinho que chegas lá. Já agora, na minha opinião também não deviam informar onde estão os radares móveis. Quem comete infração devia ser apanhado a cometer a mesma, e não a contornar a infração usando informação de localização de radares.

        • TIM says:

          isso é no teu mundinho cor de rosa e perfeito, cheio de flores.
          isso nunca vai existir, e se existisse, haverias sempre gente a tirar partido disso e fariam uma caça à multa ainda mais do que já é.
          acorda.

          • Lopes says:

            É sempre divertido ver pessoas sem nenhuma argumentação terminar com a palavra “acorda” LOL Como se tivessem sido iluminados pela inteligência/sabedoria LOLOLOL . São argumentos ao estilo Trump! Ninguém tira partido ou haverá caça à multa se cumprir com o código da estrada! Cumpra a lei e vai ver que não tem com que se preocupar! DAH

      • Lopes says:

        Claro que já chega de tantos regulamentos!!! Bom mesmo era não haver regulamentos nenhuns e o número de MORTES nas estradas em Portugal ser ainda maior (já é dos mais altos da Europa)!!! Nada como ter centenas de vidas/famílias destroçadas!!!! Isto tudo para os convencidos que são pilotos de formula 1 continuarem a andar na estrada como loucos, nas corridas em contramão, ultrapassagens pela direita a “abrir”, corridas na Vasco da Gama, tentar fazer a mesma viagem cada vez no menor tempo possível, etc.. A isto se juntarmos álcool e drogas então seria o Rock and roll nas estradas portuguesas! Nada de regulamentos também para álcool e drogas!! Qual seria o problema de matarmos uma família inteira, crianças, mulheres, homens etc.? Nenhum, eu quero é conduzir como eu acho que mereço, os outros que se lixem! Yupi, viva ausência de civismo e respeito pelos outros! O meu umbigo é que interessa!

        • SóParaSerDoContra? says:

          O problema não são, na grande maioria das vezes, aqueles que conduzem mais rápido, até porque mais de 70% dos acidentes são dentro de localidades. O problema, na grande maior parte das vezes é em Portugal todo o tonto ter carta. Está quase que visto como obrigatório uma pessoa em Portugal ter carta, por muito má que seja a conduzir… O problema são os tontos que andam com os espelhos mal regulados e fazem ultrapassagens perigosas, independentemente da velocidade. Olhemos para outros países, com limites de velocidade mais altos e vejamos o que fazem de diferente…. Até porque, veja-se: reduz-se o limite para (vá, por exemplo) 90Km/h, é menos perigoso do que 120Km/h numa auto-estrada? Sim! Sem dúvida! Mas é à mesma extremamente perigoso se tiveres um acidente? Uma vez mais, sim, sem dúvida!
          Acho que a redução da sinistralidade não passa pela redução dos limites, mas sim por uma mais seleta atribuição das cartas de condução e um melhor ensino. Engraçado é quando os “professores” das escolas de condução, eles sim e também são uns cepos a conduzir…

          • Lopes says:

            Sobre “todo o tonto ter carta” de acordo!
            Sobre a velocidade, não entendi… sorry!
            Sobre o que os outros países fazem diferente, não são os países são as pessoas que têm um nível de civismo do qual nós em Portugal estamos a décadas de distância! Civismo, infelizmente, nunca “esteve na moda” por estas terras… e o comportamento nas estradas ( e não só!) é simplesmente vergonhoso! Experimente falar com um estrangeiro sobre o nosso comportamento nas estradas e vai ver a reação!
            A redução da sinistralidade passa pelos motivos apresentados e por uma redução dos limites de velocidade nas localidades. E mais uma vez, por uma injeção de civilidade aos automobilistas portugueses!!
            Não podemos continuar a assistir a todas estas mortes!

        • SóParaSerDoContra? says:

          O que estava a tentar dizer em relação à velocidade é que sim, embora seja um problema e agrave vários acidentes, não acho que seja pela redução que devemos ir, mas sim pela melhor: 1) educação das pessoas 2) mais civismo. Embora, ambos sabemos que nenhuma destas coisas irá ser melhorada :p

          No entanto entendo e concordo em parte com o que disse! 🙂

    • PedroC says:

      Percebo o comentário e concordo que a maior parte das pessoas cumprem quando estão a passar no radar e depois conduzem acima dos limites permitidos. O que acho que é um facto inegável é que existem benefícios no facto dos condutores saberem onde os radares estão. Segundo me recordo de ler, a sinistralidade acaba por diminuir quando as pessoas sabem que estão a ser “vigiadas”.

    • unknown says:

      Claro! Os radares são a unica razão porque as pessoas não andam a 200 pelas cidades.. voces fazem a sociedade pior do que ela é

      Acelerar a fundo normalmente faz se no acelerador sim

      • anonymous says:

        A sociedade deveria ter ética, e saber que deve respeitar os outros cumprindo os limites de velocidade. É que andar acima da velocidade permitida está a por em risco não só a vida deles próprios mas também a dos outros que cumprem a velocidade permitida.

    • André Fontes says:

      Os radares fixos (não só mas principalmente) são colocados em pontos negros, pontos geralmente mais propícios à ocorrência de acidentes de viação por excesso de velocidade, nesse sentido o objectivo é fazer com que os condutores abrandem nessas zonas e respeitem os limites.
      O objectivo maior não é apanhar os infractores mas sim diminuir o numero de sinistros nesses pontos, por esse motivo é que esses radares são sinalizados.
      Ao esconder essa informação essa redução de sinistros não seria tão efectiva para além do facto de que os radares fixos são facilmente detectados, por isso nem faz muito sentido tentar esconder a informação.

    • JJ_ says:

      É obrigatório informar onde estão os radares, segundo a lei. Isto não é uma coisa portuguesa, por exemplo em Inglaterra até tem marcas no chão a dizer até onde o radar capta.

      O problema esta na forma como os radares são instalados.
      Por exemplo, na segunda circular temos dois radares, um na zona de Moscavide e outro na zona de Benfica, ou seja nas duas extremidades. E no meio? Nada…

      Olhando para o exemplo da M1 no Reino Unido, aquilo de 2 em 2 ou 3 em 3 km, mais ou menos, tem um radar e a cada km tem um pórtico avisar da existência de radar. Resta saber qual o pórtico que tem o radar. Mesmo com a app, não vale a pena andar acelerar a fundo… para travar a cada 3 ou 4 km.

    • Filipe F. says:

      O ideal deveria ser como se vê em alguns paises mais pela Asia. Radares e cameras por todo o lado. Aqui somos todos muito preocupados com a privacidade e o preço disso é a insegurança que existe na estrada, e para o cidadão na rua. Crimes em todas as cidades Portuguesas todos os dias, acidentes e mortes na estrada todos os dias neste país tão pequeno, tudo porque o ‘povo’ não gosta de vigilância. Se tivessemos videovigilancia nas ruas como deve ser em quase todas as esquinas, radares em tudo o que fosse retas, cameras em tudo o que fosse semaforos ou cruzamentos para apanhar quem anda a passar vermelhos entre outras coisas, o povo ficava disciplinado e a lei realmente servia para regular o comportamento das pessoas.
      Mas infelizmente e como dizes, do pouco que se pode controlar, o povo queixa-se dos radares e arranja forma de ‘saber onde estão’ e apenas precaver-se naqueles 100m de estrada. Se houvessem radares com fatura, identificado em qualquer reta se calhar as pessoas habituavam-se aos limites e chegavam a um ponto que nem se preocupavam com multas e limites porque aprendiam no dia a dia a que tinham de respeitar os limites. A consequencia era o fim do ‘orgulho’ de quem compra carrões para dizer que anda muito, se calhar o fim de haver mortes e feridos graves diariamente nas estradas, menos atropelamentos, menos acidentes, o que é chato para a maioria do povo que quer é desgraça

    • ASousa says:

      Mas sabes que é ilegal não avisar a existência de radar, não sabes?!

    • Cortano says:

      Os radares fixos geralmente têm um aviso uns valentes metros antes.
      Mesmo que as pessoas abrandem só para o radar, só esse fato já estão a acalmar a velocidade.

      Não se se és de Lisboa, mas antes a Gago Coutinho era uma pista de velocidade para muita gente. Hoje anda tudo mais calmo – e todos os radares estão sinalizados antes.

    • Louro says:

      Os radares deveriam de servir para isso mesmo…

      Serem colocados em zonas de acidentes, para reduzir a velocidade e assim evitar que os mesmos acontecam.

      Ou seja, se tiveres o GPS a dizer que tem um radar ali a frente baixas a velocidade e evitas acidentes 😉

      Isto se a ideia é tornar as estradas mais seguras e evitar acidentes…

      Se a ideia for fazer dinheiro ás custas dos outros, epah… proibam lá as apps, gps e afins e mudem os radares de local todos os dias.

    • TugAzeiteiro says:

      Que grande LOL estás bastante informado…. (NOT!)
      O Google APENAS vai informar dos radares fixos (rede sincro)… e das velocidades, informação essa que está disponível na própria via!!! A Google não vai informar dos radares móveis (mais conhecidos pelos caça multas… mas isso é outra história). Portanto não está a fazer nada de ilegal…. A meu ver até podiam colocar os radares móveis que são anunciados nas diversas plataformas pela própria polícia… onde dizem o local/dia/hora! Se a informação é publica não há qualquer ilegalidade!!
      O problema hoje em dia são as manobras perigosas aliadas a excesso de velocidade e o total desrespeito pelos outros… e isso os radares não apanham… para tal é preciso mais meios humanos a patrulhar as estradas todos os dias, em caso de acidente com culpa, revisões de cartas (há tanta otário/a que não sabe conduzir..) e aumento exponencial de seguro da viatura!

    • NunoR says:

      Isso pode fazer sentido num mundo cor-de-rosa, que infelizmente… não existe! Mas mesmo nesse mundo cor-de-rosa era necessário que os limites legais fizessem sentido. A grande maioria dos limites de velocidade são desadaptados, ou não fazem sentido nenhum, o que desincentiva a obediência oas mesmos.
      E há ainda outra questão importante a tentar “justificar” os radares (para além de serem uma boa fonte de receita!). É que a enorme maioria das causas apontadas de acidente são “excesso de velocidade”, o que não sendo verdade, é populista e falacioso, porque é evidente que se estivesse parado… não batia!!

  2. Hugo Cunha says:

    Waze vs Google Maps battle em 3..2..1…

  3. Júlio Rocha says:

    App RADARES de Portugal para Android é a melhor (no que respeita à partilha – localmente e à diatancia – e alerta de radares, dado haver detalhe na velocidade no Mapa, para além da partilha via mensagem texto).

  4. fabio says:

    Rip Waze? A google comprou-a a algum tempo!

    • Marco says:

      ao passar as funções do Waze para o maps, o futuro não é bom para o Waze. Para quê ter dois produtos que fazem o mesmo.

      • TIM says:

        não fazem nada o mesmo.

      • Francisco says:

        então, mas às vezes o propósito de comprar, é para usar. Quer dizer que a gg viu que a longo prazo compensa mais comprar a waze e usar o algoritmo deles, do que investir em investigação e desenvolvimento para replicar o algoritmo num mercado que já está satisfeito com a concorrência (waze)

  5. Mauricio Vieira says:

    Os radares não foram feitos para proteger as pessoas, foram feitos para empregar e encher muitas contas bancárias dos politicos, há estradas limpas, linha reta, sem ventos nem intercessões cujos radares pedem conduzir a 90kmh… Os que devem de ser multados são os alcoolicos, drogaditos ou mesmo pessoas que demostrem uma condução temeraria.

  6. TIM says:

    é engraçado que a google rouba estas funcionalidades todas ao waze.
    e se os users começarem a usar mais a google maps, em vez do waze, não vai haver NINGUEM a reportar as coisas no waze para os meninos do google maps consumirem!!!!
    é uma mudança suicida para a google, esta.

    o google maps é o que é, graças ao WAZE e ao trabalho da comunidade.
    roubem isto e ficam sem nada.

  7. Ricardo says:

    Concordo com regras, regulamentos e fiscalizações. No entanto, também é verdade que muitas das regras também não se enquandram ou não estão bem aplicadas na realidade. É incompreensível hoje em dia ainda não existir em Portugal estradas com faixas de rodagem adaptativas ao trânsito e limites de circulação também de igual modo adaptativos….Por isso também é optimo a existência deste tipo de apps. =) Apesar de eu circular sempre dentro dos limites legais de velocidade também é verdade que, por exemplo, é um tédio enorme circular na A22 desde Lisboa ao Algarve a 120 km/h…isto entre muitos outros exemplos em Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.