PplWare Mobile

UE: Gosta de acelerar? Em 2022 os carros vão ter limitador de velocidade


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Zé Duarte says:

    Era o que mais faltava ter o meu carro a travar sozinho e a limitar-me a velocidade só para não falar de câmaras internas a filmar-me constantemente!
    Volta Fiat Uno!

    • Emanuel Barros says:

      Lê a noticia toda! O limitador de velocidade é um sistema que permite ao condutor estabelecer uma velocidade máxima a que deseja conduzir. Bastate útil para não apanhar multas já quase todos os carros tem isso. As cameras serve para ver se adormeceste e ele acorda-te! Em vez de acordares virado ao contrário… ou não acordares mais.

      • jose says:

        Tenho um Fiesta dos novos, e esta cena do limitador de velocidade é fantástico, acabaram-se as distrações, e gostava que fosse automatico conforme a via que circulamos pq é chato tar a ajustar o tempo todo…

      • paulo rodrigues says:

        Mas alguém aqui já conduziu um veículo com limitador de velocidade? O limitador de velocidade não é um sistema que permite ao condutor estabelecer uma velocidade máxima a que deseja conduzir! Sinceramente… O limitador possui uma velocidade máxima predefinida que não deixa o veículo ultrapassar os limites impostos a este… onde se encontra actualmente: veículos pesados de passageiros, com peso bruto superior a 10t, e veículos pesados de mercadorias cujo peso bruto seja superior a 12t. Existem algumas excepções que não valem a pena ser referidas.
        Isto sim é um sistema limitador de velocidade… como a pplware o descreve, acreditando que fez uma boa “tradução” do assunto, não é nenhum limitador. Deixem que vos “diga” algo: então as marcas vão deixar os políticos introduzir o limitador de velocidade (o que é mesmo limitador) nos carro? Eheheh alguém que comprou um carro em 2022, aqui não pode exceder os 120kmh na autoestrada, e eu como o meu velho carro passo por ele a 150kmh…. treta!

      • Theboice says:

        Acho que tu é que não leste bem, estão descritas duas situações, a que tu “falas” : O limitador de velocidade é um sistema que permite ao condutor estabelecer uma velocidade máxima a que deseja conduzir. Diferencia-se do regulador e do cruise control porque não obriga a conduzir sempre à velocidade definida, só atuando quando o condutor excede o limite estabelecido.
        E a que ele fala: A limitação automática de veículos pode também ser feita à custa de uma câmara instalada no carro que reconheça o limite de velocidade imposto em cada via e ajuste automaticamente a sua própria velocidade àquele limite.
        A limitação automática de veículos pode também ser feita à custa de uma câmara instalada no carro que reconheça o limite de velocidade imposto em cada via e ajuste automaticamente a sua própria velocidade àquele limite.

        • paulo rodrigues says:

          Tu é que não percebestes mesmo nada… para teres uma ideia: eu conduzo veículos com as duas tecnologias (cruise control e limitador)…. nada tem a ver um com o outro, simplesmente! O limitador não deixa o veículo, em aceleração, ultrapassar uma determinada velocidade previamente definida a montante… o condutor não pode, de forma alguma, alterar esta definição! Esquecam o cruise control para o que aqui se propõe….

      • TSSRK says:

        acorda-te como? Levas com um taser?

      • Vasco Lopes says:

        Lê a primeira linha onde refere que o limitador será automático de acordo com a via onde se circula

    • blablabla says:

      Típico comentário de Zézinho que não percebe o potencial da tecnologia mas que aponta logo as calamidades das desvantagens.

      • Zé Duarte says:

        Potêncial se fosse num mundo prefeito. O carro confunde um saco de plástico a voar no vento com um obstáculo, trava a fundo e tu bates com os dentes no volante. Quero ver se dizes tão bem do potencial da tecnologia.

        • Louro says:

          Sabes que a menos que tu andes a conduzir encostado a um muro, e o tal saco de plástico apareca por trás do muro é que algo do género poderia acontecer.

          Numa situacao real, o carro ve o saco e caso o sistema decidir que é um obstaculo trava de forma suave e gradual para evitar o acidente.

          Falta de conhecimento dá nisto.

          • Filipe says:

            Parece que o meu caro é que tem falta de conhecimento. Já vi um vídeo no YouTube, que não me parece ter sido montagem em que um Tesla trava a fundo porque o condutor da frente atirou pela janela uma caixa de pizza.

            Não digo que estes sistemas não tenham utilidade, mas o que a UE quer é eliminar toda a possibilidade de override por parte do condutor

          • Louro says:

            @Filpe,
            Sim porque todos os dias alguém atira caixas de pizza pela janela fora, mas mesmo assim acho que devia de ler o meu comentario outra vez…

            “e o tal saco de plástico apareca por trás do muro é que algo do género poderia acontecer.”

            logo alguém atirar uma caixa de pizza pela janela fora faz com que um objecto apareca derrepente no radar do carro e ele trave.

            Nada de errado aqui..

    • Zé Maluco says:

      Era só o que faltava! Sou um heroi da estrada, invencível, imbatível, indestrutível! Faço o que me apetece porque sou o maior! Regras? Isso é para quem não sabe conduzir! Eu sou o maior!

  2. Luis carreira says:

    Mais um absurdo que se calhar vai aumentar os acidentes em vez de diminuir… Cheira-me que vai aumentar a venda de papel de aluminio…

  3. LA says:

    Com alguns concordo. Outros acho que vai ser engraço, ou até perigoso.

  4. Alpha says:

    Depois admiram-se do Brexit…

    A UE vai por um caminho… é só regulamentos + regulamentos + regulamentos…
    Parece que caminhamos para uma URSS

  5. João M. says:

    Mais uma situação em que por causa de uns, pagam todos. Não fossem os aceleres que se colam às traseiras dos carros; não fossem os que conduzem embriagados, ao telemovel, a olhar para o boneco… não era preciso nada disto.
    O meu carro tem uma opção de limitador de velocidade (Definida por mim) e já experimentei e apesar de ser até interessante (para quem tem pé pesado nas autoestradas), acaba por ser chato em questões de ultrapassagens (o carro simplesmente não dá mais, a não ser que o acelerador vá ao fundo e faça um “click”).

    Infelizmente é preciso regras e acções destas para proteger as pessoas. Quantas pessoas não perderam a vida, ou virama sua vida arruinada, por causa da falta de cuidado dos “aventureiros”..

    • Sérgio says:

      Tem razão! Se não fossem as pessoas “más”, não precisaríamos de gastar dinheiro em anti-vírus, não precisaríamos de alarmes nos carros, fechaduras nas portas, pagar a seguranças, perder imenso tempo para poder entrar num avião…

  6. Luis Silva says:

    Quando as pessoas não conseguem controlar-se. Até acho bem haver este tipo de coisas. Acho bem implementar estas coisas, quando o Homem não consegue controlar velocidade e manobras perigosas.

  7. MACnista says:

    é que estou mesmo a ver os novos ricos com Porsches, Ferraris, Lamborghini’s e outros com limitador de velocidade, dever ser deve LOOOOOOL!!

    • Louro says:

      Sim porque andar com Porsche ou Ferrari tem de ser sempre de pé a fundo.

      Se for um puto sem inconsequente que consiga meter as maos num, sim… talvez.

  8. Hugo Nobre says:

    Mais outra medida ridícula da EU asseguir à censura da internet.

    • blablabla says:

      Quando for a sua criança a falecer num acidente devido a excesso de velocidade que podia ter ser evitado com um destes sistemas, quero ver se lhes continua a chamar de ridiculo.

      • Pedro Ribeiro says:

        Não há acidentes devidos a “excesso de velocidade”. Isso equivale a dizer que toda a gente que anda a mais de 120Km/h em AE automaticamente tem acidentes, o que obviamente é falso.

        • Louro says:

          Há sim…

          Se fores em excesso de velocidade o tempo de reaccao aumenta significativamente o que significa que provavelmente irás perder o controlo do veiculo.

          Imaginemos uma situacao…

          O zé vai no seu carro rua abaixo, o limite de velocidade sao 90km/h e a estrada está cheia de buracos…

          O Zé circula a 80km/h(10km/h abaixo do limite legal), no entanto uma das rodas apanha um buraco, o zé tenta desviar-se e perde o controlo do carro embatendo num veiculo que segue em sentido contrário.

          O que é que provocou o acidente?
          – O buraco na rua
          – O zé vir em excesso de velocidade para as condicoes da via (Apesar de circular abaixo do limite máximo legalmente permitido).

          Qual das duas achas que foi?

          Outra…

          O Zé (coitado do Zé), circula numa auto-estrada a 120km/h… está a chover e estamos nas primeiras chuvas do ano, o que significa oleos na estrada e que a mes ma se torne escorregadia…
          O Zé vai na sua vida e entretanto um veiculo que avariou está no meio da estrada, o zé trava no entanto já demasiado tarde acaba por embater contra o veiculo parado.

          A culpa do acidente foi de que?
          – Do veiculo que estava parado no meio da estrada por ter avariado
          – Da sinalizacao na estrada,
          – Do Zé que apesar de vir no limite de velocidade máximo permitido por lei, nao circulava a uma velocidade adquada para as condicoes de meteriologia e do piso,

          Qual das respostas é a correcta na tua opiniao?

          90% dos acidentes poderiam ser evitados se as pessoas estivessem a circular a uma velocidade adquada para as condicoes da estrada, visibilidade e sinalizacao.
          E mesmo os que nao poderiam ser evitados por menos uns km/h, caso as vitimas viessem a uns km/h a menos a maioria nao seriam mais do que um pouco de metal amolgado e ninguém sairia magoado.

          Basta pensar um pouco para chegar a esta conclusao.

          • Filipe says:

            Então concorda que ter um limitador à velocidade legal não é o que vai fazer a diferença

          • Pedro Ribeiro says:

            Isso não podia ser mais claro. O que provocou o acidente foi o buraco no meio da estrada que não tinha nada que lá estar! Quanto à segunda situação, não se verifica excesso de velocidade, portanto nunca poderá ser por aí!

          • Pedro Ribeiro says:

            Já agora, o tempo de reação não aumenta (a teoria da relativadade aplica-se a velocidades próximas da luz. Estamos MUITO longe disso)! O espaço disponível para reagir é que diminui!

          • Louro says:

            @Filipe,
            Nao vai evitar a 100% que hajam acidentes, no entanto que os irá diminuir drásticamente, disso nao tenho qualquer tipo de dúvidas.

            @Pedro Ribeiro,
            É sempre melhor culpar os outros por sermos ignorantes nao é?
            Tanto num caso como no outro, o Zé, circulava em excesso de velocidade para as condicoes com que se deparou, logo sim a culpa é do zé…
            Se a estrada estiver em mau estado, nao é por haver um sinal que diz que o limite de velocidade sao 90 que tenho de ir a 90… tenho de ser esperto e avaliar as condicoes em que estou, caso contrário a culpa de qualquer acidente que possa eventualmente acontecer é pura e simplesmente minha culpa.

            Na segunda questao, se o Zé nao consegiu imobilizar o carro a tempo para evitar a colusao, entao claramente ia em excesso de velocidade.

          • paulo rodrigues says:

            Uma pequena questão de semântica: excesso de velocidade é uma “coisa” – velocidade excessiva é outra “coisa”… aliás nem é “semântica”:
            http://alseguro.pt/?p=456

          • Hugo says:

            O acidente ocorreu devido ao buraco, ao condutor ou à distância de segurança, no entanto o único factor a alterar na equação é a velocidade. Estás de parabéns.
            E sim, ninguém quer saber se é velocidade excessiva ou excesso de velocidade. Se não percebes o contexto da conversa isso pouco importa.

        • Pedro Ribeiro says:

          Louro, quanto à ignorância, se a carapuça serve, quem sou eu para dizer o contrário! :p

          Volto a dizer, em NENHUM dos casos havia “excesso de velocidade”. Em ambos o seu Zé conduzia dentro dos limites (e o exemplo nem sequer é meu…).

          “Na segunda questao, se o Zé nao consegiu imobilizar o carro a tempo para evitar a colusao, entao claramente ia em excesso de velocidade”.

          De maneira nenhuma! O que aqui refere, de acordo com o Código é “Velocidade Excessiva”, e ao contrário do “Excesso de Velocidade”, só pode ser avaliado “a posteriori”, pois “Considera-se que transita com velocidade excessiva o condutor que, nos casos em que a velocidade deva ser especialmente moderada, não consiga fazer parar o veículo no espaço livre e visível à sua frente”, o que quer dizer que, na prática, o que o acaba por definir é a existência de acidente.
          Para que não falte nada: https://www.invicta.pt/codigo/limites_velocidade.asp
          Especial atenção a: “Velocidade Excessiva e Excesso de Velocidade” e votos de um fim-de-semana instrutivo. 😉

          • Louro says:

            Aquele momento em que só dizes asneiras atrás de asneira, entao tentas levar um caso de semantica ao extremo como forma de tentar provar que estás correcto quando na verdade nao estás.

        • Hugo says:

          Dizer que o excesso de velocidade não causa acidentes quando é um dos principais factores é simplesmente surreal.
          Em relação a “O espaço disponível para reagir é que diminui!” tens razão…e a culpa disso é da velocidade. Ponto.

          • Pedro Ribeiro says:

            Dados para justificar a afirmação: “o excesso de velocidade não causa acidentes quando é um dos principais factores”? Será pedir demais?
            A “culpa disso” é do condutor não guardar a distância de segurança adequada à velocidade. Curiosamente, não vi nenhuma preocupação com isso ao longo de toda esta extensa discussão!
            E, já agora, as medidas que aqui estão a ser discutidas não evitam isso mesmo.

          • Hugo says:

            Sim, a culpa é do condutor, dos buracos, do pneu que rebentou, do telemóvel, mas NUNCA é da velocidade excessiva.
            Aliás….o Zé que foi projectado da sua mota a 200kmh contra o carro que vinha em sentido contrário teve a culpa pois largou-se da mota sem razão aparente.
            Não sei que tipo de aprovação queres aqui, mas se não entendes o que digo tens claramente um problema cognitivo.
            E poupa-me às lições de Português e Física, pois o que aqui está em questão é haverem menos acidentes FATAIS. Os toques vão continuar a haver e ninguém está sequer preocupado com “chapa”.

          • Pedro Ribeiro says:

            “Sim, a culpa é do condutor, dos buracos, do pneu que rebentou, do telemóvel, mas NUNCA é da velocidade excessiva”.
            Curiosamente, agoora passamos de “excesso de velocidade” para “velocidade excessiva”. Em que é que ficamos? Já percebeste que a tua insistência não faz sentido. Já agora, como é que sugeres que alguém adeque a velocidade a buracos na estrada que desconhece, e que, obviamente não deviam lá estar?
            Já agora, ninguém veio dar lições de Português ou de Física. Essas pagam-se. Limitei-me a apontar algo que devia ser óbvio para quem conhece o Código da Estrada e julga conhecer as causas dos acidentes, mesmo sem qualquer dado que suporte as suposições…

          • Hugo says:

            Claro que não. Eu em nacionais desconhecidas e a chover é sempre a 90kmh e se vir uma tampa de essgoto aberta nem travo só pra mostrar à autarquia quem é que percebe do código da estrada.
            Tal como disse, vieste apenas para contrariar, pois vontade de discutir construtivamente já mostraste que não tens.

        • Pedro Ribeiro says:

          Aquele momento em que percebes (será?) que não tens argumentos face ao Código da Estrada, e preferes descredibilizá-lo…

      • Daniel says:

        Oh amigo, um choque frontal a 90km/h mata na mesma… não se enganem.

  9. Rui says:

    Lol! Vai resultar é em menos vendas de automóveis e no aumento dos preços dos usados! A mim não me apanham nisso! Prefiro estimar a minha Laguna GT 205cv a gasolina =) é como tiros!

  10. Rui says:

    Esta limitação pode ser muito perigosa e letal, dou só este exemplo:
    Vai um carro ou camião lento à nossa frente, muito abaixo do limite, nós decidimos ultrapassar o carro, vamos a meio e vem em sentido contrário outro carro e para piorar tudo…. dispara o limitador de velocidade!!!!!!! Deve ser bonito um choque frontal desses, em que o condutor que pretende ultrapassar dificilmente escapa do choque!!!!!!!

    Faz-me lembrar em jeito de comparação, ao sistema automático que instalou a Boing nos 737 MAX e quando um piloto pretende levantar em emergência o avião para não caír (porque por exemplo borregou a aterragem), mas o computador de bordo faz exactamente o oposto e faz o avião mergulhar contra o chão ou mar!!!!!!!

    Automatistos sim, mas cuidado. Prefiro a intervenção humana que até pode multar-me porque excedi o limite de velocidade, mas não me bloqueia quando mais preciso de acelerar, é que no caso de uma ultrapassagem, estamos perante uma manobra perigosa em que o próprio código de estrada diz que deve ser feita o mais rapidamente possível!!!!!! Lembram-se dos antigos acidentes que aconteciam na antiga estrada da morte IP5? Pois com esta medida, o fenómeno pode estar de volta em todo o lado!!!!!

    • DANIELPALMA says:

      Se você começou a ultrapassagem ao camião numa zona sem visibilidade da faixa contrária ou, achando que é o ayrton senna, conseguia ultrapassar o camião antes de cruzar com o veículo da via contrária, a culpa do acidente nunca seria do limitador de velocidade mas apenas sua.

      • Rui says:

        Quando o Daniel tirar a carta e tiver já umas centenas de milhares de km em cima, vai perceber a diferença de ter um carro de 60 cavalos e outro de 300 nas ultrapassagens!!!!
        É que se se arrepende a meio da ultrapassagem e trava, o carro que está a ser ultrapassado normalmente trava também!!!!!!!

        • blablabla says:

          Rui – expert de condução em Portugal.

        • estudasses says:

          Continua a ser culpa do condutor, nao devia ter iniciado a ultrapassagem sem ter a certeza que o poderia fazer de forma segura e sem ultrapassar os limites de velocidade.

        • Hugo says:

          Se te arrependes a meio FALHASTE quando achaste que dava para ultrapassar. Qual é a dúvida mesmo?

        • Hugo says:

          Tens noção que basicamente o que defendes é que pessoas que não sabem quando ultrapassar tenham carros mais potentes para tentar minimizar (só que não, obviamente) essas falhas?
          E não, não travo quando me vão a ultrapassar e digo porquê:
          Já quase se espetaram em mim por eu ter facilitado um artista desses. Não me bateram, mas se por acaso tivessem batido a culpa era toda e somente minha pois o artista safou-se e pôs-se a andar sem olha para trás.

          • Filipe says:

            Artistas diariamente encontro eu muitos que ultrapassam, deixando eu de ter uma distância de segurança porque eles se meteram, para depois travar a fundo para sair na saída seguinte. Não tendo distância de travagem, se não puder imediatamente meter-me na faixa à esquerda e acelerar para não levar com o que vem atrás nessa faixa, como faço? Parece-me que o meu caro é que ou anda a acelerar e portanto já vai sempre na faixa da esquerda não tendo problemas semelhantes ou então não conhece a realidade dos arredores de Lisboa e Porto

        • Rui says:

          Se vocês preferem cumprir o código da estrada à risca e arriscarem um choque frontal, é lá convosco!
          Eu quando ultrapasso, garanto que não poupo a potência do carro, porque é efectivamente uma manobra perigosa.
          Expliquem-me lá se nunca ultrapassaram o limite de velocidade numa ultrapassagem.

          • DANIELPALMA says:

            Cada situação é uma situação mas se fizer a ultrapassagem numa zona de boa visibilidade e com uma distância segura para as viaturas que circulam em sentido contrario, não vai precisar de acelarar a velocidades ridiculas para fazer uma normal ultrapassagem. Se correr mal a culpa é sempre do condutor qu fez a manobra sem se assegurar de que a podia fazer, não do carro nem da tecnologia. E já tenho carta há mais de 20 anos sem um acidente ou multa mas lá está … bom senso

          • Zé Maluco says:

            Se todas as pessoas cumprissem o código da estrada à risca era quase impossível haver acidentes (só por questões de falhas mecânicas).

          • Pedro Ribeiro says:

            Comentário inocente do ano: “Se todas as pessoas cumprissem o código da estrada à risca era quase impossível haver acidentes “! Meu caro, nada que uns bons anos de experiência não deitem COMPLETAMENTE por terra! 😉

          • Hugo says:

            Pedro Ribeiro, é um facto que se toda a gente cumprisse haveriam muito menos acidentes, nomeadamente os fatais.
            Entenda-se por cumprir: velocidades, manobras, distâncias de segurança etc etc. Agora falhas sempre aconteceram e irão continuar a acontecer.

          • Louro says:

            Para o Pedro Ribeiro acidentes sao inevitaveis e quanto mais depressa andares melhor…asim quando o acidente acontecer tu ja lá passaste.

            valha-nos Deus.

          • Pedro Ribeiro says:

            Hugo, não é “um facto que se toda a gente cumprisse haveriam muito menos acidentes”. É uma simples suposição, sem qualquer base cientifica, ou mesmo empírica.
            O próprio uso do “se” demonstra isso mesmo!

          • Hugo says:

            Eu referi “NOMEADAMENTE OS FATAIS”.
            Chega de descontextualizações e asneiras.

        • Louro says:

          @Rui,
          O DanielPalma tem toda a razao…

          E sim há uma grande diferenca entre 60cv e 300cv numa ultrapassagem e nao se prende com o que tem 300cv poder andar mais rápido, prende antes com o facto de que o que tem 60cv demora mais tempo a chegar a velocidade limite que o que tem 300cv, logo por consequencia no de 300cv ultrapassa mais rápido, mesmo nao ultrapassando os limites legais de velocidade.

          • Hugo says:

            Até aí já todos sabemos. A questão é: Se falhas uma ultrapassagem a culpa é tua e não do carro.
            É o mesmo que em me montar numa CR500 sem nunca ter andado de mota e sair em frente na primeira curva. A culpa não é da mota ser potente..é da minha imprudência.
            Já conduzi carros com as mais variadas potências e NUNCA me arrependi de uma ultrapassagem a meio.

          • Louro says:

            @Hugo,
            Sim claro que a culpa é do condutor, isso nem se coloca em questao sequer… pelo menos eu nao coloco em questao.

  11. Pedro says:

    cada vez mais vivemos numa ditadura !!! e a maioria nem se apercebe ….

  12. Joao says:

    O limitador de velocidade é muito bonito mas na practica nao funciona. Quantas e quantas vezes não passamos por um sinal provisorio de 20km/h numa nacional ou até mesmo autoestrada sem que depois haja o devido sinal de finalziação de proibição? O transito que situações destas vao provocar…

  13. mc says:

    De Bragança a Lisboa como dizem os Chutos a 50Km á hora pela Nacional

  14. s_junior says:

    Penso que o ideal seria fábricar automóveis com o max de 120 km/h. É o limite nas nossas estradas e não seria permitido a entrada em Portugal de carros superiores a estas velocidades.

    • blablabla says:

      Isso teria que ser para o típico condutor. E esse máximo imposto teria quer imposto via software e nunca através de impedição física do próprio carro. Caso contrário, se houvesse alteração das velocidades em Portugal, todos os carros ficariam automaticamente acima ou abaixo, consoante a alteração.

      E pode muito bem haver malta que quer levar o carro para o autódromo e “puxar” por ele, e se se quiserem espetar, aí estão mais que à vontade. Assumindo que não levam mais ninguém com eles.

      E como esta excepção do autódromo, imagino que existem muitas outras.

      Para além de que, teria que primeiro lidar com o maior problema de todos, as marcas automóveis permitirem isso.

    • Filipe says:

      E se fores até Itália por exemplo, com o teu carro comprado cá, onde o limite é 130 e toda a gente anda a 160, tu a 120 és batido por trás e tens um acidente grave

      • Hugo says:

        LOOOOL
        Portanto, uma diferença de 40kmh faz com que batas em tudo o que apareça à frente.
        Suponho que tu a 40kmh, essa velocidade vertiginosa, não te consigas desviar de uma parede.
        Cá, na auto estrada, andam pessoas entre os 50 e os 240kmh e não se bate por trás assim sem mais nem menos. Deixem de ser burros.

  15. Danny says:

    Mais “tecnologia” que vai precisar de “updates” para corrigir “erros”. E claro, tudo fica mais caro. A ideia de mais tecnologia nos carros não é má. O problema é quando é demais! e quanto mais tecnologia, mais problemas associados as falhas de sistema, mais custos de manutenção e claro, tudo fica sempre nas mãos de terceiros.
    O que deveria haver sim era mais formação, reciclagem de conhecimentos! O grave problema é que as pessoas tiram a carta de condução e pronto… tá feito. Muita coisa foi actualizada, desde carros que hoje temos eléctricos, gasolina, gasóleo, GPL, etc, cada qual com suas vantagens e desvantagens, sinais, regras e os únicos que não se actualizam são os condutores.
    Não há qualquer formação ou sessões de informação que fale sobre sobre cada um dos carros, como forma a oferecer a escolha mais acertada ao condutor. Apenas se sabe que os carros a gasóleo sao melhores pois o gasóleo sai mais em conta. ou por que os eléctricos sao bons pois são “amigos” do ambiente / moda e daqui sai os disparates.
    Mas se o povo nem dá valor a escola e aos professores, muito menos o governo, como é que depois poderia haver formação deste género? para muitos era uma chatice, tal como levar o carro a inspecção.

    • DANIELPALMA says:

      Não é necessário reciclagem nem cursos. Bastava que os condutores práticassem a arte perdida de “ter bom senso e responsabilidade” que infelizmente é coisa que desapareceu das nossas estradas. Praticamente todos os acidentes ocorrem por falha humana do condutor.

      • Danny says:

        Então estas a dar-me razão. Essa tal “arte perdida ” de que falas e que desapareceu das nossas estradas, apenas irá voltar ao de cima se houver alguém a lembrar! E como? obviamente por mais formação.

        • DANIELPALMA says:

          Nao, na realidade a maioria dos condutores faz asneiras apenas porque acha que pode, não porque nao saibam que estão errados. Acham-se melhores que os outros e que as regras de condução e de civilidade são para os palermas. Basta ver pelos comentários que pululam nesta página para ver que tenho razão.

  16. MarioM says:

    Vou já ali comprar um avião , ou será um carro ?
    Qualquer dia um gajo tem de fazer uma Check List antes de sair com um carro.
    Como se está a transformar algo simples em complicado e caro de manter.
    Não faço tensões de comprar lixo deste.
    Vale mais um 1 citroen 2 cavalos do que estas arvores de natal com rodas.

  17. Nuno Monteiro says:

    Apesar de gostar de acelerar entendo que estas medidas vêm resolver uma das principais causas de acidentes de viação, a velocidade sendo assim não questiono as regras e até as aplaudo. Em relação ás câmaras também concordo com as mesmas, mas o nível de segurança tem de ser mais elevado porque hoje em dia é relativamente facil ter acesso a tal equipamento. A minha modesta opinião é que isto é útil para “hoje” mas entende-se que tem de ser tudo testado primeiro.
    Em relação à velocidade, como o meu sabio pai diz:
    “mais vale perder um minuto na vida que a vida em um minuto”

    • Rui says:

      Nuno? E como faz quando vai a ultrapassar e atinge a velocidade máxima na ultrapassagem e depois!? Lindo choque frontal!!!!

      • Hugo says:

        Se já vais a fundo estás a transgredir. Simples.
        Independentemente disso já tive imensas razias com malta que vinha de frente em excesso de velocidade, portanto penso que o problema das ultrapassagens não seja falta de potência mas sim prudência.

        • Rui says:

          Portanto é preferível cumprir o código e bater de frente!!!! Estou esclarecido.

          Não sei se sabe, mas a maior parte dos radares de velocidade dão tolerãncia, além de que os transgressores são filmados mais de 20 segundos, sabe porquê?

          O Hugo faz-me lembrar os agentes que só olham para o código e não percebem por exemplo que uma linha continua pode ser pisada e ultrapassada!? Por exemplo quando há um obstáculo na estrada, que remédio tem de contornar o obstáculo! Ou se vai numa emergência, tb pode ultrapassar a linha continua!!!! Sabia disso? Como é que um sensor decide isso?

          • Hugo says:

            E quem vai decidir se vais ou não em emergência?
            Ter um familiar a morrer para mim é uma emergência…mas para quem vem de frente pode ser “só” morte súbita e sem culpa nenhuma.
            Se hoje em dia sem limitadores há acidentes nas ultrapassagens acho que é bastante óbvio que a culpa não é dos automóveis mas sim dos condutores.

          • Rui says:

            Quem decide é o condutor!
            E numa emergência, o condutor pode passar a linha contínua, ultrapassar os limites de velocidade, mas tem de cumprir algumas regras, obviamente.
            As autoridades podem desconfiar e até seguirem-nos, mas desde que haja uma verdadeira emergência, que é fácil de comprovar, qualquer pessoa pode conduzir nessas condições.

          • Louro says:

            @Rui,
            Isso é que era…

            Ia a 200km onde o limite sao 90…

            “Senhor guarda, ia em urgencia…”

            “O que? Claro que sou eu que decido que ia em emergencia…estou apertadinho para ir a casa de banho e como muita gente só faco o numero 2 na meu trono”.

            É cada pérola que mais parece um diamante…

            Tirando veiculos de emergencia AKA ambulancias, policia, bombeiros…nao há mais nenhum veiculo que possa circular em marcha de emergencia, todos os restantes tem obrigatóriemente de respeitar as regras do código da estrada e os limites de velocidade.

          • Hugo says:

            LOL Eu nem acredito que li isto.
            Só por esta, já merecias fazer o código da estrada outra vez.
            Atenção que o facto de um agente perdoar uma transgressão não significa que seja a regra.

          • Louro says:

            @Hugo,

            Merecia mais era nao poder mais tirar carta, claramente é inapto para a actividade em questao.

          • Pedro says:

            Caro colega. Não diga asneiras. Pela 1ª vez participo num forum só para responder ao seu comentário sem sentido. Óbvio que se alguém está a ultrapassar e vai bater de frente, os carros percebem isso, e os dois em conjunto tomam medidas rápidas e bem mais eficazes que 2 seres humanos para resolver o problema! E todos os outros veículos envolventes também resolvem o problema de forma autónoma no futuro, evitando um choque em cadeia! Já presenciei um veiculo autónomo a evitar um acidente semelhante e funcionou mais que bem. Pode falhar? Pode, mas um ser humano vai falhar muito mais com as suas distracções todas e tempo de perceber a situação.

            Quanto aos veículos em emergência (li alguém aqui a comentar isso), isso não é nenhum drama. Hoje em dia alguém que esteja de urgência pode assinalar a mesma desde que assinale a sua marcha adequadamente, que a missão que cumpre o exija e que não ponha os demais utentes da via em perigo. É isto que o código indica!
            Estando o carro limitado é um problema? Sim! Mas existe o botão SOS do automóvel (isto já existe há imenso tempo em diversas marcas onde em caso de choque liga para o 112), libertando assim o automóvel dos limites ou apenas permitindo exceder ligeiramente os mesmos tendo em atenção as condições (até poderá num futuro avisar os veículos no caminho, comunicando com eles para facilitarem a passagem). É muito mais fácil chegar em urgência a um local sem ninguém a obstruir a estrada ao longo da viagem e mantendo uma velocidade segura, do que com velocidade excessiva e com imensos carros a obstruir passagem. Para prevenir “espertos” de utilizarem o SOS só porque sim, nada como ter de justificar às autoridades cada vez que tal botão seja accionado.

            Se eu gosto de conduzir livremente? Gosto. Mas gosto mais de trabalhar, de viajar, de passar tempo com família e amigos, e muitos já não o podem fazer ou porque faleceram ou porque estão inválidos. O meu pai e alguns da idade dele também vêm o cinto como um drama pois foram assim habituados. Antes de criticarem, testem e vejam os resultados. Se funcionará como eles esperam ou não, esperemos estar cá todos para ver 🙂

  18. Samuel says:

    Ainda bem que tenho um carro de 2007. Comprar carro em 2022 só se for fora da UE.

    • Pedro Ribeiro says:

      Isso só adiante se viveres FORA da UE (e RU, já agora), pois para o poder homologar/matricular cá, terá que estar conforme as normas da UE

  19. NMMM says:

    Os carros até se podem tornar autónomos e autênticos Chaimites tecnológicos, mas enquanto os comportamentos nao mudarem e não se considerar a impulsividade de cada pessoa (e como controlá-la), esta obrigatoriedade não vai servir de nada.
    De notar que cada vez mais modelos incorporam estas tecnologias de forma voluntária – tenho um Citroen C3 dos novos e já vem com Limitador de velocidade (manual), AFIL (alerta de transposição de faixa), ajuda ao estacionamento traseiro, etc.

  20. Rodrigo Maia says:

    Os carros deviam ter potencia só ate 120kmh, ou seja aceleravas até 120kmh num fiat ele ia a uma velocidade. se fosse no BMW ia a outra mas nunca passava dai. Variava entre a potencia do carro e marca

    • unknown says:

      Os carros deviam ter velocidade só ate aos 120kmh, ou seja aceleravas até 120kmh num fiat ele ia com uma aceleração se fosse no BMW ia a outra mas nunca passava dai. Variava entre a potencia do carro e marca

  21. Fulano says:

    Boa… desde que sejam os chulos que parasitam os corredores da “comissão europeia” a pagar todos estes equipamentos e respectiva instalação num veículo com 10 anos.

    • Rui says:

      as leis não podem ser retroactivas!
      Se reparar, os carros actuais têem catalisador e filtro de partículas, e digo eu, e bem! Basta ver o cheiro nauseabundo quando vamos atrás de um carro “idoso”! Mas nem por isso a UE obrigou a instalar o filtro e catalisador nos carros velhos, pois não?

  22. Realista says:

    Quer dizer, se apanho um pastel numa viagem Lisboa-Porto na faixa do meio a 120km/h vou-ter de o gramar na minha esquerda durante 3 horas… Está bonito.

    • blablabla says:

      Já apanhou algum?

      Já fiz a viagem algumas vezes e, na minha opinião, deve ser dos percursos que os Portugueses mais cumprem a obrigatoriedade de circular o máximo à direita possível.

    • Louro says:

      Se vais a 120km/h é porque vais a ultrapassar um veiculo que ia a uma velocidade inferior, logo tanto tu como o outro veiculo(por ti apelidado de pastel) mal tenham concluido a manobra de ultrapassagem devem de voltar a faixa da direita.
      Se o pastel vai a 120 e o limite é 120, entao significa que nao tens razao para o ultrapassar, logo sim, vais atrás dele.

      Nao percebo onde está a duvida disso.

    • Zé Maluco says:

      Cada um tem aquilo que merece

      • Pedro Ribeiro says:

        Neste caso, todos vamos ter o que não merecemos!

        • Hugo says:

          Têm de cumprir as regras, caso contrário sim, merecem ser multados.
          Mais abaixo comentas “A Sociedade nunca foi tida nem achada nesse processo.” e agora de repente já achas que mereces isto ou aquilo?
          Viva à coerência.

          • Pedro Ribeiro says:

            Volto a dizer: “A Sociedade nunca foi tida nem achada nesse processo.”
            Foi apenas mais uma imposição. Mais uma forma de impostos indirectos. E o comentário foi em relação ao tema do artigo, que a maioria prefere continuar a ignorar…

  23. Jose Saudade says:

    O BigBrother continua a extender os tentáculos…

  24. Adalberto says:

    Mas para colocarem isso nos carros tambem o vão ter de fazer nos restantes veiculos, imagino como vão colocar uma mota a travar sozinha. Ou então vai tudo passar a andar de mota.

    • blablabla says:

      Os motociclos também estão carregados de tecnologia.

      • Danny says:

        ignorância…. carregados de tecnologia. Fala ai que tecnologias são essas.
        Por cá já vi que adoras mandar postas, mas que de nada valem

        • Hugo says:

          Então? Não existem motas que vêm limitadas de fábrica? É só manter o limite.
          Quem for apanhado em excesso mamava a factura. Simples.

          • Danny says:

            E achas que estas a dizer alguma novidade? A minha moto não esta limitada e chegou assim de fabrica, no entanto a resposta que dás é sobre tecnologia?
            Ah e antes que mandes outras posta, tal como ja vi que gostas, não, não fiz “pedidos especiais”, se é que me entendes..
            A limitação de fabrica não é um software que alteras para o que pretendes, mas acredito que tenha motos que seja assim. Mas grande parte nao é nada mais do que uma peça que instalas, mais nada.
            E mais, sabes o que é mesmo limitar uma moto? os limitadores, nao limitam a velocidade máxima da moto, mas apenas cortam na aceleração. Com limitador a moto atinge igualmente 120km e mais, só que leva mais algum tempo, só isso.

        • blablabla says:

          Tiveste azar que me apanhaste num mau dia.

          Boa leitura.

          ABS
          Controlo de tracção
          Modos de potência
          Suspensão Ajustável Dinâmica

          https://www.motorcyclistonline.com/electronics-guise

          CONNECTIVITY -TFT- DISPLAY AND BMW MOTORRAD CONNECTED APP
          ECALL
          SIDE VIEW ASSIST

          Source – http://www.bmw-motorrad.com/com/en/innovation-technology/innovation/main.html

          Hill Start Control Pro

          https://ultimatemotorcycling.com/2018/07/06/2019-bmw-motorcycles-maxi-scooters-rundown-of-updates/

          Stability System

          https://www.wired.com/2015/06/new-ducati-stability-system-makes-crashing-near-impossible/

          • Danny says:

            Uau! Realmente é um mau dia para ti, pois copiar e colar para justificar algo também sei.
            Humm… espera, vamos lá ver… ABS. Será que todas as motas tem semelhante tecnologia? Espera, eu respondo por ti pois como apenas copiaste e colaste. Não!
            ABS é apenas uma opção de compra. A não ser que já estejam a vender motos com ABS como equipamento obrigatório. E mesmo que neste momento o padrão seja ABS, quantas motos andam por ai sem tal tecnologia?
            Como vês, nem responder se soubeste pois afinal de contas a cima disseram que “Os motociclos também estão carregados de tecnologia.” E nao estão tão carregados assim quanto se pensa pois estou a dar resposta é agora, no presente!
            Agora num futuro, tal como a Honda com o seu Riding Assist, entre outras coisas… ai sim acredito que vão ficar mais carregadas. Assim como as bicicletas eléctricas.

          • blablabla says:

            A fazer cherry picking para o argumento ir a teu favor. Tá certo. Boa sorte zé.

            Com gajos como tu não vale a pena discutir.

          • Hugo says:

            Danny querias o quê? Uma mota que faz massagens enquanto fazes uma sesta em direcção à praia? Estás-te a rebaixar a um nível muito mesquinho para tentar defender um ponto de vista que perdeste logo no primeiro comentário.
            E obrigado pela dica de mecânica, mas já não ando de mota há mais de 15 anos.
            A questão inicial era como limitar uma mota e a conclusão é que é fácil. Com ou sem muita tecnologia. É só isto.

  25. Hugo Nobre says:

    Compreendo perfeitamente o brexit.
    A EU é uma organização anti democrática.
    Malta tem mais poder de voto sobre as leis do UK do que o próprio UK.
    Os representantes não representam o povo.

  26. Koso says:

    Então e as ultrapassagens? Desaceleração ou travagem durante essa manobra pode ser fatal.

  27. Carlos Oliveira says:

    Valha-me Deus. Tenham calma e leiam com atenção e/ou informem-se. O carro vai marcar mais de 200km/h na mesma. Vão continuar a existir AE sem limite na Alemanha. Vão continuar a existir caças à multa, excessos e erros humanos.
    Este limitador já quase todos os novos carros têm. Tal como o cruise control (o manípulo costuma até ser o mesmo). Nuns é extra, noutros vem de origem. Este limitador é o condutor que o define!!!! Já está tudo a pensar que estas IoT estão em 2050. Lol. Calma gente. Esta imposição faz todo o sentido. Em vez de ser um extra, vem de origem… só isso.

    • Filipe says:

      O meu caro não leu bem o artigo. É referido que a UE quer pegar nesta tecnologia e obrigar o carro a nunca ultrapassar os limites de velocidade sem qualquer possibilidade de override por parte do condutor

  28. Philleas says:

    Há aquela anedota: O condutor vê uma placa “reduza 100”, passados uns kms “Reduza 50”, depois disso 30, 20, 10, até que viu a placa “Bem-Vindo a Reduza”

  29. VelhoDoRestelo says:

    Vai ser lindo, ver os carros velhos a ultrapassar os super carros que foram construidos após 2022 LOL

    • Hugo says:

      O nome assenta-te que nem uma luva.
      Deves ser daqueles que se vires um Uno a passar por ti te sentes inferiorizado.
      Acordem..estamos quase em 2020 porra.

  30. EacHTimE says:

    O meu problema com isto é que vai aumentar o preço dos carros significativamente.
    Como se em Portugal não fossem já caros o suficiente

    • TugAzeiteiro says:

      O problema de Portugal são os baixos salários e todo o efeito de bola de neve que isso provoca na nossa economia!
      Isto para não falar no parque automóvel usado mais valorizado que conheço…. todos os carros/motos usados em Portugal trazem ouro na bagageira!!

  31. TugAzeiteiro says:

    O grande problema é a facilidade com que se tira uma carta de condução… e todos nós sabemos que uma coisa é tirar a carta de condução e outra é saber conduzir em condições! Depois há ainda o problema de se tirar a carta aos 18 anos e nunca mais se fazer um simples exame de condução para ver se se está apto para este exercício!
    O sistema de Travagem de emergência automática é óptimo para aqueles acidentes parvos do para-arranca, o sistema de Paragem automática de emergência é essencial hoje em dia, para os assassinos que adoram passar os vermelhos, e o Gravador de Dados de Eventos para se saber exactamente o que aconteceu antes/durante o acidente. São sistemas que já deviam de vir de série em todos os carros este ano… sempre se salvavam uns milhares de vidas!!

  32. Marco says:

    Sinceramente moro em Albufeira mas trabalho em Lisboa e jamais aceitaria um limitador de velocidade. Na A2 a 240kmh sem transito é uma hora de caminho.

    • Hugo says:

      Por mim era carta fora sem NUNCA mais poder voltar a tirar.
      Uma coisa é uma distracção, outra é não respeitares a sociedade em que te inseres.

      • Marco says:

        Pois mas não é por ti pois não mandas em nada, e em segundo ha gente perigosa na estrada que conduz a menos de 80. A velocidade do carro não e o problema mas sim haver tantos nabos que não sabem conduzir na estrada, basta ver a maioria dos portugueses não sabe conduzir numa rotunda, ligar piscas ou conduzir a direita.

      • Pedro Ribeiro says:

        Os limites de velocidade em AE são limites aleatórios impostos pelos governos. A Sociedade nunca foi tida nem achada nesse processo.

        • João M. says:

          os limites não são aleatórios.. temos aqui tantos especialistas em carros mas que pelos vistos não percebem muito da física envolvida.
          Um carro ir a 90, 120, 140 ou a 240 como ali o aventureiro, tem uma implicação muito grande na distancia de reacção e de travagem. Usando um simples calculador para calcular a distancia de paragem (reacção + travagem) para um carro (isto em média): 90km/h -> 64m (17m reação + 48m travagem) ; 120km/h -> 107metros (22m reacção + 85m travagem); 140km/h -> 141m (26 reacção + 115m travagem) e a 240km/h -> 383m (45 reacção + 339m travagem)
          Só de 120km/h (limite nas AE) para 140km/h (o tipico que a malta anda..) a distancia de paragem sobe ~40m . Estas coisas coisas não são aleatórias e estes valores são “médias” que não tem em consideração o estado do condutor (que influencìa a reação) e o estado do carro e do piso (que influencía a travagem). Acho que era bom que os auto proclamados “especialistas” em carros começassem a ter um bocadinho de noção que os acidentes acontecem não apenas aos outros. Infelizmente é preciso alguns apanhar uns bons sustos para aprenderem bem a matéria.

          • Pedro Ribeiro says:

            Ninguém contesta os números. Os limites não deixam de ser aleatórios por isso.

          • Pedro Ribeiro says:

            Tanto assim é que nem são iguais em todo o lado. A Áustria aumentou o limite para 140Km/h este ano, precisamente para melhorar a segurança na estrada.

          • Marco says:

            Na Alemanha podes conduzir a 200kmh legalmente. Velocidade não tem nada a ver com seguranca. Teriamos menos acidentes se as pessoas soubessem respeitar os semaforos, rotundas, usar piscas e andassem sempre a direita sem falar ao tlm nem com os copos.

          • João M. says:

            Pedro, as leis são feitas para as pessoas que tens e para as condições de estrada que tens. Por acaso nós até temos boas Autoestradas – apesar que, principalmente no norte, são de “montanha” o que implica muita curva.
            A Alemnaha tem locais especificos (não é em todo lado) em que podes acelerar até aos 200km/h mas agora vamos comparar um Alemão com um Portugues. A velocidade tem muito a ver com segurança quando colocas todos os factores em cima da mesa – principalmente um -> factor humano. Cá em Portugal, TODOS os dias, tens acidentes causados por malta que arriscou demais (seja por aventura ou falta de paciência); Um português (em geral) não se sabe comportar para saber andar na estrada a 120, quanto mais a 200. Um gajo vai na auto-estrada (no limite de velocidade, ou até a 130-140) a ultrapassar e vem logo um aventureiro a colar-se atrás -> basta acontecer alguma coisa que obrigue a travar que o gajo de trás vai apanhar o susto da sua vida…

          • Louro says:

            @Marco

            Já alguma vez conduziste na Alemanha num trecho da Autobah onde nao haja limites de velocidade?

            É que se conduziste nao estavas atento, se nao percebias perfeitamente porque razao há menos acidentes.

          • Hugo says:

            lol “Velocidade não tem nada a ver com seguranca.”
            Podes não concordar. Mas estás errado.

        • Pedro Ribeiro says:

          Essa história dos alemães serem diferentes dos portugueses é das maiores tangas que nos querem impingir desde sempre. E já agora, quando é que as autobahn foram limitadas a 200Km/h? Do que me recordo, não tinham limites (que é o que faz sentido)!

          • Pedro Ribeiro says:

            E, já agora, a Lei, por definição, é “Geral e abstracta”. Não são feitas para pessoas específicas. Bem pelo contrário!

          • Louro says:

            Acredita que sao bem diferentes…sao mais civilizados na estrada e nao precisas de conduzir muito tempo lá para perceber exactamente isso…

            Há outra diferenca, é que multas lá (como na maior parte dos países da UE) sao a doer…

  33. Informático Amador says:

    Eu tirava os 2 primeiros itens da lista que aparece aqui, e deixava todos os outros. Porquê? Há situações onde os cálculos falham e se necessita de imediato de uma reserva de potência para uma manobra de emergência. Com o limitador de velocidade não se tem isso. E camaras a violar a nossa privacidade, mesmo por “boas razões”, quando sabe-se lá aonde vão parar essas imagens e que uso se vai fazer delas… A meu ver, é “controle”/”intrusão” a mais.

    • Hugo says:

      Percebo o ponto de vista. Então mas se for como o artista de cima que diz que anda a 240kmh na autoestrada? Na nacional deve fazer semelhante e se falhar uma ultrapassagem terá o mesmo problema de não conseguir ir “buscar” mais potência.
      É tudo uma questão de educação da população.

      • Filipe says:

        E a malta que começa a acelerar assim que percebe que os vamos ultrapassar? São mais que muitos esses artolas e muitas vezes a única alternativa é continuar a ultrapassagem tendo para isso de exceder o limite de velocidade

  34. SumTingWong says:

    Opinião não popular: que tal, em vez de andar a investir neste tipo de sistemas, investir numa melhor formação de condutores? Eu ando na estrada todos os dias, e o que vejo não é a velocidade em si, mas sim as más decisões de condutores, que causam acidentes. Enquanto que tirar a carta se basear num sistema de suborno, podem meter todas as features de segurança que quiserem. Vai continuar a haver acidentes enquanto que houverem maus condutores

  35. Costa says:

    Até parece que já não existe pior nos camiões

  36. paulo rodrigues says:

    O que eu mais gostava de ver era multar os tipos que param, onde quer que seja, para beber um café, apostar no Jogos Santa Casa, falar com alguém, estar a vender pão e outros quaisquer artigos… isso sim dava dinheiro com fartura aos cofres do estado… agora a caça à multa com radares… ah, ensinar aos snrs. condutores o que é uma perpendicular e como se devem colocar na via quando viram à esquerda e tem que esperar… ah, mais, as luzes de cruzamento são os médios, não os mínimos… aquilo não é para andar na moda!

    • Hugo says:

      Mesmo. O que é grave é um gajo encostado à berma a conversar com alguém, não é o gajo que vem em contra mão a 120kmh numa zona de 50kmh.
      Tu tens razão no que dizes, mas tens de ter a noção do ridículo que é dizer que a velocidade não é importante quando toda a gente sabe que é uma das principais causas de acidentes.

  37. R Ferreira says:

    Os limitadores de velocidade são pinuts. O resto também já existe. Para 2022? Um pouco tarde. Em 2023 vão começar a ser vendidos os carros elétricos (e plug in) de séries de base com condução automática (GM e Ford nos EUA… na Europa?). Os acidentes vão ser muito raros… e as velocidades possíveis nas autoestradas podem ser acima dos 200km/h. Como sempre o parlamento europeu na vanguarda!

  38. Necro says:

    Uma das coisas menos levadas em conta na aquisição de um carro é a segurança. Estamos no século XXI, tudo o que seja para aumentar a segurança rodoviária é bem vindo!

    • paulo rodrigues says:

      Sim, sim… e saberes se suportas a reparação de uma avaria depois de acabada a garantia! Com toda esta tecnologia, quando avaria ou um toque, é melhor ter um bom “monte” de dinheiro!

  39. Marco says:

    Eu ando sempre a 200-260kmh na auto estrada e sempre andarei. Ninguem me vai dizer como conduzo e nunca apanhei uma multa em mais de 20 anos de carta.

  40. Bo Jarsjo says:

    Falta aviso duma lampada avariada para evitar zarolhos.

  41. John says:

    Os comentarios deste post só provam o quanto esta medida é necessaria 😀
    é só chico espertos…

    • Pedro Ribeiro says:

      Os “comentarios deste post” só provam que a maioria das pessoas que comentam, não se dão ao trabalho de se informar sobre o que comentam!

  42. Sergio says:

    Complicado este assunto, não sei se Portugal vai aceitar isto de animo leve.. isto seria acabar com uma grande fonte de facturação

  43. Rui says:

    Vamos ter Boeings 737 Max na estrada.

  44. paulo rodrigues says:

    “Tirando veiculos de emergencia AKA ambulancias, policia, bombeiros…nao há mais nenhum veiculo que possa circular em marcha de emergência, todos os restantes tem obrigatoriamente de respeitar as regras do código da estrada e os limites de velocidade.” – cito o Louro – antes de mais, mesmo em “marcha de urgência” as regras são para cumprir… podes as infringir desde que não provoques acidentes e as consiga justificar usando o teu carro particular. Ou seja, só porque é um veículo prioritário (esta é a designação, por exemplo, para uma ambulância em “serviço”), simplesmente não pode ignorar um sinal de stop, por exemplo. Sim o teu carro pode se transformar num veículo prioritário, eventualmente… não numa situação de “chico-esperto” mas em algo concreto!

  45. Discovery says:

    Todos os acidentes que tive foram abaixo dos 50km em cidade curiosamente…
    Tenho mais medo de andar em cidade a 30km do que a 150km…
    Para os totos que falam em excesso de velocidade bla Bla Bla…causa efeito:se não sair de casa não sofro acidentes de carro. Que tal?
    Falam em acidentes e não sabem do que falam…queria vós ver a uns 20 anos na IP5 a conduzir para verem o que era porcaria e excessos em comparação aos tempos de hoje….

    • Hugo says:

      Mesmo. Morre montes de gente no centro de Lisboa a 30Kmh. Até faz impressão.
      É cada um pior que outro.

    • Jorge says:

      É exactamente por isso que precisamos de limitadores, existem muitos mais veículos e quanto mais depressa andam mais filas fazem, logo maiores perigos existem, em estradas vazias não há acidentes.

  46. ÉsMesmoTone says:

    Jovens, basta nunca arriscar e ter respeito pelo próximo na estrada. Obviamente pessoas com mais kms nas pernas, sentem se mais á vontade na estrada. A velocidade é totalmente irrelevante.

  47. Joca says:

    Há um estudo de 2010 que demonstra que se o ser humano vivesse até aos 150 anos de idade, não chegaria lá porque morreria primeiro num acidente de carro. Isto demonstra o perigo que é o carro. Todos os dias vejo pilotos de rali na estrada, espero que esses desapareçam. Porque todos se acham inteligentes e melhor que os outros.

  48. Joca says:

    Há um estudo de 2010 que demonstra que se o ser humano vivesse até aos 150 anos de idade, não chegaria lá porque morreria primeiro num acidente de carro. Isto demonstra o perigo que é o carro. Todos os dias vejo pilotos de rali na estrada, espero que esses desapareçam. Porque todos se acham inteligentes e melhor que os outros.

  49. Jorge says:

    Só em 2022? Bolas a civilização demora a evoluir, à dezenas de anos que outros tipos de transporte já usam tudo isso, daí serem mais seguros, e por isso o carro é o meio de transporte que mais mata.

  50. PauloT says:

    Estatisticamente falando, sabem que é mais facil morrer de um ataque de tubarão do que sair o Euromilhões!?

  51. PauloT says:

    Se colocarem limitadores automáticos nos carros, comprar 1 fiat ou 1 Ferrari e igual porque nenhum passa do limite. Lol … pergunta? O que fazem aos radares de velocidade e as multas? Tem de mudar o código de estrada certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.