Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Serviços do Estado vão ter reconhecimento facial

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Jar panic says:

    Vão deixar o Java, isso é que era…

  2. O Justiceiro says:

    Se for tão bom como as tentativas da Samsung vai ser bonito vai.
    Mais, se é só reconhecimento por foto….150 000€ para usar uma framework qualquer que ja faça isso (há centenas)??? Que estupidez, faz mesmo falta alguem que perceba o MÍNIMO de tecnologia a trabalhar nesta geringonça. Vergonha.

    • k says:

      Só nabos. Entre sites de m#€%da que só funcionam com o IE por causa do java (e a determinados pontos no tempo, só com versões específicas do java), sites com plataformas lentas e ultrapassadas e agora reconhecimento facial?! Para quê? Ninguém pediu isto. Provavelmente nem é boa ideia – no mundo do mobile tá relativamente provado que reconhecimento facial é mais uma função de conveniência que segurança. O governo também já está farto de dar provas que as plataformas que cria são sempre de baixa qualidade. Juntar tecnologia inerentemente pouco segura + gente pouco competente a usa-la = receita para desastre.

      Mais, tirando isso tudo, estes gajos vão enterrar 150.000€ nisto? De certeza que não faltam outras coisas muito mais importantes onde era necessário investir primeiro. Reconhecimento facial não é algo que estava a fazer falta.

    • rjSampaio says:

      E achas que o hardware, instalação e manutenção são de borla pelos visto…

  3. O Justiceiro says:

    Deve ser para alimentar os primos socialistas!

  4. informado says:

    Porque raio não proíbem todos os voos provenientes da China? Solução para não espalhar a doença

  5. B0b says:

    Isto parece-me uma má ideia… Se os SMS para 2FA não são seguros, isto também deixa duvidas. Espero que a haver investimento saibam bem o estão a fazer.

  6. Samuel MG says:

    Onde é que está a CNPD? Como é o estado agora não metem problemas. Acho que isto é uma clara violação do RGPD.

    • Tiago says:

      A CNPD esá a ser vaziada de intervenção por via legislativa aprovada na assembleia da república. Na verdade só chateiam mesmo quem tem mini cameras para se defender do vandalismo que por aí anda sem que algum do poder político se incomode verdadeiramente com isso ! Cada vez mais cada um por si !

    • int3 says:

      Violação do RGPD??? Sabes o que é isso sequer?

    • Samuel says:

      A CNPD é uma anedota. Já reportei vários sites que não cumprem com o RGPD (muitos deles serviços municipais) e até agora não aconteceu nada. Respondem a agradeçer o email e que vão averiguar os problemas descritos mas depois fica por aí.

  7. AbstractEdge says:

    Se os boatos sobre a segurança e integridade dos dados dos cidadãos existentes forem de facto verdade, eu como cidadão que tem alguma preocupação com questões de privacidade de dados tenho bastante receio desta medida. Honestamente sinto, mas com pouco conhecimento de causa, que os vários órgãos políticos e governo deviam investir em medidas para garantir a integridade dos dados dos cidadãos. Depois sim, investir em formas possivelmente mais fiáveis para autenticar o utilizador.

    • Sujeito says:

      De que boatos falas?
      A segurança e integridade dos dados dos cidadãos são de facto boato, pois tens um mar de provas de que não existem e que são vazados constantemente de vários organismos, inclusive dos Governos. Até dados da Nato, quanto mais dos cidadãos.

      E quanto a esperar que eles façam bem as coisas, tens décadas de provas de que não sabem fazer serviços digitais, e de que os cidadãos não são a preocupação deles. Eficácia, somente em perpetuar a necessidade constante de refazer o que já foi mal feito, para continuar sempre a enterrar mais dinheiro.

  8. Luis says:

    Não há dinheiro para por esses mesmos serviços a funcionar a 100%, mas há dinheiro para investir nesta arma de constrole em massa. Faz-me lembrar a situação do 5G!!

  9. A. says:

    Bom infelizmente, há uma confusão com o RGPD, dentro de determindos limites, qualquer Estado pode legislar que o tratamento desse dado pessoal é legitimo, logo o o RGPD não se aplica, alías há muitos intresses nas firmas privadas para que o Estado seja de Portugal, ou não o façam e há muitas Leis a dizer isto é uma optima forma que se inventou! há outras ainda melhores conceito de Legítimo Interesse…

    Assim em teoria nada impede que o Governo diga que o acesso por via Facial é legistimo e legal de acordo com o RGPD alías outros países europeus, fazem o mesmo!!

    • Sujeito says:

      A primeira confusão é as pessoas pensarem que o RGPD serve para aquilo que as convenceram que serve.

      Os dados são todos tratados por inteiro, primeiro segundo segundo o RGPD , contudo são enviados em bulk e processados depois na sua totalidade, inviabilizando a alegada privacidade a que o RGPD se propõe.

      É de espantar como isto é amplamente ignorado.

  10. joao matos says:

    é tao bom derreter dinheiro deve ser mais um contrato amigo.
    deviam era pagar ordenados decentes em vez de gastar dinheiro nestas merd…….

  11. Ricardo Gomes says:

    Nao Obrigado… eu gosto muito de privacidade 😉

  12. abdu says:

    Depois com estes dados todos já podem utilizar a video vigilância para controlarem a população

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.