Quantcast
PplWare Mobile

Marcas de carros elétricos revoltadas contra “nova” medida do Governo

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Comentador says:

    Os híbridos plugin tinham incentivos? Não sabia. Sei que um Prius plug-in hybrid paga 200€ de IUC. Se isso é incentivo…
    Já agora, eu só meto gasolina de três em três meses. Isso é ser mais poluente? Eu quero voltar para a ilha!!!

    • Miguel Gomes says:

      Acho que a questão aqui não é o “Ser” ou “Não ser” mais poluente, é a questão que, estas viaturas, não garantem que os seus utilizadores vão ser menos poluentes que do que com um carro apenas de combustão.

      No meu caso por exemplo, devido ao uso que dou ao carro, um hibrido não representaria grandes melhorias nesse aspeto, ou seja, não existe grande logica em ter incentivos por questões ambientais.

      Mas meter gasolina a cada 3 meses já é um excelente “incentivo”, se fizesse viagens curtas certamente também optaria por um hibrido.

      Cumprimentos

    • Pedro says:

      Pensava que a aberração dos IUC’s dos impostos só se aplicavam aos híbridos e não aos híbridos plug-in… pior ainda!!

      Por estes carros terem motores com grandes cilindradas, pagam uma pipa de massa de IUC. O meu Auris HSD por ter um motor 1.8, também paga um imposto igualmente alto – o que mostra o total desinteresse do nosso governo nas emissões.
      Eles que arranjem um 1.0 a gasolina que emita 91g de CO2 como o meu híbrido!
      Nem vou falar do prius plug-in…

      É o clássico exemplo da estupidez do governo e a prática demonstração de como estão mais importados em taxar do que a incentivar a poupança ambiental.

      Hoje em dia tenho dúvidas se estou a poupar dinheiro com o meu HSD ou não por causa dessas medidas espetaculares, apesar dos consumos de 4l/100…

      • Manuel da Costa says:

        Atenção que esses valores são FALSOS. É que se você fizer uma viagem de 180km os valores de emissões CO2 são iguais a um carro de combustão, pela simples razão que o arrancar do motor de combustão despeja 54% da emissão de cada vez que o faça. É algo que é conhecido e uma das razões para vários países terem removido os incentivos na compra de veículos híbridos. Numa empresa um híbrido pode poupar mais de 16000 euros só no IA e IVA na compra, em relação a um de combustão, o que ajuda a escolher um destes em vez de um dos de combustão, pois os eléctricos ainda são demasiado caros e exigem acessos permanentes a ligações eléctricas, algo impossível para quem viva em prédios habitacionais.
        Tive cá um e foi devolvido. Tinha de ter um cabo de 39 metros para o poder ter a carregar à porta do prédio. Na segunda vez que me partiram a tampa, desisti. Entreguei o carro à empresa e pedi um dos antigos.
        Para quem vive em vivendas ou tem empresas com garagens onde tem o carregador, dão jeito.

      • Jacs says:

        na hora do voto te lembra disso , eu 15 em 15 dias vou a espanha faço as compras mensais e atesto a carrinha e leva logo 85 litros ano passado não me venderam um litro de disel

  2. Miguel Gomes says:

    Coitadinhos dos clientes da Porsche, já não vão ter incentivos para os seus carrinhos de luxo, certamente vão passar fome agora.

  3. jdkdk says:

    para ser honesto, neste momento para quem so tem um carro os hibridos ou electricos com gerador sao a melhor opcao..

  4. eduardo says:

    a minha pergunta é se penaliza os carros plugin por mau uso o que dizer dos outros carros que fazem rali nas estradas, não fazem manutençoes, etc. Penalizar por um possivel mau uso porque não carregam os carros na tomada os plugin nao lembra o diabo.Era só limitar o valor que cada carro podia deduzir a gasolina ou gasoleo por 1000 kms feitos com o carro.
    tenho um plugin e gasto 1.9 l aos 100 com 70000 kms.

    • Manuel da Costa says:

      Tive um híbrido durante ano e meio e isso só se aplica a viagens curtas. Faça uma viagem de Lisboa à Guarda (como faço 2 vezes por semana), que vai ver essa média a disparar para 4 a 9 vezes mais, pois terá de escolher parar entre 3 a 5 horas para carregar a bateria ou fazer a viagem contínua e poupar esse tempo para regressar no mesmo dia, sem ser de madrugada. Para viagens de 3000km por semana, um híbrido é tão ou mais poluente que um a combustão. Claro que para viagens de 50-100km diários, a poupança é gigante.

      • Paulo Santos says:

        Ai, ai. Há aí qualquer coisa que não bate certo. Um híbrido tem uma autonomia reduzida e duvido do tempo de carregamento ser tão longo. Além do mais, nunca conseguiria ir de Lisboa à Guarda só no modo elétrico. Enfim…
        Mas diga lá qual o híbrido que teve. Pode ser que eu esteja errado.

  5. Joao Cordeiro says:

    Não percebo o teu ângulo Pedro Pinto…
    É obvio que alguns hibridos consomem mais que o meu civic porque tenho eu de pagar 160€ de imposto e eles nao?

    Querem ter desconto, sejam amigos do ambiente. Nao escrevam apenas num papel que podem ser amigos do ambiente apenas 10km por dia.

  6. Daniel says:

    O que o representante da Opel diz acaba por ser verdade. Por isso, o melhor incentivo para escolher carros eléctricos (ou fazer as pessoas usar sempre que possível o modo eléctrico nos PHEV), seria aumentar a diferença entre o preço dos combustíveis fosseis, e o da electricidade. Ou seja, baixar o preço da electricidade, ou taxar mais os combustíveis.

    • acs says:

      Cortar impostos na eletricidade ajudava o país todo e remover da fatura a taxa da RTP. Já aumentar os preços do combustíveis tornava tudo mais caro e prejudicava mais os mesmos. Quem não tem dinheiro para trocar o carro iria ficar com a vida ainda mais cara. Zero sentido.

    • mykos says:

      Porque já pagamos pouquíssimos impostos nos combustíveis fósseis e há transportes públicos a passar de 15 em 15 minutos em todo o país e todos os portugueses tem 60.000€ paradinhos no banco para comprar um Tesla.

      E aparentemente somos todos ricos e nem é preciso pedir empréstimos a 40 anos para comprar uma casa de 120.000€.

      Sai um bocado de Lisboa, tira a cabeça do c* e experimenta por em prática as tuas teorias fora dos centros urbanos do país e depois diz-me se a solução é aumentar os preços do combustíveis.

      Pimenta no c* dos outros para mim é refresco, já dizia o outro.

  7. Ricardo Gonçalves says:

    Ninguém anda a gastar dinheiro a toda em gasolina se tem a opção de usar os 40km ou 50km em modo elétrico que em varias situações chega e sobra para as voltinhas do dia. Só não dá quando se vai há terra.

  8. Eletrificando says:

    Ponham o carregamento por indução nas estradas, postos de abastecimento elétrico a carregar 20 ou 30 carros ao mesmo tempo e com carregamentos de alta velocidade, carregamentos em Centros comerciais, estacionamentos e parqueamentos, transfiram os incentivos de híbridos para veículos 100% elétricos, e a questão fica resolvida

    • Atento says:

      Concordo plenamente.
      Mas, infelizmente, nada disso vai ser implementado. Os 7.000M € (sete mil milhões é MUITO!) para o hidrogénio verde, vão ser para tudo, menos para as infraestruturas indispensáveis (apenas cerca de 20%). O resto é para tapar buracos de dívidas de EPs.
      O problema, aqui, é que me parece que, mais uma vez, o estado é lesto a taxar e parco a incentivar.
      Gostava de ver uma comparação entre o valor que o estado vai arrecadar com o fim destes incentivos, por contrapartida com o incentivo que foi dado para a melhoria da eficiência energética dos lares portugueses (4,5M € para dois anos).
      Só passa por parvo que quer, e o tuga sempre tem demonstrado que gosta de passar por parvo.
      Pelo tanto que se tem falado na bazuca europeia para a economia … diria que vai ser uma bazucada direta, no «dito» do povão … mais uma vez.

  9. acs says:

    Que tal não darem incentivos a nenhum deles! Até parece que nadamos e dinheiro. Se a tecnologia é boa e está cada vez melhor o pessoal vai comprar.

    Pequem nestas bonança e deem a quem quiser construir carregador rápidos pelo país. Beneficiava bem mais ou então deixem o mercado funcionar sozinho e poupem dinheiro para não termos de andar a pedir emprestado todos os anos.

  10. Rui Manuel P. says:

    O que o governo quer é cobrar impostos para meterem mais ao bolso, quem acha que não, é porque não quer ver.

  11. falcaobranco says:

    Nunca pensei haver tanta gente confusa e trocada das ideias…até mesmo representantes das marcas a dizer que o carro não liga a “combustão” antes dos 50kms? 😀

    O governo pode não ter ficado bem na fotografia mas os representantes das marcas dão com cada tiro no pé…

    • Milarilas says:

      Os representantes das Caetanos, etc. só estão lá pelo dinheiro. Não percebem nadinha de carros e só lhes interessa vender veículos a empresas. Apagar as stands de vez é um dos objetivos da Tesla e ainda bem. Já chega de middle men que mentem a famílias só para ganharem comissão num Dacia.

  12. Samuel MG says:

    De vez enquanto o governo lá lança uma medida certa como esta.

  13. JTorres says:

    Boa tarde,

    Entendo que o problema está mesmo na regulamentação, certamente de responsabilidade europeia, que permite aos construtores anunciar um consumo médio muito baixo, para um carro híbrido com motor de combustão de alta cilindrada , que gastará 3x mais do que outro igualmente híbrido de baixa cilindrada.

    Cabe aos países manifestarem essas discordâncias (não estou a dizer que concordo com a forma) para que esses responsáveis reformulem os critérios.

    • O bastardo says:

      O único defeito da legislação é deixarem as medições serem mal calculadas.

      Se a poluição real fosse a total da autonomia máxima (ex: percorre como máximo 800km, dos quais 50 são eléctricos. A poluição total devia ser a produzida / 750 km.). O que acontece é que fazem o cálculo enquanto aguenta o modo híbrido (ex 50 km) o que não corresponde à poluição gerada.

      Eu se tiver um híbrido com eléctrico até 50 km e a autonomia de 600 km, o cálculo dá a entender que o carro gasta nos 600 km o mesmo que enquanto em modo híbrido, mas não é verdade.

      Li numa revista uns testes há uns bons meses e recordo que havia modelos que anunciavam por ex médias de 4 L/100 (híbrido gasolina) mas depois da bateria acabar (20 a 30 km depois no caso) o SUV gastava 9 L / 100. Ora, quantas pessoas conduzem apenas isso ao dia?!

  14. Pedro Santos says:

    Alguém sabe se quem comprou agora em Dezembro um Plug-in, se não perde essa dedução de IVA?

  15. O bastardo says:

    Carro híbrido / plug-in:
    carro de combustão em o modo eléctrico só auxilia o de combustão ou permite modo eléctrico para muito poucos km (<50 por norma). Ao serem mais pesados, no final do dia poluem tanto ou mais que um de combustão equivalente salvo em cidade.

    Carro puramente eléctrico (seja por baterias ou hidrogénio):
    O futuro e os únicos que deveriam receber ajudas. Tudo o resto é para camuflar o escândalo do diesel.

  16. LA says:

    É só inteligentes no PAN. Vão-me dizer que os carros híbridos são mais poluentes que, os carros só de combustão. É um bocado contraditório. A não ser que toda a gente compre carros com 1000, ou menos de cilindrada.

    • O bastardo says:

      Vão te dizer eles e eu (e muitos entendidos na matéria, não pessoal que manda postas de pescada). Os híbridos além de usarem por norma motores com um ciclo especial de funcionamento (ex Toyota), têm o peso acrescido dos motores eléctricos mais potentes e baterias maiores. Além disso por norma vendem mais em SUV porque há mais interesse e ganho. No total significa que mal acaba o suporte eléctrico (e acaba muito rápido), a parte de combustão menos eficiente, mais peso e tamanho resultam numa poluição final igual ou superior.

      Já muitas revistas testaram híbridos vs. homólogos só a combustão, também diesel EURO 6b e 6d e no final (após 1000 km percorridos) os de combustão só eram menos poluentes. Os híbridos esses sim, para quem fizer só 20 km/dia em modo eléctrico ou híbrido dentro de cidade (filas e velocidades até 60 km/h) são bem menos poluidores. Em todas as outras situações perdem a vantagem.

      Aqui só existem 2 casos de interesse:
      – eléctricos pequenos ou híbridos citadinos para pequenos percursos
      – eléctricos decentes estilo Tesla, VW id etc.

      O resto é paisagem.

  17. Zz says:

    Malta deve de andar endinheirada pra comprar carros novos.. Ainda diz que estamos em crise!!! Deve ser só pra alguns a crise.. Enfim devem morar numa casa a pagar renda pra comprar carros novos muitos deles.. Ou quem sabe mora dentro do próprio carro nunca se sabe … Mas enfim são “prioridades”

    • O bastardo says:

      Crise? A crise nunca é para todos. Eu posso estar em crise, o meu vizinho nunca boa; eu mais pobre, o dono da Amazon ainda mais rico; ora, se eu tenho que manter o meu carro velho, o meu vizinho há- de seguir o meu exemplo apesar de ter ficado mais rico?! Lol

      Palhaçada de comentário. Alguém tem que continuar a desenvolver o mundo e o mundo tem que continuar a rodar, não é por uma parte do mundo ou pessoas estarem em crise que o mundo deve parar.

      • Fm says:

        E capaz de viver dentro do carro então
        Há prioridades bem mais importantes do que comprar carros novos a cada 5 ou 10 anos.. Eu por exemplo tenho o meu a 30 anos e leva me onde os outros me levariam..mas enfim são “prioridades”

        • Paulo Santos says:

          Pois eu troco de 4 em anos e não vivo dentro do carro.
          Se tem o seu há 30 anos é porque não faz muitos km. No meu caso, se um carro meu tivesse 30 anos, teria de ter 3.000.000 km.
          Não pense que todas as pessoas trocam de carro só por trocar. Há quem o faça por outras razões.

          • Fm says:

            Anda endinheirado de certeza.. Por acaso o carro q tenho tem 300k e anda mt bem.. Mas enfim se gosta de trabalhar prós carros forca e porque não lhe deve custar a ganhá-lo

          • Paulo Santos says:

            Fm, custa-me a ganhar e muito. Por isso é que em 4 anos faço 300.000 Km em deslocações para o trabalho. E trabalho muito para conseguir a vida que tenho. Não cai do céu.
            Se o seu carro tem 300k em 30 anos, faz 10k por ano. Eu faço isso quase por mês e não é a passear.
            Não pense que os carros só servem para passear.

  18. Fm says:

    Um carro pra mim tem de dar uma vida…. N se pode botar dinheiro fora.. Mas enfim agr carros modernos em selo deve ser mais de 300 €por ano… Estou a falar de carros tp Renault e por aí vai

  19. informado says:

    finalmente. So 100% electricos são electricos

  20. roberto says:

    Vergonhoso a forma que a tecnologia e tratada aqui nesse pais………….antes era i gaz,,,,,,,,,,,,,, incentivarão depois aumentarão..valores para que chegasse perto a gasolina……………pior quem punha para licenciar tinha que fazer uma tal revisão caríssima e que se aparecesse,,,,,,,,,,,, vazamento de óleo, enquanto não sanasse.vc não licenciaria…..muitos debandarão,,, da novidade voltando a gasolina mesmo…..tudo para roubar o dinheiro do povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.