Quantcast
PplWare Mobile

Epic recorreu da decisão de sexta-feira no caso Epic vs Apple

                                    
                                

Autor: Vítor M.


    • Eu sei lá says:

      E por que é que a Bloomberg escreve:
      “A Apple corre o risco de perder milhares de milhões de dólares anualmente com a sentença Epic Games” ?
      Porquê dizer “corre o risco de perder” em vez de “vai perder”?
      A questão é que a juíza disse que a Apple tinha direto à comissão de 30% (afastando lojas alternativas) e ao mesmo tempo, no prazo de três meses a Apple teria que apresentar uma proposta para um sistema de pagamentos externo.
      Como é que é esse sistema, ou seja a que apps se aplica e em que termos não ficou definido. Por isso é que, na mesma notícia da Bloomberg, se pode ler uma declaração da Apple: “A Apple disse que é ainda muito cedo para determinar como e quando as mudanças serão implementadas e que para isso precisa de ter conversações com o juiz”.
      A interpretação mais sensata da sentença, quanto a este ponto é:
      – Em primeiro lugar a Apple tem direito à comissão de 30% (a Apple também aplica a comissão de 15%, para pequenos developers);
      – Em segundo lugar tem que permitir links nas apps para compras externas (já existem compras externas para streaming – Netflix, Spotify e e-readers, que não pagam comissão à Apple).
      Isto significa que, no caso da Epic, e por isso recorre, no iPhone/iPad não são instalados jogos a partir da loja da EPIC, e nos jogos instalados a partir da loja da App Store, não consegue ter um sistema de pagamentos que finte as comissões da Apple. Nas “in-app” purchase” pode ser que consiga uma redução nas comissões – mas nunca o que queria e implementou no Fortnite, que era fintar as comissões por completo.
      P.S. Isto tem tanto a ver com a App Store da Apple como, futramente, a Google Play porque as condições são atuais são rigorosamente as mesmas. Quando a Epic criou um sistema de pagamentos diretos, no jogo Fortnite, foi, ao mesmo tempo, na App Store e na Google Play – e o jogo foi banido nos dois stores ao mesmo tempo.

  1. Secadegas says:

    Carrega EPIC!!! Há que obrigar a deixar instalar apps de outras lojas sem comissões.

    • iDroid says:

      Não queres colocar mais um ou dois pontos de exclamação? Parecem que falta qualquer coisa aí..

    • Rrrrrrr says:

      nao faz qualquer sentido a Apple deixar fazer “sideload” de aplicacoes e/ou permitir que outras aplicacoes de lojas funcionem em iOS.
      O sistema operativo é proprietario, tudo funciona bem, e com segurança em volta do mesmo.

      se é para haver uma opcao de deixar instalar apps de outras lojas, entao que bloqueie qualquer atualizacao nos iPhones.

      pessoalmente, passei de Android para iOS porque queria outro tipo de estabilidade e outro tipo de fluidez, algo que nao tinha no Android. O que me puxava para Android era o facto de poder instalar o que quisesse, a partir de qualquer store, site, ou apk (independentemente dos problemas que isso criasse)

      • eomeu says:

        secalhar devias ter escolhido um telemovel android melhor.
        Eu passei do Iphone para android e nao tenho queixa, 2 anos depois o telemovel continua rapido.

    • BC says:

      Exato. E se isso acontecer e der buraco, és o primeiro a vir dizer que o sistema não é seguro, e bla bla bla.

    • PTO says:

      Por vezes a ignorância é uma benção mas no teu caso infelizmente não é porque vens para aqui dizer imbecilidades.

  2. Tiago says:

    Este sites são incoerentes que dói. As agências oficiais dizem que Apple perde, e estes dizem que é a epic. Vejam se alinham com o resto do mundo e metam notícias fidedignas.

    • Jorge Carvalho says:

      Nenhum ganhou , se bem que a Epic perde mais que a Apple. Das 10 “queixas” da Epic apenas ganhou uma , que foi o que esta reportado ( a apple tem que aceitar pagamentos de outros processadores ) tanto que a Epic já anunciou que vai recorrer da decisao.

      Abc

    • Eu sei lá says:

      Parece evidente que – se a Epic “ganhou” não iria recorrer.
      – A Epic queria que a Apple fosse considerada um monopólio e lhe fosse aplicada a legislação anti-monopólio (antitrust, diz o post) – perdeu. Em concreto, a Epic queria que a Apple fosse considerada um monopólio “nos jogos para iOS” – a juíza entendeu que devia ser considerada era o seu peso no total das plataformas móveis, designadamente o Android. (A existência do Android é o seguro de vida da Apple para não ser considerada monopólio) ;
      – A Epic queria que no iPhone/iPad pudessem ser instaladas apps de lijas alternativas (sideload) – perdeu;
      – A Epic queria que nas apps da App Store a Apple não tivesse direito a comissões – perdeu;
      – A Epic queria que nas apps da App Store pudesse instalar um sistema de pagamentos externo (como fez no Fortnite) que impedisse a Apple de cobrar quais comissões – perdeu.

      O que deves ter lido nas notícias das agências é que a Apple vai perder (mais corretamente “corre o risco de perder”) muito dinheiro em comissões, em particular nos jogos – devido ao sistema de pagamentos externos, que tem que apresentar no prazo de três meses. Mas em que consiste em concreto esse sistema e quando é implementado, depende de conversações entre o juiz e a Apple.

      Quanto à vitória da EPIC não precisas de notícias das agências, basta-te ler o que disse o CEO da Epic sobre a sentença: “A sentença de hoje não foi uma vitória para os developers e os consumidores” (leia-se, para a Epic).

  3. Pastilhas says:

    As pessoas só veem o imediato. Mas isto é mais parecido com uma jogado a longo prazo como os mesteres de Xadrez fazem e planeiam e é aqui que a Apple teve falta de visão e a Épic ganha.
    Vejamos:
    Se nada tivesse acontecido:
    A Épic teria de pagar o mesmo que esta a pagar pelo tempo que esteve na loja.
    Tudo continuaria igual para a Épic e todos os outros programadores com a Apple a manter as mesmas comissões anteriores.
    Neste Caso:
    A Épic Paga o tempo que la esteve, nada perde a Apple recebe o devido.
    A épic sai do ios mas cresce em todos os OS. Em 2019 são 250 million em 2020, 300 million
    e em 2021 350 million jogadores. (https://www.businessofapps.com/data/fortnite-statistics/)
    Todos já ganharam já que Apple reviu as comissões.
    Todos vão ganhar ainda mais já que a Apple tem de abdicar da sua forma de pagamento como exclusividade e a Apple já não pode banir ou penalizar quem incluir “links” diretos “in App” ou com outra forma de pagamento que não pela Apple.
    A Épic pode eventualmente voltar a entrar na App Store, com links externos e outras formas de pagamento já que não irá contra a regras da loja.

    Sinceramente só vejo a Apple a perder agora e a longo prazo.
    Não vale a pena por aqui terceiros como e tal o PUBG isso nada importa para o caso.
    Apple vs Épic, a Apple já teve de fazer cedências, (menor comissão, links externos, outras formas de pagamento), perdeu os “revenue” do jogo. Jáa Épic apenas pagou o dinheiro que era devido à Apple e continuo a ganhar mais ‘players’ e mais dinheiro mesmo não estando na AA Store.
    Até as despesas do tribunal foram a meias..

    • Pastilhas says:

      Acabei de ler isto:
      However, it did open the door for big players to go around Apple entirely for their products on iOS. Any mobile game on iOS that offers in-app purchases, such as Valve’s Dota Underlords, can now offer cheaper prices or other perks if players go directly to its developer, which could theoretically cost Apple billions. Epic got something out of this.

      Vai precisamente de encontro ao que disse….

      • PTO says:

        E a Apple apenas tem de baixar o preço para o mesmo que é oferecido fora.

        Nesse caso a comodidade de não ter de fazer a compra fora da loja é suficiente para o cliente comprar via In-App.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.