PplWare Mobile

Todas as compras extra-comunitárias vão parar na Alfândega a partir de 2021


Fonte: Comissão Europeia

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. says:

    O problema não é o controlo aduaneiro mas sim o mau funcionamento dos serviços associados, é ridiculo um processo de desalfandegamento durar semanas e tendo em conta que até 2021 todos os valores (encomendas extra comunitárias) vão ser alvo de imposto o serviço só deve de ir piorar ainda mais…

    • A. Martins says:

      Tens toda a razão, mas pior ainda que isso é pagar a encomenda, ter conhecimento que está na alfândega, e nunca ser entregue ao destinatário, por mais reclamações que se faça!! E a encomenda não regressa ao vendedor!!! Quem ficou com ela???!! Já me aconteceu 2 vezes. Valeu o vendedor ter-me ressarcido de pelo menos 1/2 do valor!! E sim, fiz imensas reclamações para várias entidades!!

    • Kiba says:

      Quando não são meses, comprei umas sapatilhas da Camel e elas ficaram presas na alfandega durante 2 meses, foi preciso muita reclamação para as libertarem.

      • neo says:

        Sapatilhas e outros artigos de marca associados a roupa, calçado, malas, etc, têm um problema agravado, se a marca estiver representada em Portugal, o que tipicamente está, o artigo tem que ser analisado pela marca para avaliar se trata de material contrafeito. Quanto tal acontece, o artigo é apreendido e por norma o comprador perde o dinheiro. Todo o processo demora imenso tempo pelas razões que expliquei.

      • Diogo says:

        soltem as sapatilhas! soltem as sapatilhas, por todo o mundo há sapatilhas…

  2. Rita says:

    Andorra é independente de Espanha

    • O novo do Restelo says:

      +1 mas não te preocupes, o Vítor M vai já arranjar uma desculpa.

      • Rui Machado says:

        Estava a pensar no mesmo

      • Vítor M. says:

        Hahaha e que tenho eu a ver com isso? 😀 mas ok ok vamos lá combater essa ignorância.

        Ora bem, em lado algum diz que Andorra é Espanha, mas a interpretação é difícil para alguns, como estes 3 aqui provam 😉

        Na verdade, Andorra é um pequeno principado independente (ibérico) situado entre a França e a Espanha nas montanhas dos Pirenéus.

        Contudo, tem como idioma oficial o Catalão e a sua moeda é o Euro. Apesar disso, tal como refere o artigo, e bem, é considerado uma região extracomunitária, agrupada nas regiões extracomunitárias de Espanha. Quem o diz são as entidades que comunicaram esta informação. No geral, a sua associação tem a ver por questões históricas.

        Abraço e leiam mais 😉

        • Abílio says:

          …e a soberania é dividida entre Espanha e França

          • Vítor M. says:

            Abílio. No artigo não diz que Andorra faz parte de Espanha. No meu comentário também não. Era importante ler e interpretar. Além disso, explico que para aquela organização (que referiu os países extracomunitários) Andorra está no grupo de Espanha, mas isso não diz que Andorra pertence a Espanha. 😀 😉 bom fim de semana Abílio….

          • Rui says:

            Esquece o Vitor tem sempre razão.

            Faz um artigo com vários países e para cada país faz subgrupos de zonas francas, erradamente mete Andorra no grupo de Espanha e no fim os outros e que não percebem e são burros.

            Tem razão quando diz que não diz la expressamente mas talvez devesse escrever artigos que não induzissem em erro . Claro que para isso ele precisava saber que tinha cometido o erro o que eu não acredito.

            Olha Vitor e já agora e muito feio quando não se tem argumentos bloquear os comentários dos utilizadores.

        • Rui says:

          O conselho de ler mais e bom para ti, mas por favor não leias o que escreves ou cada vez ficarás a saber menos

          1- catalão e idioma da região catalã fala-se em Narcelona e algo parecido em Andorra, nada tem a ver com Espanha que tem língua oficial Espanhol e não o Basco ou o Catalão
          2 por Andorra ser perto de Espanha não passa a ser Espanha, de contrário como também faz fronteira com França podia ser França. Assim como Portugal pelo teu raciocínio podia ser Espanha mas felizmente não é.
          Se entidades erraram e tens o mínimo de conhecimento para saber que erraram não as deves usar como fontes.
          3 Na Inglaterra não se usa o euro e por acaso para já faz parte da comunidade…. Por isso por la usarem o euro não tem nada a ver pois o Mónaco também usa o euro.
          Não cometas erros que ninguém te corrige ou então admite os erros que errar e humano

  3. uIMF says:

    Para já não falar de ter de pagar agora o IVA de tudo. Agora vai ser lindo para receber uma encomenda vai demorar 3 messes.
    Se só uma pequena parte ia para a alfândega agora vai começar a ir tudo, não sei…

  4. Gastão Botelho says:

    Se no atual sistema de desalfandegamento a entidade “CTT Internacional” era a “nódoa” que se conhece com milhares de reclamações anuais, e só algumas das encomendas de valor superior a 22€ eram “paradas” para desalfandegamento, agora passaremos com toda a certeza às dezenas de milhar de reclamações anuais pois com toda a certeza não contratarão mais pessoas (nem darão formação que é também algo que lhes falta e muito).
    E alargaremos os prazos de entrega dos artigos desalfandegados dos atuais meses para anos, claro.
    Boa notícia.
    É no entanto bom para a entidade “CTT Internacional” pois já se fazia cobrar de 12€ por cada desalfandegamento que efetuava. Agora com todas as encomendas extra comunitárias a “parar” lá é só embolsar.
    E passam pequenas encomendas de 2€ ou 3€ a custar 14€ ou 15€? Muito bom

    • Ufmi says:

      O que vai acontecer é os vendedores chineses arranjarem um ( base) na Europa ( onde os impostos sejam mais baratos, não os 23%), e depois enviam para o resto da Europa.
      Basicamente vai haver 2 ou 3 países europeus que vão arrecadar os impostos de todas as transações China Europa.
      O estado português fica a ver navios, que é bem feito para nao andarem a dificultar a vida do processo de levantar encomendas, nem porem impostos astronómicos

      • Diesel says:

        Em transações online intracomunitárias o IVA a pagar é do país de quem compra, não do país de quem vende – já é assim há alguns anos. De modo que o que imaginas não tem como ocorrer.
        O que acontece é que há muitas lojas chinesas que arranjam esquemas para nem sequer pagarem IVA, e isso dá cabo da concorrência e de empregos na Europa.

        • David Guerreiro says:

          Depende, podes pagar do país de destino, depende do envolvimento do expedidor. Vê o caso da Amazon, quando compras algo na Amazon pagas o IVA a 23% e não o IVA do país de origem. Penso que quando as empresas possuem um volume de negócios acima de 100 mil euros com clientes de um determinado país, pode ser cobrado o IVA do país de destino.

          Sim, é verdade os chineses arranjam estratagemas de não pagar IVA, faturam em empresas com sede em Hong Kong por exemplo e depois a mercadoria entra na UE por países mais propensos à corrupção. Depois de estar dentro da UE, as fronteiras são livres.

          • Diesel says:

            A regra é pagar o IVA do país de destino!
            Pagar com IVA doutro país é só em casos excepcionais.
            Com as mudanças nas regras comunitárias as lojas online passam a ser responsabilizadas pelo IVA do país de destino por encomendas que venham do exterior da UE.

  5. Sergio says:

    Não vai alterar muito, grande parte do que compramos on-line vindo da china, para primeiro em armazens espanhois..

    • Nelson Branquinho says:

      Depende, por exemplo no Ebay, mandam diretamente da china para cá… com esta alteração isso vai ter que mudar.. mas enfim…É que se ao menos a taxa de iva fosse menor…

    • Daniel says:

      Mas vamos lá ver se isso também não vai mudar, porque o que diz no artigo é que “Tais mudanças fazem parte das alterações no Código Aduaneiro da União Europeia.”. Não parece ser uma alteração específica para Portugal. É uma questão de aguardar para ver.

  6. Gastão Botelho says:

    A UE está nitidamente a “embalar” na “Trumpalhada” que é a guerra comercial contra a China.

    • David Guerreiro says:

      Não me parece que isto seja guerra comercial, mas sim o facto de verem milhões de euros a fugirem todos os anos. E mais, muitas pessoas não sabem mas tudo o que vem da China dá prejuízo aos sistemas postais dos países que entregam. Porque a China está designada como país pobre na União Postal Internacional (organismo da ONU), e como tal existem tarifas máximas a pagar pelo correio que provém de lá. Eles pagam cêntimos ao país de destino, mas o custo da entrega não são cêntimos. Por isso é que o Trump saiu da União Postal Internacional, para evitar que os serviços postais norte-americanos continuassem a perder milhões com a China.
      E o curioso é que não há vontade nenhuma de alterar a condição da China na União Postal Internacional.

      • Valter says:

        Não há porque as empresas estrangeiras onde se incluem muitas das Europeias têm grandes benificios nisto. A logistica por trás seria altamente cara mas com esses acordos as empresas pagam uma ninharia a nivel de envio do q produzem lá. Já para não falar dos salários mais baixos. É o habitual nisto tudo o grande capital é q sai sempre a ganhar e o mexilhão q pague. Nunca vão retirar a China dessa designação enquanto a maioria das grandes empresas continuar a produzir lá. E pelo andar da carroagem a coisa até tende a aumentar e não diminuir. Se há uns anos era a mão de obra barata hoje é pelo mercado enorme e q começa a ter recursos, e tb pela alta tecnologia especialmente na area da mobilidade electrica

  7. Iurie Solomon says:

    entao resumindamente, o que vai mudar é pagar imposto pra todas as compras extra comunitarias e haver menos burcracia?
    quanto a burcracia da papelada é mesmo tao burocratico?

  8. Edexote says:

    Andorra não faz parte de Espanha, é um principado independente…

  9. David says:

    E pagar taxas de IVA e Direitos sobre portes? É que eles contam sempre com o total da fatura e borrifam no valor do artigo… que acho que é ilegal mesmo, dupla tributaçao…

    • Realista says:

      Tens de pagar IVA sobre o transporte realizado em território nacional… fora é que está isento.
      Dupla tributação ocorre quando pagas um imposto por cima de outro, (Por exemplo IVA sobre o ISP quando compras um carro novo).

      • David says:

        E pagar taxas de direitos de autor sobre valor total da fatura (quando é um dvd, por ex. , incluindo portes, é normal?
        E sobre a dupla tributação tenho impressão que há uns tempos paguei taxas e IVA sobre o total das taxas… mas desde essa altura nunca mais pedi dvd’s… cansei-me. Paguei 60 euros sobre uma compra de 80 do Japão…

  10. Realista says:

    Processo menos burocrático???
    Eu não tenho burocracia nenhuma, se tiver que preencher algum papel isso sim já é 100% mais burocrático!

  11. O novo do Restelo says:

    A China não pode andar a vender e produzir fugindo a impostos e as empresas europeias que paguem todos e mais alguns impostos. É uma pena que a maioria dos que comentam aqui sejam tão limitados que só pensam numa direção….mas é o que temos com a maioria da malta de esquerda.

    • David says:

      Isto não tem a ver com a China, é todo o lado. Mas sim, e começar a tributar impostos nas lojas do chinês também?

    • João Raimundo Costa Lemos says:

      O comentário mais estúpido e descabido que li hoje… e já li alguns

    • Sw4rtz says:

      E tu deves ser daqueles que nem sequer manda vir nada, portanto nem te afeta, mas estás aqui na mesma…

    • Ufmi says:

      O problema é que o estado português só vê € a frente e tem os impostos muito altos.
      Conclusão até às empresas portuguesas tem as “sedes” lá fora para pagarem menos impostos.
      A Apple não ou fazia faz os descontos todos na Irlanda?
      E por aí fora…
      Tanto o estado português quer arrecadar com impostos altos que acaba por receber menos, pois a Malta começa a descontar o que pode em outro país menos mamão.

      • JJ says:

        A ironia é que não somos nem de perto os que tem os impostos mais caros na ue. Basta googlar:”Impostos: conheça os países da União Europeia onde se paga mais”

        • Daniel199202 says:

          mas também, vé o nível de vida onde é mais alto e compara com o Portugal

          • JJ says:

            Isso é outra história, mas também podemos dizer que devemos ser dos países que mais foge aos impostos, que declara salários que não são os realmente recebidos, em que a economia paralela é gritante…ninguém passa factura…e se passa lá vem a chantagem…etc…

          • O novo do restelo says:

            Daniel199202, o nível de vida FAZ-SE. Achas que países nórdicos sem petróleo, ouro ou turismo e 1/4 do ano estão debaixo de neve são ricos e tiram 40% do ordenado bruto mas o nível de vida é alto porque?

            Porque fazem algo de jeito com esses impostos, EXIGEM que se faça algo de jeito com eles e TODOS pagam impostos. Além disso fazem ao máximo por comprar produto local e nacional.

            Em Portugal é tudo a fugir, é tudo a comprar produto chino ou americano porque é bom e a fugir do que é produzido cá. Porquê? E se é pela qualidade e quem a produz são portugueses…o que significa então? Que quem os produz quer é receber o salário ao final no mês, saber quem ganha o campeonato e que a chávena no café está quente e a cerveja fria. A qualidade do trabalho que se lixe.

            Ora com esta e outras mentalidades (como as entidades patronais a exigir muito e a pagar pouco) é que Portugal é como é. Mas garanto -te que o nível de vida e segurança e saúde de Portugal é dos melhores do mundo e invejáveis apesar da maioria fugir aos impostos.

            Mas o importante é reclamar de tudo e fugir, não é? Mas que a China fique com o vosso dinheiro, quando as vossas fábricas e patrões forem à falência e os chinos com o vosso dinheiro vos comprarem tudo e vos levarem à miséria, aí enxergam. Mas a culpa é sempre dos outros e dos políticos…coitadinhos.

          • Técnico Meo says:

            Ò novo Restelo, a fuga dos impostos no privado não é tão grave quanto te parece, o código contributivo e a sua máquina de fiscalização nos dias de hoje já não dá espaço para muitas abebias. Talvez em sectores individuais de profissionais escassos como canalizadores entre outras artes exista fuga, mas não faz estragos. E se não quiseres arranjas ou notas tu, é a vontade do freguês. O que faz estragos, é a corrupção em Portugal, que pelos vistos nos últimos 30 anos, os desvios é sempre na casa dos milhões, ninguém é preso, ninguém se demite. O exemplo passa para baixo e existem imensos casos de corrupção de baixo nível de nunca vão ver uma sala de tribunal. Em Portugal a administração publica é uma elegante branco enorme a chafurdar no barro e não se mexe. Para resolver o problema da corrupção em PT, tínhamos de prender milhares de pessoas, e nalguns casos famílias inteiras. Se a fuga do dinheiro faz estragos no orçamento de estado e por consequência na economia também, mas mais grave é o impacto que isto tem numa nação, numa economia e nas relações internacionais. Há muito investimento na banca internacional mas não é fruto de investimento público, mas sim dos desvios. Dinheiro Português em Angola é de bradar aos céus, é bom que as comadres nunca se zanguem. Não á muito tempo um político nórdico demitiu-se por uso indevido do cartão de crédito para as despesas de representação. O que eu gargalhei com isso. É a corrupção e a bandalheira da administração pública que fere de morte o nível de vida de um país. Fui militar, fui trabalhador do sector privado durante 20 anos e agora 7 na função pública, e estou careca de ouvir que o problema do orçamento de estado é do canalizador Joaquim que não declarou o recibo de 70 paus de ter ido na véspera de Natal a arranjar a caga.deira do sor Doutor de tão gordo que está. E as pontes no Natal, ano novo e páscoa, já para não falar das baixas no mês de agosto da FP que é às carradas, só confirma o que estou a dizer. No ano passado o centro nacional de pensões, como estão as coisas desmarcou as marcações todas que tinha em agosto. Semana que liga natal ao ano novo idem. Da forma como está o código contributivo, o Zé marceneiro s não declarar o recibo , o problema agora vai para cima dele, não vai ter reforma. Percebeste?

          • mlopes says:

            falar em nível de vida quando se estava a discutir cargar fiscal não faz sentido uma vez que a carga fiscal é calculada em percentagem.
            e sim, não somos nem de perto o país da ue com maior carga fiscal. o nosso problema é outro, é a forma como os impostos pagos são usados.
            nos países com cargas fiscais idênticas ou superiores às nossas os impostos são utilzados em benefício da sociedade, em portugal são usados em benefício de uma pequeníssima parte da sociedade e sistemáticamente transferidos para as mãos de apenas alguns recorrendo a uma miríade de esquemas. muitos desses esquemas até são perfeitamente legais só que resultam de uma legislação pérfida feita à medida.
            os esquemas que poderiam ser considerados não tão legais acabam por ser legitimados por decisões absurdas (como o recente parecer da pgr) ou pela impunidade total dos perpretadores

          • mlopes says:

            ó @Técnico Meo 😉 não fales do que não sabes e não tentes fazer passar como factual o que é apenas uma opinião, a tua opinião.
            começas por chamar código contributivo vá lá saber-se a quê, uma vez que tal designação não existe em portugal, e continuas com um chorrrilho inverdades e fantasias uma vez que não suportadas em dafos e factos. como posso estar enganado, se tiveres os dados para sustentares o que escreves por favor cita-os.
            em 2015 a economia paralela (enr-economia não registada) em portugal significava cerca 27,29% do pib, ou seja cerca de 48 mil e tal milhões de euros por ano, e apresentava uma tendência de crescimento desde 2013.
            repara ques estamos a falar de mais de um quarto de todo o que é “produzido” em portugal. é um valor elevadíssimo.
            esta tendência de crescimento é extraordináriamente curiosa uma vez que foi precisamente em 2013 que foi introduzido o chamado projeto efatura com a obrigatoriedade de comunicação das faturas e o apertar das regras de faturação com as diversas exigências novas que a legislação entretanto produzida veio trazer e aperfeiçoar.
            se precisares de confirmar os dados que citei eles são públicos e podem ser encontrados através do observatório de economia e gestão da fraude (obegef)

          • Técnico Meo says:

            ó mlopes, o código contributivo não existe? Santa ignorância, trabalho com ele todos os dias. E atenção que o CC foi actualizado no inicio do ano. Olha que o nick Técnico Meo é só um nick do passado, não te deixes enganar. Muito gostava eu de saber como se chega ao indice estatistico da economia paralela, factos, materiais estatisticos, dados de recolha, médias e medianas. Deve ser igual á estatistica que fazem no centro de emprego sobre as descidas no desemprego, já anunciado como a mais baixa da ulltima década!!! Pessoas a tirar cursos de formação são retiradas das listas, pessoas que mandam cartas para comparecerem em tal parte são retiradas da listagem, já para não falar de pessoas que conhecem o bom trabalho de centro de emprego e nem se inscrevem lá porque não vale a pena ou emigraram. Alguma coisa te disse que te acentou com muita força… Toma lá ó codigo contributivo rapaz, não quero que fiques mal : https://www.occ.pt/fotos/editor2/regimetrabalhindepenfs.pdf

          • mlopes says:

            quem trabalha com legislação devia saber melhor do que ninguém que a precisão da linguagem é fundamental.
            não, não existe código contributivo!
            o que existe é o Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social.
            além disso devias ler com mais atenção o que escreves já que começaste por escrever isto: “(…) a fuga dos impostos no privado não é tão grave quanto te parece, o código contributivo e a sua máquina de fiscalização nos dias de hoje já não dá espaço para muitas abebias.”
            ora o Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social, a que te referes de forma errada como código contributivo e sobre o qual colocaste um link sem qualquer interesse uma vez que se refere ao novo regime dos trabalhadores independentes que resulta das alterações ao referido Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social (tal como que pode ler logo no artigo 1º “O presente decreto -lei procede à alteração do regime contributivo dos trabalhadores independentes, previsto no Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social, aprovado em anexo à Lei n.º 110/2009 (…)” não constituindo, por isso, o referido código que me pretendias dar a conhecer, não versa sobre impostos mas sim sobre contribuições!
            e não, não são a mesma coisa e por isso a tua frase, que transcrevi, não tem sentido algum. deixo-te aqui uma forte sugestão para te cultivares e aprenderes a diferença entre impostos, contribuições e taxas. não precisas de fazer um curso de direito basta ires ao google uma vez que pareces versado na sua utilização.
            mas de facto tens razão numa coisa a força do teu desconhecimento acertou-me com força 😉 e com mais força me acertou o facto de ainda vires “à carga” como se ainda tivesses razão.
            enfim, típico portuga!
            (nem te dês ao trabalho de responder. não te vou dar tempo de antena!)

          • mlopes says:

            esqueci-me de uma coisa: quanto aos factos e números que sustentem todas as tuas afirmações ainda estamos todos à espera.
            paleio não chega.

        • Ufmi says:

          Não mas tens a gigante Alemanha com 19% , Malta com 18% que por sinal é bastante usado para esse mesmo fim.
          Quem vai no fim ficar a perder é o estado português que não vai arrecadar quase nada.
          Portugal e os outros países com impostos iguais e superiores aos nossos

          • Ufmi says:

            A gearbest já disponibilizava métodos de envio que não paravam na alfândega ( porque passavam 1 por outro país europeu).
            Agora a vir tudo parar a alfândega, tem de arranjar uma solução, porque se não fica impraticável mandar vir coisas da China.
            E numa coisa os chineses são bons é arranja maneira de exportar de maneira fácil e comoda para o cliente final os seus bens

          • JJ says:

            Então a solução é 19% como a rica Alemanha e mesmo essa a pssar por crise e porque não 10% ou mesmo de graça :-)… e depois eu queria ouvir a falarem em falência do país…é muito complexo…ainda para mais um país como o nosso…falta-nos uns poços de petróleo no Algarve…:-)

          • Ufmi says:

            10% não podes, o mínimo imposto pela UE é de 15%.
            Tu a pores os impostos caros só vais fazer com que se procure outras alternativas.
            Tal como antigamente patacas os CD’s ou as taxas de música.( A pirataria estava em altas)
            Os DVD’s caros e sem opções baratas ( pirataria era a solução)
            Hoje em dia criaram plataformas como o Netflix e o Spotify, e vez um grande decréscimo de pirataria, e aliás vez muito gente no cinema.

            Eu não me importo de pagar 10€ por mês e ver os filmes e séries que me apetecer.
            Do que pagar ao meo/ Vodafone/ etc videoclub 3€ por cada filme que quero ver. E antigamente era pior.
            Logo a conclusão que chego é que se houver um equilíbrio todos ficam a ganhar.
            Quando não existe esse equilíbrio as pessoas/ empresas procuram outras soluções

          • O novo do restelo says:

            Ufmi, queres falar da Alemanha que tem o DOBRO das pessoas por km² a produzir, 1/3 do desemprego e são incomparavelmente mais organizados, corretos e produtivos? Ainda assim os 19% de Iva na Alemanha são altíssimos comparado com o nosso IVA, já que com o PIB por pessoa, deviam estimular mais o consumo e não o fazem, como muito devia estar nos 16%.

            Comparar o incomparável…

        • Técnico Meo says:

          mlopes sabes muito , mas escola onde tu andaste já eu deixei á muito tempo e muitos de nós tambem. Nas tuas proprias transcrições que fazes está lá bem explicito que é o codigo contributivo. No teu dia a dia acredito que o tipo de contra argumentação que fazes que é atirar o teu poprio barro aos outros e projectares a tua ignorância nos outros pode funcionar nos mais incautos, mas não comigo. Já tive muitos sentados á minha frente com esse paleio , mas no fim todos embrulham e vão pagar. Já todos percebemos qual é lado que torçes, e por isso vai lá passar mas é o recibo para receberes do partido o combinado por andares a fazer contra-informação em tudo o que é internet. Provas já ta dei, agora embrulha bem embrulhadinho. Factos, o quê, a corrupção não existe neste Pais? Que o CNP não desmarcou as marcações todas que tinha em Agosto do ano passado, mesmo com milhares de pensões em atraso? Que a FP não abusa das baixas em momentos anuais considerados chave? Em que Pais tu vives? Até saiu nas noticias, google it, como tu gostas. Que existe dinheiro em Angôla Portugues de origens duvidosas? E as off-shores, estás esquecido? Impostos, contribuições, taxas , multas, são o teu orcamento de estado. Argumentas bem, mas divagas muito e tentas relacionar assuntos distintos para não te sentires ignorante. Davas um bom caso de psicologia. Inteligência emocional tens muita, mas integridade…. E o que o Pais mais precisa neste momento é de avalanches de pessoas integras.

  12. Técnico Meo says:

    Agora já é o descalabro. Para o que vá acontecer a seguir, não encontro a palavra certa para o descrever.

  13. Sergio says:

    Se bem percebi, tudo que vem directamente da China (extra comunitário) vai pagar taxa.

    Por exemplo:
    – tenho uma pequena encomenda de 1€ que para na alfandega
    – a alfandega vai me mandar uma carta a pedir a fatura ou comprovativo de compra com o valor.
    – respondo a carta (pode ser por email) com o comprovativo de 1€
    – a alfandega vai me mandar outra carta a exigir o pagamento de +/-23 cêntimos (Taxa/IVA sobre 1€)
    – pago e recebo a encomenda

    é assim?

    • Eduardo says:

      Deve ser isso, mas a acrescentar os 12€ que eles cobram por tratar da papelada.

      No fim tens 1€ da encomenda e 12.23€ para os chulos que nos governam.

    • Ufmi says:

      Deve ser.
      Mas não te preocupes, o chinês vai arranjar maneira de não teres esse incomodo, nem de pagares os 23% ao estado português.
      Eles vão começar a enviar para um armazém na Europa onde os impostos sejam mais baratos e o processo da alfândega seja fluido, e tu só vais receber em casa a dita encomenda sem te preocuparem com nada, mas com a morada de envio ex: Holanda

  14. Ricardo says:

    Depois de refletir acho muito bem apesar de pagar mais começa se a pagar o justo e no fi, ganhamos todos os impostos sao para pagar fuga ao fisco deveria dar prisao e trabalhos forçados

    • David Guerreiro says:

      Ganham os corruptos e políticos, que esbanjam os impostos. Nós ficamos na mesma. É uma utopia pensar-se que em Portugal mais impostos cobrados significa uma vida melhor para todos.

      • Mesquita says:

        Essa é a realidade. Os impostos deviam ser para melhorar as condições do nosso país, mas não é isso que acontece. Vai ser para fazer contratos publico-privados para pagarem comissões aos amigos. Vergonha

        • David Guerreiro says:

          É mais ou menos isso. Quanto mais impostos arrecadam, mais têm para esbanjar. Porque não somos como os suíços em que os governantes têm de prestar contas. Países nórdicos que possuem cargas fiscais elevadas, existe um elevado retorno do estado, embora já comece também a descambar devido ao custo social de acolherem refugiados do médio oriente, etc.

  15. kan says:

    sejam bem vindos ao inferno que nos Brasileiros temos, mas vcs ganham pq vcs tem uma empresa postal competente, aqui a empresa CORREIOS do brasil, ganha so de incapacidade, com um governo petista e psdb q danificou ela de todo lado, e um governo BOZOnaro q so fala em privatizar, q é uma vaca q vai para o brejo e nao faz nada.

    compra-se PAGA uma taxa ROUBADA que é para encher o saco de roubos do postalis, de empregados ruins, de caixas amassadas, de agencias franqueadas q jogam, amassam, trituram e cobram caro um envio super caro de correspondencia.

  16. Técnico Meo says:

    Tenho um comment no lixo electrónico outra vez SFF…

  17. EuTech says:

    “que todo o processo será menos burocrático” sim sim … daquelas coisas que se manda mail com toda a info das encomendas, telefona se para os CTTs a pedir informação e nao sabem nada e fica pra la sabe la onde !!

  18. Carlos says:

    Acho bem que se pague o IVA respectivo. Mas pagar 12€ por cada desalfandegamento em valores pequenos não faz sentido. Fora a burocracia associada.

  19. jaugusto says:

    Tb por causa de 20€ era preciso mandar vir da china!?

    • Vitolas says:

      As vezes nem tem que ver com o valor,tem mesmo a ver com o artigo.
      Já mandei vir coisas da china que basicamente é impossível encontrar em Portugal a venda,e depois claro existem outras que se compra-se em Portugal custariam facilmente 3x ou até bem mais o valor que paguei aos chineses.

  20. Kroko says:

    Preferia não pagar os 23% de IVA, mas não é por isso que vou deixar de mandar vir da china mas sim por causa dos CTT que roubam à descarada 12€ para tratar do processo, desculpem para o estado ainda aceito pagar agora pagar 12€ aos chineses que são donos dos CTT isso sim é roubar à descarada.

  21. Kroko says:

    Preferia não pagar os 23% de IVA, mas não é por isso que vou deixar de mandar vir da china mas sim por causa dos CTT que roubam à descarada 12€ para tratar do processo, desculpem para o estado ainda aceito pagar agora pagar 12€ aos chineses que são donos dos CTT isso sim é roubar à descarada.

  22. Buckethead, o meu coração só tem uma côr, azul e branco says:

    É só roubar.
    Nunca têm dinheiro suficiente para as negociatas. Bandalhos.
    Mas vão se tramar. Os chineses vão arranjar um esquema qualquer para evitar estes impostos mirabolantes.
    No fim, fica tudo na mesma ou quase.
    Espero… Até porque compro muita coisa online.

  23. zezinho says:

    ó novo do restelo, caso não saibas, a economia da noruega vem do petróleo do mar do norte!

  24. Dani says:

    Se forem como eu, que gosto de comprar itens de 1.5euros a 4 euros.. que por norma não existem aqui em Portugal ou se existem, é nas lojas chinesas…
    Que gasto ainda no mês passado 60 euros, num total de 45 encomendas.. Duas coisas vão acontecer, a alfândega começa a reter as encomendas e demora mais tempo e ficam sem espaço para tanta encomenda ou colocam preços para processamento de encomendas… Vou me rir n

  25. Pedro Ferreira says:

    A UE é sempre célere a tomar decisões políticas que têm fundamento, mas depois deixa a política fiscal para cada um dos países aplicar como bem entender e regras idem aspas. Se já controlam o orçamento de estado por via dos ‘carimbos’ que são exigados aos estados membros, para quando uma politica fiscal comum a acompanhar a politica legislativa? Quero pagar impostos ao nível europeu e não ao estado português. Mexam-se lá com isso, que a moeda até já é a mesma e tudo. ‘Bye bye tacho da FP’, por favor.

  26. Daniel says:

    *Haverá alterações

  27. JockSport says:

    Também não me agrada como consumidor, mas como português no geral, vai beneficiar as empresas nacionais pois conseguem competir melhor a nível de preço com o que vem de fora.

    • David Guerreiro says:

      Que empresas nacionais fabricam a maioria dos produtos que as pessoas pedem da China? Muito poucas. A maioria do que se pede da China são gadgets e traquitanas, que simplesmente não se fabricam nem aqui nem na UE.

  28. Zé Duarte says:

    Já vão tarde. Os chineses mais espertos já deram a volta a esse sistema à muito. Chama-se mandar pela Holanda.

    • David Guerreiro says:

      Se fia-te na virgem e não corras. Já vi inúmeros casos de coisas enviadas pela PostNL através de Roterdão e taxadas na alfândega. Os serviços aduaneiros sabem perfeitamente que a origem não é na Holanda, mas sim na China, a Holanda é apenas um hub de passagem da PostNL.

  29. Buckethead, o meu coração só tem uma cor, azul e branco says:

    Pois é, o dinheiro para sustentar parasitas é pouco, não é?
    E como são cada vez mais os parasitas…
    Então toca a ir tentar sacar onde puder.
    Como eu os percebo, não me enganam.
    São aos milhares por mês a chegar à Europa, a querer subsídios, casa e roupa lavada.
    O otário que trabalha e paga impostos é que é chamado a sustentar esta situação.
    Eu, havendo oportunidade, vem tudo de fora.
    Ainda há pouco tempo mandei vir 3 pares de ténis, do uk, 60 euros cada par.
    Aqui custam mais de 80.
    Onde é que está o anjinho que me vai dizer que prefere pagar 80 em vez de 60?

  30. Buckethead, o meu coração só tem uma cor, azul e branco says:

    No que a Portugal diz respeito, não tenho a menor dúvida em dizer, e digo isto à frente seja de quem for, quanto mais arrecadam em impostos, mais a corrupção cresce.
    Quanto mais dinheiro, mais roubam.
    Por isso, para as pessoas, o país arrecadar 100 ou 10, vai dar quase ao mesmo.
    Do 10 ao 100 é tudo gamado.

  31. dajosova says:

    enfim… pagam-se impostos mas isto é o cúmulo de uma aldeia não tão global
    já para não falar do quão chulos e incompetentes são as nossas alfândegas

  32. Miguel says:

    Vocês estão é muito mal habituados ao xuxialismo! Querem ser Europa, logo têm que seguir as regras europeias! Compram barato, os bens duram pouco tempo e, são responsáveis por terem fechado fábricas e empresas que comercializavam produtos com maior qualidade. São uma cambada de egoístas que só pensam no vosso umbigo. Enfiem os telemóveis no olho do **.

  33. Aires Manuel says:

    Bom dia experts, mandei vir 4 medalhinhas,para colocar no fio,do pescoço. Da Rússia, o valor com o envio registado por eles, dá 20€,20 cent. Vou ter problemas alfandegários? Um bom dia.

  34. Aires Manuel says:

    Bom dia experts, mandei vir 4 medalhinhas,para colocar no fio,do pescoço. Da Rússia, o valor com o envio registado por eles, dá 20€,20 cent. Vou ter problemas alfandegários? Um bom dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.