Quantcast
PplWare Mobile

Americano insatisfeito com o seu fornecedor de Internet decidiu fazer-lhe concorrência

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. AJ says:

    Por aqueles preços nas mensalidades, parece gostar meter a mão como os rivais Comcast e AT&T e oferecer pouco por muito.

  2. lumiere says:

    ainda se queixam dos preços em tugal

  3. Luis Henrique Silva says:

    Só mes.o na america, porque por aqui quem vive em zonas remotas, mes.o que tivesse pastel acho que isso não ia a avante com o pais que temos.

  4. Joao Ptt says:

    Geralmente na Internet de banda larga é difícil de concorrer porque as grandes empresas fazem tudo ao seu alcance, incluindo “comprar” políticos para passarem leis do estado a proibir outras empresas e até municípios de implementar as suas próprias redes.
    O homem ou está com sorte e não está em um desses estados, ou as grandes empresas não tinham reparado nele até agora… continua sendo minúsculo, mas as grandes empresas não costumam deixar passar nada em branco quando é possível “comprar” políticos e leis à medida para defender os seus interesses… que hoje é pequeno mas amanhã pode ser um gigante.

    • Fim do mundo says:

      Isto é nos USA, lá não é aqui como a Tugolandia em que os lóbis fazem tudo para lixar quem aparece a fazer concorrência.

    • Dinis says:

      Acho que vocês estão enganados. Conheço um condomínio fechado que contratou uma linha empresarial e todos tem net incluída no condomínio mais barata…
      Se eu puxar uma linha para um local remoto ninguém me impede de fazer um mini isp

      • Jorge Carvalho says:

        A entidade reguladora (fcn) é capaz de não gostar, não faço ideia dos requisitos em Portugal para ser revendedor de internet,

        Abc

        • Ant Sou says:

          O condomínio não tem que ser um mini ISO.
          Pode criar uma entiddade legal, tipo Associação e os sócios pagam uma cota mensal…
          … que só por acaso até dá direito a usarem a ligação da Associação 🙂
          Simples se conseguirem ter Associados suficientes e todos os pagarem as cotas em dia.

    • Joao Ptt says:

      Estou a falar dos EUA, que dependendo do Estado em que se está, eles podem ter ou não leis que proíbem outras empresas de fornecer serviços de Internet concorrenciais, ou mesmo que não façam concorrência directa… como tal é possível? Compram os políticos. É só isso. Pagam belos subornos de todas as maneiras possíveis, e eles aprovam as leis, as mais absurdas até, desde que eles próprios lucrem com isso, querem lá saber do zé povinho.

      Depois inventam as desculpas que lhes apetecer, do género “se existisse concorrência nem compensaria investir a fazer chegar aqui e acolá ligações de banda de larga” e outros argumentos que podem parecer bem intencionados à superfície, mas que no fundo servem só para justificar não existir concorrência nenhuma em determinada região num país onde supostamente a livre concorrência é uma das bases de desenvolvimento… pelo menos é o que alguns acham.. ou achavam.

  5. J. says:

    brilhante iniciativa 🙂 espero que um dia, não muito distante, as zonas rurais em portugal também tenham acesso a um serviço com essa velocidade…

    • Joao Ptt says:

      É só abrir uma empresa, você mesmo, arranjar as necessárias licenças e pessoal… e dinheiro para isso tudo, e começar a passar fibra para as ditas zonas rurais e depois disponibilizar a fibra-óptica a qualquer empresa que a queira utilizar na óptica de: cliente final quer tal empresa, tal empresa usa a ligação que depois ligam na central que serve a dita área onde têm os servidores das diversas empresa e daí as comunicações fazem-se com a rede da dita empresa que faz chegar a sua rede de fibra-óptica até tal central.

  6. Hugo Pombp says:

    Estes provedores locais é algo bastante comum em zonas com muita extensão rural. Vejo muitos projetos desses em grupos de técnicos de telecomunicações. Basicamente é a iniciativa local, por vezes com o apoio do município é que permite cobrir em canal protegido (leia-se fibra), areas com baixíssima densidade populacional.

  7. R!cardo says:

    Em UK um puto youtuber faz o mesmo com equipamentos da marca Ubiquiti

  8. secalharya says:

    Até um dia a rede ser hackeada…

  9. SANDOKAN 1513 says:

    “Internet: Nas áreas rurais e de interior, ninguém quer investir.” É bem verdade.Isto regista-se a nível mundial,muita atenção.Só mesmo quem vive em centros populacionais(a começar pelas vilas,por exemplo),é que pode almejar ter uma boa velocidade de internet.Fora isso…

  10. TIAGO PAULO FERREIRA FERREIRA says:

    No brasil pequenos provedores locais já ultrapassaram as grandes operadoras faz anos. Fornecem serviço melhor e atendem locais afastados das grandes metrópoles

  11. deeppurple says:

    Estão a criticar a iniciativa mas parece que não sabem o valor que isso poderá ser para aquela gente. Vcs devem conseguir fazer melhor e mais barato, pelos vistos.

  12. 1984 says:

    O que os USA têm de diferente ? Qualquer pode criar e fazer dinheiro em Portugal se alguem pensar em fazer algo . tem de começar a pagar logo e ter tantas leis contra que o melhor é desistir.
    Um País rico como o nosso não precisa de criatividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.