Quantcast
PplWare Mobile

Google alarga para 30% os cargos de liderança entre funcionários negros

                                    
                                

Fonte: Google

Autor: Marisa Pinto


  1. JR says:

    Estão a dar prioridade à cor da pele em vez das competências da pessoa para cargos de chefia? Vai de um extremo ao outro rápido

    • PeterOak says:

      Que vontade que tenho em ser preto neste momento!

    • AqueleAmigo says:

      +1
      Certo?! E o facto de porem as mulheres a ganhar mais que os homens tbm nesta mesma corporação?! Onde é que está a igualdade?!
      Favorecer minorias não é o mesmo que criar igualdade. Eu vejo muita gente preocupada com minorias e depois tira-se o pão da boca a uns pra dar a outros.. como é que se resolvem problemas assim?
      Poucas vezes se viu a palavra igualdade em manifestações.

      • Marisa Pinto says:

        Mas recentemente as mulheres também foram alvo de desigualdade quanto a salários no futebol. Concordo com o que dizes, e defendo que deverá ser a competência, o trabalho e os resultados, assim como outras habilidades, que ditam o nosso cargo e o nosso salário.

        • Jorge says:

          @Marisa Pinta Belo exemplo para desmontar o típico “não argumento” dos feministas. Sabes porque as mulheres ganham menos no futebol? Porque há muito menos pessoas interessadas em ver futebol feminino e consequentemente menos dinheiro dos patrocinadores. Basta ver as bancadas praticamente vazias em jogos de futebol feminino (mesmo com preços baixíssimos). Não se vai investir em algo sem retorno financeiro. Achas que Ronaldo e companhia ganham o que ganham porque os clubes gostam de gastar balburdios em salários? Claro que não. Para o Ronaldo estar a ganhar milhões é porque é bastante rentável para o clube que está recebendo muito lucro com ele. Ele move pessoal para os estádios, ele vende camisolas, etc. É a lei da oferta e da procura. Mais nada.

        • R!cardo says:

          As mulheres futebolistas podem e devem ganhar o mesmo que os homens quando começarem a encher estádios.

        • jorgeg says:

          Yes there is a soccer pay gape:

          “Last year, the men’s World Cup generated $6 billion, and gave about 7 percent to the teams. The 2019 Women’s World Cup made $131 million, and gave out more than 20 percent to the teams.”

    • Ze says:

      Não se trata de deixar de dar cargos a alguém com competência mas precisamente o oposto. Deixar de dar cargos a brancos incompetentes quando podem dar esses mesmos cargos a negros competentes.

    • RM says:

      O problema não é só a côr da pele, é a mentalidade das pessoas e a sua cultura, etc…

  2. tenho dito says:

    acho que sim.
    as competencias agora medem-se pela cor da pele.
    aconselho a quem nao tenha emprego a ir muitas vezes a praia ou solario. depois podem sempre dizer que tem um familiar com determinadas origens

  3. Bruno says:

    Yay! Racism for good! /s

  4. Oscar says:

    E quantos para mulçumanos? E para os Hispanicos que são uma importante parte dos EUA, enfim, ridiculo.

  5. xnelox says:

    Porque é que a imagem de capa apresenta a saudação nazista?

  6. Técnico Meo says:

    Não existe mais racista do que o conceito de quotas raciais. Parem de falar em raças. Falem-me em pessoas! Racismo também existe entre negros e brancos, brancos e negros, hispânicos, asiáticos, esquimós, ciganos e por ai fora.

    Educação e convivência, são as armas, e não a imposição do histerismo mediático. Fechem os tribunais, vamos começar a fazer leis e justiça por método de votação de likes sociais. Acho que já vi este futuro distópico num episódio qualquer do star trek.

    • Galo says:

      Concordo.
      Apesar da boas intenções que estas quotas possam ter, só vão fazer perdurar o racismo…isto porque por um lado vai haver aproveitamento por parte da minoria a quem as quotas pretendem favorecer, e irá levantar a revolta da maioria a quem as quotas desfavorecem (isto faz parte do ser humano, independentemente da cor).

      Se a empresa de facto quer lutar contra o racismo, bastava apenas estar mais atenta, e de fato promover quem é mais competente, sem olhar a cores. Provavelmente a empresa até já o faria, mas agora estabelece “quotas” para ficar ainda melhor na fotografia, o que infelizmente é reflexo da sociedade atualmente…

      Todo este movimento que gerou em volta de George Floyd, por si só, visto “fora da caixa” já poderia ser encarado como racismo: será que se tivesse sido um branco a vitima seria igual?

  7. Vítor M. says:

    Eu acho estranho a raça humana, que é toda uma, dividir as pessoas pelas cores. Tenho amigos de vários continentes, a tez nunca foi, para mim, motivo de destaque para o bem ou para o mal. Custa-me perceber estas burrices da cor. Além disso, ver e ler as pessoas a defender um lado ou outro, como se houvesse lados… ainda é mais ridículo e vergonhoso. Não caiam nessa manobra que alguns querem impor à sociedade, não dividam as pessoas por certas palermices.

    Bom domingo.

    • técnico Meo says:

      +11111

      • Pois says:

        Tal como tu, tenho amigos de várias etnias e nacionalidades. E, exatamente por isso, critico o racismo em qualquer das suas formas, inclusive o racismo “anti-branco” e a discriminação positiva, tal como é exemplificada nesta notícia.

    • RM says:

      Bem dito VM. Também penso assim. E as pessoas deviam ser julgadas pelas suas acções e não pela sua côr.

    • Dark Sky says:

      Ora aí está, ficou-se a perceber o que a casa gasta 😉

      • Vítor M. says:

        A tua casa, não percebi, estás a falar da tua casa? Isso faz algum sentido? Como é possível haver quem consiga diferenciar os humanos pela cor e dizer, este merece viver e este não? Há coisas que não entendo.

        Não faz sentido nenhum esta idiotice de racismo, xenofobia (de qual espécie for)… não faz qualquer sentido. Podem arranjar os argumentos que quiserem e serem desonestos ao ponto de florearem cenários para que justifique esse hediondo argumento do racismo, mas sejam honestos. Não se deixem levar por quem usa o separatismo para reinar.

    • Bruno Silva says:

      +1 Enquanto não existir uma indiferença total à cor de pele, o racismo não vai acabar.
      Isto funciona como um pendulo, ora os ativistas os tratam como coitadinhos, ora outros os tratam com inferioridade, e esta questão vai sempre baloiçar entre estes 2 tipos de mentalidades.

  8. Pedro says:

    Uma verdadeira medida racista. Parece que o mérito não conta.

  9. Fulano says:

    Aumentar em 30% a estupidez global não é solução. Sempre pensei que as chefias (e qualquer outro posto de trabalho) se deviam às capacidades do trabalhador. Afinal não… Agora percebo porque razão o Mundo caminha a passos largos para a estupidez total.

  10. jaugusto says:

    Hmm… isso quer dizer que sempre que eu googler brunettes vou passar a ter ebony em primeiro lugar!?

  11. Robin says:

    decisões hipócritas tudo isto é para ficarem bem nas fotografias durante tantos anos não fizeram nada e fecharam os olhos agora vão a correr tentar lavar as mãos.

  12. Vitor says:

    Eu pessoalmente sou contra qualquer regime de “cotas” seja em que sentido for e na atividade que for…seja a nível profissional ou politico! E se eu fosse (não sou nem nunca pretendi ser) “dono” de uma qualquer empresa o único critério para admissão de pessoal (para qualquer cargo) seria a COMPETÊNCIA! Seria engraçado eu ter necessidade de,por exemplo,um contabilista ou um programador ser “obrigado” a contratar um “branco” ou “negro”,”homem” ou “mulher”,”católico” ou “protestante”…apenas para cumprir uma determinada “cota” mesmo que o “outro” fosse mais competente! O mesmo digo em relação às cotas nas listas para deputados ou governantes…e o “exemplo” deve vir de cima! Quem pretender cargos….deve qualificar-se para ele!!

  13. Hugo Nabais says:

    Para mim isto é uma medida racista!
    A competência deve ser premiada e valorizada. Não a religião ou a etnia.

  14. PeterSnows says:

    Haja estupidez em acções de puro Marketing!!!
    Muita demagogia (“Discurso ou acção que visa manipular as paixões e os sentimentos do eleitorado para conquista fácil de poder político”

    A população negra na BayAre 6.5% Na Califórnia 7.5%
    80% dos trabalhadores da Google devem estar na Bay Area.

    “as of 2019, women occupied only 26.1 percent of leadership positions and 22.9 percent of tech positions”

    “According to Google’s latest diversity report, the company’s U.S. workforce is 53.1 percent white, 36.3 percent Asian, 3.6 percent Latinx and 2.5 percent black.”

    Estou para ver como é que ele vai fazer.
    – 30% para negros (3x mais que a população existente)
    Pela mesma ordem de ideias:
    – existem 50% de mulheres na Califórnia, implica reservar 150% dos cargos de liderança para mulheres
    – Latinos existem 2.5% na google, 23% na Califórnia, então serão 69% dos cargos para eles

    Não sei se ele sabe fazer contas …
    Ou ele acha que somos todos, muito, muito estúpidos.

    Será que ele também reserva lugares para estúpidos ?

  15. Rudi says:

    Conversa dentro da google deve de ser qualquer coisa do genero.
    – “Vamos acabar com o racismo, implementado medidas que visionam promover pessoas em função da cor de pele…”
    – “Então mas isso é racismo?!”
    – “Não é nada seu racista! Estás despedido!”

  16. Pedro Ramos says:

    Temos semelhante protocolo de cotas de lideranca implementas em empresas na Africa do Sul, chama-se a isso Broad-Based Black Economic Empowerment (BBBEEE) e o resultado é ridiculo e inutil…

    Caso uma empresa tenha um X de receita anual ou preste servicos ao estatdo, obrigatoriamente terá de ter uma percentagem de cor.

    Desejo sorte!

  17. PowerVerde says:

    Espero que também criem 30% de cargos de administração para Portugueses, senão vou acusar a empresa de xenofobia.

  18. Bruno M. says:

    A Ideologia de extrema esquerda a funcionar!

    Privilegiar a cor de pele e/ou raca ao invés das competencias!!

    Portanto, gerando racismo!

    ISTO É RACISMO PURO, UM AUTENTICO APARTHEID!

    Não tarda teremos a Europa e/ou o Mundo como África do Sul… um novo Apartheid!

    • PeterSnows says:

      Vai na onda do politicamente correcto.
      Que já cheira mal.
      .
      Acho que certas sociedades/ pessoas/ grupos/ políticos evitam o confronto de ideias.
      Não vêm isso como algo bom.
      Acham que só existe uma verdade no mundo.

  19. GV says:

    Ridículo:
    1-Se vão aumentar em 30% os cargos de chefias de pessoas negras, é porque andaram a discriminar essas mesmas pessoas até agora, ou então irão promover pessoas sem mérito para tal.
    2-O racismo não se combate como medidas de proteção às classes habitualmente discriminadas, porque essas medidas são elas mesmas discriminatórias. A protecção deve ser feita atacando a fonte do problema, ou seja, penalizando severamente quem pratica atos dessa natureza.
    3-Promover pessoas negras como modelo de marketing, é uma forma de discriminação para com os caucasianos, medida que apenas irá incendiar ainda mais a sociedade.
    4-As pessoas devem ter igualdade de direitos e deveres. Ponto final. Quem infringir a lei, sejam brancos ou negros, deve ser severamente punido. Ponto final. É assim tão difícil de entender?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.