Quantcast
PplWare Mobile

Como poderá uma bomba nuclear salvar a Terra de um asteroide destruidor?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Vítor M.


  1. Miguel Real says:

    Só enviar uma arma nuclear para orbita e alem já é um grande problema nem que seja num Falcon9, (existe algo mais fiavel para tal?). não estou a falar de rector isso já foi feito e comprovado.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Nuclear_power_in_space

    • rjSampaio says:

      é um problema porque?

      • Miguel Real says:

        Qualquer desastre/incidente/acidente/sabotagem/imprevisto na contenção de engenhos militares nucleares traria consequências piores que os conhecidos acidentes em centrais nucleares ou os teste de armas nucleares basta olhar para a realidade do passado e para o presente.
        P.S.: até a “Guerra das Estrelas” foi cancelada pelos próprios ‘criadores’ e nem sequer era para ser nuclear.

      • Miguel Real says:

        Embora existam outras formas de ‘ter’ tais engenho ‘fabricados’ fora do alcance de perigosidade do planeta , embora com mais custos de dinheiro, recursos, tempo, diplomacia de uma forma quase utópica mas possível…

  2. Pedro H. says:

    Não bastaria um esforço comum (dado que existisse boa vontade e dinheiro para isso ) para colocar telescópios em órbita de Marte e Jupiter? Pelo menos para detecção atempada dos asteróides mais propensos a sair da cintura de asteróides ou então ver quais os que colidem e saem de lá. Assim que fossem detectados, esses candidatos podiam receber um ou dois motores recuperáveis para desviar a sua órbita… Claro que vários problemas teriam de ser resolvidos para existirem esses motores. Ou isso ou um bom arsenal nuclear lançado a partir da Lua…

  3. eu2 says:

    “Mas um meteoro que explodiu sobre a Sibéria em 1908 tinha apenas cerca de 60 metros de largura – e a onda de choque da explosão atingiu mais de mil metros quadrados de floresta.

    Esse é o tamanho de toda a área metropolitana de Washington DC.”

    Mil metros quadrados são 32m por 32m, Washington DC é assim tão pequena?

  4. rm says:

    A minha experiência com simulações é a seguinte, no papel é tudo muito bonito, já passando para a práctica as coisas complicam.

  5. PeterOak says:

    O Bruce Willis uma vez rebentou com um, eu vi! Pena é que teve de lá ficar e rebentou-se também.

  6. Sergio says:

    Em vez de viagens de lazer e cinematográficas se tivessem o foco das suas fortunas nisto é que seria de louvar. As agencias espaciais vão fazendo o que podem, mas os multimilionários deste planeta tão interessados no lazer espacial deviam devia de unir forças tambem com as agencias.

  7. RCS says:

    Portanto agora há um bode expiatório para testar o envio de bombas nucleares para o espaço.
    Vai correr bem..

  8. falcaobranco says:

    E depois ainda diz a NASA que temos nenhum a caminho da Terra nos proximos anos… não acredito muito nisso…mas…

  9. Alexandre Santos says:

    Já tenho um trator com uma broca e um CD dos Aerosmith. Só falta chamar o Bruce Willys.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.