Quantcast
PplWare Mobile

Já começou a surgir malware dirigido aos Mac com o SoC M1 da Apple

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Pedro says:

    So em 2021 e que comeca a aparecer algo que em android e windows existe desde sempre e em quantidades assustadoras. A apple em seguranca é um exemplo de perfeicao

    • Simon says:

      Estava mesmo a precisar de uma piada para iniciar o dia. Já me ajudaste a ter um sorriso de orelha a orelha. Thanks! 🙂

    • Galo says:

      Deixa de ser hatter e mentiroso. Malware nos OS da Apple não é novidade, e se pensares bem, o M1 nem um ano tem.
      Acho que já está na hora de as pessoas perceberem que a maior ou menor quantidade de malware em determinado sistema operativo estará em parte relacionado com a quantidade de utilizadores que tem, e com o interesse dos hackers em o atacar. Mesmo que na sua génese o windows ou o android fossem menos seguros, se tivessem 10-15% de quota de utilização, nem 1/4 de ataques de malware sofriam.

      • Vítor M. says:

        Isso é mentira. Tem a ver com a própria arquitetura do sistema operativo. Não encontras malware nos Macs que é ou foi preponderante no Windows, aliás, nunca teve. Há um tipo de estrutura e qualidade do sistema da Apple que não permite determinado malware.

        Sou utilizador Mac OS, Mac OS X e macOS e nunca fiquei com a máquina comprometida. Haver há, pelo menos aparece de x em x tempo alguma tentativa de malware, nunca tive tal experiência e não conheço quem tenha ficado impossibilitado de usar um Mac por culpa do Malware. Já no que toca ao Windows, não há ninguém que não tenha ou conheça muita gente que tenha essa experiência. Não se trata só de quota, trata-se acima de tudo de estrutura e arquitetura.

        Com o Big Sur, mais difícil será criar malware para o macOS, depois da Apple ter mudado o sistema de validação das aplicações. Depois, como há cevada vez mais apps na Store, a exposição ao hipotético malware também baixa.

        Portanto, não deturpes a realidade 😉

        • Ola says:

          Sempre existiu malware para Mac OS…

        • Tiago Matias says:

          Concordo com o Vítor. Tenho macs há cerca de 17 anos e sou utilizador recorrente do mesmo. Nunca fiquei impossibilitado de usar o computador devido a malware…

          • Joao Pequeno says:

            Experiencia pessoal vale zero. Eu tenho Windows desde que me lembro e tb nunca fiquei c o equipamento comprometido! 🙂

        • Filipe C. says:

          Concordo totalmente. Não vamos falar em cenários que serve pois o Windows serve muito mais. Por isso e como foi escrito tem problemas de kernel que são portas abertas para o malware. Ao longo de décadas a Microsoft tentou tapar os buracos com antivírus de terceiros, depois com o UAC no Vista, depois com o defender e no Windows 10 com muitas melhorias. Mas o kernel é uma manhã de retalhos não se enganem. O MacOS e baseando no kernel Unix, titulado XNU, Originalmente desenvolvido pela NeXT e mais tarde código do projeto FreeBSD. Tem ou couraça totalmente diferente do Windows e por isso muito mais impermeável ao malware. O que o Galo diz é sabedoria saloia.

          • Galo says:

            @Filipe C. saloia é a tua interpretação do meu comentário.
            Estás a confundir impacto ou sucesso do malware, com numero
            de reports de malware. Também não leste o “em parte”? Faz toda a diferença 😉
            Tens razao no que escreveste. Eu concordo. Mas o que eu disse, sendo do senso comum, nao deixa de ser verdade…

        • José Carlos da Silva says:

          Sou utilizador diário de Windows e Mac há largos anos. A verdade é que o Windows sempre foi muito mais propício, mas também com cuidado/atenção (que certamente não será transversal a todo o tipo de utilizadores), nunca tive problemas de maior – até porque há variadas formas de protecção e detecção de malware.

          É verdade também que em cerca de 9 anos de Mac, tive malware UMA e UMA única vez (não me lembro se no Mojave se no High Sierra, mas foi num deles). Ainda estou para saber a origem, mas afectou e foi notório no desempenho. Só descobri o que se passava pelo Activity Monitor, ao ver um consumo extremo de recursos que vinha de determinados processos – pesquisei o que era, removi, ficou resolvido.

          Em paralelo, há largos anos que também não tenho qualquer tipo de problema com Windows, e apenas com os níveis mais básicos de segurança.

          Acontece, é muito menos comum, mas acontece. Nenhum sistema é impenetrável e infalível.

          • Vítor M. says:

            Não tem a ver com o tipo de utilizador, porque displicentes há em todos os SOs. Tem a ver sim com o próprio sistema operativo. Como eu referi, haver malware há, mas eu não conheço ninguém que tenha sido afetado por malware e tenha deixado de ter operacionalidade na sua máquina. Já no caso Windows, apesar de serem substancialmente mais os utilizadores, o variado malware que existe, tem a ver com o tipo de arquitetura do sistema operativo. É mais permeável a ataques, ao ransomware, por exemplo, tem mais problemas em gerir a qualidade dos drivers, tem total descontrolo no que se instala na máquina. Isso é o que difere de uma para o outros, ou outros.

            Malware haverá sempre, mas a forma como este atua nos SOs é completamente diferente. Nada tem a ver com a banalidade que o Galo quis transmitir.

          • Galo says:

            Banalidade é dizer coisas que possam levar as pessoas a acreditar que só por usar Mac OS estão seguras 😉

        • José Fonseca Amadeu says:

          Não é bem assim Vitor, existem N infecçoes por malware em Mac, tipicamente user driven porque o utilizador coloca as credenciais de acesso com permissões elevadas para o fazer, tal como num BSD ou num linux, tipicamente isso não compromete o SO porque são malwares mais direccionados a roubo de identidade, roubo de dados financeiros ou simplesmente para alimentar botnets, enquando que em windows tens N malwares com pura intenção destrutiva.
          Em windows também consegues limitar o escalonamento de permissões como no mac e também consegues impedir instalações fora da store, tipicamente ninguém está interessado nisso e eu no Mac tenho tudo desligado, instalo de todo o lado, incluindo repositorios manhosos.
          Uso todos os SOs numa base diária e em nenhum SO tive algum comprometimento, sempre sem AV, embora já tenha detectado N aplicações em todos eles com malware que optei por não instalar.
          Desde o windows vista que o windows está mais seguro nesses pontos e se torna equiparavel aos restantes, problema dos ataques tem a ver com a não aplicabilidade ou remoção de determinadas protecções existentes no SO por utilizadores pouco experientes, faço o mesmo em OSX e Linux a unica diferença é ser um utilizador experiente.
          Com a apple tenho um grande problema, são os que menos investem em segurança e os que mais vendem uma falsa sensação de segurança, em qualquer security prize são sempre os mais faceis e mais rapidos de comprometer e só em 2019 iniciaram os bug bounty rewards, algo que já se fazia há 2 décadas noutros fabricantes.
          A unica segurança possivel contra malware em qualquer SO é não usar users com priveligios elevados, é o que as empresas fazem (as que não são atacadas pelo menos).

          • Vítor M. says:

            Tudo muito certo, mas estamos na mesma a referir tipos de malware que não são tão preponderantes como os que existem e são possíveis no Windows. Volto a referir, existir existem, mas a sua ação é muito limitada. Repara neste, estamos a falar no GoSearch22, que é uma extensão para Safari que funciona como adware – gera anúncios. Isto no Windows “é mato”. Apesar que concordo contigo, desde o Windows Vista, como já alguém comentou, com a implementação de sistemas de segurança (um pouco para fazer como o macOS e Linux fazer, isto é ter um acesso com permissões elevadas) o Windows ficou mais seguro. Mas, reafirmo, a sua forma de ser, a sua arquitetura, facilita o aparecimento de malware e a história é disse testemunha.

        • adbu says:

          Conheço imensas pessoas que nunca ficaram impossibilitadas de utilizar o computador por terem malware no computador.
          Também conheço pessoas que ficaram impossibilitadas de usar o mac por problemas de hardware.
          A maioria de problemas que as pessoas têm a haver com engenharia social e não propriamente com o S.O.
          Quando o OSX tiver mais pessoas com parcos conhecimentos informáticos, vão começar a cair mais nos mails de “visitante 1.000.000 ganhou … clique aqui”.
          Não estou a dizer que o Big Sur não tem um conjunto de políticas que aumentam a segurança global, mas digo que não é perfeito e tem vulnerabilidades de segurança como todos os software que existem.

          • Vítor M. says:

            Problemas de hardware é uma coisa, malware é outra. Tens razão quando dizes que a maioria dos “ataques” são com engenharia social, é verdade, mas os métodos dos sistemas operativos podem ser uma contra-medida para o ataque ser efetivo. E muita engenharia social é para levar o utilizador a contornar os sistemas de segurança, aí também o sistema operativo pode ser pró-ativo em vez de reativo. Atualmente o Windows já é muito mais pró-ativo, mas não era assim, e o macOS, antes Mac OS X já tinha sistemas que eram pragmáticos. Aliás, quando falamos em pragmatismo falamos no novo sistema que a Apple lançou no Big Sur, que é um passo adiante em termos de segurança pró-ativa, que alguns quiseram confundir com invasão de privacidade 😉

            Quando dizes “…mas digo que não é perfeito e tem vulnerabilidades de segurança como todos os software que existem.” podes explicar melhor sff?

        • Galo says:

          Vitor, tens que ter mesmo cuidado com o que dizes! Não há mentira nenhuma no que disse! Se interpretaste mal, o problema é teu!

          Em nenhum lado eu disse que sistema X era mais seguro que Y, pois não?
          Em nenhum lado disse que a arquitectura não importava, pois nao?

          Apenas disse que o numero de malware está dependente “EM PARTE” do numero de utilizadores e interesse em procurar falhas e explorar. Isto é algo obvio! Tu que segues o que se passa no mundo da tecnologia tens de saber isso, e com certeza terás reparado que o numero de reports no que toca ao macOS é maior agora do que era há uns anos!

          Mentira é o que o @Pedro disse.

          Além disso diz o velho ditado, que o melhor antivirus é aquele que está sentado entre a cadeira e o pc 😉

          Eu sou utilizador windows (e linux) há mais tempo do que tu és de mac OS (sim porque ainda me lembro de defenderes windows com garras e dentes), e também nunca tive maquina comprometida 😉

          Cuidado vitor…

          • Vítor M. says:

            Se estás a passar informações erradas, tenho de ter cuidado é certo, para alertar as pessoas que possam ler o que escreves e acreditar. Depois são enganadas. A mensagem que passaste era que a existência e letalidade do malware para Windows e macOS dependia do número de utilizadores e a preponderância do sistema operativo. Isso é mentira. Não podemos deixar passar tal discurso enganador.

            Em relação ao “clique aqui”, também não é bem assim, porque o clique aqui poderá não resultar em nada, como não resulta em 99,9% dos casos atualmente na Internet. Este que apareceu é um caso muito raro e dispara apenas publicidade. Portanto, letalidade “praticamente zero”.

            Eu durante 20 anos de utilizador Windows, do “zero” ao 10, várias vezes tive a máquina com problemas de malware. E só não foram acções graves, porque sempre usei bons AVs, como os da ESET, que foi através do Pplware que o NOD32 apareceu em Portugal 😉

            Ransomware em máquinas de clientes e “conhecidos” é mato. Ransomware em máquinas Mac… não conheço.

            Sobre seres utilizadores há mais tempo que eu (que não fazes ideia sequer do meu percurso), por eu ter sido um utilizador e conhecer muito bem o Windows e hoje conhecer muito bem o macOS digo e afirmo que estás errado. 🙂

            🙂 sempre com muito cuidado.

          • Galo says:

            Tu sim, voltas a insistir na mentira.

            Vou colar o que escrevi, para ver se assim percebes:

            “Acho que já está na hora de as pessoas perceberem que a maior ou menor quantidade de malware em determinado sistema operativo estará em parte relacionado com a quantidade de utilizadores que tem, e com o interesse dos hackers em o atacar”.

            Consegues ler o “estará em parte relacionado”? Sabes o que significa dizer “em parte relacionado”?

            Reafirmo o que disse, que não é mentira nenhuma! Não estou a fazer juizos de valor dos sistemas operativos! E o estranho é tu não teres tido o cuidado de dizer que o comentário do @Pedro sim era mentira!

            Quanto ao percurso, a ideia que queria transmitir é que dizeres que tens x anos de Mac OS e nunca teres tido problemas pode passar valer ZERO, quando eu (ou outro utilizador qualquer) disser que usa Windows há mais tempo que tu usas Mac OS, e que também nunca teve problemas!

            Há que ser imparcial!

          • Vítor M. says:

            Não, estás a desvirtuar o que escreveste ““Acho que já está na hora de as pessoas perceberem que a maior ou menor quantidade de malware em determinado sistema operativo estará em parte relacionado com a quantidade de utilizadores que tem, e com o interesse dos hackers em o atacar”.

            Não, o haver mais ou menos tem a ver com a facilidade, o impacto e, por sua vez o retorno. Se fosse fácil e proveitoso, haveria muito mais no macOS, tendo em conta que são utilizadores que em grande parte têm contas de cartão de crédito associadas ao Apple ID. O mesmo não acontece na Microsoft.

            Se quiseres ser imparcial, tens de fundamentar bem com dados e não com convicções. Não o fazes.

          • Galo says:

            Não vale a pena…contigo não dá.

            Errado é dizeres “Não, o haver mais ou menos tem a ver com a facilidade, o impacto e, por sua vez o retorno. ” NAO! isso é apenas uma das variaveis!

            Eu logo na minha primeira mensagem tive cuidado de colocar o “em parte”. E se o usei é porque estou consciente que existem outras variavies certo? TU é que queres passar a mensagem errada às pessoas de que MAC nao tem virus. É 100% seguro. Mas amigo…nao o é 😉

          • Vítor M. says:

            Não tenhas nunca a menor dúvida que o trabalho visa o retorno. E enquanto não perceberes isso, nunca vais conseguir perceber a essência do malware, seja ele qualquer for, até de um simples adware que dispara—-> publicidade… é o chamado ROI 😉

            E nunca disse que o Mac está livre de qualquer malware, porque não está. Lê o que eu escrevi sobre a dificuldade 😉 e não mudes o que eu escrevi 😉

          • Galo says:

            Vitor eu fiz copy paste de um comentário teu. DIsseste literalmente isso 😀

            Será que há vários Vitor M. a escrever?

          • Vítor M. says:

            -> https://bit.ly/3pG1i3f é sempre uma ajuda boa. Uma pessoa informada vale por uma tribo de índios.

        • Peace says:

          Por esse prisma o Windows tb tem uma ótima arquitetura do sistema operativo, com estrutura e qualidade já que nunca fiquei impossibilitado de o usar. Já no linux, já me aconteceu ficar com uma máquina comprometida.

      • eurodoid says:

        muito as pessoas gostam de ultrassimplificar tudo.
        Uns dizem que é por ser seguro, outros dizem que é basicamente só por causa da “quota” de utilização. Enfim…
        Que tal pensar um pouco e verificar que nos dias a maioria do malware é desenvolvido na base duma relação custo/benefício. Isso é uma função do possível ganho a obter, que pode ser das mais variadas ordens, versus segurança inerente, pontos de entrada/distribuição e conhecimento e ferramentas disponíveis.
        Há muito dinheiro a ganhar com malware no iPhone e no Android. Quota de mercado não tem o peso que muitas pessoas pensam, nem a relação com segurança é simples.

        • Galo says:

          Além da quota de mercado, e da arquitectura, há outros factores que importam. Referiste um, mas ha outros como por exemplo o Mac OS e afins serem sistemas operativos muito mais fechados e que apenas estão presentes em equipamentos da própria marca!

          É errado dizer que windows tem mais malware do que Mac OS por ter mais utilizadores, da mesma forma que é errado dizer que Mac OS é perfeito, ou que o é por causa da arquitectura do sistema!

          • Vítor M. says:

            Alto…. já começaste a dar o braço a torcer!!!

            “Além da quota de mercado, e da arquitectura, há outros factores que importam”…. alto que afinal lês oq ue te escrevo. Pois claro que o sistema da Apple pro ser mais fechado e controlado do desenvolvimento ao hardware é mais seguro. Pois claro que sim, mas isso nunca esteve em causa. Finalmente que te começo a ver corrigir.

          • Galo says:

            hahahahaha

            Eu leio o que escreves. Assim como leio o que outros escrevem! Tu é que não lês o que escreve. Mas a que tu és bom (NOT) a fazer extrapolações já eu sei.

            Diz-me lá o que é que este meu comentário está em desacordo com o meu primeiro comentário 😉

            ps: Pago-te uma cerveja, se o conseguires provar 😉

          • Vítor M. says:

            Outra vez? 😀 nesse ponto de vista não íamos já numa cerveja, mas numa Beer Drive. Basta leres o que te respondi. Não vamos andar à volta da mesa pois não? Aliás, já te contrariaste e tudo.

          • Galo says:

            Sabes qual é o ridiculo?
            É que mesmo nessa tua cabeça tu aches que tens razão, as pessoas estão a ler…
            Epa custa muito admitir que interpretaste mal o meu comentário?

            Tu terias toda razão se eu tivesse dito algo como “windows tem mais virus so porque tem mais utilizadores”. Mas nao foi isso que eu disse pois nao?

          • Vítor M. says:

            Estás a “andar à volta da mesa” e já é perder tempo. O que foi dito e explicado fica para se perceber o que achei errado na mensagem que querias passar. Aproveito e deixo aqui isto: https://bit.ly/2oJANdI

            Fica sempre a dúvida se fui eu que não entendi o teu comentário ou tu não te exprimiste corretamente. Pelo que disseste a seguir, eu vou para a segunda hipótese. Mas aproveito estes comentários para trazer um pouco de informação, assim damos o tempo gasto como proveitoso. Ransomware: Sabe o que é e como se previne?

          • Galo says:

            Agora sim vou fugir um pouco do assunto:

            Um dos problemas da sociedade hoje em dia é que ouvem (lêem) pouco o que o outro diz. Ouvem para responder, e não para perceber o que o outro quer dizer. Depois, refugiam-se no acesso fácil a informação com um clique, para passarem por peritos.

            E por aqui fico 😀

          • Vítor M. says:

            O problema hoje da sociedade é as pessoas falares sem terem a curiosidade de ler, de se equipar com conhecimento, para poderem expressar uma opinião, uma ideia, mas com informação efetiva, basta ver o que se fala das vacinas, da doença, e são todo peritos do Facebook. Esse é o mal.

  2. Mus says:

    Os sistemas operativos são, normalmente, fáceis de utilizar e seguros.

    Não importa se é da Microsoft, da Apple ou uma distribuição Linux.

    Naturalmente que alguns sistemas operativos, por variadas razões, poderão ser os mais aptos para um tipo de pessoa, do que para outra.

    Mas todos eles têm as suas vulnerabilidades, maiores ou menores, ligadas à concepção que está por trás do projeto e, acima de tudo, ao conjunto “acções do utilizador + interesse dos criminosos informáticos”.

    E quando um sistema operativo ganha uma fatia de mercado cada vez maior, o interesse dos criminosos informáticos em aproveitar-se de tal situação aumenta, tornando-se cada vez mais ativos e originais na ultrapassagem das medidas de defesa do sistema operativo. E isto é mau.

    Mas o que é muito mau, é que demasiados utilizadores de um sistema operativo que anteriormente não despertava grande interesse para os criminosos informáticos, tornam-se, de repente, alvos especialmente apetecíveis, porque pensam que têm um sistema operativo que é imune (ou quase imune) às acções desses criminosos, tendo essa ideia repetida, de forma perigosa e incorreta, como que numa câmara de eco, entre uma grande fatia da comunidade que utiliza esse sistema operativo.

    Resumindo: só utilizem “wi-fi grátis” se forem mesmo obrigado, tenham muito cuidado com os programas que utilizam, utilizem ferramentas adequadas a tornar o vosso sistema operativo menos vulnerável, guardem fora do computador e também fora da “nuvem” as coisas mais importantes, cuidado onde utilizam as senhas e, de uma forma geral, atuem com prudência e humildade, pois, desde que utilizem um computador ligado à internet, são possíveis alvos de criminosos informáticos.

  3. AJ says:

    tenho um macbook pro à 8 anos e nunca apanhei nenhum malware e muito menos um virus.

  4. Sílvio Pinto says:

    Pensava que os macs eram bons porque não apanhavam vírus

    • Vítor M. says:

      Não apanha vírus, onde viste que apanhou vírus? 🙂

      • Galo says:

        só um exemplo…

        https://support.apple.com/pt-pt/HT202225

        a culpa, como na maioria dos casos, independentemente do OS é do utilizador 😉

        • Vítor M. says:

          Não sei se sabes mas esse “phising” é de 2011 😀 O artigo que citas tem data de atualização de 05 de dezembro de 2014. Seja como for, este foi tratado rapidamente e é dos poucos que ficaram na história. Mas como este no Windows tem todos os anos uma mão-cheia. Isto porque o método usado pela malware foi travado com uma atualização da ferramenta de segurança, mesmo as variantes ali mostradas. 🙂

          Fala de coisas a sério: Fake Windows Updates (Hidden Ransomware)

          • Galo says:

            Não sei nem me interessa saber de quando é. Coloquei “virus mac os” no google e escolhi um dos links que apareceram…

            Ao contrário de ti não tenho conflitos de interesse…não quero mostrar que SO x ou y é que é melhor ou pior…

            Agora vires dizer coisas como “Não apanha vírus, onde viste que apanhou vírus? ” é que é enganar pessoas 😉

          • Vítor M. says:

            Não tenho qualquer conflito de interesses, apenas não gosto que enganem as pessoas, como por vezes tentas fazer (embora que é indeliberadamente por falta de conhecimentos no assunto, Apple sobretudo).

            E tal é verdade que neste caso “Agora vires dizer coisas como “Não apanha vírus, onde viste que apanhou vírus? ” é que é enganar pessoas ” não estamos a falar de vírus, tens de ver o que é um vírus e o que é adware. Mas eu ajudo-te:

            Adware (do inglês advertisement= “anúncio”, e software = “programa”) é qualquer programa de computador que executa automaticamente e exibe uma grande quantidade de anúncios sem a permissão do utilizador. As funções do adware servem para analisar os locais de Internet que o utilizador visita e apresentar-lhe publicidade pertinente aos tipos de bens ou serviços apresentados lá.

            Os adwares também são usados de forma legítima por empresas de programação de software gratuito. Neste caso, a instalação é opcional e as suas implicações estão previstas no contrato de licença exibido durante a instalação.

            Como vês, não estamos a falar de vírus. Logo vi que não tinhas percebido do que se tratava o artigo, como a pessoa a quem respondi não percebeu.

          • Galo says:

            Usas sempre o mesmo esquema. Ou é porque os outros nao percebem nada ou é porque estao errados a tentar enganar.

            MAs nao me mostraste ainda (como nunca o fazes) onde é que estou errado ou a enganar pessoas!
            Deixa-te lá de picuinhices, de diferenças entre viruss, malware, spyware, phishing e afins. Percebeste bem o que quis dizer. Não desvies o assunto.
            No caso do exemplo que mostrei, que como te disse, nem tive qq critério na escolha era mesmo malware 😉
            Não enganes as pessoas vitor. No link da Apple que partilhei é malware que está escrito! não é adware 😉

          • Vítor M. says:

            Agora é piquinha 😀 primeiro mudaste o assunto, depois estás a misturar adware com vírus. Óh

            Já te expliquei a diferença.

          • Galo says:

            ok. Há vários Vitor M..
            não fui eu que falei em adware…foste tu 😀 Nem lês o que escreves?

          • Vítor M. says:

            Fica atento, o artigo não é meu.

          • Galo says:

            Não estou a falar do artigo.

            Eu partilhei um link da Apple como exemplo de malware que atingiu Mac OS.
            E tu vieste com explicações sobre “adware”.

          • Vítor M. says:

            Mas tudo começou com a tua interpretação/opinião do malware do artigo, lembras-te? 🙂 Adware.

          • Galo says:

            Não….meu primeiro comentário veio em resposta ao @Pedro, que estava a expressar uma ideia que é recorrente e errada: a ideia que windows é um total buraco e mac é perfeito.

            Mas pronto. Acho que já nos entendemos 😉

  5. Osvander says:

    Discordo do Vitor, o sistema pode sim ser mais utilizado e mais atacado, mas, o usuário sim é o responsável pelo ataque dos racks como malware e outros virus. Tenho o windows 10 a mais de 3 anos nunca peguei malware e sim no deepin OS. Malware dos chineses KKKKKKK.
    Agora em outros computadores que possuo é com linux rpm nunca fui atacado por qualquer tipo de virus a mais de 10 anos.

    • Vítor M. says:

      O utilizador é sempre o culpado, claro. Contudo, há formas de ataque que não resultam no Linux ou no macOS e no Windows são uma forma grande de contágio. Não é por ser muito usado, é pela construção do próprio sistema operativo.

      O macOS tem hoje milhÕes de utilizadores, por essa ordem de ideias existia muita gente afetada com malware… e na realidade não há.

  6. Ze says:

    Sou utilizador Mac e Windows! Mas só quem não percebe nada de Mac é que pode vir dizer a enormidade de que em Mac o malware pode comprometer a máquina, já o mesmo não se pode dizer dos outros sistemas! Utilizem e depois venham aqui falar, deixem-se de mandar bitaites

  7. Luis Henrique Silva says:

    A mim todo o SO é vulnerável, o que acontecia antigamente é que utilizadores apple eram muitos menos e assim não havia grande sentido atacar um SO que era menos utilizado, já no Windows há milhares e milhares de utilizadores.
    Agora começa a haver mais utilizadores apple, e no futuro pode haver mais interesse atacar mais essa plataforma, a mim não venham com essa história que MacOS é mais seguro que A ou B. Se começar a crescer o interesse dos atacantes pelo sistema Apple vai ter a mesma vulnerabilidade que qualquer sistema existente.
    Eu também já tenho Windows à muito tempo e também só fui atacado muitas poucas vezes por erro meu.
    Portanto no MacOS será a mesma coisa….

  8. adbu says:

    Can Macs get ransomware?
    Can Macs be infected with ransomware? Has there ever been a case of Mac ransomware?

    The answer is yes, but it’s a very rare occurance. There have been a handful of Mac ransomware examples identified by security researchers to date, but not one has led to serious outbreaks and few if any Macs have been affected. However, the list makes interesting reading to learn how a future ransomware outbreak might spread and how it might operate.

    Fonte: https://www.macworld.co.uk/how-to/ransomware-3659100/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.