Quantcast
PplWare Mobile

A Apple não revelou algumas limitações importantes que o seu SoC M1 tem

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Pirata das cabernas says:

    Todos fazem isso.. Não é só a Apple

  2. Toni da Adega says:

    Não esquecer a ausência de boot amp, algo importante para muitos utilizadores (muitos não todos). E ver como funciona o suporte para VM’s e/ou Linux (importante para muitos, não todos).

    • Emanuel Barros says:

      Talvez venha a haver. O Windows há muito que funciona em ARM

    • Tuaregue says:

      eu tenho ca para mim que os BigSur, já n suporta boot camp, mesmo em intel.

    • Lucas says:

      A Apple terá implementado no M1 suporte para hipervisores – pelo menos a documentação da nova framework para virtualização do macOS dá a entender isso, e creio que a Apple chegou a confirmar isso em Julho!

    • TabonitoTa says:

      Bootcamp vai ser um filme também. Contudo a parallels está a trabalhar na versão M1 do seu software contudo … sabemos que é uma máquina virtual e dentro do próprio macOs não podendo ser corrida de forma independente. Mas já é qualquer coisa.

    • Rui says:

      Não tem BootCamp, mas corre aplicações e jogos iOS.

      Considerando que o interesse do bootcamp é correr jogos, é irrelevante para um portátil ultra portátil que não tem placa gráfica e não…

      Por outro lado, o iOS tem muitos jogos que requerem pouco dos gráficos, muitos mais que Windows.

      E com os jogos do Apple Arcade, por exemplo, ainda têm mais jogos que não são de comprar moedinhas…

      De qualquer forma, vai ser atrativo para muitos developers fazerem jogos que dêm para Nintendo Switch e plataformas Apple…

      • Toni da Adega says:

        O interesse do bootcamp é para instalar Windows para correr ou testar aplicacoes especificas. Muito pessoal utiliza o bootcamp e nao é para jogar jogos.

      • Nuno Pinto says:

        O interesse do boot camp é poder/ter que utilizar o mac pessoal com o W10 instalado apra poder trabalhar remotamente no pc do trabalho.

        • Lucas says:

          posso não estar a perceber o que estás a dizer, mas não precisas de W10 para poderes trabalhar remotamente no PC do trabalho. Existe o Remote Desktop para macOS que permite trabalhar com as aplicações num PC, entre outras coisas.
          O interesse do Boot Camp é para quem necessita de usar o Windows localmente num Mac.

    • Arucard says:

      Para correr sistemas operativos x86 nos novos Mac com ARM só por emulação.
      É de esperar que o QEMU ou o UTM (que é o port para iOS, que irá correr nativamente nos novos computadores) apareçam rapidamente e o problema fica “resolvido”.
      Realisticamente será como como o Windows 10 num Pentium 4 (32-bit) ou um Core de 64-bit do mais antigo possível sempre a um único core, porque infelizmente os processadores ARM não dão muito bem a emular mais que um core x86, tenha o ARM 4 ou 16 cores.
      Além disso o UTM ou QEMU só emulam chipsets de som na era da década de 2000 ou uma VGA sem 3D avançada (ao nível de uma Intel HD mediana.), portanto já se prevê como será o futuro.

      Por outro lado, talvez o Wine como o Qemu User Mode (Hangover) consiga ter melhor desempenho, dado que não está a emular um computador inteiro, mas a compatibilidade será menor.

  3. rtouk says:

    Limitações re ram a 16, porra até um armzito da treta já come com 128

  4. Francisco Cirne says:

    São limitações importantes mas não serão para a esmagadora maioria do público alvo das versões base dos mac.

    Entretanto vão saindo os famosas benchmark. E o bichinho até os MacBook Pro 16 com Intel I9 arrasa.

    https://9to5mac.com/2020/11/11/macbook-air-with-m1-chip-beats-16-inch-macbook-pro-performance-in-benchmark-test/

    • Lucas says:

      é preciso cuidado com essas comparações! Estão a comparar um teste isolado com uma média de milhares de testes nas mais variadas condições. Se fores ver resultados individuais o MacBook Pro 16 com Intel I9 pode alcançar pontuação em multicore muito próxima. Há também que esperar por mais benchmarks ao CPU para ter uma imagem mais alargada das capacidades.
      Mas não deixa de ser verdade que o M1 deve conseguir competir em performance de CPU com o melhor que a Apple tinha até aqui em portáteis. E em tarefas sem multithreading deve ser significativamente melhor.

    • Beltrano says:

      “Apple claims the M1 to be the fastest CPU in the world…”
      Como ainda ninguém teve nenhum M1 nas mãos, logo é treta, tal como o A14 que era super rápido mas afinal, não.

    • rui says:

      para ir ao webmail e facebook não é preciso mais

    • Pastilhas says:

      Um I9 arraja??? lol

      MacBookAir10,1 Geekbench 5 Score
      1687 Single-Core Score
      7433 Multi-Core Score
      Geekbench 5.3.0 Tryout for macOS AArch64

      Asus Intel Core i7-9700KF Geekbench 5 Score
      Geekbench 5 Score
      2000 Single-Core Score
      7095 Multi-Core Score
      Geekbench 5.0.1 for Windows x86 (64-bit)

      Tudo a ver, muito melhor mesmo….lol isto é apenas um i7, até alguns i5 andam lá perto ou acima.

      • Rui says:

        Esse i7 asus é desktop.

        O MacBook Air não custa só $999 nem tem outras benesses como o GPU e o consumo energético ultra baixo.

      • Lucas says:

        Um Intel Core i7-9700KF não tem essa pontuação em Single-Core.
        Em segundo lugar o Intel Core i7-9700KF é um CPU para Desktop de 95W, não está propriamente na mesma categoria deste, nem bate certo com a comparação que o Francisco Cirne faz com um portátil.

      • nuno a says:

        afinal é mais rápido que o i9-9980hk em single e multi ahahah

        https://www.macrumors.com/2020/11/11/m1-macbook-air-first-benchmark/

      • rui says:

        não podes comparar com o que queres, é mais rápido comparando com algo que a apple não diz o quê, talvez lá numas letrinhas pequeninas.
        e eventualmente mais lento comparando com outras coisas que também não interessa dizer.
        alguém sabe a quantos % o cpu costuma trabalhar dos seus equipamentos? o que fazem que os leva a colar? será que o arm será melhor nessa função, isso é que interessa.

        • Lucas says:

          podes comparar com o que bem quiseres, até com um Xeon de 28 núcleos! Resta saber é que informação retiras dessa comparação!
          Se tiveres um processador que consome menos a realizar o mesmo trabalho no mesmo intervalo de tempo isso poderá ser uma boa vantagem, podendo indicar que poderá sustentar a performance a níveis mais elevados que a outra alternativa possível!

  5. Rodrigo says:

    “A Apple não revelou algumas limitações importantes”
    A Sério??? engraçado que eu consegui ler no site da Apple a informação dessas limitações. (Obviamente que não lhe chamam limitações) como tal não vejo onde essa afirmação possa ser verdadeira.
    No site menciona a questão dos 16Gb de RAM e menciona o número de portas USB-C.
    A única que realmente nãos e lê é a questão do eGPUs

    • Pedro Simões says:

      Acompanhei o evento e não me recordo de terem falado nisto. Logo, não revelaram.

      Depois, remetem isto para páginas de suporte onde tens de andar a ler e ler e ler até perceber isso. É algo que o utilizador comum não vai fazer.

      • Lucas says:

        :S as informações que o Rodrigo fala está na própria página das opções quando se faz a compra, sendo que os modelos anteriores com Intel que foram substituídos, já tinham essas características (máximo de 16GB, 2 portas USB-c).

      • Rodrigo says:

        Tal como o Lucas diz, está na página principal de cada um dos produtos, bem explicito. nada de documentação técnica. Está também quando configuras o teu MAC e escolhes se queres 8Gb ou 16Gb para o comprar…
        Depois o evento é apenas uma forma de apresentar um novo produto onde se fala apenas de algumas coisas, não é obrigatório revelar tudo se não eram um evento de 10 horas!
        Mas pronto… são visões de diferentes de ver a mesma coisa.

      • miguel says:

        Alguém faz ideia se os programadores vão ter acesso aos mesmos compiladores? e consola para correr comandos ?

      • Francisco Cirne says:

        O utilizador comum também não precisa de uma egpu, aliás a esmagadora maioria deles nem sabe o que isso é!

      • José Fonseca Amadeu says:

        As duas portas usb é olhar para as promo images de um lado de outro, certamente ninguém vai fazer isso.
        A RAM, quando estão no configurador para encomendar só têm opção de 8GB e de 16GB, também vai ser complicado o utilizador reparar nisso..

  6. Joana Santos says:

    Ppware, muitos parabéns. Em muito muito tempo é a primeira vez que vejo uma notícia digna de jornalismo. E não de fanatismo por produtos da maçã, neste site.
    Normalmente é só maçã no céu e Windows na terra…
    Agora sim.. Trabalho bem feito, todos os sistemas operativos têm vantagens e desvantagens.. Em um jornalismo idóneo.. Não pode haver preferências.
    Obrigado ppware. Fico feliz.. Continuem assim.

  7. Rui says:

    Sim, tem essas limitações, e a fonte disso tudo é a Apple, a Apple revelou.

    De qualquer forma, os benchmarks já saíram!

    O MacBook Air que nem ventoinha tem, bateria excelente e consumo do SOC (CPU e gpu) de 10W bate i9s e i10 de última geração!

    Isto é o processador mais fraquinho de toda a linha!

    Imagine-se como vai ser quando continuarem a sair mais processadores mais potentes!

    A Intel está arrumada a um canto, e a AMD nos processadores também!

    Isto é uma nova era!

    • José Carlos da Silva says:

      “A Intel está arrumada a um canto, e a AMD nos processadores também!”
      Então porquê? A Apple vai pôr os seus CPU’s no mercado para o utilizador comum montar numa custom-build? Ou num desktop qualquer pré-montado? Ou qualquer portátil?

      O M1 é excelente, mas lançaram o SOC deles, para eles, para os produtos deles e para o ecossistema deles. Portanto, blá.

    • Carlos says:

      Por acaso até é um regresso ao passado em que o ecossistema apple era incompatível com tudo o resto.
      Pelo menos nos computadores a intel ajudou e muito a apple a ganhar posição nesse mercado.

      • Lucas says:

        usar um processador de arquitectura ARM não se parece nada com ser incompatível com tudo o resto, ainda para mais quando até há computadores ARM com Windows.

        • rui says:

          se quiser windows não preciso de um mac ou de um arm. o SO é pouco relevante o que interessa é as aplicações que precisam de utilizar se foram x86 não corre em arms, se forem só para windows não corre em mac.
          para ir ao facebook não é preciso gastar 1000€

    • iDroid says:

      E o pessoal que precisa do 3ds Max (que só funciona em windows) e 32GB de RAM são basicamente o mínimo para se poder trabalhar decentemente? Isto para falar num só exemplo.

  8. rodrigo says:

    Essa limitação pouco interessa aos utilizadores comum…mas ninguém fala dos 20 horas de reproducaco de video? 20 HORAS?!?! NUM PORTATIL?

    • Carlos says:

      Há quem acredite em milhares, no Pai Natal, na Fada dos dentes, etc., mas que tem o mínimo de conhecimento nesta área, sabe perfeitamente que a performance está directamente ligada ao consumo de energia e normalmente o aumento da autonomia dos equipamentos reflecte mais a maior eficiência das baterias do que um menor consumo.
      Não digo que não seja possível, conceber processadores cada vez mais rápidos com menor consumo, mas há realidades inultrapassáveis.
      Eventualmente teremos software escondido como o que existe nos Iphones para reduzir o consumo a custa do processamento.

      • Lucas says:

        ????? “eficiência das baterias”????? és capaz de explicar tal coisa!?????
        A bateria do novo MacBook Pro tem a mesma capacidade do modelo anterior com processador Intel. A “duração” da bateria reflecte uma redução no consumo, e isso advém em grande medida da maior eficiência do novo processador neste tipo de tarefa.
        Performance só está directamente relacionada ao consumo de energia quando analisas processadores idênticos. Numa comparação entre processadores significativamente diferentes, maior performance não implica maior consumo! Não há falta de exemplos ao longo dos anos de melhorias na eficiência energética dos processadores.

      • rodrigo says:

        qual software escondido? queres dizer o gerenciador de bateria que todos os sistemas operativos tem?

    • rui says:

      passado 1 ano quero ver essas 20 horas. porque se andar a ver 20 horas de video por dia basta 1 pc de 200€ já que não vai fazer mais nada

  9. Sérgio Silva says:

    “Outa mudança que foi descoberta agora com o lançamento do M1 foi a presença de apenas 2 portas USB-C no MacBook Pro. Apesar de ser o mesmo número existente no modelo mais básico, que substitui, teria sido interessante ver uma atualização nesta área.”

    Primeiro dizem que é “outra mudança que foi descoberta” para logo a seguir dizerem “ser o mesmo número existente no modelo mais básico, que substitui” Afinal mudou ou não?
    Parece-me ser mais uma expectiva que tinha, visto dizer “teria sido interessante ver uma atualização nesta área”

    • Lucas says:

      sem dúvida! Creio que há muita gente que raciocina como se a Apple só vai ter um único processador para Macs, e que não vai ter mais Macs com melhores características! Isto é apenas o início, e começaram pelos modelos mais básicos.

  10. Hugo says:

    Convém referir que a gestão de RAM destes novos SoC é muito diferente do habitual. Pela própria arquitetura do die, a memória é incorporada no chip, o que aumenta a disponibilidade e principalmente eficiencia do uso de espaço ( requer menos cópia de dados etc )

  11. O bastardo says:

    1) não tenho nenhum aparelho Apple
    2) tanta importância com eGPU quando nem 0.001% das pessoas com PC com TB usam um eGPU?! Lolol
    3) essa limitação é do software e pode ser adicionada
    4) a não expansão da RAM é importante em desktop, num portátil ou tablet muito menos. Neste caso 16 GB RAM num Mac e para a potência destes chips, chega perfeitamente. Basta ver o que os iPad Pro permitem com uma fracção…

  12. claudio says:

    Maioria dos fãs da Apple e as pessoas que começaram agora a adquirir produtos Apple, nao perceberam nem querem percceber que a Apple desde que o Sr Steve Jobs faleceu, nunca mais foi a mesma, não há criatividade, nem bom senso nas atitudes que tomam perante a construção do aparelho, e gozam com o publico fazendo aparelhos com nada de inovação e ainda colocam componentes obsoletos dando a ideia que é melhor quando nao é.
    Marca cara que não vale o dinheiro. A Apple adora enganar e o povinho corre atrás, a afundar o pouco que tem numa marca que já deu o que tinha a dar. Falem mal das marcas chinesas mas ao menos inovam e dão provas que conseguem superar.

    • rodrigo says:

      Lol sim a culpa ‘e do Steve Jobs que morreu! Nunca deveria ter morrido n’e? Mas aposto que nao gostavas da Apple mesmo quando ele estava vivo.
      ‘Es mais um que nao percebe nada de nada mas acha que sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.