Quantcast
PplWare Mobile

iOS 15: App Encontrar permite que o utilizador descubra dispositivos desligados ou apagados

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Mike says:

    Deixa-me ver se sei fazer isto:

    Snowden – “The government can track your phone, even when it’s turned off!”

    Everyone – “Delusional… No way stupid… impossible… you got mommie issues… that’s not how electricity works… blah blah blah”

    Apple – “You gonna love this new feature… (Drumroll) You can now locate your phone even when it’s turned off! Ta-dah!!!”

    \/

    • iAndroid says:

      And? Who gives a S*** about that?

      • Rafilda says:

        primeiro gozam e dizem que é mentira. Depois dizem “ninguém quer saber, qual é o problema, sempre foi assim”

        méeeeeeee

        • iAndroid says:

          Still, who gives a f***? Não utilizas Facebook da vida, ou googles das vida? Who cares about this? Ja sabem e ja onde eu ando, assim ao menos tambem sei onde anda o meu iPhone, lol

    • Keyboardcat says:

      Basicamente funciona como um simples beacon bluetooth. Semelhante as Apple Tags. É claro que a bateria não dura para sempre, mas pelo menos aguenta uns bons dias nesse modo.

      Só vai fazer os iPhones menos apreciáveis de roubar (o iCloud lock já ajudava bastante).

      Não percebo o teu comentário, visto isto ser uma função especifica que pode ser desligada. E podes simplesmente detectar com um simples receptor de Bluetooth se um dispositivo esta e emitir. Isto não é nenhuma tecnologia nanobot kind of crap colocada em vacinas que recebem 5G que o pessoal gosta de inventar ultimamente.

    • Tadeu says:

      … também podes desligar a função!
      … a localização só é possível de ser desencriptada num aparelho que pertença ao dono!

      Nota: ainda não se sabe se isto se refere realmente a localização enquanto o aparelho está desligado ou apenas a reportar a última localização antes de desligar

  2. PoisESeguranca says:

    Apple paga milhões a cliente depois de técnicos usarem o seu telefone para publicar vídeos explícitos online.
    https://www.theguardian.com/technology/2021/jun/07/apple-settles-iphone-explicit-images

    • Vítor M. says:

      Repara que esse caso reforça o que a Apple quer, segurança e privacidade. Quem furou o esquema foram funcionários de uma empresa terceira autorizada a fazer reparações. Contudo, a Apple, como era da sua rede, assumiu a sua quota-parte de culpa. Agora imagina a quantidade de outros casos que acontecem e que nada tem a ver com a Apple (lojas de vão de escada), ninguém assume a responsabilidade. Claro que depois a Apple, certamente, foi em cima da empresa que furou o contrato de privacidade e confidencialidade, porque nestes casos a empresa tem mão pesada, como ainda vimos há uns tempos, que um outro caso levou à prisão um prevaricador.

      Mas, lá está, aqui a Apple tem mesmo de se atravessar, depois que cobre de quem prevaricou, mas pelo menos assume que tem um compromisso de confidencialidade, não deixou as coisas “ao Deus-dará”. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.