PplWare Mobile

Alphabet, a casa-mãe da Google já tem mais dinheiro nos cofres do que a Apple


Fonte: Financial Times

Desenvolveu desde cedo o gosto pela escrita e comunicação. Em leis formado, tem como hobbies a aquariofilia e a música. Mas é na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e no Pplware a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.

Destaques PPLWARE

  1. SANDOKAN 1513 says:

    FTW GOOGLE !! 🙂

  2. Fixo says:

    Mais rico é ter “mais fundo de meneio, ou seja, mais dinheiro nos cofres” ? 😉
    A Apple fechou o dia 1 de agosto a valer 944,5 mil milhões de dólares e a Google 839,7 mil milhões

    • Zec says:

      A Alphabet não é a Google.

    • Vítor M. says:

      Duas muito ricas. Mas qual será mais volátil, as ações ou o dinheiro em cofre? 😉

      Abr.

      • Fixo says:

        O dinheiro é um ativo como outro qualquer. O que vale mais – a parte da Intel que a Apple comprou, que tem 2000 trabalhadores, ou o dinheiro que a Apple deu por ela? O que conta num ativo é a rendibilidade – se a a Apple conseguir um rendimento que justifique o investimento, o que comprou à Intel valia mais do que o dinheiro que gastou. Se não conseguir – perde dinheiro.

        Quanto ao dinheiro que a Google tem em caixa – depende do que quer fazer com ele. Se estiver a juntar para pagar a multa de 1,5 mil milhões de euros que a UE lhe aplicou – o que tem em caixa ainda não chega. E, nesse caso, não estava rica – não pagou foi as divida ainda. E quando pagar não fica nem mais rica nem mais pobre – reduz um passivo (a dívida) e reduz um ativo (dinheiro).

        • Fixo says:

          Correção – a multa que a UE aplicou à Google em Maio, de 1,5 mil milhões de euros, representa apenas 1,4% do dinheiro em caixa.
          São uns trocados.

        • Vítor M. says:

          Claro, sem dúvida, mas aqui estávamos a falar qual será nos dias de hoje o “dinheiro” mais seguro, se o correspondente em títulos no mercado bolsista ou dinheiro nas contas bancárias. O resto, sim tens razão claro.

      • Cortano says:

        Depende de onde têm o dinheiro.
        A Apple com grande parte do seu dinheiro em offshores para fugir aos impostos, acaba por ter esse mesmo dinheiro parado. No dia que o quiser levar para os EUA, lá se vai grande parte desse mesmo dinheiro.

        Provavelmente a Alphabet terá também uma boa parte do seu dinheiro em offshores.

        Não é que seja ilegal, mas as offshores não foram criadas com este propósito, por isso, no final da linha, estas empresas estão a fugir aos impostos, e isso é crime.

        • Vítor M. says:

          Fala a voz de quem sabe… aqueles senhores são uns tolos, malandros… 😀 meu caro, sabes lá tu onde eles têm o dinheiro 😀

          Abr.

          • Cortano says:

            Não estava a atacar a Apple, estava a falar de uma situação que as empresas usam para fugir aos impostos.
            Seja Apple, Alphabet, Amazon, Microsoft, etc… ou até a Jerónimo Martins…

            Onde a Apple tem o dinheiro? Em subsidiárias fora dos EUA (lembraste do caso Irlanda?!)

            Não são tolos, mas são malandros.

            Se tu concordas com essas práticas, ok… é a tua opinião.
            Eu não concordo.

          • Vítor M. says:

            Não disse que estavas a atacar quem quer que fosse, tu disseste que a Apple é criminosa “A Apple com grande parte do seu dinheiro em offshores para fugir aos impostos…” (ora quem foge aos impostos comete um crime, quem comete um crime é um criminoso) foi isso que levianamente apontaste à empresa em causa. Mas quem fala assim…

            Não precisas de te justificar tanto, até porque o caso da Irlanda não foi uma situação promovida pela Apple. Foi sim um acordo entre o Governo da Irlanda e a Apple (seguramente o facto de a Apple ter base logística pesou no acordo) e que, segundo as regras da UE não era legítimo esse regime de exceção fiscal. Como resultado a Apple teve de pagar o que pagaria se no tempo em que esteve nesse regime fiscal não estive. Não fugiu a Apple a nada, não mistures 😉

            Também acho que não é de bom tom estares a insinuar publicamente que a “Apple, Alphabet, Amazon, Microsoft, etc… ou até a Jerónimo Martins…” fogem aos impostos. Se sabes algo concreto, denuncia. Caso contrário….

            Quanto à minha opinião, ela refere que não concordo com essa tua difamação… acho até que falaste e escreveste sem pensar.

            Abr.

          • Cortano says:

            E já agora, a volatilidade ou interesse por parte dos investidores tem muito pouco a ver com o dinheiro que têm no cofre… aliás, isso até é um bocado irrelevante.

            Os investidores apostam em empresas com boas perspectivas no futuro.
            Basta ver a Tesla, que “não tem um centavo” em cofres e é das empresas que mais capital recebe de investimentos.

          • Vítor M. says:

            Era interessante ouvires, por exemplo, esse lado, mas na boca dos fornecedores 😉 Era interessante perguntar, por exemplo, a empresas como a Continental Mabor… se está a correr bem o negócio com a Tesla. Era interessante perceber.

            Mas pronto, lançar umas ideias e tal faz parte.

          • Cortano says:

            “Foi sim um acordo entre o Governo da Irlanda e a Apple (seguramente o facto de a Apple ter base logística pesou no acordo) e que, segundo as regras da UE não era legítimo esse regime de exceção fiscal. ”

            Oh Vitor, vamos ser sérios e meter de lado a eventual preferência por certas marcas em deterimento de outras.
            Obviamente que para a Irlanda o facto da Apple ter lá a subsidiária que recebe todas as receitas da Apple fora dos EUA (e dos EUA também), é vantajoso!!
            O acordo agrada a ambas as partes, como é óbvio. Não agrada à UE nem aos EUA, como é óbvio, porque perdem milhões em impostos.
            Não vamos ser anjinhos e só porque tu gostas da Apple, vais permitir todos os truques para fugir a impostos – eles fugirem aos impostos dos EUA estou a lixar-me, fugir às obrigações na UE já me afecta.
            A Apple fugiu e continua a fugir, e repito, tal como a Alphabet, a Microsoft, Amazon, etc. Todas as top 10 electronicas fazem o mesmo.

            O problema da Tesla com empresas não tem nada a ver para o caso. O facto é, e bem sabes, a Tesla vive de investidores e eles não param de crescer. Ninguém quer saber se o saldo da Tesla é -x mM€ ou não.
            Já escreveste artigos suficientes sobre a Tesla para saber disso.

            No artigo diz que a Apple tem nos cofres 92 mM USA. Isto nem corresponde a metado do bolo total da Apple tem em cash.

            Legalmente, nenhuma das empresas foge a impostos. Mas a verdade é que se aproveitam de situações que foram criadas para outros propósitos. Legalmente não estão a cometer nenhum crime, mas moralmente estão, e bem grande.

          • Vítor M. says:

            Não tem nada a ver o gostar ou não, até porque quem incriminou aquela marca, entre outras, foste tu não eu (por mim a Apple ou qualquer outra têm de cumprir como eu cumpro, ponto). Depois os outros argumentos que usas é para virar o bico ao prego. Se há um acordo entre um governo e uma empresa, não é fugir aos impostos porque foi ratificado pelo governo do país, que tem direitos constituídos na república em causa. 😀 tu não gostas da marca e disparas assim uma acusação grave e eu é que gosto da marca 😀

            Quanto à Tesla, eles não vivem dos investidores, estás enganado. Eles vivem dos fornecedores 😉 e se não pagares aos fornecedores, não tens peças para fabricar os carrinhos. Um caso interessante é o da Panasonic 😉 que veremos mais adiante. Informa-te.

            Por fim, já estás a corrigir a mão, legalmente se não fogem, o que fazem é algo que não é fugir aos impostos, mas sim usar mecanismos que estão disponíveis, de forma legal para minimizar o pagamento de impostos. Moralmente até podes ter razão, mas…. não é isso que está em causa 😉

          • Cortano says:

            Agora, se me perguntares se o sistema de taxação dos EUA é correcta na forma como cobra as empresas nos lucros obtidos fora, eu diria que não.
            Diria até que se estes esquemas ajudarem a enervar o Trump, então melhor.
            Espero até que a Apple continue a exercer pressão sobre o Trump acerca da produção nacional do hardware Apple.
            Se a Apple tem poder sobre esse tema, que o exerça.

          • Vítor M. says:

            Ui, mexeste em coisas estranhas “Trump, sistema de taxação, lucros, EUA”… achas que com esses vais a algum lado? Esquece,…

          • Cortano says:

            Claro que é fugir! Com ou sem acordo, porque é que achas que as empresas criam subsidiárias com “meia dúzia” de empregados?
            Porque é que os lucros obtidos fora dos EUA não são enviados para a sede?
            Desculpa, mas estás a desculpar uma manobra financeira para contornar cobrança de impostos.

            Todos os analistas financeiros já demonstraram que está prática existe, e tu dizes que está tudo bem?

            OK…

          • Vítor M. says:

            Tu deves saber algo… hmmm com essa conversa… tu deves estar infiltrado nas finanças dessas empresa. 😀 Porque algumas entidades, um exemplo é a CE, estão sempre de olho, e se notarem algo fora da régua… estas empresas levam pela medida grande, mesmo não sendo um crime, mesmo sendo apenas algo que não estava conforme, mediante as regras comunitárias, como foi no caso da Irlanda. Portanto, como não se tem ouvido falar nada, és tu a assumir algo nesse sentido mais perverso (e acusas até as empresas de serem criminosas). Por fim, pronto, se falas em nome todos os analistas financeiros. De certeza que sabes algo…

            Bom fim de semana. Abraço.

        • Rui says:

          Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele, e depois vence-te em experiência…
          Eu já desiti do Vitor.

          Paciencia ele vive num mundo perfeito onde os grandes comem os pequenos e onde quem tem mais dinheiro é o melhor, um dia verá que vive lá sozinho, ou talvez com o Trump…..

      • Cortano says:

        Já agora, a Microsoft também tem um Subsidiária na Irlanda para os mesmos propósitos, e eu sou igualmente contra.

        • Vítor M. says:

          Tu seres contra, estás no teu direito, o que não está no teu direito é acusares as empresas de serem criminosas porque, supostamente, achas que fogem ao pagamento de impostos. Isso é outra coisa.

          • Rui says:

            Nao achamos que as empresas fogem, todos temos a certeza.
            Se o imposto a pagar e de C e consegues pagar apenas Y e todos os outros pagam C, algo está errado.

            Engenharia financeira como é conhecida deveria ser crime.
            E quando tu vens defender Essa posição atacando quem a defende com argumentos do tipo “ti deves saber algo”, “caso fosse esse o caso a comunidade já teria agido” mostra que vives num mundo pouco real.
            A comunidade como tudo na sociedade vive em função de interesses, países mais ricos e poderosos ditam as regras e quebram as regras como da jeito.

            A Irlanda e outros países como Inglaterra e Holanda fazem esquemas fiscais para concorrência desleal, ou nunca te perguntaste como importas algo dos Estados Unidos e vem via Inglaterra sem pagar alfândega? Achas isso legal?
            Sabes certamente que na comunidade e ilegal ter superávit e a Alemanha durante a crise sempre teve sem ser penalizada.
            Sabes que outros países por bem menos pagaram multas.

            O problemas e que não podemos exigir regras para todos e só cumprir se formos obrigados
            No caso em questao as empresas e estados fizeram regras diferentes para si, obtendo benefícios para si próprios.

            E a mesma coisa que os deputados aprovarem subvenções vitalícias com 4 anos de trabalho para si próprios, não foi ilegal mas quanto a mim deviam ter sido todos presos.

          • Vítor M. says:

            Tens a certeza que as empresas fogem aos impostos? É a tua ideia. Mas olha que não é bem assim, os mecanismos que são usados não lhes permite fugir aos impostos. Podem sim minorar esses encargos com outras ações e ferramentas, tal como te dei a conhecer no comentário anterior.

            A tua visão sobre economia e fiscalidade não é real, isso que dizes só nas novelas “Se o imposto a pagar e de C e consegues pagar apenas Y e todos os outros pagam C, algo está errado.” Está errado? Então tu tens C de impostos para pagar, contudo, fazes um acordo para trazer mais-valias no que toca a emprego, mais investimento e com isso podes passar a pagar Y (sendo Y de menor valor), achas que isso é errado? 😀 Rui… não digas disparates 😉

            HAHAHAHA “Engenharia financeira como é conhecida deveria ser crime.” tu misturas alhos com bugalhos. Engenharia financeira nada tem a ver com crime. O que resulta de algumas ações e que são à margem da lei, isso é que é crime. Não mistures o que desconheces.

            “E quando tu vens defender Essa posição atacando quem a defende com argumentos do tipo “ti deves saber algo”, “caso fosse esse o caso a comunidade já teria agido” mostra que vives num mundo pouco real.”

            Eu não sei de nada, quem acusou de fugir aos impostos algumas empresas citadas não fui eu. Tu seguramente se acusares alguém de cometer crimes e não conseguires provar, porque não sabes, apenas mandas bitaites, tu ficas a braços com a lei. Tem cuidado, na tua vida acusares alguém ou alguma organização pode sair-te caro. Mede as palavras.

            “A comunidade como tudo na sociedade vive em função de interesses, países mais ricos e poderosos ditam as regras e quebram as regras como da jeito.” Lá estás tu a meter alhos com bugalhos. Essa tua frase, que serve para qualquer coisa, justifica ou explica o quê?

            Factos, o mundo vive com factos e não suposições ou acusações infundadas. Já imaginaste os milhões de funcionários que aquelas empresas, em causa no comentário incriminatório do Cortano, empregam? Pensa em tudo o que elas significam para levianamente tu ou alguém apontar como criminosas. Isso não cabe na cabeça de ninguém. Aliás, estamos aqui a perder tempo, espero que pelo menos tires algo de valor no tempo dispensado. Porque não estás a respirar e isso não te deixa pensar no que estás a dizer. Para ti tudo o que ganha dinheiro, que tem lucros… é criminoso? A sério?

            “A Irlanda e outros países como Inglaterra e Holanda fazem esquemas fiscais para concorrência desleal, ou nunca te perguntaste como importas algo dos Estados Unidos e vem via Inglaterra sem pagar alfândega? Achas isso legal?”

            Legal é, porque foi aceite pelos pares. Diz-me, por que razão o fazem e tu, no teu alto conhecimento, dizes que é ilegal? Porque achas tu que eles têm isso?

            Depois no resto do teu texto, voltas a misturar coisas sem nexo. Que raio tem a ver o que está em conversa com “subvenções vitalícias dos deputados?” Fica bem.

          • Rui says:

            “Tens a certeza que as empresas fogem aos impostos? ” sim tenho até porque já trabalhei para várias multinacionais onde eram usados esquemas para pagar menos impostos.
            Se pagas menos impostos do que uma empresa concorrente não estarás a fugir aos impostos?
            Poderia dar-te varios exemplos dessa engenharia financeira, mas tu és a prova viva de que o pior cégo é o que não quer ver.

            Sabias por acaso que uma grande empresa fruto desses beneficios fiscais como lhe chamas paga menos impostos do que uma pequena ou média empresa?
            Achas isso justo?

            Achas que um argumento do genero “empregam milhares de pessoas” logo devem ser protegidas faz sentido?

            Dou um exemplo grupos como a jeronimo Martins e o Continente empregam milhares de pessoas, na verdade se em vez das grandes superficies existissem as antigas mercearias empregariamos muitas mais pessoas. Logo até são empresas que desempregam.

            Da mesma forma que quando dás beneficios fiscais a grandes empresas com o argumento que vão criar muitos postos de trabalho e passados uns anos tens de lhes voltar a dar beneficios com o argumento de que senão fecham e vao centenas para o desemprego.

            Ajudar os grandes em nada beneficia a economia e só os grandes podem recorrer a engenharia fiscal.

            Já trabalhei em empresas onde um departamento cobrava o uso de laboratorios ou escritorios a outro departamento, para gerar despesas e pagar menos impostos, não acho correcto esse uso de truques que podem ir desde esse simples empolar de custos aos acordos milionarios.

            Neste momento encontra-se em debate a imposicao de impostos locais a tecnologicas que prestam serviço via internet.
            Acho completamente justo.
            Tu pela forma obtusa como pensas deves pensar correcto uma multinacional qualquer ter sede num paraiso fiscal e vender a partir de lá para todo o mundo ficando isenta de tributacoes como IRC e mais valias.

            A comunidade não aje porque 90% das pessoas não imagina o que se passa e assim 1% vai fazendo o que quer do resto do povinho, ficam 8% a lutar para bem de todos, e nesses 8 ainda temos pessoas como tu formatadas para um pensamento e incapazes de pensar por si.

            Quanto ao acusar nunca fui cobarde, nunca tive medo de nada, continuo igual a mim proprio a defender o bem de todos e nao apenas dos mais ricos.

            Mais tu é que misturas alhos com bugalhos eu disse que a engenharia financeira devia ser crime, e garanto que só não é porque os nossos politicos normalmente defendem os interesses de quem lhes pode trazer beneficios e raramente o interesse de todos…

            Dou-te um exemplo actual, provavelmente pensas que a greve dos camionistas é ma e que eles são uns aproveitadores.
            Eu penso o contrário penso que se ganham 1.400€ devia vir declarado 1,400€, e que as empresas deveriam ter fiscalização das finanças e da segurança social a perguntar porque usavam esquemas como tu dizes legais de fugir aos impostos.

            Seria melhor para todos que esses impostos fossem cobrados, um dia podes precisar de um subsidio de desemprego.
            Sabes é complicado um motorista receber 1.400€ e ter um acidente que o deixe incapaz e ficar a receber 700€.

            Pensa um pouco nos outros e nao somente em ti.
            Quanto ao exemplo da Irlanda ser legal porque foi aceite pelos pares deste um tiro no pé com um canhão.
            Na verdade não foi, tanto não foi que foram obrigados a pagar os impostos.
            E já agora que dizes do superavit da Alemanha, tambem nao é legal mas ainda hoje o fazem.

            E o que dizes de eles aprovarem uma lei interna que lhes permite expulsar qualquer cidadao que nao trabalhe á mais de três meses, mesmo comunitários e depois abrirem as portas aos refugiados mas neste caso as portas da Europa?
            Eu até sou a favor de ajudar os refugiados, mas deveriam ser quem lhes destruiu o pais os primeiros a ser obrigados, os europeus foram quem menos culpa teve e quem mais acolheu.

            A conversa das subvencoes vitalicias serve para te mostrar que quem pode muitas vezes torna legal o imoral como foi o caso das subvencoes vitalicias.

            Mas já vi que esperava demasiado de ti e nao correspondeste intelectualmente daí o ter de te explicar…..
            Abraço e pensa por ti, fpoge dos dogmas e do jornalismo de google translator que hoje em dia temos….

          • Vítor M. says:

            Rui Rui Rui Rui….

            Para finalizar este peditório:

            Dizes que as empresas em causa, que foram acusadas atrás, fogem aos impostos. Mas dizes coisas como “já trabalhei para várias multinacionais onde eram usados esquemas para pagar menos impostos.” Tu então ajudaste a cometer crimes, é isso? Hmmm….

            Mas depois tu dizes cada uma 😀 “Se pagas menos impostos do que uma empresa concorrente não estarás a fugir aos impostos?” A sério que tu achas isto?

            Uolha… bom fim de semana.

          • Cortano says:

            @Vitor: Desculpa, estás a ser anjinho neste assunto.
            Fico-me por aqui, não vale a pena alimentar esta conversa quando tu negas à partida algo óbvio.

            Abraço

          • Vítor M. says:

            Tu estás a dizer que as empresas em causa são criminosas. Aqui o anjinho não sou eu, mas de certeza que não.

          • Cortano says:

            Pareces o Trump a dizer que não há aquecimento global porque não sei onde está frio…

          • Vítor M. says:

            Tu sim, aliás, aquela faceta de inventar cenários inexistentes é tal e qual 😀

    • Toni da Adega says:

      Que se saiba sim, ter mais dinheiro disponível é ser mais rico. O valer x não é dinheiro que esteja disponível.
      O que não falta por aí são empresas que supostamente valem milhões em bolsa e depois estão quase na falência e sem dinheiro.

  3. Joao Ptt says:

    Já dava para pagar cerca de 40% da dívida externa portuguesa… que anda nos mais de 278 mil milhões de euros.
    É pena não ser uma empresa portuguesa, assim o parlamento poderia fazer uma lei qualquer para exigir o pagamento de tipo 90% dessa liquidez… tudo pelos mais desprotegidos claro, e pelo bem social ou qualquer outra treta.

    • Vítor M. says:

      Se nenhum fosse desviado certo? .D

      • Rui says:

        Ui vitor, quando as empresas te agradam usam meios legais para pagar menos imposto e está tudo bem.
        Olha que dirias de um cidadão que tendo uma grande empresa contrata um gestor fantoche, mais tarde fecha a empresa sem pagar a fornecedores e ao estado.

        Fugir de pagar obrigações e crime.
        Usar truques legais muitas vezes propositadamente colocados na lei não torna essas empresas idóneas

        • Vítor M. says:

          Lá está a claque do Cortano anti-apple. 😉 ele tocou a rebate e….

          Viva Rui. Eu nem referi que a Apple ou qualquer outra tinha fugido a pagar impostos, quem disse isso não fui eu 😀 vê lá tu como estás enganado 😀 incrível. O Cortona é que disse que aquelas empresas cometem o crime de fugir ao pagamento de impostos, até porque eu não sei se fogem ou não, mas se fugissem já teriam sido sancionadas pelas entidades. O que foi explicado foi o caso da Irlanda que o Cortano, que não deve ter lido o assunto, misturou tudo… 😉

          Repara o disparate, onde já levas a conversa sem qualquer noção “Olha que dirias de um cidadão que tendo uma grande empresa contrata um gestor fantoche, mais tarde fecha a empresa sem pagar a fornecedores e ao estado.” Eu não digo nada, que digam as autoridades a muitas que vemos por aí, há exemplos bons no nosso país. Contudo, isso nem está em causa, nem sequer é parecido com o que ele disse.

          Cump.

          • Rui says:

            Nao e anti apple nem anti nada, sou a penas a favor da justiça fiscal.

            Achas correcto uma empresa e já agora um estado como foi o caso da Irlanda chegarem a um entendimento em que essa empresa paga menos impostos do que as outras?
            Achas correcto que um estado da mesma comunidade cobre menos impostos a empresas “amiga”
            Eu chamo a isso concorrência desleal, tanto da empresa que pagando menos impostos do que a concorrência fica beneficiada, quando do estado em questão que recebendo menos impostos atrai deslealmente essas outras empresas.
            Compreendo que certas regiões possam ter impostos mais baixos para favorecer o investimento e a fixação em zonas menos apetecíveis.

            Não pode e ser sem regras e muito menos apenas para algumas empresas.

            Esquece la essa tua fixação por Apple vê não Apple.
            O que está em causa e a justiça fiscal.

          • Vítor M. says:

            Bom dia Rui. Aaaa tu és a favor da justiça, mas estás a dizer que os outros não são. A tua interpretação de justiça é um pouco bizarra, porque os acordos comerciais nada tem a ver com a justiça que apregoas. Repara:

            “Achas correcto uma empresa e já agora um estado como foi o caso da Irlanda chegarem a um entendimento em que essa empresa paga menos impostos do que as outras?”

            Acho claro. Dentro de uma economia, claro que sim. A questão dos impostos pode trazer contrapartidas noutros setores. Claro que acho que algumas empresas paguem menos impostos se, por exemplo, trouxerem mais emprego, mais exportações, mais atividade nos vários ramos por onde gravitam. Mas é assim que o mundo gira, meu caro, tu é que não deste conta. Por exemplo, em Portugal, a Autoeuropa, assim como muitas outras empresas, tem certos benefícios fiscais face a outras empresas no mesmo país. Porque têm outras responsabilidades. Não sabias disso?

            “Achas correcto que um estado da mesma comunidade cobre menos impostos a empresas “amiga””

            Esta não percebi, empresas “amiga”, o que quer isso dizer? As empresas neste tipo de acordos nada têm a ver com amizades 😀 aqui o que está em causa é dinheiro. A Irlanda tem em Cork um fulcral trunfo. Para teres noção Cork é a sede europeia da Apple, onde a empresa produz muitos produtos e de lá, servem os clientes em toda a Europa. A Apple tem muitos milhares de funcionários que direta ou indiretamente, fazem daquela cidade uma das mais importantes do país. O país ganha muito com isso, e como tal, a Apple e outras empresas lá estabelecidas, como a EMC Corporation (que tem 1.600 trabalhadores empregados), têm benefícios fiscais para ser atrativo. Aqui não há amigos 😉

            O resto que dizes são só disparates.

          • Rui Machado says:

            Uau Vitor, perdoa nao te responder no topico, mas cada vez que tu me respondes nao tem opcao de resposta pelo que aproveito outros.

            Continuo a dizer que vives num mundo proprio, nao me revejo nesse mundo.
            O teu argumento de resposta
            “O resto que dizes são só disparates. é o maior disparate pegado, quando nao se tem argumentos finaliza-se assim as conversas.

            Para te responder mais uma vez apresento argumentos.
            Ora tu defendes que devemos favorecer uns em detrimento de outros e que isso nao só é justo como é legal.

            Acho que ja te provei que se fosse legal a Apple e a Irlanda nao tinham sido obrigados a pagar os respectivos impostos.

            Uma coisa é fazermos acordos que nos beneficiam prejudicando os outros outra coisa completamente diferente é sermos justos.

            Dentro de uma economia na verdade nao faz sentido beneficiarmos uns só porque são grandes em detrimento dos menores.
            Vives numa falácia, as empresas grandes nao são santos nem devem ter tratamento privilegiado,.
            Quando falas de contrapartidas penso sempre no caso dos submarinos e outros onde as contrapartidas nunca foram cumpridas….

            Exemplo pratico, umaempresa tipo Autoeuropa negoceia com o governo a instalacao de uma fabrica que cria milhares de empregos, como tal reduzimos os impostos a essa fábrica para que ela crie esses postos de trabalho.
            No teu mundo é tudo optimo e devemos até cobrar praticamente zero de impostos para termos como contrapartidas os postos de trabalho.

            No meu mundo onde se pensa um pouco nas coisas teriamos de analisar muito bem as contas e nunca poderiamos assistir a uma reducao de impostos, poderiamos até oferecer o local para se instalarem, construir infra estruturas de apoio mas nunca reducao de impostos.

            Certamente chegas a ouvir falar do caso do queijo limiano?
            Certamente so recordas a polemica artificial em trono do assunto e do respectivo deputado.
            Caso nao saibas eu explico, a fabrica desse queijo instalou-se em Ponte de Lima, criando postos de trabalho, como contrapartida teve impostos reduzidos.
            Nessa epoca e caso quisesses ter uma fabrica de queijo implantada la pagarias mais impostos e terias a concorrencia desleal daquela fabrica.
            Quando os impostos finalmente puderam ser subidos, fruto do fim do contrato a empresa pura e simplesmente fechou e mudou as instalações negociando com a nova camara novas condicoes de nao pagamento de impostos.

            Em suma por ti estava tudo bem, por mim está tudo mal pois essa empresa porta-se como uma sanguessuga explorando o poder local e beneficios fiscais enquanto pode e mudando de zona quando perde esses beneficios.
            Isso é terrorismo empresarial, constroi postos de trabalho e destroi ao fluxo do dinheiro.

            Eu tambem tenho uma empresa e nunca recorri por principio a finaciamentos para empresas contra os quais sou totalmente contra.
            E pelo que vejo grande parte dos projectos aprovados destinam-se a simplesmente sangrar o estado, poucas sao as empresas com projectos serios e que aproveitam esses finaciamentos.
            Eu tambem sofro na pele a concorrencia desleal de quem monta um negocio, pede um apoio de um fundo, trabalha sem margem de lucro pois o dinheiro nao custou a ganhar e tenta destruir quem trabalha correctamente. Felizmente eu tenho continuado a crescer e alguns desses apoiados já fecharam.
            Enquanto estiveram abertos muitos deles estiveram varios anos a nao pagar seguranca social, a ter apoios da banca e dos fundos europeus, eu pelo meu lado paguei os impostos certinhos fossem eles PEC ,PC, IRC ou segurança social. Fui sempre o mais pequeno mas nunca despedi ninguem.
            Claro que tu achas é que devemos continuar a ajudar quem promete sem nunca vir a cumprir.

            És muito novo e com interesses que te obrigam a pensar e agir de determinada forma, eu por meu lado sempre me recusei a ser o pinoquio, fosse por não gostar de mentir, fosse por nao gostar de ter cordelinhos a puxar os meus bracos e pernas…..

            Já agora Cork que tu tanto gostas é como Ilha de Man ou a zona franca da Madeira, truques autorizados que em pouco beneficiam as zonas onde estão pois muitas vezes grande parte dessas empresas sao fantasmas.
            O grupo Jeronimo Martins foi muito criticado pelo truque de mudar a sede para a Holanda por forma a pagar menos impostos.
            A comunicacao social fez grande alarido e transformou-os no mal, eu aí nao concordando com o que eles fizeram compreendo, porque nao foram os primeiros, muito menos os ultimos, e se eles têm culpa mais culpa têm a Holanda e a comunidade ao permitir diversos esquemas fiscais numa europa que se diz unida.

            Continuo á espera que me respondas se achas correcto que tu importes um artigo dos EUA e tenha duas opcoes de envio, uma normal onde as coisas passarão pela alfandega portuguesa e outro um metodo alternativo onde o ebay envia via inglaterra onde as coisas são embaladas como saindo de lá e enviadas para ti, fugindo ao controlo da alfandega nacional.
            Ganha os EUA e uma empresa sediada na inglaterra onde fazem o truque mistério, perde o estado que neste caso tambem és tu.
            Só falta dizeres que a culpa é do comprador que opta pelo mais barato……
            Gostei de demonstrar aqui alguns pontos de vista, não por ti que acredito nao teres capacidade de mudar e pensar mas por outros leitores que possam ponderar que podemos todos viver num mundo mais justo e quilibrado.

            Adoro viver na europa porque somos mais justos e menos parciais, tu deves preferir os EUA ou o Brasil, são escolhas mas felizmente podemos escolher……

          • Vítor M. says:

            De certeza que és uma pessoas cansada. Tens um discurso antigo e desalinhado.

            Para este peditório… já dei.

    • Luís Martins says:

      Em Portugal os nossos abençoados governantes inventavam um imposto para confiscar 90% dos lucros pois empresas com tamanhos lucros dão classificadas em Portugal como empresas que andam a explorar os trabalhadores e o povo por cá os “patrões” são rotulados de exploradores dos trabalhadores e são uns “malandros” por quererem pagar “poucos” impostos.

      • Rui says:

        Ter lucro não é crime, mas é moralmente criminoso ter lucros de milhões usando esquemas de fuga a pagamento de impostos e se for o caso pagando ordenados abaixo da média.

        As empresas como as pessoas só deveriam poder enriquecer até certo ponto, sendo os impostos contados aplicados exponencialmente ao ponto de a certa altura serem de 100%.

        Impediriam pessoas e empresas de se acharem todo poderosos por terem imensa riqueza.

        Impediriam muita corrupção e permitiriam a existência de mais empresas financeiramente saudáveis.

        • Rui says:

          Cansado está o Vitor mas duvido que dê para peditorios quando é incapaz de se ajudar a si próprio……

        • Luís Martins says:

          V.exa confirma todas minhas palavras , pois pensa que é justo confiscar os lucros das empresas que têm muitos biliões de euros de lucros , por outro lado tenho a certeza que V.exa pertence ao bando do povo que adora votar nos criminosos políticos e governantes que só sabem parir carradas de biliões de euros de dívida pública. Infelizmente o povo adora ser roubado e enrabado por impostos, adora ser e enganado e roubado por partidos políticos e por religiões que são puros bandos de mafiosos e ladrões organizados de forma a poderem assaltar o poder e as riquezas produzidas nos países . A humanidade ainda não saiu das cavernas continua com a mesma mentalidade dos homens das cavernas, agora organizados em tribus chamados de países e têm os tais bandos de partidos políticos e religiões para escravizar o povo.

  4. DrFrank says:

    É só para verem quanto valem os nossos dados pessoais. Por algum motivo o topo da lista de empresas mais ricas é liderado por “tecnológicas”.

  5. google says:

    E agora? Qual é o problema mesmo? Devemos ficar em pânico? Comentar como se fosse algo de muito importante para as nossas vidas?

  6. Nuno Almeida says:

    Qualquer gestor financeiro sabe que o fundo de maneio é para ter o mais baixo possível. Não estando a ver o resto das contas este indicador vale o que vale.

  7. Vítor M. says:

    A vida é feita de vivências e as vivências são recheadas de pormenor, de informação e de experiências, saber estas coisas mostra-nos como está o mundo que nos rodeia. Mas, claro, não há qualquer motivo para pânico, como referes, há sim motivo para olharmos o futuro e percebermos quem pode lá estar no cada vez mais envolvente manto da tecnologia e computação. 😉

    Cump.

  8. Jorge Carvalho says:

    Estranho , em janeiro de 2019 este era o montante que a Apple tinha de acordo com a apresentação de resultados :

    The company reports $245 billion in cash on hand compared with $237.1 billion the previous quarter.

    Abc

    • Cortano says:

      Nesses valores podem estar a incluir o dinheiro que tem em subsidiárias (offshores) – apesar de não se saber ao certo os valores que as empresas têm fora do EUA.

  9. Luís Martins says:

    As empresas que têm mais dinheiro neste planeta são o FED e o BCE porque têm rotativas especializadas a imprimir carradas de biliões de euros e dólares em poucos dias. Basta ver o que eles já imprimiram desde a crise do Crash de 2008. O grande problema é que quanto mais imprimem para tapar os buracos dos roubos e gestões danosas menos vale o dinheiro, por este andar daqui a 50 anos só se fala em milhões, casas a valer muitos milhões , salários de milhões de euros ou dólares Etc .

  10. Vasco says:

    Só para acrescentar uma nota importante: a quantidade de dinheiro em caixa da Apple tem diminuído substancialmente nos últimos tempos porque a empresa tem comprado as suas próprias ações. É uma forma de dar dinheiro aos investidores.

    • Luís Martins says:

      Correcto, é uma boa forma de valorizar as ações dos investidores , muito usada por empresas têm um grande fundo de maneio devido a terem muitos lucros.

  11. Turin says:

    Uma notícia da alphabet, torna-se uma da apple nos comentários.
    Deixem-se de “clubites”. Usufruam as notícias; cada um gosta do que gosta e ainda bem. Não podemos gostar todos do mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.