Quantcast
PplWare Mobile

5 dicas imprescindíveis para resolver a lentidão do seu Apple Watch

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. IKAROS says:

    Estas sugestões são extremamente subjetivas, dado que o efeito placebo entra em ação.
    Na realidade além de se ficar com um Watch com funcionalidade mais pobres e sem animações, a realidade é que provavelmente corre tudo à mesma velocidade.
    Gostava de ver um benchmark a mostrar que estas alterações de facto tornam o relógio mais rápido. Nem que seja um mísero segundo!

    • IKARAS says:

      Para veres isso tens de fazer tu a coisa. Cada iwatch é diferente e se tiveres certas apps poupas x se tiveres outras poupas y…. faz tu o teste e depois avisa o pessoal dos resultados.

  2. Pedro Pereira says:

    Uma que ajuda bastante é desligar as transições animadas. E não de perde nada de especial.

    • IKAROS says:

      Pedro, desligar as transições só serve para poupares uns míseros 250 milissegundos aqui e ali (dependendo da quantidade de animações).
      Na realidade não estás a tornar o relógio mais rápido.
      Em contrapartida ficas com um aparelho que perde um pouco do seu brilho.
      Eu pessoalmente adoro o detalhe incrível que a Apple mete nas transições. Por mim até eram mais lentas.
      Mas pronto, eu se calhar sou suspeito, pois adoro gráficos desde o tempo do Amiga

      • Vítor M. says:

        Se poupas tempo nalguns funções mais decorativas, claro que fica mais rápido (sim, nem que sejam 250 milissegundos). Claro que quem tem um Apple Watch Serie 3 e usa um série um com estas dicas não o vai achar rápido. Contudo, se alguém usar um série um e fizer estas melhorias, vai sentir diferente claro. Mesmo que não seja nada de estrondoso, que sabemos que não vai acontecer.

  3. Filipe says:

    Solução infalível para resolver a lentidão: não o comprar.

  4. lunatic2000 says:

    Mais um gadget com obsolescência programada. A cada actualização mais lento fica. E atenção que isto não é só nos produtos Apple que acontece!

    • IKAROS says:

      Eu pessoalmente até gosto das atualizações. Está sempre a ser valorizado. Por exemplo, o Watch OS original nem suportava Multitasking.
      Se a Apple continuar com o trabalho que está a fazer, daqui a cinco anos ainda é o relógio fantástico. O mesmo não se pode dizer pelo relógio Android, com quase zero updates na sua vida útil.

    • Vítor M. says:

      Mas isso não há equipamento que não fique lento… é uma utopia considerar que irá viver a vida toda com o mesmo desempenho do dia que nasceu. Se queres evoluir em funcionalidades, se queres mais informação disponível, se queres não fragmentar, então não vai haver forma. E claro, além disso a Apple (como todas as empresas… se não for assim, diga uma) quer ganhar dinheiro.

  5. TugAzeiteiro says:

    E que tal a Apple lançar algo que passado algum tempo fique lento? Ultimamente as palavras “Apple” e “Lento” aparecem cada vez mais em artigos e no dia-a-dia… coisa que não se lia/acontecia há coisa de 4/5 anos atrás! Estas actualizações trazem sempre algo mais…. daqui a uns tempos também vamos ter programa de troca de baterias do Apple Watch !? Sinceramente…

    • IKAROS says:

      É muito simples: não fazes updates, e daqui a cinco anos andas com um relógio que se comportava como há cinco anos atrás.
      Mas se não queres updates, o melhor é comprares um relógio Android barato. Aí poupas bastante cash.

      • TugAzeiteiro says:

        O problema dos updates é que geralmente trazem sempre “água no bico”… não te dão apenas novas/melhores funcionalidades, a Apple ultimamente tem um jeitinho especial para colocar o seu hardware lento para o pessoal ir comprar outro passado 2 anos, e é isso que eu critico. No caso do Watch… pelo preço que custa (semelhante a um relógio clássico bom) não pode passado 2 anos estar lentoooo…

        • IKAROS says:

          Não sabes do que falas:
          O Watch OS quando o comprei nem fazia multitasking, várias apps a correr em simultâneo.
          Originalmente a autonomia era até pior que hoje em dia.
          Não monitorizava o coração 24h/dia, não dava alertas de arritmias nem pulsação alta anormal, e no campo da multimedia nem sei por onde começar.
          A monitorização de exercício nunca esteve tão boa. Já deteta pausas no exercício, e muito mais.
          Demasiado para enumerar aqui.
          Comprei Apple e estou muito contente com as funcionalidades que me oferecem.
          Não voltaria atrás.

        • Vítor M. says:

          Traz água no bico? 😀 ò disparate. Então tu nunca atualizaste nenhum dos teus dispositivos?

    • Vítor M. says:

      São dos teus olhos, alias… sempre houve uma preocupação no que toca à modernização dos sistemas operativos. Estás agora, se calhar, mais atento à Apple 😉

      Mas qual sistema não fica lento mesmo sem atualizações? Basta perder desempenho da bateria, basta usar e instalar aplicações mal feitas. O que dizes não faz sentido (de ser agora mais que nunca, até porque agora a Apple tem mais dispositivos que nunca), o que faz sentido é haver evolução. Se isso tem um preço? Isso sempre foi assim. Mas repara que hoje um iPhone tem a performance igual ou melhor aos melhores Android.

      Depois a realidade do mercado diz-nos que muitos gadgets são tão fracos que as pessoas nem se dão ao trabalho de atualizar, ou nunca recebem atualizações, como sabemos que acontece no mundo Android. Se no ecossistema Apple recebes atualizações, se traz algo novo, claro está que interessa melhorar o nosso gadget. Sim, isso tem sempre o custo de ficar mais lento. Mas diz um que não seja assim.

  6. SG says:

    Muito sinceramente, ao contrário do que tanta gente diz, não acho de todo que a Apple faça de propósito para colocar os dispositivos mais lentos, por forma a levar o consumidor a comprar um novo equipamento.
    A Apple chegou ao valor de mercado que tem por um único factor: durabilidade dos produtos. SIm, os produtos sempre foram caros (e continuarão a ser), e não se pode negar isso, mas a contrapartida que o consumidor sempre teve foi: o equipamento simplesmente funciona. E é isso. Não se quer lags, não se quer mensagens de erro, a cosia simplesmente liga (computadores, smartphones,…) e funciona. Produtividade ao máximo.
    Onde, sim, acho que a Apple tem falhado, é nas especificações. Ou seja, até há algum tempo podiam dar-se ao luxo, por toda a otimização do software e hardware, a cortar em specs: menos memória do que os concorrentes, menos processamento.
    Mas chegaram a um ponto em que mais cedo ou mais tarde vão ter de dar o braço a torcer. Não podem manter flagships com 2 ou 3 gb de RAM, por exemplo. Porque os sistemas estão cada vez mais pesados, o próprio iOS está cada vez mais pesado, e depois acontece o que aconteceu no iOS 11, que, a meu ver, foi um completo desastre. Houve sempre muita precipitação nos lançamentos, aliás, o iPhone X é o melhor exemplo disso, nota-se que foi lançado antes de tempo, faltava otimização de gestos, aplicações, etc.
    Mas é só uma opinião.

    • TeKnoFreak says:

      LOL, LOL… e por ai fora…
      Primeiro, o que é a Apple? Fabricante? Nunca o foi.
      Segundo, durável? Boa… gostei dessa, o que é um Mac? Um computador com um sistema operativo diferente, mas com componentes Made in China, e mais nada, abram um Mac, e o que vão ver? Componentes Samsung, Intel, Broadcom, LG, Amd, Nvidia (dependendo das gráficas), Foxxcon, e muitas marcas desconhecidas da maioria, com selos (até nas baterias) de Made in China, o que nos diz isso? que são como os outros…
      Mais, ponham dois portáteis, um ao lado do outro, um Macbook PRO e um sistema Windows, com hardware o mais parecido possível, e testamos jogos nos dois, os mesmos jogos ( eu testei com três jogos), o Fortnite, Half Life 2 e o Total War Warhammer, e a verdade é que com o mesmo hardware (o pc até tinha disco 2.5 SSD mais lento que a SSD do Mac), mesmo CPU, mesma memória, gráfica, etc., o Mac perdeu sempre, e falamos em 10 a 15 fps…
      O mal do Mac é o software, que acaba por limitar o hardware.
      E o caso de limitar o hardware com menos memória e specs inferiores, isso é histórias da carochinha, o MacOS ou o IOS estão a correr em equipamentos datados, basta ver o tempo que demoraram para passar para a 7ª geração. Vejamos mais uma coisa, eu tenho ainda (dei ao pai) a funcionar perfeitamente um Zenfone 5 (o original com mais de 4 anos), e já tinha funções que colegas com Iphone não tinham, e fazia coisas com ele que não lembram ao Diabo, nomeadamente deixá-lo cair no meio dos paralelos de canto, cair no soalho, andar no bolso de trás dos jeans, e mais, e o rapaz ainda se aguenta bem, a bateria ainda dá um dia a um dia e meio, mesmo com a WiFi sempre activa, e com dois cartões a trabalhar sempre…
      Dizer que Apple é melhor hoje em dia é história, todos se lembram dos problemas da Samsung com as baterias, mas ninguém se lembra que aconteceu o mesmo com vários Iphones, de várias séries, e com o Iwatch? Na primeira versão, centenas ficaram com queimaduras nos pulsos, e com o Bendgate? Batterygate? Antennagate? Crackgate? Slowgate? E mais não sei quantos gates…
      E falamos de uma companhia com menos produtos diferentes do que outras companhias, como a Samsung, LG, Asus, etc…

      • SG says:

        Tens a tua opinião, as outras pessoas têm as suas próprias opiniões!
        E ainda bem!
        Viste-me escrever em alguma parte do meu post que eles são fabricantes?
        Viste-me falar dos produtos deles para jogos?
        Viste-me escrever sobre serem os melhores do mundo?
        Posso garantir-te que em termos de trabalhos verdadeiramente pesados (trabalhos de design, em editoras, gráficas e afins) o trabalho mais pesado é feito em Macs.
        Em nenhum momento do meu post eu disse que são os melhores produtos! O que eu disse foi que o compromisso da Apple foi sempre que se pagas aquele preço (elevado, como também referi) para produtividade: o computador não anda aos solavancos, não tem problemas de arranque, etc, etc… E isso, para quem edita textos, imagens e afins, é importante. Pega num portátil de 1500 euros Windows, e noutro do mesmo valor da Apple, espera um ou dois anos, e diz-me com qual é que ainda consegues trabalhar sem soluços e sem mudar discos, etc… É um facto.
        Agora, gaming no Mac? Claro que não, alguém vai comprar um Mac para gaming? Aí os equipamentos Windows (com boas specs) limpam o chão com os Macs. Os Macs sempre foram mais orientados para a vertente profissional, simplesmente há uns anos “viraram moda” e começou a comprar-se pela estética e afins. E isso levou a Apple a descurar as specs, conforme disse no meu post.
        Repara que eu não estou a defender a Apple. Tenho produtos deles, sim, tal como tenho de outras marcas. Estou precisamente a criticar a Apple pela falta de proatividade em ajustar as specs. Disse que eles têm de mudar de mentalidade, já não chega dizer: Somos a Apple, se temos apenas 2gb ou 3gb de RAM nos smartphones, é porque não é necessário mais. Se temos portáteis com processadores com 3 ou 4 anos, sem baixas de preço, é porque não é necessário mais.
        Há uma grande diferença entre a Apple Steve Jobs e a Apple Tim Cook: o primeiro era um sonhador (implacável para concretizar os sonhos), o outro é gestor. Aliás, há imenso tempo que a Apple não lança nada verdadeiramente inovador.
        Mas o compromisso deles sempre se manteve: pagas preço premium, mas não tens de te preocupar se funciona ou não. E isso não está a ser cumprido. Daí o meu alerta!
        Produtos perfeitos nenhuma empresa tem, mas sim, há equipamentos com maior durabilidade do que outros.

        • Vasco Manuel Torrão de Melo says:

          Boas, atenção que eu não o crítico, crítico sim os fabricantes, para mim, um dos melhores sistemas com que já trabalhei foi um Mac, o Poder Mac G5, com dois cpu’s Power PC dual core, e o G4, esses sim.
          Hoje em dia o que temos? É tudo igual, ou quase igual, pouco se arrisca, basta ver o que acontece com produtos inovadores, a Asus com um laptop de refrigeração líquida, quase que nem se ouve falar dele agora, o G800, a AMD, agora quase que desapareceu no mercado dos portáteis, pelo menos com specs de topo, a Samsung, que chegou a lançar um portátil, não com heatpipes, mas com um sistema de tubos internos com líquido e um pequeno radiador, apenas lançaram um Centrino desses, a IBM com servidores portáteis, e muitos outros…
          Agora o que temos é designs distintos mas com specs iguais, basta ver vários fabricantes, e a Apple, que quase não muda o design nos laptops, basta ver os MacBooks com 4 anos, e os de agora.
          Mas para trabalhar claro que são bons, duráveis em certa medida, updates atempados, etc.
          Mas para várias coisas hoje em dia com o Windows 10, trabalhamos bem, e ainda nós podemos passar um bocado em qualquer jogo exigente. Menos com os PCs do trabalho, nesses casos nem um PC de 20000€ dará para jogar, correndo o risco de ir para a fila do desemprego.
          O meu cunhado é programador em Londres, e usa muito Mac, mas diz ele que não se importava de trabalhar com Windows. A empresa é que não o usa. Depois para testar aplicações, muitas vezes têm de usar um PC Windows.

          • Vasco Manuel Torrão de Melo says:

            Mas continuo a dizer, duráveis são os Getac e os Panasonic, esses sim, andas anos e anos com eles sem problemas, até as forças armadas americanas os usam.
            E não vais controlar armamento com uma coisa que fique lenta, dá-lhe um lag e mandas para os anjinhos civis inocentes…
            Todos têm prós e contras.

          • SG says:

            Obrigado pelos teus esclarecimentos, tinha aí algumas informações pertinentes! 😉
            Haja mais participação assim nas secções de comentários, sempre se vai debatendo e aprendendo!

        • Vasco Manuel Torrão de Melo says:

          Tenho em casa um Asus Rog G74SX, e ainda bomba sem lags ou slow down, os discos são de origem, dois SSH Seagate de 500Gb com 8Gb de flash, o PC é de 2011, e ainda jogo nele o Titanfall 2 bem como o Battlefield 1. Depende das máquinas.

    • TeKnoFreak says:

      Coloquem lado a lado um Asuspro, um Lenovo e um HP Pro, com um Macbook Pro, e testem a ver qual o mais resistente, mas não coloquem nenhum Getac ou Panasonic, isso seria batota…
      Porque será que nas pedreiras não se vê Mac para controlar os explosivos, ou nos aeroportos a controlar o tráfego ou até as luzes de pista? Ou em empresas para guardar dados? Antes que digam que não compensa pensem bem, sabem quato custa um simples transformador de um computador do aeroporto de Pedras Rubras? Eu sei… mais de 500 euros…
      Eu já usei muito o Mac, mas de uns anos para cá, pura e simplesmente desisti deles ao ver o que colegas faziam com os PC’s deles (é tudo PC, uns com MacOS, outros com Windows), trabalho e jogos, internet e palavras cruzadas, eu praticamente só trabalhava, nada mais, o resto era para esquecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.