Quantcast
PplWare Mobile

Tags: oxford

Resíduos de plástico podem gerar hidrogénio através de micro-ondas

Há vários problemas a afetar, atualmente, o planeta. A remar contra a corrente estão todos aqueles que têm ido em busca de alternativas para os resolver e, consequentemente, melhorar a qualidade de vida de toda a gente. As palavras de ordem têm sido reduzir e reutilizar tudo aquilo que é produzido em massa, como plástico, para que o objetivo comum seja atingido.

Assim, um grupo de investigadores químicos tem realizado testes, a fim de aproveitar resíduos de plástico para, através de micro-ondas, gerar hidrogénio limpo.

Resíduos de plástico


Coronavírus: testes com vacina de Oxford são interrompidos após paciente ter “adoecido”

Das dezenas de vacinas em produção, algumas estão já em fases adiantadas, com testes em humanos. A vacina que a Rússia produziu, está a ter bastante sucesso, segundo a revista científica britânica “The Lancet”. Já no caso de uma das primeiras promessas, a vacina de Oxford, os testes pararam porque um paciente que participa no estudo de imunidade adoeceu sem qualquer razão aparente.

Os números da pandemia estão galopantes. Segundo os dados disponíveis, ao dia de hoje já foram infetadas mais de 27 milhões de pessoas e aproximámo-nos de um milhão de mortes pela COVID-19.

Ilustração vacina de Oxford contra o coronavírusque está suspensa


COVID-19: Vacina de Oxford é “segura” e ativa resposta imunitária

A sociedade espera e desespera por uma vacina contra a COVID-19. Os esforços científicos são à escala global, mas as investigações da Universidade de Oxford são das mais avançadas.

Segundo informações recentes, a vacina que está a ser produzida é segura e ativa resposta imunitária.

COVID-19: Vacina de Oxford é "segura" e ativa resposta imunitária


Dexametasona: finalmente anunciado o primeiro medicamento eficaz contra a COVID-19

Com mais de 8 milhões de casos detetados, perto de meio milhão de mortes, a COVID-19 está a arrasar os sistemas de saúde, economias e deixa o futuro próximo muito incerto. Conforme temos visto, existem hoje muitas vacinas em desenvolvimento, mas nenhuma parece estar pronta a avançar já. Contudo, um grupo de investigadores parece ter conseguido produzir o primeiro medicamento eficaz contra a doença provocada pelo novo coronavírus.

Conforme foi dado a conhecer, os cientistas da Universidade de Oxford, apresentaram a dexametasona, um medicamento que produziu resultados positivos.

Imagem do medicamento dexametasona descoberto como eficaz contra a COVID-19


Universidade de Oxford começou a testar a vacina contra a Covid-19 em humanos

Está depositada muita esperança nesta vacina que começou hoje a ser testada em humanos, pelos cientistas da Universidade de Oxford. O Reino Unido conta já com mais de 138,078 pessoas infetadas e 18,738 mortes e, no mundo, no total registado pela OMS, já padeceram mais de 190 mil.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, existem atualmente cerca de 70 vacinas em desenvolvimento, várias estão já a ser testadas em humanos.

Imagem vacina na Universidade de Oxford