Quantcast
PplWare Mobile

Tags: OSIRIS-REx

China tem um plano para defender a Terra de um “Armageddon”

Apesar de haver milhões de asteroides “perto” da Terra, a verdade é que o nosso planeta tem tido sorte, pelo menos desde há uns milhões de anos para cá. Contudo, há um asteroide que desafia a imaginação dos investigadores e especialistas neste tipo de fenómenos, o Bennu. Espera-se que esta rocha massiva chegue a 7,5 milhões de quilómetros da órbita da Terra. Este é um asteroide ativo, e que tem hipótese, remota, de atingir a Terra.

Uma colisão entre a Terra e este asteroide resultaria num evento que poderia ser apelidado de Armageddon, ou a destruição de todas as formas de vida do planeta. Mas a China diz ter já um plano que nos salvará!

Imagem foguetão Longa Marcha 5 da China


Segunda-feira a NASA traz para casa um pedaço do asteroide Bennu

Ano passado, a nave espacial da NASA, OSIRIS-REx tocou no asteroide Bennu. Foi a primeira nave da agência espacial norte-americana a fazê-lo. Entre vários desafios, o maior foi recolher um pedaço da rocha.

Esta semana, o OSIRIS-REx começará a sua jornada de volta à Terra. A NASA irá transmitir ao vivo o evento.

Ilustração da nave OSIRIS-REx a sair do asteroide Bennu.


NASA toca com sucesso no asteroide Bennu e alcança mais um marco na exploração espacial

A evolução da tecnologia e do conhecimento sobre os asteroides, leva a que estes pedaços de rocha possam ser estudados. Além de contar a história do Universo desde há milhões de anos, estes astros podem ser importantes para descobrirmos a origem do nosso próprio planeta. Assim, numa missão carimbada com êxito, a NASA conseguiu tocar com um braço da sua sonda OSIRIS-REx no asteroide Bennu.

A agência espacial norte-americana mostrou imagens incríveis do momento em que a nave marcou o solo deste viajante do espaço.

Imagem da nave OSIRIS-REx da NASA a tocar no asteroide Bennu.


Cientistas identificam indícios de água corrente na superfície do asteroide Bennu

Bennu é um asteroide do grupo Apolo descoberto no dia 11 de setembro de 1999. Esta rocha espacial desperta um interesse particular porque tem um potencial grande de colidir com a Terra. Contudo, além desse facto, Bennu parece indiciar que já teve água a fluir na sua superfície. Segundo informação da sonda OSIRIS-REx, que estuda “de perto” o asteroide, há marcas de rios.

Provavelmente estará a pensar como pode num asteroide haver água, rios e outros indicadores de algo tão precioso à vida. Os cientistas descobriram agora algumas novidades e curiosidades.

Imagem do asteroide Bennu que pode ter água