PplWare Mobile

Tags: estrelas

Astrónomos decifraram o “ritmo cardíaco” de jovens estrelas

Há estrelas que parece ter vida própria. Nascem, crescem, morrem e na sua caminhada pelo universo deixam descendentes. Algumas têm um “batimento cardíaco” que parece mostrar como estão vivas. Assim, este desafio levou uma equipa de astrónomos a resolver o mistério do pulsar de algumas jovens estrelas em rotação. As variáveis Delta Scuti agora podem ser estudadas com mais detalhes.

Segundo os investigadores, através do barulho dos jovens astros, foi revelado o seu funcionamento interno.

Imagem estrelas com pulsação


Encontradas duas estrelas “mortas” que se orbitam em minutos

Duas estrelas mortas foram vistas a orbitar-se uma à outra a cada sete minutos. Desta feita, quem descobriu esta dança celeste rara foi o ZTF (Zwicky Transient Facility) do Caltech. ZTF é um levantamento do céu topo-de-gama no Observatório Palomar que varre rapidamente o céu noturno à procura de qualquer coisa que se mova, pisque ou varie de brilho.

Segundo é descrito pelos astrónomos, a massa combinada das duas estrelas é idêntica à do nosso Sol.

Encontradas duas estrelas mortas que se orbitam em minutos


Estrelas estranhas estão a deixar os astrónomos confusos

O telescópio espacial Kepler, pouco antes de terminar atividade, descobriu duas estrelas conhecidas como HD 139139. Após alguns meses de análise, os astrónomos ficaram bastante intrigados com o seu comportamento. Segundo as informações, estas estrelas deixaram os astrónomos completamente perplexos.

Este tipo de comportamento indicia algo que, a ser comprovado, abre um novo mundo de descobertas.

Imagem ilustrativa das estrelas HD 139139


9 Fenómenos celestes para assistir em 2018

Entre eclipses, alinhamentos de planetas ou encontros de cometas, em 2018 terá várias oportunidades para ficar de olhos postos no céu e assistir a verdadeiros fenómenos astronómicos.

Estes são 9 dos fenómenos que irão marcar 2018.

Fenómenos celestes - super lua


Esta madrugada… vão chover estrelas do céu!

Já cantava o Rui Veloso ‘Não há estrelas no céu’ e, o motivo, é que vão cair centenas durante esta madrugada!

A chuva de meteoros das Perseidas, como melhor se designa, está visível desde o dia 17 de Julho mas terá o seu apogeu na madrugada do dia 13 de Agosto. Por isso, peguem nos casacos e espreitem pela janela… até que elas comecem a cair!

Perseidas