Quantcast
PplWare Mobile

StayAway Covid instalada em 1,26 milhões de smartphones! 107 infetados já usaram…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Samuel MG says:

    E quantos é que a desinstalaram?

    • Patinhas The Second says:

      Precisaram de espaço para o TikTok mais seguro e mais importante

    • Samuel MG says:

      só perguntei quantos é que desinstalaram para saber quantos é que vão ficar infetados.

      • Samuel MG says:

        Pela inteligência e não pelo medo. A app não resolve nada, nem ajuda vê-se pelos números de infetados que não para de crescer.

        • NunoS says:

          A matemática claramente não é o teu forte. Se só 1M instalaram a app e ainda vens fazer a pergunta de quantos desinstalaram, achas que dá para provar se funciona ou não?

        • eu2 says:

          Dos 107 infetados que participaram, algumas pessoas terão recebido notificação desses 107, e já pode ter salvo a vida de alguém por essas pessoas terem tomado precauções. Já resolveu alguma coisa!
          Quanto mais participarem instalando a app, colocando o código, dando o código (caso dos médicos que fazem o teste) e tomando precauções ao receber notificação, mais a app resolve.

  2. Lopes says:

    Ok.
    Vamos ver.
    A app alerta. E depois !
    Quantas horas de espera para o SNS 24 atender para dizer fique em casa de quarentena.
    E o teste ? quantos dias depois.
    Gostava que estas questões fossem explicadas.

  3. Nuno Herdeiro says:

    “A app chegou ainda em agosto e custou perto de 400 mil euros”
    Como é que uma app basica como esta custa 400 mil euros? Lol

    • Paulo Martins says:

      Outra vez arroz? Os 400 mil euros é todos os gastos associados à app, nomeadamente desenvolvimento, infraestrutura e marketing.
      Depois se achas que é caro olhem para as outras aplicações semelhantes lá fora, a da Alemanha custou 20 milhões, a do Reino Unido 13 milhões, Espanha pagou 375mil só pelo projecto piloto nas Canárias.

      • Antonio says:

        Todos a sacar ao Estados… e esta não tem mais funcionalidade que as outras existentes. Não seria mais barato licenciar uma de outro pais e traduzi-la para português? Uma App feita zero custa no máximo 50k… Marketing por 350k? Sim, se considerarem as jantaradas, hoteis, consultoria, sim, consegue-se torrar isso nos bolsos do costume…

    • Jorge says:

      Perdeste uma oportunidade de fazer a APP e vender ao Estado por menos. Ou então, faz agora, divulga e ainda ganhas umas coroas!

    • jorgeg says:

      20 mil fabrico 400 mil para os bolsos dos tipos do custome.
      Aqueles que compararam os mídia por 15M.

      “Desde o início da pandemia, a 2 de março, até ao passado dia 30 de setembro, morreram mais 7144 pessoas em Portugal, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).
      Mas APENAS 1920 das mortes ocorreram POR CAUSA da covid-19.”

      2019 morreram por causa da GRIPE 3000 PESSOAS.

      • Paulo Martins says:

        E o que é que uma coisa tem a ver com a outra? Quantas norreram de gripe este ano? E quando uma pessoa num lar desenvolve gripe o número de infectados é o mesmo que a Covid? O número de mortes é o mesmo?

      • LR says:

        Porra, sempre a mesma conversa do número de mortes causados pela gripe. Diz-me uma coisa, já que estás tão informado: em 2019 houve medidas de proteção individual (máscaras), de distanciamento social ou confinamentos? Não houve, pois não? Porque se houvesse, teriam morrido essas mesmo 3000 pessoas? Pois,não tinham, não era. E metam na cabeça que este ano o número de óbitos causados pela gripe vai descer muito. Porquê? Tens as razões 4 linhas acima.

    • TimCrook says:

      quando é o povo a pagar não importa o custo, eles focam-se em encher ao máximo os bolsos dos amigos e pagar favores….. infelizmente o oportunismo não se fica por cá. esta “pandemia” anda a engordar as contas bancarias de muita gente, enquanto o resto tem de fazer quase o impossível para por comida até o final de mês com o salario mínimo anedótico …. é como contractos por ajuste direto para dados diarios do covid, que embolsaram dezenas de milhares de euros por um curto periodo de tempo e levam mais de um dia para actualizar os dados apos a publicação, enquanto quase todos os jornais online publicam todos os dados em media 20min apos os dados sejam publicados…..

      O povo paga………… eles metem ao bolso………

  4. rafamix says:

    Utilizadores ativos devem ser muito poucos, downloads não quer dizer nada.

  5. Johnny says:

    Nota-se pelo aumento de infectados que a app está a ser um sucesso.

  6. Julio says:

    WOOOOOOOOOOOW 107 infectados? MEU DEUS A APP É UM SUCESSO ABSOLUTO! VOU JA INSTALAR NO MEU TELEMOVEL, NA MINHA SMART TV, NA MINHA mi fit band 5, E NO RADIO DO MEU CARRO! OBRIGADO POR TERMOS ACESSO A UMA APP TAO FANTASTICA

  7. Julio says:

    Ja podemos admitir que esta app é um fracasso ou ainda é cedo?

    • Jorge says:

      Porquê? Porque só atingiu 10% da população de um país?

      • Jorge says:

        Ahah ok Elsa, ok Elsa

      • Jorge Carvalho says:

        Brincalhona 😉

        Abc

      • Jorge Tomaz says:

        O vírus nem começou na China, o 1 médico chinês que avisou do perigo do novo vírus, nem foi preso pelo partido comunista chinês. Só foi solto depois de assinar um documento ,onde desmentia o perigo do vírus. Por acaso até morreu( supostamente com o vírus.. Não sejas ingénua, ao acreditar num país governado pelo partido comunista chinês desde 1949..

      • RPG says:

        Pessoal muito bem informado.. a China foi o primeiro a ter app naturalmente.. já há largos meses.. e claro, com largas centenas de milhões a utilizar, e os alertas n vão apenas para quem esteve a curta distância, mas sim num raio de várias dezenas de metros (n sei precisar), mas tb diria que é normal visto que a grande maioria já nem máscaras usa em lado nenhum

        • Ricardo Oliveira says:

          @RPG, a China OBRIGOU a população a ter a sua APP…quem não tinha, não passava nos “check-points”.
          E sim a China, é um país maravilhoso, e neste caso, todos os nr de infectados Covid são verdadeiros.
          O país mais populoso do Mundo, 1,5 Mil Milhões de pessoas, tem um acumulado de 85 Mil infectados e 80 Mil de recuperados…e 195 activos!!!
          Muito bom, para o país de onde tudo começou.

          By the way, eu vou continuar com a nossa APP, instalada desde da primeira hora…pq quero.

    • Luís Costa says:

      Cuidado ….. a ignorância mata mais que a covid19 …… e para isso não existe aplicação

      mas no seu caso basta continuar a postar para os restantes serem avisados ……

  8. LG says:

    https://github.com/stayawayinesctec/stayaway-app/issues/69

    Tendo em conta as os casos ativos em Portugal, esse numero total de 107 é ridiculamente baixo considerando os dados suiços: https://www.experimental.bfs.admin.ch/expstat/en/home/innovative-methods/swisscovid-app-monitoring.html

    • Jorge Canelas says:

      A APP não adivinha se o proprietário do equipamento está infectado ou não.
      Se quem deu positivo continuar a não se registar, os número vão continuar a ser baixos.

      • eu2 says:

        Também é preciso os médicos darem o código ao dar o teste positivo, que muitos não devem dar.

        • Jorge Canelas says:

          Acho que está equivocado. Desde que a APP foi disponibilizada, em todos os testes positivos é facultado o código. Lá que me diga que grande parte não saiba ou não quer saber o que fazer com o código, isso já é outra história.
          Infelizmente o povo português só adere as novas tecnologias, porque é mais fácil mandar umas postas de pescada, invés de utilizar a tecnologia para fazer algo em prol da sociedade.
          Não têm sequer a dignidade de pensar, apenas se preocupam em escrever o que lhes dá na real gana, mesmo que aquilo que escrevem ponha em causa a sua própria existência. Simplesmente formulam uma ideia (se é que se pode chamar de ideia), em função de um título de uma notícia ou artigo, porque ler e perceber dá muito trabalho.

          • eu2 says:

            Peço desculpa. Não sabia que todos os testes positivos traziam um código para a app (só li o artigo agora). Há tempos vi alguém aqui a queixar-se de não ter recebido nenhum código, e devido ao baixo número de inserções na app (na minha opinião, pois havendo 10% da população com a app instalada e com 200-900 novos infetados por dia, deveria haver até 20-90 inserções por dia, e não 100 inserções até agora), e como não tenho visto ninguém a falar sobre isso, decidi mencionar esse pormenor que também é essencial para a app funcionar.

            PS: instalei a app desde o primeiro dia, acho que consegue ser útil se for usada

      • FS says:

        Na verdade o médico deveria associar o resultado ao telemóvel do paciente… e não ser essa “liberdade” toda. Não tinha conversa, era marcado e pronto.

  9. Samuel MG says:

    O SNS arrebentar pelas costuras e o estado gasta 400 mil euros numa app. MAIS UM NEGOCIO RUINOSO.

  10. ToFerreira says:

    Lol! Piadinha…

  11. Jamaral says:

    Só para eu confirmar aqui um estereotipo, és loura?

  12. Jorge Canelas says:

    A APP é simples e funcional, mas só é útil se quem está infectado se marcar como tal. Se não houver a consciência de quem está infectado em se marcar, a APP é inútil… aliás a APP não é inútil, inútil é quem não percebe como, e para que serve, pois está tudo muito bem explicado na app.

  13. jo§e says:

    O fracasso desta app demonstra plenamente o nível de inteligencia do povo português.
    Este tipo de apps só funcionam quando usadas por pessoas minimamente inteligentes

      • Samuel MG says:

        Minimamente inteligentes!? Eu já vi uma pessoa a usar a app mas não usava mascara!! Onde é que isto é ser inteligente?

        • jo$e says:

          Só reforça o que eu disse, tem de ser usada por pessoas minimamente inteligentes, o que não parece ser o caso, como a maioria das pessoas aqui que se manifestam contra a APP.

        • Jorge Canelas says:

          A falta de inteligência faz com que essas pessoas acreditem que a app funciona como repelente do “birus”, algo do gênero das apps supostamente repelentes de mosquitos por ultrassom.

          • Samuel MG says:

            Acredito que 70% dos que instalaram pensão da mesma maneira. Eu desinstalei a app (acho que foi mal feita) mas uso a mascara sempre que saio e lavo as mãos frequentemente.

        • Vítor M. says:

          🙂 Como é que sabes? Isso são cenários que fábricas na tua cabeça. Viste um tipo sem máscara e “parou amigo, sem máscara?”

          Diz o tipo “aaaa sim mas uso a app senhor”…

          😀 vá não generalizes. Protege-te.

          Bom domingo.

    • C.S. says:

      Os minimamente inteligentes são aqueles que esgotaram o papel higiénico no início desta pseudo pandemia.

    • Julio says:

      entao agora o fracasso da app é culpa dos portugueses? ridiculo hahahahahaha

    • Julio says:

      as pessoas mininamente inteligentes ja perceberam que esta app não funciona e não faz diferença nenhuma, basta pesquisar na internet estudos que comprovam que as apps usadas em outros países europeus foram mal sucedidas, mas duvido que tenhas inteligencia para pesquisar e entender isso.

  14. NunoS says:

    Não percebo estes comentários. Estas apps usam a API interna do Android ou do IOS, logo confiamos no Sistema Operativo, mas não nas APIs que vê com ele?
    É só rir com tamanha ignorância…

  15. Luís Costa says:

    “…..no meu iphone 11 pro max gold”

    Tanta inteligência na palma da mão e tão pouca na cabeça ….

  16. Filipe F. says:

    portanto estamos em medias de 800 casos novos por dia, a app tem de propaganda forte, 1 mês, ou seja se fizessemos contas por alto falariamos de 30*800= 24 mil novos infetados detetados. destes apenas 107 foram para a aplicação… Ou seja 0,44%, numa app que estes números de downloads dao a entender que 10% da população portuguesa já instalaram…
    Algo está mal quando se diz que 10% ja tem a app, e apenas 0,44% dos casos detetados foram inseridos na aplicação.
    Isto sim, mais do que teorias, sao os factos de como a app nos moldes em que está, é um insucesso e será.
    Para funcionar bem, nao deveria ser o doente a inserir OPCIONALMENTE o codigo, deveria ser o SNS a faze-lo por ele. Quando tudo é opcional porque a privacidade e bla bla bla dos dados em portugal é mais importante dá nisto, uma app que comprovou ser já um fracasso.
    E claro que destes 1,26 milhoes, se calhar nem 1/3 usa atualmente a app, porque ela derrete a bateria do telemovel, e porque se calhar ao fim de 1 mes muitos perceberam que mesmo que vivam em centros com grandes surtos, nada lhes aparece na app porque apenas os miseros 0,4% de infetados é que vão sinalizar a app.

    Factos sao factos, de resto faz a propaganda quem quiser. Se tivessemos em questoes de saude publica, menos mariquisses com privacidades e o que é opcional fosse uma obrigaçao e dever, teria tudo para ser util.
    A melhor inteligencia não é suportar o fracasso e derreter a bateria para nada, a melhor inteligencia é continuar a ter um comportamento de proteção, e mais inteligente do que as medidas em vigor que ainda permitem uma enorme liberdade de habitos e circulação, com resultados à vista.

  17. C.S. says:

    O ano passado em Outubro foram contabilizados 3300 mortos por gripe.
    Este ano em Outubro são contabilizados 2000 mortos por covid.
    A diferença pode ser explicada pela prisão domiciliária de pessoas. Agora pergunto, onde está a pandemia?

    • Vítor M. says:

      Então? Acabaste de responder. Se mesmo confinadas morreram mais de 2000 em 9 meses, imagina se fosse como ano passado sem qualquer restrição. Ao contrário da gripe, a COVID-19 não tem vacinas, não tem procedimento medicamentoso e não tem histórico de tratamento. Agora pensa.

      • C.S. says:

        Suponho que deves ter os números da gripe dos 3 meses que não contabilizas.
        E já agora se reconheces que a covid não tem histórico de tratamento porque é que andamos a inventar tratamentos cuja eficácia é duvidosa?
        Já reparaste que nos países onde as medidas são mais rigorosas as medidas têm um efeito praticamente nulo?

        • Vítor M. says:

          Os meses que não contabilizo não havia COVID-19 😉 ora faz as contas. Sobre os dados da gripe, cerca de 3 mil num ano, feitas as contas, a COVID_19 é de facto mais perigosa, dado que não tem vacina nem um histórico com a gripe. Agora imagina o que seria se estivesse tudo aberto, se não se usasse máscara e outras ações preventivas.

          • C.S. says:

            Não havia covid mas devia haver gripe,não? Diz lá, nesses três meses quantas morreram de gripe?
            Já reparaste que o pânico aumenta quando se começa a usar a imaginação?
            O tempo felizmente mostra a realidade através dos factos.
            Não alimentemos o pânico, os números mostram que o covid é muito menos grave que a gripe, o que é mais grave é descurar todas as outras doenças por causa da covid.
            Enquanto morreu um milhão de covid morreram 80 milhões de outras doenças, não achas que já é tempo de parar um bocadinho para pensar?

          • Vítor M. says:

            Quantos morreram então de gripe nos 3 primeiros meses do ano? É que para a gripe há tratamento, vacinas, para a COVID-19 não há ainda nada. Portanto, responder com a gripe à crise da COVID-19 não faz qualquer sentido. É apenas perder tempo.

          • Jamaral says:

            E achas que ele percebe???

  18. C.S. says:

    Então na tua óptica como é perder tempo, não é preciso avaliar, é pontapé para a frente e tá feito.
    Continuar a alimentar o pânico, fomentar o histerismo, e eliminar o contraditório, é a melhor forma de combater o vírus. És capaz de ter razão, continua que estás a prestar um bom serviço.

    • Vítor M. says:

      Avaliar sim é importante, mas não como estás a fazer, que não é avaliar, é comparar para desvalorizar a perigosidade deste novo vírus que fez já mais de 2 mil mortos em Portugal e apenas precisou de 9 meses para tal. Pior que isso é olhar para o futuro e ver que nos próximos meses, se calhar um ou dois anos, o país e o mundo continuaram a ser altamente afetados pela doença e não é só no campo da saúde, é no social e económico. Não devemos, nem o faço nunca, desvalorizar o estado da saúde no nosso país, porque infelizmente por falta de informação muitas pessoas não receberam tratamento atempado para outras doenças, mas isso é mais uma causa deste novo coronavírus.

      Quando alguém desvaloriza a perigosidade desta nova doença está a prestar um péssimo contributo à sociedade, dá sinais que está tudo bem e isso é o que tem levado determinada faixa etária a ser contagiada, a contagiar outros que podem não ter a mesma saúde e, como temos visto, tem levado a muitas mortes. Está a desaparecer uma geração, e isso deve-se a esta doença e não à gripe.

  19. C.S. says:

    Desculpa lá, mas o facto de estar a morrer mais gente não é por causa desta doença, morre mais gente porque estão a sobrevalorizar esta doença em detrimento de outras precisamente por causa do alarmismo social que provocam.
    Deve ser avaliada,sim,mas sem histeria,com realismo, e sem previsões catastróficas que como se viu não corresponderam à realidade. Vai ver as previsões que fizeram em Março para aquilo que ia acontecer na primeira vaga e vê que o que aconteceu ficou muito aquém.
    E já agora analisa o rombo na economia e vê se o estrago provocado pela cura não é muito superior ao dano causado pela doença.
    Vê lá melhor e diz quem é que está a prestar um péssimo contributo à sociedade.

    • LR says:

      Entre outros, tu mesmo.

      • C.S. says:

        Realmente com essa observação é que deste um bom contributo.
        Não há dúvida que és mesmo inteligente.

        • Vítor M. says:

          Vamos focar no assunto, para contribuirmos para uma boa opinião e informação. Deixo-vos estes dados: https://bit.ly/33u2jmX

        • LR says:

          Vamos lá a por os pontos nos iiis. Quem desvaloriza uma pandemia (sim, por mais que negues, é considerada uma pandemia, lamento), mesmo tendo alguns pontos de razão nos seus comentários (houve/há, de facto, alguma desvalorização de outras patologias, direta ou indiretamente causadas pela pandemia), está efetivamente a prestar um péssimo contributo à sociedade. Não acreditas na perigosidade deste virús? Ok, tens todo o direito. Mas, por não acreditares, não implica que todos esses discursos e dados que mandas para o ar (sim, estou a referir-me aos números de óbitos por gripe, já que insistes em falar em quase todos os comentários que fazes) sejam a verdade suprema. Pode ser a tua, mas não é a minha (a contrário senso, aplica-se o mesmo).
          Factos: Há uma pandemia de SARS-CoV-2? Sim, há. É um virús potencialmente perigoso? Sim, é. Causa mais óbitos que outros virús? Provavelmente, não. Pode ser mais perigoso que o virús da gripe? Sim, pode. Causa/pode causar mais óbitos que o da gripe? Sim, ambas as afirmações são reais. Veio para ficar? Sim, veio, tal como muitos outros.
          Quais as diferenças para o virús da gripe: há vacina para o virús da gripe (não cobrindo todas as estirpes, é certo), enquanto que, por agora, não há para o SARS-CoV-19. Ao contrário do virus da gripe, foram tomadas medidas extraordinárias em relaçáo a este (máscaras, distanciamento, desinfeção de mãos, etc). Se estas mesmas medidas fossem tomadas todos os anos, os casos de gripe cairiam a pique (gostas muito de falar de óbitos de gripe em 2019, mas vamos esperar para ver quais os números deste ano).
          Para terminar, há muitos casos de óbitos que poderão ser causados por COVID 19, mas se não houver teste positivo antes do óbito, não há teste post mortem. Virá, também, dai o aumento de óbitos deste ano?
          Já agora, hoje em dia, já quase ninguém morre de HIV/SIDA. Vamos parar com os alarmismos e abandonar as práticas de prevenção? É que morrem mais pessoas de gripe…
          Over, and out.

    • Vítor M. says:

      Aaaa estão a sobrevalorizar porque já matou mais de 1 milhão de pessoas no mundo em pouco mais de 9 meses? Alarmismo por causa de 26 milhões de pessoas infetadas e que resultarão em muitos milhares de mortes dentro e dias? Desculpa, mas isso que dizes é um tremendo disparate. E estás a falar na cura? Qual cura? Estás a falar da mesma doença que parece o planeta desde inícios de 2020? É que não há cura, não sei se deste por isso.

      Pensa nisso. Atualmente custa ver as pessoas com acesso à informação dizer tamanhos disparates, mas pronto. Repara, o que tens visto não é só em Portugal, é algo a uma escala nunca vista nos tempos modernos.

      Vê bem que esta doença está a causar danos que jamais serão apagados, mudou hábitos, regras sociais, convivência entre nações e muito mais que ainda aí virá. Era muito bom se disséssemos “amanhã já acaba”, aliás, alguns desde abril continuam a dizer que é apenas uma gripezinha, um resfriadinho e todos os dias tombam aos milhares ao redor do planeta. Agora pensa.

      • C.S. says:

        Mas em Portugal onde é que está a tragédia?
        Morreram 2000 de covid. O ano passado morreram 3300 de gripe. É assim tão difícil entender? Mesmo que metas os 3 meses a 10 mortos dia são mais 900. Não achas ainda que é melhor parar para pensar?
        Para que é este alarmismo social?
        Qual é o objectivo em provocar o pânico em pessoas menos formadas e sem instrução?
        Isto é um problema económico, não tem nada a ver com saúde.
        Os efeitos colaterais desta pseudo pandemia estão a provocar mais mortes e mais destruição do que o efeito real do vírus.

        • Vítor M. says:

          Outra vez a comparar com a gripe? Mas esta doença teve a mesma realidade que a gripe? Está-te a custar assim tanto perceber que são coisas muito diferentes? Tens noção que mesmo com confinamento, medidas de higiene únicas, medidas de proteção ímpares… mesmo assim morreram mais de 2 mil?

          Quanto tempo ano passado as pessoas ficaram em confinamento por causa da gripe?

          • C.S. says:

            Ora aí está, ninguém ficou confinado o ano passado porque não houve esta histeria. Assim como também não houve testes a assintomáticos, por isso é que não podemos dizer se os infectados são muitos ou são poucos porque não temos termos de comparação.
            Neste momento concreto nada me leva a concluir que o covid é pior que a gripe do ano passado.

          • Vítor M. says:

            Não, isso é uma visão muito sem informação e completamente enviesada. Não ficou porque há vacina, há medicamentos para tratamento da gripe, há histórico da evolução da doença e o seu contágio é muito inferior ao da COVID-19. Mas agora percebo o que dizes, tu não percebes é nada sobre o que se está a passar verdade?

            Então para ti a COVID-19 é como uma gripe verdade?

            Para este peditório… já dei.

  20. C.S. says:

    Pois, tinha de ser…
    Tu percebes o que eu digo, mas eu não percebo o que tu dizes. É, eu sou muito estúpido e não percebo nada.
    Continua a alarmar as pessoas que assim prestas um bom contributo à sociedade.

  21. Flávio says:

    ‍♂️
    Liberdade em decidir se mata ou não mata mais gente… maravilha. Desinstalar isso hoje do meu telemóvel… não faz qualquer sentido.
    A probabilidade em saber pelos vizinhos é mais de 30x maior que pelo app!
    Serviu apenas para gastar os 400k€ do contribuinte.

  22. MB says:

    O problema é que já há muita gente a ganhar dinheiro com os covideiros , o que eu gostava de saber e isso sim é que era interessante foi quantos morreram de covid 19 e que eram saudáveis .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.