Quantcast
PplWare Mobile

Mas afinal qual é a dependência da Huawei dos componentes vindos dos EUA?

                                    
                                

Imagem: Pplware

Fonte: Nikkei

Autor: Pedro Simões


  1. Fixo says:

    Onde se fabricam as peças não é relevante.
    De quem são as peças ou as licenças para as fabricar é que conta.
    Se os chips da Qualcomm forem fabricadas na China a Qualcomm não os pode vender à Huawei.
    E os chips até podem ser fabricados na China e serem fabricados pela Huawei – mas se dependerem de licenças (patentes licenciadas) da Qualcomm, a Qualcomm está impedida de as vender à Huawei.

    Diz o post: “ao mais recente smartphone da Huawei, o P30 Pro. Apenas 15 componentes, 0,7% do total, são oriundos dos EUA.Fica assim claro que a Huawei poderá dispensar todos os elementos que os EUA fornecem. São componentes vitais, mas que outros fabricantes podem fornecer. É também a forma mais simples de contornar o bloqueio dos EUA.”

    Mas que grande disparate. Confunde a importação de produtos fabricados nos EUA com os produtos de empresas americanas ou com licenças de empresas americanas. As sanções não são sobre produtos fabricados nos EUA e exportados para a China são sobre a venda de produtos (e software) à Huawei por empresas americanas independentemente do país em que são fabricados.

    • Fak says:

      O que não faltam são empresas sediadas em outros países, por isso continua a ser irrelevante, a Huawei até pode ir a uma fabrica de terceiro mundo, chega lá apresenta o que quer e as respetivas especificações e qualidade e a empresa fabrica. A diferença está no preço, contratar empresas americanas sempre foi mais barato devido a acórdãos e facilidades, mas nada que a Huawei não consiga resolver, o que não falta são os recursos necessários, por isso é que ninguém anda preocupado com isto, aliás, foi mal jogado proibirem os negócios com a Huawei, esta por sua vez, potência que é, pode simplesmente realizar novos contratos, criar o seu próprio OS e desenvolver suporte ao mesmo, ficando totalmente independente dos americanos fazendo concorrência à Google e Apple, deixando de investir em empresas americanas…
      Isto só atrapalha a Huawei, já as empresas que trabalhavam com a Huawei pode querer dizer a perda de milhões de dollars anuais, mas a maior facada é para a Google e Apple, há mais um concorrente no monopólio e visto a Huawei ter tantos clientes e depois a curiosidade também vem ao de cima, todos os seus utilizadores e provavelmente muitos da Apple e Google irão querer experimentar o novo OS da Huawei, ou seja, a Huawei tem dificuldade agora no início, mas rapidamente pode voltar ao topo.
      Eu se fosse a Huawei já me estaria a burrifar para o mercado americano, a esta hora já teria anunciado o corte com empresas americanas mesmo com o levantamento da proibição, mudado de fornecedores e já teria anunciado que o OS Huawei veio para ficar.
      Além de o governo americano ter dado uma facada pelas costas às suas próprias empresas, agora iria a Huawei dar uma facada pela frente.

      • RPG says:

        É como diz o CEO, isto é a maior campanha de publicidade que a Huawei já teve ou terá, e a custo zero lol. Se ainda havia países ou pessoas a quem a Huawei passava ao lado, graças ao Trump agora vê-se o logo da Huawei em tudo o que é media, todas as semanas. A pplware é um bom exemplo disso.. Tem sido raro o dia que não sai uma notícia sobre o assunto. Sim, a curtíssimo prazo esta guerra atrapalha a empresa, mas no início do próximo ano já estarão a colher os frutos.

        Debate interessante: https://www.youtube.com/watch?v=b8InU08RoZ8
        Huawei CEO para a BBC: https://www.youtube.com/watch?v=vxoeLLq14zI

      • Fixo says:

        Exatamente! Se não se pode comprar diretamente um chip à Qualcomm, a Huawei pode chegar à fábrica chinesa que os fabrica e dar as especificações: “Quero um chip igual ao da Qualcomm, mas que não traga o nome da Qualcomm”
        E já está 😉

        Essa de chegar a um fábrica com as especificações é se o chip tiver sido desenhado pela Huawei – e não tiver partes sujeitas a patentes/licenças (o que nunca acontece, não desenhos puros de chips).
        Isto do hardware não é chegar à charcutaria do supermercado e dizer: “Quero fiambre dinamarquês. Não há? Quero Nobre da perna”.

  2. Alex says:

    Errrata : “Este valor tem a ver com componentes como a memória e o ecrã, que NÃO naturalmente caros.” e deveria ser são.

  3. Jorge Madureira says:

    Conclusão: eu vou preferir sempre telemóveis chineses, sejam da Huawei ou Xiaomi. Ainda bem que os EUA estão a perder a guerra comercial com a China, é uma muito boa mesmo muito boa notícia.

    • iFernando says:

      O teu telemóvel chinês anda a gasolina dos EUA. Sem Facebook, sem Android, sem watsApp, sem Instagram, sem OneDrive, sem GPS… Deitavas o teu chinês para o lixo.

      • iSheepNot says:

        O teu problema é pensares que o Smartphone só serve para usar essas apps.

        Sabias que GPS é apenas o sistema de navegação americano e que não é o único? A China (BeiDou) e Rússia (GLONASS) também têm e melhor que o americano? Os Xiaomi, Huawei e outros fabricantes, incluindo os americanos, usam-nos para compensar falhas do GPS. Pesquisa e vais ver.

        E se percebesses do que falas saberias que o Android é open-source (AOSP), que a Google vai ali buscar e depois distribuí como conhecemos hoje. Mas quem quiser, como muitos fabricantes fazem, pode pegar no AOSP e adicionam as alterações que quiserem.

        A Huawei, como já aqui foi noticiado, por causa disto tudo, está a produzir o seu OS baseado no AOSP, o HongMeng. A diferença é que não terá as melhorias e adições que a Google tem feito. A Huawei iria funcionar muito bem mesmo com esse bloqueio. Poderia era perder o mercado americano e muito do Europeu mas continuaria a funcionar e muito bem.

        A China já se estava a preparar para também criar situações muito desagradáveis a muitas empresas americanas. Há muito mais empresas americanas a depender da China do que o contrário. O impacto seria tão grande que os americanos tiveram de rever a sua atitude com este recuo. Porque foi a Casa Branca que fez um ataque a uma empresa chinesa sem provas. Agora de um momento a Huawei já não é perigosa e chegamos a um “ah, bem, afinal não é bem assim. Eu nunca disse propriamente que estavas a espiar. Epá, exaltei-me um pouco. Pronto. Fazemos as pazes?”

        • iFernando says:

          O teu problema é pensares que eu tinha espaço para colocar todas as apps que só funcionam em Android e iOS.
          O teu problema é pensares que Open-source não tem dono/proprietário, é sonhares que Android não é Americano, só porque é grátis. É sonhares que alguém pode fazer o próximo Android 10 ou Android 11, para além da Google.
          O teu problema é pensares que alguém, mesmo tu, compra um telemóvel com outro qualquer sistema operativo, sem os milhões de Apps que não cabem fisicamente aqui mencionar.
          Só temos de agradecer aos Americanos pelo contributo tecnológico que prestaram à humanidade (dois Rovers a passear em Marte; Tesla; GPS; Windows; Java; Apple…..etc,etc).
          A casa branca é livre de fazer o que lhe apetece, assim como o gov chines, o gov venezuela e norte coreano fazem. A guerra da china perante o exterior é bem antiga com taxas alfandegárias e proibições às importações.
          A china pouco ou nada deu a Portugal, além de permitirem fabricar e montar aparelhos mais baratos, pela exploração do povo chinês.
          Não sou contra a china, mas tb não entendo quem defenda países contra os nossos aliados.

          • Fak says:

            Tecnicamente, o open-source não tem dono nem nunca terá, o nome diz tudo, para ter dono teria de ser um software proprietário, algo que o aosp não é.

            Sonhar que o Android não é americano só porque é grátis? Ninguém disse isso, aliás é algo estúpido de dizer.
            Qualquer um pode fazer o próximo Android 10 ou 11, a diferença está na qualidade.
            E todas as aplicações funcionariam no Android, o formato. Apk é nativo do aosp, não foi a Google que o criou.

            Estas também a tocar numa faca de dois gumes. Os américas inventaram muita coisa, mas sem os chineses para construir, o custo de produção iria ser muito elevado, condicionando as novidades. Ambos os países são igualmente importantes nos dias de hoje.

      • Moreda says:

        Pois é Fernando e quem precisa da treta do facebook é do wahtsup? Eu não. Aliás já comecei a fazer embargo aos produtos trump.

  4. Sergio SL says:

    E agora? Como ficam os que odeiam a Huawei ou os que apostaram no seu fim? Melhor ler e ficar atualizado: https://sicnoticias.pt/economia/2019-06-29-Empresas-norte-americanas-podem-vender-produtos-para-a-Huawei

  5. SAND0KAN 1513 says:

    É bem feita para a Huawei aprender a não brincar com a seguranca das pessoas !! O Mesmo digo da xiaomi! A Apple oferece mais seguranca e deve ser o caminho a seguir no que toca a privacidade !!

  6. V.T. says:

    Não compreendo como podem escrever que substituir o SO da Google seria fácil e simples… a sério, não consigo compreender isso. Já experimentaram ao menos o “SO” da Huawei para dizer tal coisa?

  7. dajosova says:

    a guerra comercial está para já suspensa

  8. iFernando says:

    Quem manda no Mundo é a Google, Microsoft, Apple, Facebook….o resto é paisagem.
    Huawei sem EUA, seria o equivalente a tentar vender um WindowsPhone ou um Nokia Symbian em 2020.

    • DANIELPALMA says:

      Entao explique que vantagens são essas das empresas americanas que não podem ser reproduzidas, porque não estou a ver nenhuma. O Facebook ? A China tem o Renren. O Whatsapp ? A China tem o Wechat. O Twitter ? A China tem o Weibo. O Youtube ? A China tem o Youku Tudou. O IMDB ? A China tem o Douban. Quer que continue ? E todas estas aplicacoes têm milhões de utilizadores diários. O Wechat por exemplo já ultrapassou os mil milhões de utilizadores. Acha que seria assim tãããão dificil adicionar linguagens e expandir essas aplicações para outros paises ?

      • iFernando says:

        Obrigado
        É fácil traduzir…alias até já estarão traduzidas e disponíveis, só que ninguém as usa na nossa sociedade. Tens alguma delas instalada e usas?
        Sem as Apps ocidentais a Huawei não vende um unico telemovel.
        A não ser que o governo Português nos obrigue e proiba, como faz o governo chinês.

  9. LMS says:

    Eu acho que a Huawei desenvolve o seu próprio processado. Não entendo o que vem fazer a Qualcomm nesta conversa

  10. LMS says:

    Só 22% dos smartphones Huawei usam o Qualcomm. Cobrem isso tranquilamente com o Kirin. Já o governo chinês se decidir cortar relações comerciais com os USA, a Apple tem de se virar para outros países no que toca a fabricação… O Trump deu um valente tiro no pé e isto ainda nem começou a aquecer…

    • Fixo says:

      “O Trump deu um valente tiro no pé e isto ainda nem começou a aquecer…”
      “Já o governo chinês se decidir cortar relações comerciais com os USA, a Apple tem de se virar para outros países no que toca a fabricação…” – e a China dava um tiro na cabeça, digo eu.

      O que Trump quer é equilibrar a balança comercial (importações/exportações) com a China, como seja, através da importação massiva pela China de produtos agrícolas americanos. Foi o que Trump anunciou: ao mesmo tempo que deu indicação de que podiam ser levantadas as restrições de venda de produtos à Huawei (que não ponham em causa a segurança dos EUA, ou seja não envolve tecnologia para 5G) disse que a China ia fazer compras massivas de produtos agrícolas americanos (os chineses desmentiram).

      Os telemóveis da Huawei fazem parte da guerra comercial, são apenas moeda de troca. Já a questão das redes 5G da Huawei é estratégica – os EUA não querem que a rede 5G caia nas mão da Huawei, nos EUA e nos seus aliados (relativamente à UE não parece estar a ter muita sorte).

  11. LMS says:

    Amigo, em dezembro falamos 😉 acredita que quem vai ficar a perder são os USA. No que respeita “equilibrar” a balança comercial não vejo onde é que os US têm que recuperar alguma coisa, já dominam largamente o mercado do software há décadas… estão sim (e muito) dependente de recursos naturais exportados para a fabricação de componentes. Mais ainda, o governo chinês é acionistas da Huawei o que torna as coisas ainda mais interessantes…o que vai acontecer é simples, ou a Google e outras empresas dão um murro na mesa e mudam as suas sedes fiscais para outro lado ou a China e a Rússia fazem parceria para lhes dar o último golpe… O trump gere um país a pensar que é uma empresa! Não abram os olhos não

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.