Quantcast
PplWare Mobile

Confirmado! O Xiaomi Mi 11 não vai mesmo trazer carregador na sua caixa

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Jota says:

    Não trás carregador, não compro! É simples!

  2. Joey says:

    Porque irei comprar algo que não vou poder usar.
    Sem carregador não há como usar, e se eu não tiver carregador, isso irá trazer dano para mim que sou consumidor.
    Estava pensando em comprar. Mas dessa forma irei comprar o Mi 10.

  3. Hélio says:

    Lol lá vão os chonocas todos imitar a Apple.
    Oh sorte. Em vez de copiarem só as boas ideias copiam tudo. Sendo certo que em termos de lucro para a empresa é uma boa ideia. Mas o que eu queria dizer era boas ideias para os consumidores.
    Qualquer dia a Apple cria um iPhone que rebenta as baterias e estala os ecrãs ao fim de 6 meses. Lol e lá vão os chineses copiar.. O Santa paciência..

  4. Thomas says:

    Eu entendo-os. As pessoas ja tem 10 carregadores em casa de telemoveis… Ainda por cima ha pc’s, televisoes, tomadas. Tenho o carregador do meu novo mi note 10 lite na caixa desde que o comprei e uso o do meu velho mi a2 fora de casa e o monitor do pc em casa.
    Simplesmente ja comecam a ser muitos.

    • Antoninho Pitágoras says:

      Mas se calhar foste dos que quando a Apple fez isto criticaste, agida é a Xiaomi a fazer é compreensível.

      • Joao Frango says:

        se calhar nao porque é normal do que diz. tenho 3 triplas em casa com 9 entradas usb no total. fora os carregadores que tenho arrumados que nunca vou usar. porque raio é preciso um smartphone de 700 euros que supostamente ha dinheiro para um carregador de 20 euros se necessario. la vem o drama, o horror, a tragedia…..ja fui buscar pipopas que a parolada do costume vai chorar durante 1 ano como fez no jack 3.5″

    • Filipe says:

      A 10 lite carrega a 20w, o A2 a 18w. Para quê que compraste um telemovel com carregamento mais rapido se depois não utilizas?

    • Francisco Lima says:

      Fast charger já ouviu falar?

  5. ... says:

    Não acredito que a marca da inovação vai fazer isso, a marca que se for preciso não tem lucro só para não prejudicar o cliente.
    Fogo Apple tu és destruidora, aposto que o governo americano ameaçou a Xiaomi que se não tirasse o carregador iam fazer a mesma coisa que fizeram a Huawei.

  6. Marquinho says:

    Desilusão é simples, e essa aberração de ideia vir a ser seguida pela Xiaomi começa a ser preocupante… Infelizmente acho que já pegou e as ovelhas vão atrás do pastor!

  7. Abreu says:

    Não acredito, deve vir o carregador sem fios de borla em substituição do de parede.

  8. Radamel says:

    Uma questao de mindset. Comprei um drone no natal e tb nao trazia carregador. Uma coluna jbl e tb nao trazia carregador. Uma powerbank sem carregador, um despertador com bateria, sem carregador. Começo a achar que isto só é novidade nos telemoveis.

    • Galo says:

      Claro. Obviamente que isto é uma mudança de paradigma que só está a chegar agora aos smartphones…como dos grandes players, a Apple foi a primeira a fazê-lo terá os hatters a criticá-las, e terá os fanboys a usar termos como “inovação” XD.

  9. Strato says:

    A Samsung e a proxima…ja anda a retirar toda a info da net em que gozava, como a Xiaomi, com a Apple por nao trazer carregador, mais uma vez…”os caes ladram mas a caravana passa”…

  10. pedro says:

    inadmissível !!! burros ….. ainda por cima a desculpa é a ecologia …

  11. Pirata das cabernas says:

    Por mim até pode trazer só a caixa.. Xiaomi só em aspiradores

  12. PauloP says:

    O post da Xiaomi diz que a marca vai tratar os clientes de forma diferente da Apple, só faz sentido na minha cabeça ser opcional e de graça, só para quem precisa.
    Ao contrário da Apple que cobra, e pelos vistos nem tem sempre em stock, é ainda para mais com a mania de ser diferente não usa type c no telemóvel, o que faz com que seja mesmo necessário comprar um, já que os carregadores que tenhamos em casa não tem porta type c.
    Mas sim lá vai as outras marcas atrás da Apple, até mete nojo.

    • Galo says:

      Apontaste aí duas coisas muito importantes no meu ponto de vista. A primeira (que creio que vai no sentido da UE) é obrigar todas as marcas a usar o mesmo tipo de carregador/interface! Assim, faz sentido as marcas não colocarem o carregar nas caixas, e assim reduzir o lixo electronico. A segunda é a marca (tal como se suspeita que xiaomi fará) disponibilizar o carregador opcionalmente, o que faz sentido a quem vem de um telemóvel muito antigo.

  13. João Santos says:

    A próxima grande novidade deve de ser vir sem bateria, depois será sem ecrã, bateria por aí fora.

  14. Tiago says:

    Sou contra isto. Esta medida em nada ajuda o ambiente. Com o aumento da potência de carregamento, os carregadores que temos em casa já não servem pois precisamos de carregadores mais rápidos. Mais dinheiro gasto, mais uma caixa extra. Se viesse já incluído na mesma caixa, evitava-se gastar mais cartão em caixas.

    • Rodrigo says:

      Isso nao faz sentido nenhum.
      ‘E obvio que os carregadores que ja tens em casa servem perfeitamente.
      Quando as pessoas perceberem que carregar as baterias rapidamente danifica a bateria, as empresas vão começar a voltar a baixar a potencia de carregamento.

      Por enquanto o povo burrinho pensa que carregar o telemóvel o mais rápido possível ‘e bom

      • Galo says:

        Rodrigo, não é tão óbvio assim!

        Tu próprio acabas por te contradizer sem te aperceberes. Se dizes que carregar rapidamente danifica a bateria, como podes dizer que o carregador de casa serve perfeitamente? E se o carregador de casa for de carregamento rápido (ou de maior potencia) do que a do smartphone que compraste?

        Ou se for de um carregador com potencia tao baixa que simplesmente não te carrega a bateria?

        Olha e eu só uso carregamento rápido num smartphone com 1,5 anos e não noto diferença nenhum na bateria desde que me chegou (claro que com o carregador original).

        • Rodrigo says:

          Nao, nao me contradisse. O Tiago notou correctamente que a tendencia era para aumentar a potencia dos carregadores pq as pessoas adoram números grandes e as empresas sabem disso.
          Para o povo, um telemóvel que oferece carregamento a 45W ‘e obviamente melhor do que um que ‘SO’ carrega a 30W.

          Ora se vais comprar um telemóvel novo o mais certo ‘e o carregador ser mais potente do que o anterior nao? A nao ser que compres um telemóvel mais barato do que tinhas originalmente.

          Posso estar enganado mas nao acho que existe um carregador com potencia tao baixa que nem sequer carrega a bateria. Talvez 10-15 anos atras existia mas carregadores oferecidos recentemente (menos do que 5 anos) acho que nao.

          Podes nao notar a diferenca no teu telemóvel depois dos 1,5 anos mas quando o venderes/ofereceres a alguém, essa pessoa vao reparar certamente e irão ter de trocar a bateria mais cedo do que previsto.

          Ha bastantes artigos na net a demonstrar o quao prejudicial ‘e o carregar rapidamente. Nao sou eu a dar a minha opinião desinformada.

          • Galo says:

            Rodrigo,

            experimenta carregar um smartphone de 6000 mah com carregador de 5W e depois diz como correu 😉

            E se há “bastantes artigos a demonstrar que carregar rapidamente é prejudicial”, há pelo menos tantos outros que demonstram o contrário e que isso é apenas um mito! Queres que coloque aqui alguns links?
            O que é unanime é que temperatura alta é o que mais danifica as baterias!
            E porque razão, ao mudar de mãos a bateria do smartphone iria ressentir-se? Obviamente que, após alguns anos, existe desgaste de bateria, algo que é universal a todos os equipamentos.
            Ninguém compra um smarphone com 3-4 anos a pensar que vai ter outros tantos com bateria a 100% de capacidade.

          • Raquel says:

            Galo o de 5w carrega o meu sem problema durante a noite enquanto durmo e passados 4 anos a minha bateria esta optima, ja pessoas com fast chargers nem 2 anos tem o tlm e ja não dura um dia.

          • Galo says:

            Raquel, sabes que esse teu comentário não diz nada de objetivo…
            primeiro o teu tem bateria de 6000 mah?!?
            Depois essas pessoas que supostamente conheces, usam os carregadores de carregamento rápido da marca?
            E quanto durava a bateria antes? É que há telemoveis novos que a bateria de tao pequena que é nem 1 dia aguentam XD

            já agora uns links para desmistificar:

            https://www.slashgear.com/smartphone-fast-charging-technology-myths-and-facts-05627664/

            https://www.cnet.com/how-to/does-fast-charging-affect-battery-life-6-phone-battery-questions-answered/

          • Rodrigo says:

            Sim ‘e a temperatura que danifica a bateria – isso e os extremos (estar constantemente nos 100% ou 0%. O ideal ‘e entre 40% a 80%)
            Carregar mais rapidamente faz com que os electrões passe de um lado para o outro da bateria mais rapidamente. E ‘e isso que gera calor. ‘E simples química e física. Nao ‘e mito nenhum.

            Aconselho-te a ler mais sobre como funciona uma bateria recarregavel e veras o que estou a dizer.

            Mas no fim vais acreditar naquilo que quiseres n’e?

          • Galo says:

            Rodrigo,

            tinha partilhado estes dois links aqui, mas comentário ainda nao foi aprovado:

            https://www.slashgear.com/smartphone-fast-charging-technology-myths-and-facts-05627664/

            https://www.cnet.com/how-to/does-fast-charging-affect-battery-life-6-phone-battery-questions-answered/

            O que escreveste está correto, e comprova que ha outros fatores com peso na vida util da bateria..quantas pessoas carregam o telemovel enquanto o estao a usar? Quantas pessoas levam a 0% a bateria, a pensar que isso vai fazer bem? Quantas pessoas têm o telemovel em cima da mesa na explanada ao sol, num dia de verao?

            E já agora qual o aumento de temperatura media da bateria durante um carregamento rapido vs carregamento normal?
            Ja para nao esquecer que tens carregamento rapido a 18 W como tens a 100W…

  15. Victor says:

    Oh really?? :)))))))))

  16. LA says:

    Eles vão começar a vir sem carregadores e qualquer dia sem acessórios nenhuns, mas não se iludam, porque o preço vai ser o mesmo. Querem os acessórios, pagam à parte.

  17. Miguel A. says:

    Mais uma vez, Apple a gerar uma tendência mal recebida, e depois aceite e generalizada.
    E quando o primeiro iPhone saiu sem bateria removível?
    Quando saiu com ecrã capacitivo? (havia pessoas que preferiam touchscreen resistivo, como por exemplo os Nokias com Symbian ou os PDA’s com caneta).
    E quando saiu com notch?
    E quando saiu sem ligação Jack?
    Agora é a vez do carregador, faz falta? Faz, mas também se os telemóveis começarem a sair todos sem carregador, é da maneira que compro um carregador com várias saídas e acaba-se com metade das extensões e triplas em casa. Não vem mal ao mundo.
    PS: sou utilizador Xiaomi (por agora), depois logo se vê, conforme a qualidade e o preço. Eu não trabalho para as marcas, as marcas é que devem-me convencer que o produtos deles é melhor.

    • Galo says:

      Acho que não se deve “meter tudo” no mesmo saco.

      Por exemplo o “notch” foi uma tendência com tempo de vida curto….os concorrentes rapidamente adoptaram alternativas que o eliminaram…e a ausência de notch é que é a tendência atualmente (à qual a Apple tem resistido e que no meu entender até dá um toque ultrapassado à estética do smartphone).

      Depois o Iphone não foi o primeiro a vir sem ligação Jack…

      Assim, como a ausência do carregador não foi uma “invenção” ou “inovação” da Apple. É uma tendência que se tem vindo a assistir em outros equipamentos, e que agora chega aos smartphones. E que até vai no sentido de legislação já em discussão. Quanto muito dá-se o mérito/critica de ter sido o primeiro smartphone.

      Eu apoio a medida, mas apenas se o sistema de carregamento se tornar universal. (e na transição o carregador deveria ser oferecido opcionalmente).

      • Miguel A. says:

        Não leste bem o meu comentário, em nenhum sítio disse que o iPhone foi o primeiro a lançar com determinada característica, disse que lançou a tendência. É sabido que muitas da coisas a Apple não é a primeira, mas é a que marca a tendência, principalmente pelo sucesso da aplicação das tecnologias. Não é só no iPhone, muitos criticaram os portáteis da Apple, por causa de só ter portas USB-C, o que está a acontecer? Muitos estão a ir pelo mesmo caminho. O Notch não é uma tendência, mas foi uma solução aceite pela Apple, e tomada pelas outras marcas, a fim de resolver rapidamente o problema das bordas do ecrã serem grandes (dado também ao tamanho da câmara frontal). Pessoalmente, sempre recusei ter um telemóvel com Notch (tenho um Mi Mix 2S). Como é óbvio, a opção trás um custo, ninguém no seu perfeito juízo vai recusar um carregador sendo opcional e gratuito. Além disso, o carregador já é universal, saída USB-A, visto que o iPhone trás o cabo. É uma questão menos complexa do que parece. Como disse alguém acima, é uma questão de mindset, já há muitos aparelhos com bateria que não trazem carregador.

        • Galo says:

          Ok, ao ler o teu comentário, da forma como estava a sequência depreendi erradamente que estavas a dizer que Iphone tinha sido o primeiro.

          Mas na mesma no que toca à ausência do 3.5 mm, Iphone não criou tendência nenhuma já que vários smartphones o deixaram de colocar antes, quando começou a busca por equipamentos mais finos. Do mesmo modo, continuaram a sair vários equipamentos com 3.5 mm, mesmo depois do iphone vir sem ele. Iphone foi mais um. Além disso, a popularização dos earphones e headphones wireless contribuiram muito para a aceitação da ausência do jack.

          Em relação ao notch, a Apple necessitou(a) dele ao eliminar o fingerprint, a fim de acomodar os sensores por detrás do faceID.

          Como escrevi, o ser opcional seria medida temporária, a fim de educar as pessoas para as questões ambientais. E também, porque nesta altura a maioria das pessoas que venha de um equipamento com mais 1-2 anos, terá de comprar um carregador novo. Muito mudou na potência de carregamento!
          O ser universal não é só na saída! Tem de ser na potencia, de modo a servir para os equipamentos mais antigos e mais recentes. E o cabo deveria seguir as mesma tendência. Tenho “n” cabos usb/micro usb/mini usb cá em casa que estão arrumados.

          • Galo says:

            “Como disse alguém acima, é uma questão de mindset, já há muitos aparelhos com bateria que não trazem carregador.”

            Eu tinha sido um XD

          • Miguel A. says:

            Pois, mas a potência é algo diferente. Eu se tivesse um telemóvel de 100w de carregamento não sei se queria usar sempre essa potência, para uma situação de emergência Sim, mas todos os dias? Não sei. Além disso universalizar os níveis de potência é descabido, dado o nível diferente de gamas dos smartphones. Até há telemóveis que suportam carregamento rápido, mas que tem se adquirir o carregador rápido à parte. Logo, é uma não questão. Queixa-se de ter muitos cabos micro e minis USB? Eu queixo-me de ter poucos, porque os aparelhos que usam mini USB ainda funcionam e os cabos estão a estragar-se.

          • Galo says:

            Miguel A.,

            “universalizar” não é colocar todos os smartphones a carregar a 100W!
            Estou a falar de carregadores inteligentes (já os há), que adaptem a potencia ao smartphone que estão a carregar.

            Se pudesse, dava-te uns poucos XD tudo o que compro vem sempre com um desses cabos.

          • Miguel A. says:

            Galo, mas isso já acontece, ainda na sexta feira vi uma pessoa a usar um carregador do Macbook Pro 16 (usb-c) para carregar uma máquina de tabaco aquecido (IQOS), os próprios dispositivos têm proteção (o carregador do Macbook permite voltagens diferentes e potências máximas diferentes dependente da voltagem) , eu próprio misturo os carregadores dos dispositivos, o que pior pode acontecer é carregar mais devagar. Mais depressa que o permitido não acontece pela proteção do smartphone e a ajuda da lei de ohm. O pessoal está a fazer uma tempestade.

          • Galo says:

            Sim Miguel, eu sei que já acontece.
            Mas não podemos assumir que todas as pessoas já têm um carregador desses em casa..

            Por exemplo, se o carregador que tens em casa for demasiado fraco pode nem te carregar a bateria… ou então como tu disseste o “pior pode acontecer é carregar mais devagar”. Ora isto afeta o cliente.
            Imagina teres um smartphone com bateria 5000 mah, que passa a demorar 7h a carregar em vez de 2h?!

            Por isso acho que as empresas, em vez de simplesmente retirarem o carregador, e serem acusadas de pensarem só nos lucros, poderiam fazer educação ambiental ao cliente, e dar um carregador inteligente, opcionalmente, numa fase de transição. Ou então retirar por exemplo 20€ ao valor tabelado, se o cliente dispensasse o carregador.

          • Miguel A. says:

            Nada contra essas ideias, por isso é que acredito que lojas como a Apple vão dar essas instruções, para aquisição do carregador à parte. As críticas vão sempre aparecer, e o pessoal adapta-se. Com uma iniciativa destas, mais tarde ou mais cedo vou acabar por comprar um carregador com várias saídas e com amperagens significativas. Acredito também que apareça mais soluções do género e mais produtos (tomadas de parede com USB, que existe, mas poucos se lembram). Uma das melhores soluções que apareceu foi o desaparecimento da ficha jack, a quantidade de auriculares tws baratos que apareceu foi óptimo para o consumidor (já para não falar que tenho um telemóvel na gaveta porque o jack lixou-se, se tivesse dongle era só substituir), daqui a uns meses ninguém se lembra.

  18. Danton says:

    Tenho um xiaomi, mas este será o último. Não vou apoiar empresas que querem impor este tipo de decisão. Xiaomi, Apple e todas as outras que adotarem á essa palhaçada que vão para o caralho.

  19. LA says:

    Acho mais grave os telefones virem sem auricular, do que sem carregador. Mas vindo sem carregador, é melhor retirarem o valor do carregador ao valor do telefone (porque senão toda a gente vai achar e com razão que o fazem para aumentar as margens de lucro) e começarem a criar uma sistema de carga universal, de forma a se poder carregar o telefone, em qualquer porta usb de forma rápida e sem corremos o risco de danificar, o mesmo.

    • Miguel A. says:

      Lá está, é a historia do avô, do neto e do burro. Toda gente critica, independentemente da situação.
      Os auriculares vão para o lixo, é daquelas coisas que não faz sentido nenhum trazer, tem fraca qualidade para ouvir musica e não se pode usar como mãos livres a conduzir porque são proibidos auriculares estereo.
      Portas USB são todos, a velocidade de carregamento, depende também do suporte do telemovel. E isso está mais ou menos universalizado.

      • LA says:

        Em relação aos auriculares, a mim dá-me jeito, não para usar como mãos livres, mas para ouvir musica, sem ter de gastar dinheiro em adaptadores, ou em auriculares bluetooth. Em certas marcas, os auriculares até têm alguma qualidade.

        • Miguel A. says:

          Não, não tem. os melhores são os da Apple e mesmo assim são fracos. O pessoal habitua-se mal. Uns bons headsets com fios custam 20€ e duram. Se usa de fios e estragam-se é porque são maus, tenho uns da Apple que duraram muito tempo e funcionam, deixei-os de usar porque a qualidade não é nada de jeito. Com 20€ já se compra bons headphones in-ear, com qualidade decente. Se não trazer fones e carregador se traduzir em 50€ a menos, que venham sem eles.

  20. Pedro Gonçalves says:

    Não percebo como o pessoal aceita isto mas pronto, cada um sabe de si

  21. O bastardo says:

    Aqui toda a gente acha grave tudo LOL

    Têm auriculares e carregadores com PD e nem usam os que vêm na caixa, no entanto acham grave não vir com X ou Y que iriam ficar na gaveta.

    Eu por exemplo tenho carregadores 15W wireless de marcas brancas e carrego desde o meu S20 Ultra, S9 Plus, S8, auriculares Bluetooth Samsung etc e é muito raro usar por cabo. Ou seja, os carregadores mal saem da caixa…

  22. Francisco Lima says:

    Essa DESCULPA, da questão ambiental é que deixa a rir.
    Não incluir o carregador é mais uma maneira de ganhar mais uns Euros na venda do telemóvel. Os fabricantes querem lá saber do aspecto ambiental, eles querem é saber só e unicamente de números.
    Por isso mudei de ideias quanto à questão de comprar esse telemóvel.
    Fico há espera do muitíssimo melhor OnePlus 9 Pro.

  23. gr33nbits says:

    Muita gente ainda não tem ou usa USB Type C ou Micro USB e essas pessoas vão ter que comprar carregador, desde que esta tendência faça com que algo melhor a nível ambiental eu apoio 100%, eu por exemplo Micro USB tenho vários carregadores cá em casa, já USB Type C só tenho um que veio com o ultimo telemóvel que comprei.
    Se as marcas que agora deixam de meter carregador na caixa tenham em conta o desconto para isso mesmo e reflita no preço, Ok.

    • Rodrigo says:

      Por exemplo a Apple integrou o 5G nos novos telemoveis sem aumentar o preço. Todas as outras marcas aumentaram o preço com a inclusão do 5G.

      • Galo says:

        Nem “8 nem 80″…Não generalizes!
        A Xiaomi (e é só um exemplo) tem smartphones 5G na gama dos 200-260€.
        Além disso, o topo de gama desta marca, mi 10 ultra (que em certos aspectos, como camaras, até tem ficado à frente do melhor iphone) pode ser comprado por cerca de 700€. Isto não é metade do preço do topo de gama da Apple?!?

        Isto para dizer que o aumentar preço é muito relativo… Pode não aumentar o preço, mas continuar a estar no topo dos mais caros 😉

        • Rodrigo says:

          Quando disse todas as outras marcas estava a falar dos concorrentes directos da apple – Samsung, OnePlus, LG, etc.
          Apesar dos telemoveis tipo Xiaomi, Huawei serem bons telemoveis nao os considero ao mesmo nível do Samsung, OnePlus, etc por vários motivos.

          • Galo says:

            Concorrentes diretos e colocas LG?!?
            E não consideras a Huawei e a Xiaomi, que são no momento, a 2ª e a 3ª maiores fabricantes de smartphones como concorrentes da Apple?!? Ainda para mais quando os topos de gamas destas marcas têm sido reconhecidos pelos especialistas?!? Nalguns campos até à frente do Iphone…

            Mas ok. É a tua opinião.. Pode estar errada mas é a tua opinião. Deverias ter escrito “na minha opinião”…

          • Miguel A. says:

            Gostava de saber os motivos para considerar a OnePlus ao nível da Apple e Samsung e a Huawei e a Xiaomi de nível abaixo. Sendo que as últimas alavancaram o mercado dos telemóveis, cada uma à sua maneira.

          • gr33nbits says:

            Eu acho que isso acontecia á alguns anos atrás em que a Samsung era o concorrente da Apple, hoje em dia Huawei, Xiaomi, Oppo, Realme, etc são melhores apostas que Samsung em muitos casos, claro se formos falar em ecossistema a Samsung tem vantagem quando tens TV, Tablet, Phone, Smartwatch mas isto é relativo porque as outras marcas exemplo Huawei já começam a ter tudo e ao mesmo ou melhor nível.

          • Rodrigo says:

            @Galo Nao, nao considero Huawei e Xiaomi como concorrentes da Apple. Realmente são a 2a e 3a maior fabricantes de telemoveis mas isso ‘e somente pq vendem a maioria parte na china – que ‘e somente o maior mercado do mundo!
            Atenção que ja cheguei a ter um Huawei e gostei. E actualmente tenho um Honor 20 Pro como Android de backup. Mas continua a achar que essas marcas nao estão ao mesmo nível das outras. Talvez um dia!

            Enquanto que Samsung e Apple são vendidas em qualquer lado e tem lojas próprias em todos os países.

            @Miguel A OnePlus inspira muito mais confiança do que a Huawei e Xiaomi. Apesar de todas serem marcas chinesas.
            Por exemplo, se comprar oneplus sei que vou ter actualizações durante muito tempo enquanto que o mesmo nao se pode dizer acerca das outras marcas referidas.

          • Miguel A. says:

            A diferença da OnePlus para a Xiaomi é os vários segmentos de oferta. Se a OnePlus tivesse gama de entrada como a Xiaomi e a quantidade enorme de telemóveis diferentes, descansa que a OnePlus ia pelo mesmo caminho. A Xiaomi é uma referência a nível de atualizações, mas como é óbvio, é nos topos de gama. Além disso, a Xiaomi lançou vários telemóvel de referência em design, Mi Mix, MI Mix Alpha, é das que está a frente para resolver a questão da câmara por baixo do ecrã, já tem os seus projectos de ecrãs dobráveis, tem wearbles de referência, e ainda uma série de produtos fora do ambiente mobile. OnePlus é muito boa sem dúvida, mas só faz aquilo. Baseaste numa opinião para dizer que “não está no mesmo nível” e depois vê-se constantemente a Huawei e a Xiaomi nos topos das tabelas.

      • gr33nbits says:

        Sim esperemos que isso não seja uma maneira das marcas ganharem ainda mais dinheiro no equipamento.

      • Francisco Lima says:

        Aumentar ainda mais? Realmente são muito baratos

  24. Euéquesei says:

    Eu então sou mais radical, telefones destes valores mesmo que trouxessem 20 carregadores não os compraria.

  25. Sérgio Caetano says:

    Boas, dificilmente se pode chamar ao obrigar os clientes a comprar um produto que devia vir na caixa de inovação. Não trazer os phones ainda entendo, é menos custo e não impede o equipamento de funcionar.

    • gr33nbits says:

      Sim por acaso a cada novo telefone que compro menos equipamento vem dentro da caixa, o anterior Huawei vinha com tudo, carregador, fones, este Realme traz o carregador e vai lá vai ainda bem que não esperei mais porque com “moda” agora todas as marcas devem seguir caminho e nada de fones nem carregadores.

  26. Luis Henrique Silva says:

    Ao cumulo que chegamos, não vir carregador com os smartphones, é uma acessório essencial, uma pessoa não é obrigada a ter de comprar um à parte, devia ser parte integrante do produto.
    Que raio de ideia tiveram as empresas agora, e ainda dão a desculpa da pegada ambiental, poupem-me, isso não cola a ninguém, vir sem fones ainda se desculpa porque é uma opção de quem quer usar ou não enfim……
    É que uma pessoa vai ter de logo comprar um carregador que seja compatível o mais possível com determinado smartphone.
    Era o mesmo que agora os portáteis ou outros produtos deixarem de vir sem carregador ou cabo de energia……

  27. Carlos says:

    Pelo menos na China, a Xiaomi vai vender duas edições. Uma com carregador de 50W e outra sem carregador. As duas versões custam exatamente o mesmo (3999 yuan). A responsabilidade ambiental fica ao critério do utilizador.

    • gr33nbits says:

      Acho que todas as marcas deveriam começar assim, dar escolha ao consumidor e deixar ao seu critério a questão da pegada ambiental, claro se os dois estiverem ao mesmo preço vai ser dificil o consumidor não levar o que traz mais na caixa por menos dinheiro.

    • rodrigo says:

      Tenho ainda melhor idea! Era vender o telemóvel sem carregador ao preço normal (por exemplo) €500 e o modelo com carregador a €520. Isto se um carregador ‘aparte custasse €30.

      Era da maneira que as pessoas pensariam 2 vez antes de comprar o model com carregador – so mesmo se precisassem.
      Irao pensar – ‘€20 por um carregador que nao preciso? Nao obrigado!’

      • Galo says:

        Boa ideia. Já tinha proposto algo semelhante atrás.
        Desse modo só compraria mesmo quem precisasse, e a marca nao ficaria colada apenas à procura de lucro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.