PplWare Mobile

Smartphones Xiaomi e Samsung entre os principais emissores de radiação em 2024

                                    
                                

Imagem: katemangostar on Freepik

Fonte: Stocklytics

Autor: Pedro Simões


  1. cK says:

    Oi? A Apple sempre foi conhecida por terem iphones mais ‘radioativos’ como foi o caso do 12, em que a França os proibiu

  2. Técnico Meo says:

    Continua-se a usar o termo ” radiação ” de forma pejorativa / alarmista. Atenção, o artigo do Pedro está cientificamente imaculado. A questão é que estes valores estão abaixo do que a legislação prevê, valores esses bem estudados faz muitos anos. Se a radiação abaixo do espectro ionizante fizesse mal já estaríamos todos mortos. Há décadas. O planeta terra visto de fora é uma autentica cacofonia de Radiofrequência artificial constante. Querem telemoveis sem radiação? Fine by me, não há rede a não ser que estejas debaixo de uma torre. E já agora, nada de Bluetooth , WiFi e NFC. Estou numa aldeia da Sertã ou na serra da Cardosa e não tenho rede mas o xungo do xiaomi do meu irmão tem 2 riscos de rede e consegue fazer chamadas? Well, cry less. Se podemos ter mais eficiência com menos potencia P.A.R. emitida? claro que sim, é o santo graal da Radiofrequência; do More with less. Mas nas potencias permitidas era preciso ter antenas de polarização circular ( best overall, usado nos satélites muitas vezes ) externas ao telemovel. Querem ? Continuo a dizer, numa situação inusitada, mais vale ter um pouco mais para estabelecer contacto do que não conseguir de todo. Outra ideia era usar efetivamente potencias reduzidas mas o equipamento ter a possibilidade destacar uma antena externa oculta na carcaça e numa necessidade o telemovel poder aumentar potencia de emissão. Muitos telemoveis na década de 90 tinham a possibilidade de antena externa colapsável. O problema é o custo e o design.

    • cK says:

      Concordo plenamente, a questão prende-se do contacto das ditas radiações a longo prazo. Não se consegue ainda apurar os efeitos nocivos. Mas bem, não fazem de certeza. A Samsung por exemplo, e se desmontarem um telemóvel da marca, conseguem ver que há uma repartição em vários pontos da antena em todo o perímetro do retângulo, o que permite apanhar rede mais facilmente num desses pontos.

  3. Jorge Martins says:

    Lololol

    Mi A1, telemóvel de 2017 penso eu.. 7 anos
    Mi Max 3 telemóvel de 2018 penso eu também.. 6 anos

    que raio de noticia é esta????

    Nem a brincar!

  4. Vitolas says:

    Isto é a prova como estatísticas, rankings, etc são escolhidos como melhor convém, para além de serem modelos já com largos anos não sendo sequer vendidos já atualmente (excluindo talvez o Samsung), não são nem de perto nem de longe dos que foram mais vendidos pelas marcas e pior, nem são sequer top 10 nem 20 dos que mais “radiação” emitem isto em um universo de todos os smartphones já fabricados.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.