Quantcast
PplWare Mobile

China: Aumento de 17% no envio de smartphones em abril faz prever recuperação

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Dark Sky says:

    “China: Aumento de 17% no envio de smartphones”
    Bem, dantes escrevia-se “vendas” passou a ser “envios” … de onde para onde? Das fábricas para a distribuição (smartphone shipments).
    Pode haver grandes diferenças entre os “shipments” e as vendas em certas marcas.
    Quanto à tradução de “shipments”, em vez de “envio” parece-me melhor “fabrico” – “China – aumento de 17% no fabrico de smartphones”.

    • Vítor M. says:

      São envios, que poderão ser posteriormente vendas. Isto porque algumas marcas têm lojas próprias e o stock não são vendas. E o shipments não é o fabrico, é mesmo o “enviar para”, que é uma forma de terceiros poderem “ter a informação” sobre o que a empresa coloca no mercado.

      • Dark Sky says:

        Smartphones fabricados – sabe-se o que é. Parte ainda estará armazenada nas fábricas, antes do envio para distribuição.
        Smartphones enviados – convém dizer para onde. Seria “smartphones enviado para a distribuição”, o que é muito longo.
        Às tantas já não se sabe para onde se envia e fica, como no post: “o envio de smartphones das fábricas da China – para os fornecedores – aumentou 17% no mês de abril ” 🙂

        • Vítor M. says:

          Enviados sabe-se que é da fábrica para a revenda (não ser´para o lixo, certamente!!!), aliás, é a única forma de terceiros poderem saber, sem ser do fabricante, esses números. Basta um exercício mental simples, qualquer pessoa consegue, para perceber o que poderá significar. 🙂

          • Dark Sky says:

            Sem dúvida segundo o post, foram enviados … para os fornecedores.

            Quanto a terceiros saberem esses números, vai-se às empresas de distribuição e pergunta-se quantos smartphone lhes foram entregues? Nem pensar.

            No caso da China é o próprio Governo que publica o total – até agora publicava o total, os Android e, por diferença, sabia-se quantos eram os iPhones (também há iPhones montados na Índia). Desta vez publicou só o total.

            Dado que as marcas deixaram de publicar o número de “shipments” (só a Apple publicava vendas), e já tinham acabado antes com a publicação por modelos – os “shipments” são estimativas de empresas de estudos de mercado (e por isso os números diferem significativamente entre empresas).

          • Vítor M. says:

            Como referi, são entidades terceiras que têm acesso a essa informação, muitas delas serão estatais, claro. As empresas deixaram de publicar as vendas há algum tempo, quando ano após anos, as suas vendas foram sendo indicador da saúde financeira. A Apple, pela queda da venda dos iPhones, há uns anos (2 creio) também o deixou fazer, para não contaminar o desempenho estimado na ótica dos analistas, valores por vezes tidos em conta pelos investidores. Assim, os números de shipments são o que podem agora dar uma ideia da saúde deste mercado.

  2. Joselito says:

    Genocidas faturando e o gado comprando!

  3. Nuno says:

    Qualquer marca jeitosa já cobra os preços elevados da Apple por um telemóvel por isso tenho o meu mi max2 a três anos e ainda aqui vai continuar outros tantos!
    Vou acompanhando a evolução mas não compro nem um!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.