Quantcast
PplWare Mobile

O WhatsApp consegue ler as mensagens cifradas mas o Facebook diz que não faz mal

                                    
                                

Fonte: ProPublica

Autor: Pedro Simões


  1. Bernardino Soares says:

    Onde se escreveu:
    ” social insiste à vários anos”

    Devia estar escrito:
    ” social insiste há vários anos”

  2. Paulo Martins says:

    Se é possível reportar mensagens faz sentido que alguém as possa avaliar, caso contrário como é que a plataforma poderia tomar ações? Poderia ter um algoritmo com base de número de vezes que a mesma mensagem é reportada tomava ações mas aí está sujeita a trolls ou tem que ter acesso às mensagens, o facto de dar acesso apenas às últimas 5 mensagens para obter contexto é um bom compromisso entre privacidade e proteção.

    • Piwi says:

      Pode fazer sentido, mas não pode dizer que não vê nada e que a encriptação é feita ponto-a-ponto.
      “Zuckerberg’s vision centered on WhatsApp’s signature feature, which he said the company was planning to apply to Instagram and Facebook Messenger: end-to-end encryption, which converts all messages into an unreadable format that is only unlocked when they reach their intended destinations. WhatsApp messages are so secure, he said, that nobody else — not even the company — can read a word. As Zuckerberg had put it earlier, in testimony to the U.S. Senate in 2018, “We don’t see any of the content in WhatsApp.”” (https://www.propublica.org/article/how-facebook-undermines-privacy-protections-for-its-2-billion-whatsapp-users)

      • Tiago Santos says:

        Comentário denunciado por conter fontes crediveis.
        A tua conta será suspendida dentro de momentos. 😀

      • Paulo Martins says:

        Uma coisa não contradiz a outra, digamos que a minha comunicação para ti é encriptada ponto a ponto, a equipa de WhatsApp não consegue ver, se eu reportar uma mensagem o meu telemóvel envia as últimas mensagens para análise, a encriptação na comunicação nunca é quebrada. Não sei se realmente funciona assim ou o Zuckerberg mentiu.

  3. Piwi says:

    Nada de novo.
    O povo é que continua a insistir em usar essa plataforma quando tem outras bem mais privadas (Signal ou telegram, por exemplo).

    • Blackbit says:

      Supostamente “bem mais privadas” ….

      • Piwi says:

        Sim, o “supostamente” é, de facto, algo que deveria lá estar. Pelo menos o Signal é recomendado pelo, talvez maior whistle-blower em questões de privacidade dos últimos tempos, Edward Snowden. A minha utilização preferencial passa logo por essa. No entanto, dado que as massas preferem não trocar (somos muito avessos à mudança em tudo, mesmo quando é melhor para nós), acabamos quase por nos ver forçados a usar também.

        • NotFUD says:

          O telegram funciona igual ao whatsapp, a diferença é que é operado na Rússia em vez dos EUA… Vê a documentação e TOS.

          • Husk91 says:

            Que comentário mais patético.
            Em vários sentidos.

            O fundador é Russo, mas saiu do país exatamente pq o Putin queria ter acesso às mensagens encriptadas.
            O telegram está a anos luz à frente, do whatsapp

            Falas mal do telegram, mas quantas noticias tu vês deste género acerca dessa mesma app?!
            Abre o olhos.

            Secalhar devias ler TU a documentação.

          • NotFUD says:

            Caro @Husk91, antes de mandar o seu bitaite recomendo que LEIA de facto a documentação:

            https://telegram.org/faq_spam#q-what-happened-to-my-account

            O título teste artigo poderia substituir “WhatsApp” por “Telegram”. Ambos operam da mesma forma.

    • ZarkBit says:

      O problema é que a maioria não se importa até ter um impacto directo na vida delas, pessoa X partilha Conta/Senha pelo whatsapp com familiar, alguém interno com acesso vê essa informação, aproveita e faz uso e fruto, só após isto é que a pessoa X decide mudar de plataforma.

  4. ZOA says:

    Neste artigo não existe um único nome concreto, apenas nomes de empresas abstratos de “Facebook e WhatsApp”…

  5. Matias Fonseca says:

    O Telegram agradece.

  6. Mitra says:

    “o Facebook recebe ainda as 4 mensagens anteriores, para contextualizar as queixas.”
    Encriptação ponto a ponto dizem eles…hehehe que banha da cobra que eles vendem.

    Tanta coisa melhor existe no mercado que respeitam mais a privacidade e a “real encriptação” dos dados, enfim!

  7. Jota o maior amigo says:

    Prova que eles facebook/whatsapp fazem o que querem e não o que apregoam e tudo em nome de uma mentira.
    Não faz nenhum sentido ter um serviço que diz ter criptografia ponta a ponta e depois a empresa mãe tem total acesso à mesmas mensagens ditas criptografadas.
    Se o whatsapp tem a opção de bloquear um numero que esteja a ser desagradável, então não tem por que ter a opção de denunciar só para se servirem disso para terem total acesso às mensagens de quem usa esse serviço.

  8. Jota o maior amigo says:

    Em tempos até tive facebook, messenger, instageam e o whatsapp, mas devido a tantos erros, tanta falta de confiança nos serviços Facebook, eliminei a todos e hoje uso somente o Signal e todos os contactos que preciso, seja familia e amigos estão lá.

  9. Wilson Luz says:

    Eles encriptam para a concorrência não pegar a galinha de ouro deles

  10. DFS says:

    Aqui não está em causa a emcriptação. O acesso não é nos servidores deles mas no equipamento de quem faz a denúncia. Não me parece mal, embora é sempre discutível nomeadamente o número de mensagens enviadas. Temos sempre uma questão de privacidade, quando denuncio a mensagem de alguém, tenho de a enviar, e normalmente sem concentimento ou autorização do autor.
    A única solução para isso era não haver a possibilidade de denúncia, contudo prefiro ter essa possibilidade. A privacidade é importante, mas não é o único direito que temos.

  11. Mike says:

    Não estou a ver qual é o problema… ou o pessoal ainda não percebeu os conceitos? As mensagens são encriptadas de ponto a ponto, logo, emissor e receptor são os únicos que conseguem ver as mensagens trocadas entre si. Se o receptor faz uma denúncia de uma mensagem do emissor (que está desencriptada no dispositivo do receptor), este envia “uma cópia” da mensagem denunciada (desencriptada) para o Facebook e tem ainda a opção de incluir as 5 mensagens anteriores à mensagem denunciada (também desencriptadas). Não vejo aqui nenhum problema com privacidade, porque se o receptor é capaz de denunciar mensagens do emissor, também ele era capaz de copiar as mensagens e manda-las por email, telegram, signal, etc. para outra pessoa ou grupo de pessoas… a questão da privacidade é muito bonita até um certo ponto, nada nem nenhum sistema consegue garantir uma privacidade a 100% quando existe um manuseamento humano pelo meio… Fala-se de privacidade do telegram, mas as mensagens, ao contrário do whatsapp, ficam guardadas nos servidores do telegram, para assim possibilitar o login em qualquer browser e continuar as conversas a partir daí…

  12. Joao Ptt says:

    O que está errado é que não é do conhecimento geral que mandam a mensagem denunciada e as 4 mensagens anteriores à denunciada. De resto é compreensível, para reconhecer se uma conta está a abusar dos termos e serviços e deve ser encerrada faz sentido terem conhecimento do conteúdo que deu origem à denuncia.

    As pessoas no geral não querem saber, até podia ser tudo enviado como antigamente sem qualquer cifra a proteger o conteúdo, mas para aquelas para quem isso é fundamental (ex.: exigência de legislação) poderão querer considerar outras opções, porque não é possível ter a certeza que a mensagem não está a ser interceptada e decifrada em tempo real já que a própria aplicação permite que a pessoa mude de dispositivos sem avisos sequer a menos que seja ligado, e mesmo com os avisos como é que a pessoa vai saber se o outro mudou de dispositivo ou a comunicação está a ser interceptada e decifrada em tempo real… pior: podem até estar a modificar em tempo real os conteúdos da comunicação.
    Isto porque as chaves pública/ privada de autenticação não são geradas e mantidas exclusivamente no próprio dispositivo… e a comunicação não é estabelecida de tal maneira que a mudança da chave de autenticação desencadeia um bloqueio de todas as comunicações, logo qualquer um pode meter-se no meio e na melhor das hipóteses recebe um aviso de que a chave mudou e é só isso… não conheço alguém que parasse de comunicar mesmo que visse tal aviso, eu sou meio paranóico nessas coisas e nem eu deixava de comunicar quando andava a testar o WhatsApp… logo duvido que alguém o faça.

    Telegram não cifra de ponto-a-ponto a não ser que activem a opção.
    Signal (tal como o WhatsApp) divulga o vosso número de telefone que é um NÃO gigante a nível de privacidade.

    De momento só a aplicação Threema oferece o mínimo de privacidade e segurança, partindo do princípio que o smartphone/ tablet em si não está comprometido claro, já que não precisa de e-mail/ número de telefone, e as chaves de autenticação são geradas e mantidas localmente, e as comunicações são obrigatoriamente todas cifradas ponto-a-ponto, a mudança de chave de autenticação invalida a possibilidade de comunicar com a outra pessoa já que o aplicativo vai rejeitar a comunicação… logo terceiros meterem-se no meio da comunicação depois de sair do dispositivo do utilizador é consideravelmente mais difícil. Mesmo esta aplicação, pela tecnologia utilizada só será segura para comunicações até ao nível “secreto” (“Público”, “Sensível” e “Secreto”), acima disso (“Muito secreto”, “Acima de Muito Secreto”) não é a opção adequada. (Diferentes organizações têm diferentes formas de classificação… mas fica a ideia).

  13. Samuel MG says:

    Ainda bem que não uso nem WhatsApp e nem Facebook!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.