Quantcast
PplWare Mobile

Dois documentários sobre pandemias para ver na Netflix

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. O pirata says:

    Uau corona… vamos todos morrer… há mais pessoas a morrer de diarreia do que com esse vírus da moda…

    • eu says:

      Apesar de concordar consigo que isto é 90% de paranóia e apenas 10% (ou menos) do real risco, a verdade (ou pelo menos eu acredito que sim), é que o impacto real é muito menor derivado a esse mesmo pânico.

      A diferença entre a diarreira e o “coroa d’el rei”, é que este é exponencialmente mais contangioso que a diarreira.

  2. Luis says:

    Adoramos andar em pânico, o medo vende, então nada como ver entretenimento sobre o tema para ajudar.

    • eu says:

      O medo vende mais do que o desejo.
      O desejo vende bem mas o medo mobiliza bem mais e tem um efeito contagioso (mais do que o vírus em si).

    • sba says:

      O medo vende, mas neste momento o medo está a fazer uma crise económica enorme. Não está a vender, está a dar prejuízo. Fábricas fechadas, lançamentos de produtos parados, festivais e eventos cancelados, voos cancelados, etc…

      • eu says:

        True. Por outro lado, a greta vai para o desemprego e mais ninguém se irá lebrar dessa pirralha, pois num ou dois meses vai-se atingir o objetivo de redução do CO2 aos níveis mimimos históricos, que demoraria uns 50 anos !!!

        • O pirata says:

          Verdade 🙂

        • Hugo says:

          É esse o problema. Ninguém se irá lembrar… e voltará tudo ao mesmo, mais década menos século.

        • sba says:

          O que é que isto tem haver com a Greta? Sinceramente não percebo o ódio que ela recebe. Tenta acordar os líderes para o caos que o clima do planeta se encaminha e recebe ódio? Realmente aquela frase do
          George Orwell faz cada vez mais sentido: “Quanto mais uma sociedade se desvia da verdade, mais ela odieia quem a fala.”

          • Vitolas says:

            Eu sei que é mais “fofinho” ter uma miúda ainda por cima com uma doença e que falta as aulas para protestar por o planeta estar na situação que está,mas sejamos realistas,para alem de ela andar a encher os bolsos dela e dos que a rodeiam o que é que ela efectivamente fez para ajudar o planeta a melhorar que montes e montes de pessoas já não fizeram e fazem?

          • ze says:

            Quem se desvia da verdade são os ditos activistas que não conseguem sequer ver qual é o problema quanto mais sugerir mudanças.
            O problema é só um, população em demasia, soluções são mais que muitas, não olhando para o problema que existe tudo o que se possa fazer só garante uma ou duas décadas a mais ao planeta.

          • O pirata says:

            Quem disse a frase “destruíram a minha infância” ?

            A) Uma criança desnutrida em África
            B) Uma criança que sobreviveu a uma guerra?
            C) Uma criança que é obrigada a trabalhar na China?
            D) Uma rapariga rica e mimada que sempre viveu num país rico?

  3. João M. says:

    Acho que também têm o World War Z . No entanto, não é tão bom como os outros 2 comentários sugeridos 😀

  4. Serodio Cera says:

    E que tal verem a serie “Years and Years”? Vai tudo acabar assim!

  5. falcaobranco says:

    Não é preciso andarmos cheios de medo e quase não sair á rua… mas se as pessoas tivessem a minima noção de quantos virus existem no mundo, e muitos deles estão contidos em laboratorios secretos, não falavam assim…

    Quanto aos documentarios…existem tantos pela net fora, muitos deles quase banidos pelas forças governamentais…

  6. Vivas says:

    Vejão tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.