Quantcast
PplWare Mobile

UE: Fim da venda de veículos a gasóleo ou a gasolina após 2035

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Zé Montanelas says:

    Isto só seria possível se existisse mesmo uma alternativa viável e abundante a baterias de lítio.

    Mas a própria infraestrutura das cidades muito pouco em breve estará preparada pra isso, principalmente em zonas de maior densidade.

    • asimoto says:

      concordo, ainda para mais quando seria necessário uma quantidade de energia abismal constantemente disponível para puder alimentar esses monstros energéticos..

      Pra mim… é melhor aguardar.Deixa-los poisar primeiro 🙂

    • Gonçalo says:

      por isso é que é só daqui a 13 anos, quando o carros pareceram também não havia bombas, e extração de petroleo e refinação era pouca mas como em tudo à medida que os carros aumentas estas infraestruturas também

  2. Miguel says:

    Erros atrás de erros… Porque não eletrificar os autocarros? Porque não proibir táxis antigos de circular e fomentar a compra desses veículos a GPL? Porque não ter os TIR a GNL? Porque terá de ser o cliente particular a pagar a ideia de que é ele que polui mais? E os navios de cruzeiro? E os cargueiros que queimam fuelóleo? A rede elétrica suportará um aumento de produção e de procura? Como será aumentada a produção de energia elétrica limpa? De que são feitas as baterias dos carros? Como serão recicladas? Mais uma vez questiono, será que terá de ser o cliente particular a pagar a fatura? Enfim…

    • darksantacruz says:

      Concordo em pleno mas a UE pelos vistos toma decisões com base em modas e não de forma racional e sim quem irá pagar a fatura será o cliente particular.

    • Rui Phd says:

      Ja existem autocarros eletricos. Vives em que mundo? Ate nos paises de leste como a Polonia tem todos os autocarros eletricos

    • Miguel says:

      É por isso que digo que é um Lobby… porque tem os passos de uma empresa (ou pessoa) que quer maximizar os lucros no menor espaço de tempo.
      Se pensarem bem, o ambiente não explica isto, até porque a mineração é um atentado ambiental e a energia, agora produzida a carvão nem se fala.
      No entanto, se tivesses interesses na venda de materiais de baterias, porquê direccionar para mercados industriais, como camiões, transportes publicos etc, quando podes apontar para consumer e vender um carro a todas as pessoas.
      É por isto que eu já estou 100% convencido que alguém mt poderoso anda a afiar as unhas na UE.
      Será BlackRock, será algum político, não sei, mas alguem poderoso dos USA ou UE anda por aí a fazer das suas

      • Louro says:

        @Miguel,
        Estás a esquecer do impacto ambiental e da quantidade completamente absurda que usamos para extrair petroleo?
        E já nem falamos em o transportar e refinar.

    • jorgeg says:

      +1 a parte boa e que a este andamento a Europa em 2030 ja nao existe. A Europa e liderada por inuteis icompetentes e corruptos!

    • Louro says:

      @Miguel,
      Porque energeticamente e ambientalmente os electricos sao 1000 vezes melhores.

    • Gonçalo says:

      1 – já existem autocarros eletricos e a GPL
      2 – Já existem muitos taxis e ubers eletricos e será sempre uma tendencia por causa do preço dos combustiveis,
      3 – Tanto avioes como navios também estão a estudar novas formas mas carros existe alternativa hj e agr para aviões e navios é mais dificil mas irá existir
      4- sim a rede vai suportar tal como sempre suporto os aumentos vai ver o aumento de consumos nos ultimos 50 anos que foi exponencial e a rede aguentou, tal como quando apareceu a gasolina não haviam bombas depois foram aparecendo.
      5 – Portugal já tem cerca de 60% de energia limpa é só continuar este trabalho

  3. Samuel MGor says:

    Nisto tudo quem vai ganhar são os mecânicos de carros a combustivel 😛

  4. SANDOKAN 1513 says:

    E em 2035(daqui a 13 anos),também teremos o único aeroporto da região centro,o aeroporto de Alcochete.Está tudo feito e em combinação.Tudo a andar no bom caminho(olha a ironia…).

  5. Pedro says:

    Sou contra os elétricos, vai ser bonito o futuro vai, vejamos ou isto muda radicalmente e os carros são carregados em 5 min de alguma forma ou vai ser o terror nas ruas.
    Vamos por partes:
    Como ficam as pessoas\famílias que têm carros de 500€\1000€\2000€\3000€\4000€? Ficam com as vidas suspensas?
    E quem não tem garagem, vai andar com cabos a atravessar pela rua como já vi a acontecer? Na melhor das hipóteses podes estacionar a porta e se não tiveres lugar a porta e estacionares a 300 metros andas com uma extensão atrás de ti?
    Quem for comprar carro usado com 8\10 anos funciona a vida da bateria? Porque a vida útil não é a mesma que vem de fábrica? Vai gastar rios de dinheiro a trocar baterias?
    Se um carro demorar 15min a carregar e um posto só suportar 5 carros ao mesmo tempo, a fila gigante que formar mais o tempo exageradamente longo e inviável que vai ser como fica a situação? Vão ser construídas torres ao alto apenas para o efeito?
    O número de carros que existe atualmente na Europa e falo só na Europa o que se vai fazer aos carros? Viram sucata? Só de imaginar o número que existem até mete medo.
    Digo e volto a dizer sou contra os elétricos e espero que falhem no futuro redondamente. Não há nada como um carro a gasolina, só o prazer de um motor a gasolina até me dá arrepios.

    • J. says:

      neste momento sou totalmente contra a forma que os politicos estão a usar para impingir os v.e. aos consumidores e aos fabricantes.
      sou da opinião que o mercado automóvel, tal como qualquer outro, deveria regular-se sozinho mediante a procura e a oferta, mas também acho que as futuras regras apenas beneficiarão os produtores e vendedores de energia.
      além disso, de facto, o seu comentário é relevante porque aborda várias problemáticas que têm de ser pensadas e resolvidas urgentemente.
      dessas realço:
      – na europa, muitos dos jovens e também a classe mais desfavorecida (e não me estou a referir aos “gunas” que andam de série 3), têm automóveis usados adquiridos a muito baixo custo mas que lhes permite deslocar-se facilmente no seu dia-a-dia;
      – nas grandes cidades europeias, os prédios não têm garagens, logo, será difícil proceder ao carregamento dos v.e. com o seu próprio tarifário de energia.

      • Miguel says:

        Exacto até porque limitar a competição de tecnologias danifica obivamente as outras, mas também prejudica os veículos electricos, porque os avanços vêm dessa competição.
        Sem a competição dos electricos os ICE não tinham tão poucas emissões como hoje, mas também a exigência na autonomia dos electricos seria menor.
        Ao acabar com ICE’s os electricos são prejudicados

    • Américo Mendes says:

      Julgo que não percebeu a notícia…
      Quem tem carro, continua com ele até querer.
      Pode inclusive comprar carros usados que vão existir por muitos anos.

      O que vai deixar de ser possível é adquirir carro NOVOS a a partir daquela data.

      • Miguel says:

        Isso é bonito de dizer, mas tal como já se começa a verificar, o preço de tudo vai aumentar, para que troques o quanto antes. De preferência antes da data…

    • B@rão Vermelho says:

      @Pedro com todo o respeito começaste bem mas acabaste mal, eu também sou fã dos motores de combustão ver uma corrida de Moto GP Vs Moto E, ou F1 Vs FormulaE, é gritante é o mesmo que comer pão sem sal, mas temos de ver que assim como está não é sustentável.
      Acho que por todos os ovos no mesmo cesto neste caso nos elétricos é um risco enorme, nem sei se é possível, o que temos de minerar para por todos os carros elétricos, vamos estar a proteger de um lado e a “escavacar” do outro.
      Acrescento ainda os danos que os navios fazem e que parece que estão todos a assobiar para o lado.
      Vamos ter de encontrar um meio termo entre veículos elétricos, hidrogénio e combustíveis sintéticos, e mais alguma tecnologia que ira certamente aparecer.

    • Sabe-se lá says:

      Sobre as baterias, os carros num futuro talvez distante, poderiam funcionar como os das pistas de carros telecomandados: por indução. A energia ser diretamente enviada do piso (ou algo na mesma linha) diretamente para o veiculo, sem precisar de baterias.
      Claro que para por um sistema desses a trabalhar, tem que ser uma cidade quase feita do zero… mas funcionava! 😉

    • Sergio says:

      É verdade o que dizes nalguns pontos, mas calma.. será proibida a venda de novos carros, os carros a combustão continuarão a circular e provavelmente até meados de 2050 ou mais

    • Louro says:

      @Pedro,
      Eu percebo que sejas contra porque nao conheces e pelo que parece vais um pouco pelo que os outros também desconhecem dizem.

      O fim da producao de carros a combustao nao significa que essas familias vao deixar de ter carro, significa apenas que nao vao poder comprar carros novos a combustao, mas podem continuar a circular nos seus carros, muito provalvelmente com restricoes mas haverá como já há alternativas.

      Carros carregados em 5 minutos, eu tenho 2 mesmo em viagens grandes pela Europa nunca senti que tivesse algum tipo de problema com o tempo de carregamento (antigamente a unica coisa era mesmo a disponibilidades de postos, mas isso já deixou de ser problema).
      No dia a dia, de manha acordo todos os dias com o “depósito” cheio e nao tenho o inconveniente de me ter de deslocar ou desviar do meu percurso para ir a um posto de abastecimento.
      Se fizer as contas a isso, uma vez por semana, se perder 10minutos no desvio mais 5 a abastecer , sao 780 minutos ou 13 horas por ano.

      Das cidades e de quem nao tem garagem, as coisas nao podem chegar a todos ao mesmo tempo, infelizmente, já está em curso a mudanca, carregadores em parques de estacionamento já sao vulgares e irao ser ainda mais vulgares.
      Apartamentos, irao passar a ter carregadores nos lugares de estacionamento.

      Comprar um usado com 8/10 anos, um dos meus electricos é de 2014, já conta com mais de 400 mil km e a bateria anda acima da 90% da sua capacidade.

      Gastar rios de dinheiro em baterias, cada vez as mesmas sao mais baratas e irao ser ainda mais porque havendo mais carros na rua mais baratas ficarao, para além de que de momento quando há um problema vais a marca e trocas a bateria completa, no futuro (como já acontece em alguns lados), vais a um mecanico que te subsititui as celulas com problemas, faz o balanco da bateria e podes seguir viagem. Se tiveres de subsituir, haverá outros fabricantes tal como acontece com as pecas para carros actuais, nem sempre compras origianais pois sao consideravelmente mais caras.

      90% do tempo em média os carros estao parados, se tiveres carregadores no estacionamento, carregas e nao tens necessidade de esperar ou filas, ao contrário do que acontece com os a combustao que se fores a um posto de abastacimento e tiverem lá muita gente, esperas até a tua vez.

      Os carros que existem actualmente irá acontecer o mesmo que já iria acontecer antes, irao para a sucata e serem reciclados.
      Outros serao convertidos em electricos e ter uma nova vida que nunca teriam por muitos mais anos.

      Sempre tive carros a gasolina, desde Porsches, BMW Mx, Mercedes AMG (nao estou a falar de kits essteticos) e sinceramente nao sinto qualquer tipo de falta deles.

  6. Antonio says:

    E os jatos, quer comerciais, quer particulares, também vão ser elétricos?
    Estes tecnocratas que se montam em grandes veículos de alta cilindrada vão andar de Teslas?
    E os aviõezinhos particulares onde se deslocam?
    Cambada de gente hipócrita…

  7. Joao says:

    Entretanto a Alemanha vai queimando carvão para a produção electrica..

    • J Martins says:

      Agora diz lá porquê.
      Eu ajudo:
      — porque muita da energia usada na Europa é importada – nomeadamente o Gas , que no centro da europa vem da Russia. Suponho que preferes a Alemanha a queimar carvão do que a dar dinheiro para a Russia.

      — porque a malta tem medo do nuclear e, por isso, as politicas eleitoralistas fizeram com que centrais nucleares fossem encerradas.

      — Porque a energia renovavel não chega para tudo. ~Dados da PorData (2020) mostram que dos 50.000 GWh produzido, 50% é energia termica. Para não falar da quantidade de energia que importamos. Mas vá, comparando com outros paises estamos no bom caminho do renovavel mas podiamos investir mais. Temos tanta costa…

      Temos de ter atenção ao tema do ambiente porque podemos cair no erro populista – que eu diria que é o que vivemos já hoje – quando politicos atiram datas arbitrarias para o fim de seja o que for, quando traçam metas mas não existe sequer infraestrutura. Ah, e o mais “gritante”, quando batemos com a mão no peito a dizer que somos “neutros no carbono” mas exportamos a nossa industria para paises como India e China, que querem lá saber do ambiente. A malta esquece-se que a atmosfera é a mesma…

  8. NN says:

    o futuro será as pessoas não terem carro próprio na generalidade… tudo será sob a forma de pagar por viagem.
    Vários estudos, o carro próprio de um trabalhador, está parado cerca de 80% do tempo. e grande parte do tempo que é usado, tem apenas 1 ocupande ( o condutor ). Com os desenvolvimentos dos carros autónomos, a situação de pagar-por-viagem, em que a pessoa tem sempre uma viatura disponível a pedido, será cada vez mais uma realidade.
    Ainda vai demorar bastantes anos até chegarmos a esse ponto… mas o caminho será esse.
    Isto da dependencia do petrolio, mais do que a coisa dos ambientalista, tem muito mais componente Geo-Politica e Financeira do que propriamente “ambiente”.

    • Miguel says:

      Infelizmente é verdade e isso será ainda mais acelerado devido ao elevado preço dos eléctricos e o facto de serem autênticos gadgets….

    • MCruz says:

      É olhar para o outro lado da questão, horários laborais…Enquanto continuarem a olhar para os problemas da mobilidade e horários laborais como coisas indissociáveis, não se chega a lado nenhum.

    • Mr. Y says:

      Sim, os carros eléctricos não resolvem o problema do trânsito, especialmente nos centros urbanos.
      Isso só lá vai como dizes, com boa oferta de transportes públicos e veículos (autónomos ou não) a pedido.

    • Gonçalo says:

      isso é muito giro mas nunca vai compensar vai ser compensar ter carro proprio portanto muita gente vai continuar a ter.

  9. lumia says:

    “Os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) aprovaram na passada terça-feira à noite um plano que impede a venda de novos veículos movidos a gasóleo ou a gasolina a partir de 2035”

    Até lá começa a comercialização dos combustíveis sintéticos…, substituto dos combustíveis fosseis…, hidrogénio é o futuro…, carros atuais e futuros andaram todos a gasóleo sintético e gasolina sintética

    • B@rão Vermelho says:

      Eu creio que assim é que devia de ser, mas corremos os risco de continuarmos a ser roubados, tanto no hidrogénio como nos sintéticos corremos o risco dos carteis, ou seja alguém tem de produzir, transportar armazenar e vender, está tudo a convidar para o gamanço continuar é pores a raposa à porta do galinheiro, com os carros elétricos corremos o mesmo risco mas há uma alternativa que tu próprio produzires a energia.

  10. PorcoDoPunjab says:

    Bom, eu nem vou ler os comentários todos, quero apenas fazer uma chamada de atenção… Mas que foto é essa do fumo todo preto?
    É que assim dá a entender que todos os veículos produzem fumo naquelas quantidades e assim todo preto.
    Aquele carro está, claramente, com uma avaria grave.
    Fumo assim nenhum carro actual faz, se estiver em condições…

    É só para dizer que os carros poluem?
    Metam aí a foto do barco do amor, polui 1000 vezes mais.

    Atenciosamente, PorcoDoPunjab, o encantador de burros

    • Toni da Adega says:

      Nem todos os carros a combustão produzem aquele fumo, mas todos os carros que produzem aquele fumo são a combustão.
      “Fumo assim nenhum carro actual faz, se estiver em condições” basta andar na rua e todos os dias ve carros assim…

      • secalharya says:

        E os primeiros que se vê são os transportes públicos 😉

        O governo devia dar o exemplo primeiro.
        Mas é mais fácil fazer lavagem cerebral ao povo e obriga-los a derreter 40.000€ num EV.

        Os que poluem a sério(navios, autocarros, aviões, etc) continuaram a fazê-lo.

  11. deepturtle says:

    não vão ser donos de nada e vão ser felizes /s

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.