Quantcast
PplWare Mobile

Tesla despediu funcionário que publicou vídeos no YouTube a criticar o Full Self Driving

                                    
                                

Fonte: CNBC

Autor: Pedro Simões


  1. Hugo says:

    E fez muito bem. Falhas são para ser reportadas internamente, não para vir a público.

    • Tadeu says:

      mas se as falhas são em sistemas que estão disponíveis a pessoas que não são funcionários, acabam por ser falhas públicas.

      • David Guerreiro says:

        Então que sejam relatadas por quem não é funcionário…

        • Tadeu says:

          qual é o teu problema com um funcionário relatar as falhas?
          Eticamente até consideraria criminoso alguém conhecer falhas de algo que anda nas estradas e não as comunicar publicamente.

          • David Guerreiro says:

            Ele tem de as comunicar internamente, a empresa que as resolva. Se ele quer fazer de whistleblower, então que se despeça primeiro. Quando trabalhas para uma empresa tens o dever de lealdade.

          • Tadeu says:

            Porque carga de água é que se deveria despedir primeiro?
            As pessoas têm uma noção muito estranha de lealdade… Lealdade não é ficar calado com alguma coisa errada

          • Miguel says:

            Ele no vídeo reportou todas as situações que correram mal à equipa

      • Miguel says:

        Exacto é um pouco questionável, compreendo a Tesla…
        Mas a sua forma de trabalhar, lançando versões BETA para clientes é assustadora e deve ser bem conhecida, para quem usar estar ciente do que pode acontecer.
        Um carro não é um telemóvel, onde um bug não deve afectar muito

        • João Ferreira says:

          É um sistema beta que nem todos tem acesso e só que tem um score de 99%+ de safety pode candidatar-se. Eu não vou usar isso nem que me paguem. Nao gosto de ser beta testar mas se as pessaos sabem do risco e tem os cuidados (ter a maos sempre no volante e estarem atentas) que façam o que quiserem.

      • Toni da Adega says:

        Portanto se trabalhares numa empresa e um produto tiver uma falha vais tornar a coisa publica.

        • Tadeu says:

          se a falha colocar em causa a segurança física imediata e/ou saúde de pessoas, existe uma obrigação de comunicação, que pode passar por comunicar publicamente

          • Toni da Adega says:

            Portanto se fosses um tester numa empresa e encontrasses um problema fazias um vídeo a anunciar tudo em vez de reportar ás pessoas competentes. Acredita que nunca mais trabalhavas nessa área.

          • Tadeu says:

            Toni da Adega, mas quem é que diz que ele era tester da empresa??????? Ele estava a fazer videos da sua própria experiência com o seu carro próprio com software que outros utilizadores comuns podiam ter! E mesmo para um “tester” haverá situações em que se poderá ver na obrigação de comunicar ou publicamente ou a autoridades, dependendo da gravidade!

          • Toni da Adega says:

            Basta ver o LinkedIn dele. Ele era tester na Testa. Adivinha qual é o trabalho de um tester …. É encontrar falhas e defeitos. Se um tester não encontrar falhas então não está a fazer o seu trabalho.
            A obrigação dele é reportar na empresa e não ao exterior

        • J says:

          Não, fazes como a China, se publicarem sobre uma possivel epidemia (cough.. cough.. covid), fazes essa pessoa falecer disso

      • Manuel da Rocha says:

        As falhas são em versões Alpha, que o funcionário testava e devia notificar a empresa delas, para serem corrigidas.

    • secaya says:

      Mas o sistema falhou na via pública 😉

  2. David Guerreiro says:

    Este cospe no prato onde come. A Tesla paga-lhe e bem, e ainda vai falar mal de quem lhe paga o salário.

  3. Paulo cruz says:

    Devia era levar um processo para indemnizar a empresa no valor total do que recebeu enquanto lá trabalhou, mais os ganhos da publicidade do YouTube no referido vídeo.

    • Américo Mendes says:

      +1
      Processos internos desta ou de qualquer empresa são para dirimir nos canais internos.
      Quaisquer saídas de informação somente pelos canais próprios das empesas, nunca por quem lhe apeteça. Afinal prejudica todos os que arriscaram/arriscam o seu património (investidores, fornecedores, bancos, empregados, etc) na criação/manutenção das empresas?

      Estes “putos” das redes sociais precisam ser colocados com os “pés no chão”. Deve-lhes faltar participar numa guerra (como os que vivem actualmete na Ucrânia, infelizmente).

      Verdade que as empresas também devem ter os Códigos de Conduta bem claros e específicos.
      Em várias empresas que conheço, este tipo de acções são despedimento sumário e com possível indeminização.

  4. João says:

    De notar que é uma versão de testes. Não vejo qual o “stress” da Tesla em ter os seus testes expostos numa plataforma digital quando estes são realizados em espaço público. Se quisessem manter o desenvolvimento em segredo fariam os testes em espaços controlados, não em via pública…..Either way, podiam ter sido mais espertos e usar estes vídeos como comparação para apresentar uma evolução no desenvolvimento do sistema e desta maneira criar boa publicidade.

    • Manuel da Rocha says:

      Saberás que 100% do software de que pagas para usar no telemóvel são testados em 6000 redes diferentes e 98000 frequências diferentes, para além de milhões de versões de sistemas operativos, em situações mundanas?
      Só a Apple é que paga 7800 milhões de dólares, mensalmente, para ter 50000 jovens que usam software beta, para verem se a equipa da empresa não falhou em nada… os outros usam a mesma coisa que qualquer cliente irá usar, mesmo que tenha de pagar 6000 euros pelo telemóvel.

    • João Ferreira says:

      O problema não foi ter vindo a publico mas ter sido um empregado interno a o fazer. Quase de certeza que tem isto contemplado no contracto e o despedimento foi feito nem que seja para servir de exemplo porque se não amanhã qualquer um podia apontar para este precedente.

  5. sórrir says:

    Temos que olhar para o comportamento da pessoa, está a forçar a barra? Está! Não se importa de prejudicar a empresa que lhe paga ordenado, não! Qual é o comportamento ético deste funcionário? Negativo!
    Ele pode saír da empresa e publicar os vídeos que quiser, mas não o faz, porquê?
    Veredicto: deve ser despedido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.