PplWare Mobile

Porsche abandonou os motores diesel e vai focar-se nos veículos híbridos e elétricos


Autor: Pedro Simões

Destaques PPLWARE

  1. pedro says:

    muito bem !!! não sou contra os diesel, sou é contra os fogareiros que encontramos, tipo taxis e alguns carros particulares, que é um escândalo como podem andar a circular e ninguém faz nada !!! muitos deles tiram-lhes os filtros de partículas, ou não fazem como deve ser as revisões, então as inspecções periódicas servem para quê ??? de qualquer maneira a atitude da Porsche vai influenciar as outras marcas a apressarem os seus inventos em tecnologias mais limpas …. muito bem !!!

    • Grandprix says:

      O mercado de especulação vai fazer disparar o preço da electricidade para níveis similares ao do petróleo. O que talvez seja bom é a poupança do ambiente, mas até já há estudos que dizem que a produção de energia eléctrica produz mais poluição que o petróleo. a ver vamos…

      • José Carlos da Silva says:

        É tal e qual como dizes. Já foi comprovado que as soluções actuais não são suficientes para a substistência dos carregamentos dos VE a uma escala alargada (assumindo que cada vez mais os veículos a combustão serão substituídos por VE). Às fontes renováveis terão de ser adicionadas alternativas fósseis, para a produção de energia eléctrica. Será mesmo uma questão de tempo até os impostos sobre os combustíveis dispararem ainda mais, e o preço da electricidade disparar.

  2. pedro says:

    muito bem !!! não sou contra os diesel, sou é contra os fogareiros que encontramos, tipo taxis e alguns carros particulares, que é um escândalo como podem andar a circular e ninguém faz nada !!! muitos deles tiram-lhes os filtros de partículas, ou não fazem como deve ser as revisões, então as inspecções periódicas servem para quê ??? de qualquer maneira a atitude da Porsche vai influenciar as outras marcas a apressarem os seus inventos em tecnologias mais limpas …. muito bem !!!

    • Rui says:

      Não Pedro. A decisão da Porsche não será tanto a pensar no ambiente (não estamos a falar de carros de 1000 de cilindrada ou de 50 cavalos) e é pensada muito mais na preocupação das repercussões reputacionais que o escândalo VW pode trazer-lhes, porque fazem parte do grupo (aliás chegou a existir uma enorme guerra para ver se era a Porsche que comprava a VW ou se a VW comprava a Porsche).
      Em relação ao que fala, é verdade, mas só fala de metade do problema. Não sei se leu a notícia (https://eco.pt/2018/09/13/carros-em-portugal-sao-os-mais-velhos-de-sempre/), o problema é que as pessoas não têem dinheiro para substituir os carros que têem, e não é porque queiram, é mesmo porque não podem! E tanto é que não podem, que a idade do parque automóvel aumenta (já vai em 12,6 anos!!!!!!), a manutenção dos carros é descurada e imagino que mudar o FAP a um diesel por 1500 a 2500€ não é para qualquer carteira!!!!!!
      Mas está enganado se pensa que só os carros diesel poluem! Tirando o nox, os carros a gasolina poluem mais que os carros diesel.
      Também podemos agradecer à UE pelo facto dos carros actuais poluirem menos, ou melhor, muito menos! Se tem dúvidas, deixe-se ir atrás de um carro bem mais antigo que 2009 (quando foi tornado obrigatório o FAP em Portugal) e compare com os novos! Os carros antigos uma pessoa fica imediatamente enjoada de levar com os cheiros que saem do escape!
      Mas mesmo agora, as máquinas agrícolas não têem qualquer preocupação ambiental (vá atrás de um tractor e veja quanto tempo aguenta!!!!).

      Resumindo, os portugueses não têem possibilidade de adquirirem carros menos poluentes, não é porque queiram dessa forma, é porque não podem mesmo (por isso acho uma enorme piada quando se fala da Tesla como o salvador do ambiente, quando não fazem ideia de que um Tesla está apenas ao alcance de muito poucas carteiras).

      Já agora que está preocupado com o ambiente, diga-me lá o que acha da poluição dos transportes públicos (comboios diesel, autocarros com motor diesel), das máquinas agrícolas, dos navios (todos eles com motores a diesel) e já agora do avião.

      • Nonnus says:

        Só um reparo a uma informação errada da sua parte. Os tractores agrícolas a imagem do que se passa com o resto dos veículos também tem de cumprir as normas impostas pela UE.

        Existem tractores com filtro de partículas e os tractores de maior potencia usam AdBlue. Neste momento os tractores novos a venda em Portugal tem de cumprir a norma Euro 6 tal e qual o resto dos veículos.

        O problema é que existe muito tractor antigo a circular, da mesma maneira que existe muitos carros antigos, camiões, etc, mas isso são outros 500.

      • José Carlos da Silva says:

        Não têm possibilidade porque ganham mal e porque os valores do mercado automóvel são simplesmente absurdos! O mesmo automóvel usado, com 2 anos, custa na Alemanha 1/3 do que custa aqui. Claro que não os vão buscar, porque depois a legalização é outro assalto descarado, que faz deixar de compensar o negócio. Daí as coisas estarem como estão.

        E sim, há zero preocupação ambiental. Já vai o tempo em que circulava com 75% óleo vegetal, misturado com 25% de gasóleo e com emissões muito abaixo do esperado para a viatura em causa. O veículo foi chumbado na IPO devido ao valor das emissões ser inferior. Com base nisto, a preocupação ambiental é simplesmente uma palhaçada. O que vale é que desde que se paguem impostos e coimas e afins, fica tudo bem – a poluição desaparece e o ambiente agradece.

      • Marco says:

        Podias ter completado a informação da guerra porsche vw, que a vw comprou a porsche AG, mas a Porsche Automobil Holding SE comprou 52% da VW AG, ou seja, Porsche Automobil Holding SE é dona da VW AG.

      • Rui says:

        Permite-me discordar no que diz respeito ao conceito de poluição. Uma coisa são gases poluentes outra são gases de efeito estufa. O CO2 não é um poluente existe naturalmente na atmosfera e não prejudica directamente a nossa saúde nas concentrações em que se apresenta na atmosfera. Já os NOx não existem de forma natural na atmosfera logo é considerado um poluente. Poluente esse que é responsável pelo smog, chuvas acidas , elevados níveis de ozono na troposfera e no pior dos cenários uma prolongada exposição a este gas pode levar a complicações respiratórias e mesmo ao aparecimento de cancro nos pulmões.
        Portanto dizer que um motor a gasolina polui o mesmo que um motor diesel está errado. O motor diesel é muito mais poluente, logo prejudicial à saúde. Já o motor a gasolina liberta muito mais CO2 o que é prejudicial num contexto de Aquecimento Global e consequentes alterações climáticas.

      • Paulo says:

        Escreveste tanto, e a única asneira que não escreveste foi o preço dos FAP…

  3. MárioM says:

    Hidrogénio isso sim, e até a Gasolina ainda não está explorada ao maximo como diz a Mazda.

    • Rui says:

      Carros a gasolina ou a diesel, poluem da mesma forma!
      E ainda falta resolver o que fazer nos transportes de mercadorias, passageiros, já que todos eles utilizam motores de combustão!

      A solução hidrogénio é excelente, sem dúvida. E para mim faz mais sentido neste momento, do que os carros 100% eléctricos com enormes baterias! Mas não esqueça na essência de que um carro desses é uma pequena bomba ambulante!!!!! Aliás o hidrogénio foi afastado a partir do momento que aconteceu o acidente com o Hindenburg em 1937, depois de um corolário de acidentes fatais com os dirigíveis!

      • Marco says:

        vamos comprar a segurança que os dirigiveis tinham em 1937 com a segurança que os novos depositos tem de ter. Va trabalhas para um petrolifera ou tens ações de alguma?

      • Paulo says:

        Não sou contra o hidrogénio, pelo contrário, é uma solução interessante.
        Interessante porque pode ser produzido localmente sem necessidade de transporta-lo de camião.
        Fazer a eletrólise da água para obter o hidrogénio consome muita eletricidade, 3 vezes mais que carregar um carro elétrico para fazer os mesmos quilómetros.
        E esta eletricidade convém ser 100% renovável.
        Os problemas que vejo são a segurança dos tanques, produção do mesmo por via não renovável, preço e uso da água para fins comerciais.
        Nos Estados Unidos e na Noruega é mais caro que a gasolina.
        E usar um bem essencial como a água para usar nos carros é perigoso para o futuro que haverá falta dela.

        A meu ver estes problemas são pontos que abonam a favor dos elétricos.
        Agora, barcos podiam fazer a eletrólise diretamente da água do mar sem necessidade de fazer paragens para abastecer desde que tivessem painéis solares para fornecer essa eletricidade necessária.

        • Nonnus says:

          Atenção que a quantidade de água no planeta é sempre a mesma, o que vária é o estado em que ela se encontra (solido, liquido ou gasoso). Quando se diz que há falta de agua é num determinado local, não no planeta.

          • ze says:

            Atenção que se dividires H2O em H2 e O não ficas com água em estado nenhum…

          • unknown says:

            Basta acenderes um fosforo que isso resolve se ze, bastante rapidamente!

          • PauloS says:

            Nonnus, sobre isso não posso opinar por falta de conhecimento de causa, mas com a falta de água em determinado local, irá colocar ainda mais pressão nos recursos hídricos desse local.
            Se for necessário transportar o hidrogenio de camião da ‘fábrica’ até ao consumidor perde-se o benificio relativamente a combustivel comum.

            O hidrogénio pode ser interessante no contexto de aviões e navios, eventualmente camiões, mas principalmente aproveitar o excesso de renováveis e em que não é possível armazenar de outra forma (baterias, hidrica, gravítica, etc) e passa a ser usado para produzir eletricidade posteriormente.

            Para carros comuns, não vejo esta tecnologia vingar, é caro comprar o carro (ex. Toyota Mirai, 80 mil €, e tem 500kms de autonomia) e é caro abastecer e fazer manutenção.

    • J. Romão says:

      Quanto mais leio sobre o assunto menos o hidrogénio faz sentido.
      É caro de produzir e 1 dos 2 tipos de produção mais comuns liberta imenso CO2, é caro de transportar porque precisa de ser armazenado sobre pressão o que requer sistemas apropriados e que ocupam muito espaço, não tem cheiro o que complica na deteção de fugas -> já que é altamente inflamável, é preciso ter estações de abastecimento que ao contrário dos eléctricos é só ligar à rede eléctrica existente, as tão faladas células de combustível têm eficiência a rondar apenas 40-60% o resto é calor, …entre muitos outros problemas.

      • Rui says:

        Neste momento pode-se afirmar com um grande grau de certeza que o hidrogénio perdeu definitivamente a corrida para as baterias. As perdas existentes no processo de produção transporte e “consumo” são muito maiores comparativamente com as baterias.

    • PauloS says:

      Os carros a hidrogénio precisam de ar puro para funcionarem bem.
      O ar que respiramos está demasiado poluído para esses carros. Sim é verdade.

      https://observador.pt/2018/09/24/carros-a-hidrogenio-precisam-de-veiculos-electricos/

  4. Miguel says:

    Os motores que eles utilizam sao do grupo VW …

  5. Miguel says:

    Os motores diesel que eles utilizam sao do grupo VW …

  6. Pedro Dantas says:

    para quem acha que o hidrogénio é o futuro por favor perca tempo a ver este video. https://www.youtube.com/watch?v=f7MzFfuNOtY&t=706s

    O Elon Musk que não é burro nenhum, já disse numa entrevista que o futuro são os carros elétricos, e ele tem toda a razão. O hidrogénio é ineficiente e quase tão caro como os combustíveis convencionais. Poderá ser uma solução intermedia, mas nunca uma solução definitiva.

    • unknown says:

      O meu avô que vende batatas diz que as dele são melhores que as do continente!

    • PauloS says:

      Hidrogénio pode ser importante para aviões e navios no imediato mas não para carros comuns. Carros eléctricos já aí estão e em massa. São mais baratos, mais convenientes (posso carregar em casa), electricidade é mais barata e manutenção é quase inexistente. E a malta escolhe sempre o mais barato…

      O H2 será importante para dar uso a energia renovável que de outra forma não seria armazenada e desperdiçada, este pode posteriormente ser usado na produção de electricidade, mesmo que se ganhe pouco com isto, devido à eficiência, sempre é melhor que zero.
      Mas a partir do momento que as baterias passam a ser baratas e/ou que haja uma quantidade significativa delas numa rede, o hidrogénio já não faz sentido, pois é virtualmente impossível ‘encher’ as baterias todas.

  7. Ricardo says:

    Só engenheiros aqui, mas anda tudo a trabalhar na função pública…

    O futuro é o que os chineses já à muito descobriram. .. as bicicletas!!!!!

  8. Sergio says:

    Bom para o ambiente, para a carteira futuramente será quase a mesma coisa com a especulação e exploração do mercado electrico

  9. João says:

    É sempre giro ver um Porsche a fazer fumo negro. É tudo muito bonito quando é novo, mas é só deixar para uns anitos até se tornar uma ca####ira poluente, como a maior dos diesel velhos que andam por aí. Deixem os diesel para os tratores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.