Quantcast
PplWare Mobile

Europa: 3 mil milhões de euros para impulso ao hidrogénio

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. says:

    O futuro produto onde todos vamos gastar (chulados) muito $$$ escrevam aí no caderninho das lembranças futuras

    • Gonçalo says:

      Compra eletrico carrega em casa com paineis solares e manda os chulos dar uma volta

    • FAR says:

      A fatura calha sempre aos mesmos. Mas antes isso (pagar a fatura) do que a alternativa.

      A alternativa, neste caso, é chegarmos a um ponto tal nas alterações climatéricas que afetam negativamente a produção de alimentos e, como já todos percebemos, basta um pequeno “vento” a abanar as engrenagens da economia mundial, para o número de afetados (com emprobrecimento e até fome) ser na ordem dos milhares ou milhões.

      E a natureza tende a ser daquelas coisas que depois de se ultrapassar um determinado limite… “já foste”.

  2. Jane Doe says:

    De onde vem o Hidrogénio limpo?

  3. AlexS says:

    De precisa de “impulso”…

  4. Dani Silva says:

    Mais um mercado caro a caminho da UE…

  5. Infinity says:

    Sendo uma boa alternativa, pode ser que seja suficiente para baixa o preço dos combustiveis

    • RC says:

      LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

      Não deve estar a par dos preços do hidrogénio.

      • Infinity says:

        Há de ser mais baixo que os combustiveis fosseis

        • RC says:

          Porque havia de ser ?

        • RC says:

          Sabe quanto gasta o toyota corola gr h2 a fazer 100 kms em pista ? 😀

          • andy says:

            Sabes quanto gasta um F1 a fazer 100kms em pista?

          • RC says:

            Aquilo que não é um F1, é um carro que fez uma média de 67 kmh em pista, durante 24 horas.

          • Hidor says:

            Não percebo o teu problema com o hidrogénio, deves achar que há 15 anos atras, os fabricantes de carros elétricos não tiveram uma investimento igual ou superior?
            O preço do hidrogénio esta alto, não será, porque a produção do mesmo é muito baixa e com o aumento dessa produção o preço pode baixar?
            Ou ainda achas que o mundo vai ter capacidade para produzir carros a bateria para todos?
            Ou vamos dar uma moradia a todas as pessoas, com painéis solares e garagens para poder carregar todos os carros.
            Cada caso é um caso e um carro a bateria não é a solução para todos.
            Como alguém disse a grande maioria só precisa de fazer 30 km por dia.
            Se não temos excedente de energia limpa, criasse esse excedente, vai ser necessário, para o hidrogénio como para carros a bateria.
            Prefiro ver o meu dinheiro dos impostos a ser gasto em desenvolvimento do hidrogénio, que em TAP, Bancos e afins.
            Em relação ao Toyota corola, esta a melhorar de ano para o ano, como a formula E também o esta, ou não és do tempo em que os pilotos tinha de trocar de carro para poder acabar a corrida.
            Fica um pequeno vídeo do California Insider para refletir, sim esta no YouTube como estão muitos outros canais de informação generalistas.
            https://youtu.be/4sa5JkeerRo

          • RC says:

            Eu não tenho nenhum problema com eles, até já tive um.

            Aqui o investimento não é dos fabricantes, é da ue e nem sequer é para os fabricantes nem sequer para carros, é para um rede de produção e abastecimento para injeção de hidrogénio nas linhas de gás natural.

            Nao, o hidrogénio está um preço alto porque ele custa a produzir, não tem nada a ver a produção em massa porque isso já de faz à 100 anos, se vive perto de Lisboa pode ver uma grande central de produção a poucos kms.

            A gasolina quando se aumentou a produção também baixou. Isso é para carros e telemóveis, para energia quanto mais se procura mais caro fica.

            Se não vai ter capacidade para carros eléctricos muito menos vai ter para hidrogénio, já que usa muito mais energia e recursos. Mas estes argumentos parece vindo de alguém que pensa que só as baterias é que precisam de recurso, o resto cai tudo do céu.

            Você é que sabe do que quer, se quer viver com um carro que pode fazer 1.6 euros por cada 100 kms ou 20 euros pelos mesmos kms.

            Entao se prefere invista, está à espera de quê?

            Por falar em Califórnia, sabe qual é o atual estado da rede com 18 anos ?

            É que foi lá que tive um

          • RC says:

            A toyota melhorou o tempo de abastecimento, agora em vez de 4 camiões com tralha e tanques, usa 6 camiões. A autonomia continua igual e a potência, segundo os pilotos também.

            Mas como os fabricantes andaram 100anos para aumentar a eficiência em 15%, talvez a toyota consiga consiga um pouco mais em mais 100 anos, já que anda a investir o dinheiro do governo japonês há 32 anos e o que tem ?

            Um carro que é grande por fora e pequeno por dentro, o mirai, nalguns países é considerado de 4 lugares, com 280 litros de mala, e faz menos de 300 kms em autoestrada, consumindo atualmente mais de 100 euros para o fazer. Isto num carro com 5 metros e 180 cv de força.

            Leva cerca de 15 a 20 minutos a abastecer, 5 minutos se tiver a sorte do posto não ter sido usado na última meia hora.

            No corola tem um carro com 4 tanques que ocupa toda a traseira do carro para fazer no máximo 200 kms, segundo os mecânicos em andamento de domingo.

          • Hidor says:

            Então explica-me lá como está o estado a rede?
            Era como a rede Mobi.e mais ou menos a uns 3 ou 4 anos atras, que a grande maioria dospostos de carregamento não funcionava por falta de investimento?
            É que sem investimentos não há nada que resista.
            Não, não tenho de investir em nada, se isso é o melhor que tens para dizer esta tudo dito.
            Sinceramente daqui a bocado vens dizer que trabalhaste diretamente com Elon Musk.
            Já percebi tudo, tens tudo e ja experimentaste-te tudo o que é tecnologia.
            É a melhor forma para se parecer credível. 😉

          • RC says:

            Não, não sei tudo, mas não sou um fanfarrão que falo de coisas que não conheço.

            Estive durante umas semanas na Califórnia em trabalho e aproveitei para alugar um mirai, que aliás agora é a única maneira de ter um, ou então renting. A toyota deixou de vender porque a oferta era muita e as pessoas mantém esses carros pouco tempo, tanto que pode encontrar montes deles à venda por menos de 10 mil dólares com 3 e 4 anos, quando custam mais de 50 mil novos.

            A rede está uma lástima, têm 11 mil carros na estrada com 52 postos de abastecimento que passam o tempo avariados e sem abastecimento, porque até esse é ineficiente, camiões com 27 toneladas de carga , transportam 300 kilos de hidrogénio para 50 carros.

            https://fuelcellsworks.com/news/shortage-of-hydrogen-stations-leads-to-fill-up-frustrations-for-drivers/

            A maioria troca para eléctricos, porque no final têm um carro eléctrico que só abastece nos postos quando é possível, e leva o mesmo ou mais tempo na realidade.

            Os 5 minutos são possíveis, mas em condições especiais, a temperatura ambiente nem pode estar superior a 10 graus, o posto tem de ter capacidade máxima, o mesmo não pode ter sido usado na última meia hora e os depósitos do carro também tem de estar frios.

            Se fossem aquilo que tanto apregoam, o mundo estava cheio deles, o que de ve são as marcas a desistir, a honda, a hyundai, a toyota já parou a produção, porque tem carros na rua que não consegue vender.

            Eu não contra ao hidrogénio, sou contra ele mal usado, que é na combustão onde não faz qualquer sentido. Nos FCEV faz sentido nalgumas aplicações muito limitadas, porque as vantagens que detinham já as perderam quase todas.
            Sao veículos muito ineficientes, dependem ainda mais de recursos e energia.

            Fazem sentido quando o mundo tiver pelo menos 100 % de energia renovável.

          • RC says:

            Ja agora a rede mobi e levou apenas um investimento de 15 milhões, os postos foram entregues a privados. Hoje tudo o que é novo é privado e é assim que tem de funcionar.

            Com 15 milhões foram instalados 1200 postos, com os mesmos 15 milhões instala no máximo 4 postos de abastecimento de hidrogénio que cada um abastece no máximo 40 carros por dia.

            Portanto de quer investir muito e ter pouco vá para hidrogénio, tanto que é onde se encontra grandes fraudes, comece pela Nikola Motors.

          • Infinity says:

            Sabes em quanto tempo vai a bateria de um tesla em pista?

          • RC says:

            Sei, faz a pista de Nuremberg e gasta 20 %, se são 20 kms, como dizia o Guterres, é é é é é fazer a conta.

          • joaomatos says:

            RC,
            Os carros a hidrogénio teem muito mais autonomia que um elétrico..

            A Rússia, que não é uma potência no ramo automóvel, criou um aurus a Hidrogénio, com célula de combustível própria e tem pelo menos 600km de autonomia.
            Portanto a Toyota que anda a chupar o estado Japonês, pode fazer bem mais do que isso..não é 200km como dizes..ou então os Russos estão mesmo muito avançados..

          • Infinity says:

            Mas as pessoas andam a fazer corridas na via publica?

          • RC says:

            João Matos, mostre lá um carro FCEV com mais autonomia que um
            Electrico.

            600 kms tem os eléctricos também.

            Acho que você não leu o que eu disse, 200 kms foi o que um técnico da toyota disse que podia ter, porque nem eles sabem. Se quiser deixo aqui o vídeo, mas quando tiver no pc.

  6. JR says:

    Por muito com estes avanços todos da tecnologia e outras medidas de combate aos carros a combustão simplesmente foi guerra declarada, a quantidade de desempregados aos quais iriam criar com guerras a mistura, isto parece que não cria um grande impacto em muitas frentes. E com estas novas fusões de eletrificação ou novas que possam surgir origina a que tudo fique mais caro do que já era. Portanto bem-vindo ao novo mundo onde tudo agora paga-se e bem caro. E se pensam que alguns com a guerra as coisas irão baixar, até pode ser, mas não será já, e que pode demorar mais o que muitos prevê.

  7. TiGaSPT says:

    Que venha ele, há muito que se sabe que os EVs nunca vão ser o futuro

  8. Ricardo Marques says:

    Esperamos que os 3mM incluam a criação das respectivas centrais nucleares para gerar a energia necessária para esse processo.

  9. Entalei-te says:

    Finalmente…

  10. RC says:

    Este financiamento é para criar apenas uma rede de abastecimento que é injetada na atual rede de gás natural, até 12% de hidrogénio.

  11. Azeitugal says:

    Há que dar de mamar aos senhores das petrolíferas que mais dia menos dia ficam sem clientes. Agora o hidrogénio é alternativa. A malta não deve querer ser autosuficiente se podem carregar os carros em casa para que ir para Hidrógénio, Eu só tou à espera que uns quantos carros a hidrogénio expludam no meio duma zona densamente populada. E depois dizem ups!

    • RC says:

      O hidrogénio é o meio de continuar como sempre foi, o ir à bomba abastecer, ou seja, os carteis continuarem a ser carteis…..

    • Hidor says:

      Tens razão, vamos antes dar o poder a china ou a outro pais que forneça os metais que são necessários para a produção da bateira.
      Espera onde moras? vamos abrir uma mina ao lado da tua casa, acho que vai ser fantástico, assim produzes a energia com painéis solares e retiras os materiais para fazer a tua própria bateria, assim não ficas dependente de ninguém.

      • RC says:

        Para hidrogénio é pior ainda, além da bateria ainda tem a fuel cells e os tanques, que ainda têm mais emissões que as baterias, se quiser deixo aqui as provas.

        Mais um comentário tolo de que única coisa que o mundo produz e polui são baterias. Enfim.

        Eu moro numa zona existem bastantes minas, inclusive de lítio e matérias para construir casas, se calhar vou meter me contra tudo isso e desejar que todos vão morar para as cavernas.

        Agora em vez de tolo foi egoista, Santa ignorância.

        Faça o seguinte, plante la essas árvores que dão baterias, pilhas de combustível e tanques de hidrogénio para os veículos que o mundo agradece, e ao mesmo tempo você fica rico.

        Tem a certeza que andou nalguma escola ?

  12. Grunho says:

    O hidrogênio é electricidade, a que se gasta para o produzir. Com a particularidade de depois ter novamente de ser convertido em electricidade e de já só devolver menos de 70% da aplicada na produção. É como um negócio em que por cada 100 euros que metes tens logo garantido que vais perder mais de 30. É evidente que a pessoas inteligentes não interessa, só a algum chico esperto que obrigue os contribuintes a meter os 100 para ir ele buscar os menos de 70.

  13. Profeta says:

    E para a sopa dos pobres algum donativo ?

  14. Yamahia says:

    Muito bem!!

  15. joaomatos says:

    Eu acho que esta historia dos verdes… os verdes são extremistas de topo, pelo que se está a ver, fanáticos do pior..
    Nos temos um problema que é preciso resolver, e nunca ninguém o conseguiu resolver, nem mesmo em laboratório…
    É preciso aumentar, duplicar ou triplicar a eficiência energética de motores que funcionam com base em Hidrocarbonetos..
    Atualmente os veículos a gasolina teem uma eficiência de pouco mais de 20%, os diesel chegam aos 30%, os motores a jato para avião ou geração de eletricidade não chegam aos 40%, andam na casa dos 35%.

    É preciso investir e muito para melhorar esta situação, pensar em revoluções na mecânica, etc

    Eu percebo que o motor elétrico pode ter eficiências iguais ou superiores a 90%..
    O problema é que a eletricidade não cresce “nas árvores”, em grande parte do mundo é obtida a partir de combustíveis fosseis..com motores que em muitos casos nem 35% de eficiência tem.. no processo de conversão perde-se muito, que depois a juntar ás perdas nos dispositivos elétricos…tornam o conceito absurdo!

    Portugal gera muita mas muita eletricidade a partir de Gás..

    Neste caso já há uma dependência…gerar eletricidade a partir de combustíveis fosseis..o que e mau!
    No caso do Hidrogénio, é tremendamente Mau!

    Porque é necessário gerar eletricidade a partir de combustíveis fosseis, e depois produzir hidrogénio usando a energia elétrica, para mais tarde ser convertida outra vez em energia elétrica..as perdas deste sistema são brutais..
    É verdade que para dispositivos moveis(veículos), é melhor pois permite muito mais autonomia, etc mas a que custo??

    Devem continuar a investir em novos métodos, etc, mas não tornar o mundo um caos, só porque teem o nariz empinado e não querem reconhecer a realidade..são fanáticos imaturos..em suma..uma corja de gandulos.
    É necessário a Europa perceber que precisa da Rússia como fornecedor energético, a energia não nasce nas árvores..

    • RC says:

      Tudo certo, mas diga-me qual carro a hidrogénio têm mais autonomia que um eléctrico.

      Nao deu por isso que um FCEV tem até menos eficiência que um a gasolina? Que isso traz de novo ? É um retrocesso.

      Por isso serem o futuro, porque no presente ninguém consegue resolver esses problemas, a energia está cara para a eficiência que têm e não fazem melhor que os atuais, fale com donos que os têm e depois diga me o que obteve.

      Se não nasce nas árvores não entendo porque querem algo que gasta muito mais. Fica a dica e a pergunta: se instasse painéis solares em casa ia continuar a usar lâmpadas incandescentes, frigoríficos classe f, tvs plasma, entre muitos outros equipamentos ineficientes ?

      • joaomatos says:

        Rc,
        A maioria dos elétricos tem pouca autonomia, no máximo uns 300-400km, mas isso é propaganda para venderem..
        Podes ver to youtube montes de gente que tem carros elétricos e que nunca conseguiram atingir nem sequer perto do anunciado..
        A regra é conseguir obter 2/3 do anunciado ou uns 3/4 no melhor dos casos..

        A maioria dos Elétricos nem sequer 400km é capaz de fazer..enquanto que um carro a hidrogénio pode fazer muito mais..e um a diesel faz 1200km ou mais..
        Os Russos testaram um aurus com um pouco mais de 600km, mas pode fazer mais de 1200km, só tens que colocar um depósito maior, é uma instalação que é feita uma vez de fabrica, para já apenas teem uma versão com depósito para 600km…mas custa ~600K euros…ou seja é um absurdo!

        O problema das baterias é que a densidade energética por m^3 é muito baixa, no hidrogénio é ao contrario a densidade é relativamente alta( está num valor intermédio entre as baterias, e os hidrocarbonetos ), nos hidrocarbonetos a densidade energética por m^3 é absurdamente alta( no entanto ninguém consegue ultrapassar em laboratório mais de 40% de eficiência em termos de motores.. )..

        Só pelo facto de o Hidrogénio ser um meio de armazenamento com relativamente boa densidade, permite criar depósitos para veículos suficientemente grandes, para fazer longas distancias…enquanto que os elétricos a parte de baixo é tudo bateria, mas com uma densidade energética tão pobre, não é possível aumentar a capacidade das mesmas e como tal não é possível fazer mais km..

        Agora pode haver outros factores para limitar o tamanho dos depósitos a Hidrogénio..(por motivos de segurança)..é que o hidrogénio não é um componente estável..e além disso um carro a hidrogénio com célula de combustível, é extremamente caro..

        • RC says:

          Entao mas porque nao respondeu à pergunta ?

          Os a hidrogénio são iguais, são eléctricos na mesma, até pesam o mesmo, o comportamento da autonomia é igual.

          Mas já testou algum?

          A autonomia média de um mirai anda entre os 300 e os 500 kms, depende de como se anda, mas se quiser meto aqui relatos dos próprios donos, como disse antes, já tive um durante umas semanas, sei muito bem qual a autonomia deles.

          É certo que a densidade é maior, mas a eficiência é menor, metade da energia sai pelo escape, já deve ter ouvido dizer que a única coisa que emitem é vapor de água, pois, isso é energia desperdiçada.

          Tambem lhe posso deixar vídeos de quem consegui o dobro da autonomia anunciada, mas obviamente a baixa velocidade tal como o mirai consegui os 1300 kms.

        • RC says:

          Então e a parte de baixo de um FCEV é tanques, e não depósitos, baterias, dc booster e pilhas de combustível, nem dão para meter 2 motores.

          Um carro de 5 metros é considerado em alguns países de 4 lugares devido ao pouco espaço do lugar do meio traseiro e depois ainda tem uma mala do tamanho da de um Opel corsa.

          Errado, disse tudo ao contrário, densidade em volume é incrivelmente baixa, tanto que o tem de pressurizar a pressões absurdas para conseguir alguma densidade, quando se fala em peso, sim tem uma densidade 3 vezes maior que a gasolina ou gasóleo, mas la está, depois ocupa um espaço 100x mais, a juntar aos tanques que também pesam.

      • joaomatos says:

        “Nao deu por isso que um FCEV tem até menos eficiência que um a gasolina? Que isso traz de novo ? É um retrocesso.”

        Todos os veículos que não a hidrocarbonetos sofrem do mesmo problema que é uma densidade energética extremamente baixa..desgaste das baterias, desgaste das células de combustível,perigos derivados de choques, etc..

        A gasolina tem uma densidade energética abismal, não há nada que sequer se chegue á metade, por isso é que eu digo que é importante investir para aumentar a eficiência dos motores a hidrocarbonetos porque são a base de desenvolvimento no mundo..

        Os Elétricos sofrem de um grave problema que ninguém consegue desvendar,,,que é a medíocre densidade energética das baterias, e a instabilidade das mesmas, e o facto de se ter que obter eletricidade proveniente de combustíveis fosseis..

        Os veículos a hidrogénio sofrem do problema, que para gerar hidrogénio é preciso quantidades de energia elétrica absurdas(em grande maioria vindas de combustíveis fosseis..)..e também o facto do Hidrogénio não ser estável.. e de sofrer perdas na conversão para eletricidade, outra vez, no fim do processo..

        Portanto quando somarmos e subtrairmos todos os prós e contras, eu diria que é necessário investir, mas desta vez de uma forma séria, nos motores a hidrocarbonetos..
        Experimentar tudo, até células de combustível para obter toda a energia dos hidrocarbonetos( não sei se seria possível uma coisa dessas pois as formulas químicas para os hidrocarbonetos são complexas )..

        Os veículos a motor elétrico( Elétricos a bateria ou hidrogénio ) só poderão ser considerados uma alternativa, quando houver eletricidade apenas produzida através de meios renováveis, até lá é uma miséria..

        • RC says:

          Entao invista, mas não o dinheiro público, porque senão acontece o mesmo que aconteceu com a honda, hyundai, toyota, entre muitas outras….

          E a redes como a Alemanha, EUA, japonesa, entre outras que funcionam mal e passam o tempo à espera de reparação e abastecimento.

          Entao ? 100 anos nao chegou de motores ineficientes ? Até os fabricantes o consideram uma perda de tempo e recursos.

          Se os ve evoluírem tanto em 10 anos, já que evoluíram mais que o hidrogénio em quase 60 anos (sim já existem à esse tempo, posso deixar provas) a pergunta que fica é:

          Mas quem daqui a 15 ou 20 anos quer um veículo com motor a combustão ?

          • joaomatos says:

            RC,
            Tem que ser dinheiro publico…as empresas nunca avançarão por caminhos pouco ortodoxos, correndo riscos de falência sem suporte dos estados..para isso vão continuar a criar motores da geração corrente com fraca autonomia e eficiência, é mais seguro para eles..

            O tipo de investimentos que é necessário para desenvolver motores com base em hidrocarbonetos, de nova geração e com base em completamente novos e desconhecidos métodos, é uma coisa gigantesca…nenhuma empresa vai investir tudo em algo que nem sequer sabem se poderá funcionar, quanto mais ser eficiente e fiável.

            Tem que reconhecer que os estados teem que investir…aqui por exemplo estamos a ver a EU a investir 3 biliões, é um exemplo do que tem que acontecer…

          • RC says:

            Se for publico vai acontecer o que estamos habituados, gastam o dinheiro e fica quase tudo na mesma, veja o caso da Nikola Motors.

            O desenvolvimento de baterias, motores e tudo mais das tecnologias que conhecemos usaram dinheiros públicos ?

            O problema é esse, é que usar o dinheiro dos para fazer algo que não se sabe que vai funcionar, pouco interessa se vai ou não, já se eu usar o meu dinheiro para fazer alguma coisa funcionar, tenho certeza que vai funcionar.

            Uma coisa é pesquisa, outra é investir para algo já pesquisado, a tecnologia existe, e como tal só o investimento privado pode fazer face a esses custos.

            Sim, a UE está a investir naquilo que já sabe que funciona.

        • RC says:

          Esqueci-me de um pormenor, as pilhas de combustível também têm desgaste, 10 mil horas é a estimativa máxima de trabalho, um organismo governamental japonês, testou as pilhas de combustível que equipam os submarinos AIP, idênticos aos portugueses, e obtiveram 2 a 4 mil horas de uso. Muitos toyota mirai já foram trocar em garantia.

          Depois tem os tanques, não duram para sempre, veja o manual de serviço do mirai e tem lá assim, verificar e testar tanques de hidrogénio contra fugas, onde fui mais a fundo e soube que afinal até os desmontam do carro e testam em ambiente controlado, e se tiverem fugas não levam fita cola preta nem iogurte cola tudo, é trocar simplesmente, o preço deles não cheguei a saber, mas tendo em conta que é das partes mais caras desta tecnologia, onde se pode hoje comprar um pequeno tanque ou garrafa para armazenar 200 gramas de hidrogénio e custa cerca de 4 mil euros, não vou extrapolar a coisa.

          Depois diz: substituir ao fim de 15 anos…

          Deixe lá, é fácil falar bem ou mal para quem não pesca na do assunto, até hoje nunca vi ninguem a defender ou a dizer bem da tecnologia fcev e que soubesse alguma coisa do que estava a falar, se tiver duvidas ouça peritos na matéria, porque apesar de ter formação na área e ter trabalhado alguns anos com ela, tenho inclusive um banco de testes com pilhas de combustível, existem muitos peritos no país, e veja o que dizem os especialistas em sistemas de energia, como o Prof Joaquim Delgado que foi meu formador na área dele.

          • joaomatos says:

            As pilhas de combustível teem desgaste e efeitos secundários indesejáveis, assim como as baterias teem.E os depósitos para Hidrogénio também teem!

            Alguns exemplos, é a alta temperatura que a zona á volta da bakelite do eletrólito atinge, é a zona de maior desgaste.
            Mas essencialmente as pilhas de combustível para carros a Hidrogénio teem uma eficiência de apenas 60% no melhor cenário, e em laboratório, na prática só este ano é que foi possível igualar a eficiência dos motores a diesel( uma empresa Americana conseguiu Loop energy?? ), teoricamente uma célula de combustível tem perto de 100% de eficiência…teoricamente.

            No entanto para instalações em centrais de produção eléctrica , com células gigantes e estáticas é possível atingir mais de 50% eficiência, o que é melhor que as turbinas que só teem a volta de 35%(no entanto o custo da produção de Hidrogénio é absurdamente alto).

            Eu não estou a dizer que o hidrogénio é a solução.
            Eu acho que nem o hidrogénio é a solução, assim como as baterias não são a solução.

            As baterias teem uma densidade energética absurdamente baixa, muitos problemas de fiabilidade, e até segurança.

            Acima falaste da densidade do Hidrogénio…depende como o vês.
            Se for em estado gasoso, a densidade é pobre, se for em estado liquido altamente comprimido e mantido a temperaturas do zero absoluto pode atingir dezenas de vezes mais densidade que os hidrocarbonetos..

            Agora existem varias formas de medir maioritariamente mede-se em Energia/L ou Energia/Kg, 1 kg de hidrogénio custa á volta de 52Kwh para produzir…é absurdo.

          • RC says:

            Problemas de fiabilidade ? Não vejo como tal.

            Segurança sim, algumas tiveram, de instabilidade, e muitas delas deveu-se a defeitos e falhas de desenho dos proprios packs, posso anunciar alguns, como os primeiros da tesla, da nissan, da hyundai, coisas que já foram resolvidas.

            Pode atingir grande densidade, mas a eficiência do sistema não aumenta, porque para manter essas temperaturas e essas pressões lá vai gastar mais energia outra vez. Para comprimir apenas um kilo a 700 bar são 3 a 4 kwh de energia, para liquido são cerca de 9kwh + a energia para manter.

            SIm, só para produzir, agora tem de adicionar a compressão, e o arrefecimento antes de abastecer, nos postos de abastecimento tem de arrefecer o gás a -40ºC para conseguir abastecer, o processo é um pouco mais complexo, simplificando é isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.