PplWare Mobile

BMW está a desenvolver um carro movido a hidrogénio. Veja o protótipo!


Fonte: BMW

Redator

Destaques PPLWARE

  1. Martins says:

    Penso que será a energia mais limpa. Produzir baterias actualmente implica a destruição de vastas áreas procurando o minério, extraindo, etc. E no fim da vida das baterias há que as processar o que se considerarmos a massificação das mesmas será sempre um problema. Já com as células de hidrogénio temos um processo mais limpo se gerarmos o hidrogénio usando renováveis. A Toyota tem o Mirai e a tecnologia deles agora do domínio público é há muito estudada pela Mercedes e outros fabricantes. Seria realmente uma verdadeira revolução na mobilidade.

    • IonFan says:

      Estes veículos continuam a ter baterias. Apenas são mais pequenas porque se acrescenta uma célula de hidrogénio que está constantemente a recarregas as baterias.
      Ao contrário das baterias, as células de combustível nunca serão baratas de produzir, pois usam platina como catalisador da reacção entre o hidrogénio e o oxigénio.
      Além disso é bem mais simples e eficiente (2~3x mais) usar a produção renovável para carregar directamente as baterias. Can’t cheat physics…

    • Vitor says:

      Estaria tudo certo se no processo de geração de hidrogénio + hidrogénio para electricidade não houvesse tantas perdas que comparativamente ao eléctrico a bateria simplesmente não tem comparação, ou vocês acham q os engenheiros são burros? Apostaram no carro a bateria primeiro só porque sim? Quem defende o carro a hidrogénio muito menos eficiente são os grandes lobbies porque iriam manter o mesmo circuito de transporte e armazenamento de combustível actuais, coisa q com o electrico desaparece! O hidrogénio poderá ser solução para aviões, navios e alguns transporte públicos mas de certeza morrerá mais tarde para os a bateria pelos motivos q indiquei acima. A bateria tem sofrido evolução rápida e o futuro será uma bateria q dura a vida do carro e com materiais recicláveis q já está na calha dos investigadores há muito tempo. Esta é a realidade. Se demorar muito a exploração do lítio em Portugal, provavelmente nem vamos ter tempo de o rentabilizar porque vai aparecer outras bateria doutro material que a vai superar. Por isso meus amigos a única coisa que temos de aumentar é a produção limpa de electricidade para fazer face às necessidades. Hidrogénio só serve para sustentar os lobbies actuais!

      • Valério Rebelo says:

        Certíssimo, só não percebe isso quem não quer.
        E ainda nunca vi qual a duração do “gerador” e custos de reparação, o que me cheiram a caríssimos, ao nível de uma bateria de um eléctrico

  2. Rui says:

    Quando 2 dos maiores construtores juntam-se neste projecto, quer dizer que a aposta é séria.

    E se a própria BMW já tem carros eléctricos e híbridos e vem agora lançar um carro movido a hidrogénio (vai produzir a energia eléctrica necessária para mover os motor(es) eléctricos, significa que a BMW não está convencida que os carros eléctricos a baterias sejam o futuro!!!!!

    Eu também tenho sérias dúvidas!

    • Cortano says:

      “não está convencida que os carros eléctricos a baterias sejam o futuro!!!!!”

      Ninguém está convencido que baterias que impliquem ter de extrair minério da terra seja o futuro.
      Por enquanto ainda não há alternativas prontas à bateria, mas mais ano menos ano e as baterias têm de sair de circulação.

      • Sujeito says:

        Exceto todos os fabricantes que tentam convencer a população em geral que, consequentemente, andam todos a repetir que nem papagaios que o elétrico é o futuro.

        O que o Rui apontou foi bastante inteligente, estás só a tornar isto numa discussão baseado no teu mundo, que aparentemente ignora o mundo geral.

  3. LA says:

    Sempre gostei da ideia de carros a hidrogénio. Esses sim são quase 100% ecológicos. Só espero que coloquem odor no hidrogénio, caso a tecnologia, venha a vingar. O hidrogénio torna-se perigoso, por não ter odor.

  4. Zé Duarte says:

    E lá vão os eléctricos para o lixo.

  5. Lumia says:

    o futuro é o hidrogénio

    • Rodrigo Da Silva says:

      o futuro daqui a 20, 30, 40 anos. Nao podemos ficar ‘e espera que essa tecnologia fique madura o suficiente para depois mudarmos.
      Temos boas alternativas a combustao AGORA com os carros electricos.

    • Sujeito says:

      Ya, desde há 5 décadas que são o futuro. Ainda nem são o presente, quanto mais o futuro.

      O futuro são os carros voadores, lembras-te?

  6. Zé Maluco says:

    E para quando carros movidos a água?

    • ze says:

      Tendo em conta que água vai ser dos bens mais escassos na terra nos proximos anos é melhor que seja movido a água salgada..

      • Sujeito says:

        Vai ser escasso? devias dar menos ouvidos aos teoristas da conspiração da indústria.
        Ou melhor, dar-lhes mais ouvidos para perceber como andam a orquestrar essa escassez artificial.

  7. Ricardo says:

    O objectivo aqui é desenvolver um novo combustivel para o poder vender.

  8. CGonsalves says:

    Concordo consigo plenamente caro Lumia. Os carros eléctricos têm os dias contados por razões atrás apresentadas.

  9. Acácio says:

    O hidrogénio tem actualmente um problema de produção que o torna pouco interessante. Ou é obtido em refinarias ou steam crackers a partir do petróleo, ou é obtido por hilectrose, consumindo electricidade da rede, tornando-o menos rentável em relação à aplicação direta em baterias. Mas há uma esperança recente, que são experiências que ocorrem no Canadá e parece permitirem obter hidrogénio directamente do petróleo bruto, sem que os hidrocarbonetos sejam retirados. Se a tecnologia provar ser boa, aí o hidrogénio será abundante, não poluente, tornando mais eficientes as fuel cells. Aí o hidrogénio ganha uma vantagem enorme sobre as outras alternativas

    • Cortano says:

      Há a opção ainda de obter através de energias renováveis, mais concretamente usando o excedente produzido pelas renováveis.
      Claro que isto não é para já, mas os estudos apontam para que num futuro próximo o excedente energético seja o suficiente para que possa ser utilizado para a produção de hidrogénio e outras formas de energia (p.ex., gas natural).

    • Acácio says:

      Electrólise. Peço desculpa

  10. TugAzeiteiro says:

    BMW irá ser a próxima NOKIA…

    • IonFan says:

      Infelizmente concordo… Até fazem carros bons, mas estão presos a cadeias de valor do século passado. É provável que eles e muitos outros não vão sobreviver a esta transição.

      • Sujeito says:

        A qual transição? Não está a haver nenhuma.

        O hidrogénio é uma cenoura à frente dos olhos faz 5 décadas e o elétrico já passou por esta fase mais vezes e foi sempre abatido.

        • IonFan says:

          A transição para a electrificação. Os eléctricos há vários anos que vendem o dobro do ano anterior. A isto chama se exponêncialidade e não é um traço de algo que está a ser “abatido”…

          • Sujeito says:

            Abater é, tipicamente, repentino. Não aparece num gráfico como uma tendência, mas sim apenas após o abatimento.

            Foi o que aconteceu até aqui. Não estou a argumentar que está a acontecer o mesmo, apenas que o que está a acontecer não serve para tirar conclusões devido aos abatimentos anteriores.

            Já se esteve nesta situação mais vezes, noutras áreas e, curiosamente, especificamente nos veículos elétricos.

          • IonFan says:

            Não percebi. Os ICE cada vez vendem menos e os eléctricos cada vez mais. Mas que vai ser abatido são os eléctricos? Ok…
            Os eléctricos nunca vingaram até agora porque todas as tentativas foram feitas por pequenas empresas que foram “abatidas”, ou por grandes construtores que, ao perceberem que era uma tecnologia que ia acabar com o seu modelo de negócio, pararam abruptamente os projectos.
            O que os grandes construtores não esperavam era que aparecesse alguém com loucura e dinheiro suficiente para fazer descolar uma nova empresa. Agora aconteceu e, apesar das tentativas, é tarde para pararem a mudança.
            Os mais astutos e que têm os modelos de negócio mais verticais (menos dependentes de cadeias de valor externas) vão conseguir mudar (ex: os coreanos e a VAG). Os outros vão continuar a apresentar meios termos até ficarem para trás e morrerem (ex: BMW e Toyota). É desrupção clássica e mesmo que se perceba que está a acontecer, nem sempre é possível virar o “petroleiro” suficientemente depressa.

          • Sujeito says:

            Consigo concordar com toda essa análise.

            É uma possibilidade viável.

  11. ze says:

    muito bem, assim tá bem!

  12. Tiago says:

    Partilho da mesma opinião o hidrogénio será mais solução do que as baterias que recorram a mineral.

    • IonFan says:

      As células de hidrogénio continuam a necessitar de baterias. Além disso usam platina. Já nem vou entrar pelo facto de ser necessário mais do dobro da energia produzida para andar os mesmos kms, se tivermos em conta o ciclo todo desde a produção eléctrica até à roda do carro.

  13. Simão says:

    Acho que está e a solução melhor.
    A quantidade de electricidade que se tem que produzir para tanto carro era preciso mais centrais a carvão e depois fazer e reciclar baterias electricas não acho que seja muito bom para o planeta.

    • Rodrigo Da Silva says:

      os centrais de carvao estao a morrer e cada vez mais a electricidade produzida ‘e limpa.
      E a reciclagem das baterias sera so em ultimo caso..primeiramente as baterias serao reutilizadas noutras coisas.

      • Sujeito says:

        As fabricas d carvao continuam a ser essenciais. O decréscimo delas é menos significante do que as análises falaciosas dos dados têm feito crer.

        • rodrigo says:

          nada disso. A aposta de painéis solares, geradores eólicos, etc esta ‘a vista. Alias no Reino Unido a percentagem de energia limpa produzida ja ultrapassou a percentagem de energia nao limpa. A tendência disso ‘e de aumentar..nao diminuir. Em todos ou quase todos os países do mundo.

          A prova disso ‘e na china que tem o maior numero de paineis solares (solar farms) do mundo.

          • Sujeito says:

            A “aposta” nessas energias limpas está à vista, de acordo.
            E a China tem solar farms gigantes sim senhor, assim como a Arabia Saudita se não estou em erro.

            Agora, são sustentáveis? Não, não são de todo.

            Estas alternativas geram imensa destruição que não é contabilizada, pássaros mortos, devastação de florestas, desapropriação de terreno etc

            É por isso que china e Sauditas conseguem ter sucesso , devido aos seus desertos. É por isso também que andam a convencer as pessoas a entrar num esquema de Grid – Rede energética, em que a energia flui de todo o mundo para todo o mundo, consoante a necessidade.
            Exceto que flui dos que têm a grande maioria da produção para todos os outros que precisam, voltando a centralizar o poder nas mãos de alguns.

            Para teres o UK a funcionar com energia totalmente limpa, teria de se cobrir metade do território UK em painéis e ventoinhas
            Logo aí, não é sustentável.

            Tal como todas as notícias sensacionalistas de que o UK e Portugal já conseguiram ter 1 ou 2 dias a correr inteiramente a energia renovável.
            Se conseguiram, então porque não mantiveram assim?
            Devido à Rede energética, a energia estava a vir de outros lados e não da produção interna do próprio país, que nunca vai poder atingir pelos meios atuais que tanto promovem.

            Os painéis solares têm de ser trocados com mais frequência do que se pensa;
            Todos estes instrumentos são menos eficientes do que se pensa;
            E não são instantâneas. Significa que no caso duma quebra energética, não têm energia a fluir pronta a ser desviada dum lado outro, têm de fazer reboot completo em vez duma simples operação que permite correções simultaneamente com o fluxo de energia. Por essa simples razão, todos os sistemas principais não vão deixar o carvã, ou nuclear, tão depressa.

            Há muito mais, mas estes pontos são os principais, sabidos na indústria mas raramente discutidos na gíria popular.

            E quem beneficia mais com isso? As corporações claro, que impingem ilusões ao público, como consumidores do seu produto e como ativistas para os seus governos passarem a ser consumidores também.

            E isto, como certamente saberás, não é absurdo nenhum. É o que todo o povo se anda constantemente a queixar que os governos e as corporações fazem em conivência. Mas quando se leva um brainwashing que mexe com o emocional de que se é uma pessoa preocupada com o meio ambiente, faz as pessoas ficarem cegas.

    • Sujeito says:

      Pelas estimativas oficiais, não seria necessário qualquer fábrica a mais, o excedente atual será suficiente para cobrir todos os veículos convertidos para elétricos.

      Eu não confio nessa análise, muitos buracos, mas é a oficial para todos os efeitos, portanto se queres raciocinar pela narrativa oficial, tens de ter isso em conta.

  14. Hélder Oliveira says:

    Não é o primeiro:
    “O BMW Hydrogen 7 foi um modelo produzido em pequena escala entre 2005 e 2007. A primeira aparição em público teve lugar no Salão Automóvel de Los Angeles, onde a marca bávara mostrou um modelo realizado com base no Serie 7 (E65) com a configuração Li (chassis longo) com o mesmo motor V12 que surgia no 760i e 760Li, modificado para poder ser alimentado a gasolina ou hidrogénio, uma solução diferente das propostas de outros construtores, que utilizavam “pilhas de combustível” (fuel cells).

    A BMW reivindica que este foi o primeiro automóvel de produção alimentado a hidrogénio, mas apenas foram realizadas 100 unidades.”

  15. Redin says:

    Eu que não “pesco” nada disto coloco a seguinte pergunta.
    Sendo o hidrogénio um combustível explosivo tal como a gasolina ou o gás, quais são as dificuldades sentidas em criarem motores de explosão com esse hidrogénio?

  16. Joao says:

    Hidrogenio será voltar ao passado. O futuro sao carros solares. Sono motors, light year.

    • Sujeito says:

      Se não precisamos de evidências para fazer conclusões dessas, então vale tudo.

      Eu digo que o futuro serão carros com a força do pensamento apenas. Totalmente limpos.

  17. klimane says:

    Parte do lucro das construtoras de automóveis vem da manutenção. Um motor de água ligado a uma bateria tem muito pouca manutenção. Lucro não cresce. Um carro a hidrogénio tem muita tecnologia e manutenção muitíssimo qualificada logo produz lucro
    Se calhar os custos de manutenção de um carro 100% elétrico são demasiado baixos para o investimento. As parcerias com os amigos do petróleo também ficam prejudicadas. Combustíveis, óleos, vem tudo sacar à carteira. A Mercedes andou anos às voltas do hidrogénio, a Toyota também e agora vem a BMW tirar nabos da púcara?
    Sabem o que aconteceu no mundo dos telemóveis, quando entrou uma empresa que nunca tinha fabricado telemóveis mas entrou com outra perspectiva? Pois é. A revolução que temos no bolso agora, seja Android ou iOs é toda descendente do primeiro iPhone que embora não fosse inovador, açambarcou e alterou a maneira como viamos os telemóveis.
    Nos automóveis acontece o mesmo, mas graças à Tesla que paulatinamente vai marcando o caminho. Alterando paradigmas. Se um Tesla fosse minimamente acessível, muito provavelmente andariamos já quase todos a controlar o nosso automóvel com o telemóvel há muito tempo, como já os donos dos Teslas o fazem. No meu caso só tenho um motivo para não ter um Model 3, falta de dinheiro.

    • Sujeito says:

      A perspectiva é boa mas falaciosa.

      A tesla não está a desbravar nenhum caminho que não tivesse já sido feito. Os elétricos já existiam faz mais de 1 século, eles apenas fizeram um repackaging com marketing e hype.

      O mercado dos telemóveis era significativamente diferente, significativamente menor e em estado de infância aquando da explosão/transição para smartphones.

      O mercado das energias já está muito muito maduro. Os players já estão definidos. Claro que há espaço para uma mudança ou outra mas , a avaliar por todos os dados que temos de todas as indústrias, apenas no sentido da convergência a favor dos maiores já instituídos, pois controlam o mercado com coisas mais importantes do que qualidade de produto. Controlam com lobbies e hegemonia de produto.
      Basta ver o caso da General Motors que era “too big to fail”. Tal como os bancos.

      • Klimane says:

        Enfim, falaste mas não disseste nada. Telemoveis havia muitos a fazer pouco. Alguém pegou na.ideia e transformou-a radicalmente. Parece-te ffamiliar? Agora tira elaçōes. Se achas que o que a Tesla fez foi menor, então diz-me porque temos o Taycan, o i-pace, os eq, os id, os i, etc… Compara uma fatura da manutenção de um carro normal e a de um eléctrico e depois diz-me quem é o falacioso.

        • Sujeito says:

          Pelo contrário, disse muita coisa. Mas parece que não percebeste pois refutaste com os argumentos iniciais.

          • Klimane says:

            Já vi que és um experr e o que a Tesla fez fazias melhor. Os automóveis a combustão existem há mais de 100 anos e ainda assim pouco têm evoluído e continuam a desperdiçar mais energia do que aquela que vão para as rodas. Se achas que a Tesla fez mero marketing para além de obtuso és info excluído. Controlar o carro com o smartphone, cãmaras a toda à volta do carro, GPS inteligente e anos luz da concorrência, interface gráfica totalmente moderna, sistema de cruzar control e condução autónoma que estão a anos-luz da concorrência. Queres inovação? O GPS que usas no teu telemóvel é superior ao que existe em qualquer carro que temos de pagar a peso de ouro. A Tesla tem menos de 2 décadas e já pôs aqueles que andam há mais de 100 anos a mexer. Mas como algumas pessoas são too dumb to figure it out, tenho de explicar sucintamente. E quanto ao marketing diz-me quantos anúncios Tesla viste até hoje.

          • Sujeito says:

            Novamente, não percebeste o meu ponto.

            Não mencionei sequer essas “novidades” introduzidas nos veículos Tesla, nem discordo desse ponto.

            Discordo de tudo o resto.

            Debater pontos, tudo bem. Agora chamar nomes tipo puto da primária, não dá com nada.
            Principalmente quando até pareces um indivíduo capaz de debate mas parece que atacaram o teu deus ou coisa assim.

            Conversemos mais assertivamente para a próxima.

    • rodrigo says:

      Por um lado ate concordo que a maior parte do dinheiro gasto ‘e na manutenção..mas isso em termos de obras grandes tipo pontes ou edifícios. Fica mais barato a curto prazo a manutenção dum prédio do que deita lo abaixo e construir um novo. Mas a longo prazo não.
      O mesmo nao acontece com automóveis. Qualquer coisa me diz que a maioria do pessoal faz a manutenção dum carro numa oficina geral e nao na marca do carro. A maioria das pecas dum carro ‘e de tal maneira geral que podes facilmente arranjar algo OEM.
      O dinheiro que os fabricantes tem vem da venda de automóveis novos e nao da manutenção.

      • Klimane says:

        Se comprares um carro novo com 2 anos de garantia, vais à casa mãe 4 anos porque não queres ter problemas. Já deste 5000€ a ganhar se pagaste a pronto, 15000€ se vais pagar a crédito. 4 anos de manutenção ficam por suponhamos 600€ contas por baixo se tiveres um citroen como eu. Tudo para a casa que compra o óleo e os filtros ao preço da chuva e pagas ao preço do ouro. Vá lá, um sinistro aqui outro ali, cada carro vendido novo reverte a favor do fabricante 2000€, nos próximos 4 anos mais os 5000€ da venda. A VW vende 10 milhões por ano ou seja números muito redondos 7000 vezes 10.000.000 dá 7.000.000.000.000 ou seja uma porrada de zeros. E podem eles ter carros quase novos a apodrecer no deserto nos Estados Unidos e manter portas abertas? Parece que sim. Quem paga? És tu!

  18. Luisa says:

    Hidrogénio é super explosivo e reactivo…

  19. Danilo says:

    Façam carros movidos a energia nuclear… Vai durar bastante.

  20. Nuno Monteiro says:

    Já pensei nisso 2 ou 3 xs, uma “pedra” nuclear num carro iria durar anos a ser consumida, o problema está no seu consumo, hoje em dia não há tecnologia de tamanho reduzido para uso nuclear.
    Mas penso que seria uma questão de investimento.

    E que portugal seja pioneiro, já que somos ricos em uranio

  21. AlexX says:

    Eléctrico ou célula de combustível de hidrogénio, vingará a tecnologia que for mais rentável a quem a disponibiliza. Até podem ser ambas e outras em simultâneo, ficando à escolha do consumidor qual usar/adquirir. Seja qual for, será sempre sobre rodinhas para que andem devagar e mesmo assim já se espetam a 100km/h contra qualquer coisinha. Imaginem agora como seria ter humanos voando a 1000km/h em todas as direcções em dispositivos que usassem o campo electromagnético da Terra sem gastar nada. Teríamos que viver em bunkers.

  22. Fulano says:

    Carros electricos são e serão sempre uma coisa temporária.
    Acredito sim que o Hidrogénio sim será o futuro em breve.

    • Fulano says:

      Quando me refiro a “carros electricos”, refiro-me a carros a baterias de litio.
      Sei perfeitamente que os carros alimentados a celula de hidrogénio também são electricos

  23. Fernando says:

    Como poderemos afirmar que a água vai escassear? Não é a água sempre a mesma no planeta?: Quererás dizer que a água potável irá escassear? Só pode. Enquanto houver oceanos temos água. Ela só mudará de posição entre continentes. Mas que os veículos movidos a hidrogênio sejam o futuro também acredito. O eléctrico será uma fase de transição para o hidrogênio como o vapor foi para o motor combustão interna. Abraço a todos

  24. Pasconco says:

    Convem que os carros continuem a ter alguma manutenção, se não houver manutenção deixa de haver mecânicos, bate chapas, pintores etc, só pensando em Portugal quantos milhares de pessoas serão? Imaginem, se tudo deixa se de ter manutenção para que é que todos nós serviamos? Se calhar se muitos milhares de nós que vivemos principalmente em meios urbanos de meia ou elevada densidade deixarmos de ser seres individualistas e se promovesse e exigisse uma melhor e mais eficaz rede de transporte colectivo não tínhamos que estar a culpar o carro que tanto jeito dá para um passeio de família de vez em quando, da poluição que ele andando pouco poderia ser simplesmente a gasolina e pouco fazia. Os muitos de nós que só têm carro porque precisam ou porque têm porque toda a gente tem se calhar não tinham e não estrovavam a quem gosta realmente de ter. Porque o automóvel é fantástico e quanto menos tecnologia de treta tem melhor é. Um carro nem de rádio precisa porque o motor já dá música. Deixei se lá de tretas, os carros vão ser eléctricos, a gasolina, a gás, a hidrogénio, enfim tudo o que for possível e qualquer dia até tem máquina de café e massagista digital. A tesla é a rainha do marketing, faz 30 por uma linha mas fazemos 10 mil kms nos Estados Unidos e vemos 5 ou 6 a andar. 1 ou dois com gajos a dormir. Só histórias da carochinha. Vamos cá deixar um planeta morto para os que virão no próximo século, mas ninguém se preocupa verdadeiramente porque sabem que já cá não vão estar. Tendo em conta o sofrimento que à 6 décadas se passou para hoje estarmos a entrar praticamente numa anarquia porque é só desinformação, somos governados por pessoas que no geral nem para servir à mesa num café serviam, e falam em imposições de coisas sem lógica nenhuma, destroem tudo e mais alguma coisa, põe impostos em cima de impostos. Vocês que sabem tanto expliquem me lá uma coisa, eu passo a vida a trabalhar, compro um carro de alta cilindrada e potência com o suor do meu trabalho ou até que tenha sido do meu pai e eu tenha herdado esse dinheiro, porque motivo é que eu que vou fazer 2000 kms num carro destes tenho que pagar 1000e de imposto anual e uma pessoa que tenha um clio a gasóleo e faz 20mil kms por ano tem o carro todos os dias a poluir numa fila de trânsito umas 2 a 3 horas paga 140 ou 150e? Isto é um mundo justo? Porque é que eu se for patrão tenho que pagar 14meses de salário e segurança social e só usufruo do trabalho de um funcionario 11meses? E se ficarem a dever a uma empresa ninguém se importa mas a ascendi pode penhorar a casa por eu não pagar uma scut através das finanças? VIVA O BENFICA.

  25. Eddy says:

    Já vão tarde a Hunday já tems 3 modelos no mercado desde 2012 o último seja um protótipo lindo e bem mais eficiente

  26. António Santos says:

    Sim penso que a o hidrogênio é o futuro, até porque é uma energia limpa e com uma célula que se carrega numa bomba em 5 segundos e que dá mais ou menos para 700-800 km, que só liberta vapor de água é sim o futuro.
    A Hyundai vai. Abrir outra fábrica para este tipo de carros e basta ver que já existem a circular com muito êxito na Califórnia.

  27. Valério Rebelo says:

    Queixam-se do preço dos elétricos, sabem o preço destes a hidrogênio,
    Tem baterias, mais pequenas mas ainda assim, tem
    E ainda tem um”gerador” com uma tecnologia caríssima, de ponta, tecnologia que “ninguém” mexe nos próximos anos, por alguma razão apenas o top5 das marcas lhe mexe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.