PplWare Mobile

Se não houvesse Windows piratas, qual seria o sucesso do Linux?


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Asdrubal says:

    “Porque é que os utilizadores pagam pelo Windows quando podem ter um sistema igualmente capaz gratuitamente?”

    Gostava de ver uma distribuição de Linux a funcionar tão bem e user friendly do que o Windows. Nem o OSX que é tão aclamado pelos admiradores e fácil de utilizar. É contra produtivo. Falta uma dezena de teclas. Começando com a tecla de menu de contexto e acabando do botão delelete.
    No Linux é uma coisa por demais. Quer-se fazer uma coisa mais fora do “normal” é necessário ser programador e procurar durante horas na net como “resolver o problema”.
    No windows é tudo mais simples. Nós pagamos por alguma ração e essa é a parte de ter suporte e ser um OS bem construído e pensado.
    Se o linux se fosse pago acredito piamente que seria igual ou melhor do que o Windows. Mas começaria depois a apanhar virus e trojan como o OSX que tanto apelava que NÃO TINHAM VIRUS e também o Linux.

    • Altair says:

      Ubuntu e linux Mint são distros User Friendly , agora imagina dizer pro usuario final desabilitar as dezenas de funções de espionagem da microsoft no seu windows 10, e imagina então o usuário final se ele vai conseguir resolver algum problema de SO , enfim é so pra mostrar que de problemas todos os SO’s tem, mas vc não precisa ser programador e nem passar horas pra resolver problemas no linux, digo pq uso Ubuntu e não sou programador e não tenho problemas com o meu SO, acredito que vc esteja se referindo a algum Distro la da época de 1991, pq se for ai concordo com vc, vc acha o windows tudo mais simples, eu não sei aonde, a interface do ubuntu é mais limpa e mais fluida que a do windows 8 e 10, e digo que o pior erro da microsoft foi aquela interface metro o windows 8, aquilo la é pra prejudicar qualquer usuario final que veio do windows 7, que acredito que depois de esperimentarem o windows 8 feioso voltaram ao 7 pq esse sim era um ambiente limpo sem frescuras.

    • jc says:

      Acho que desde o Windows 8 que a questão do user friendly do windows é bastante discutível…

      Foi bastante melhorada no Windows 10, mas (na minha opinião) está ainda uns degraus abaixo daquilo que é o OS X. Provavelmente achas o windows mais fácil de usar que o OSx porque quando tiveste o teu primeiro contacto no mundo da informática foi com PC Windows, como a grande maioria dos utilizadores. Fomos habituados aos standards do Windows desde muito cedo e é difícil alterar para um sistema completamente diferente.

      • Valeriu says:

        O windows ‘e muito mais user friendly do que o OS X. No finder nao consegues criar um ficheiro e mostar ficheiros ocultos sem utilizar o terminal. A taskbar nao tem as janelas agrupadas como no windows, nao consegues maximizar uma janela ou por lado a lado sem utilizar a funcionalidade retardada do fullscreen, fechar uma aplicaçao s’o com cmd + q, etc. Dito isto continuo a preferir o OS X, mas sinto falta de muitas funcionalidades do windows.

        • EC says:

          Muitas das funções descritas podem ser realizadas através de outras aplicações:

          – Ao invés do Finder, pode-se utilizar o Commander One (free/pago) ou Path Finder (pago) para conseguir ver os ficheiros ocultos e ter funcionalidades muito mais avançadas para gestão de ficheiros.

          – Com o Karabiner (free) podemos criar atalhos personalizados de teclas, substituição de funcionalidades, gestão de velocidade, etc. Exemplos: no meu MPB de 2011 eu utilizo a tecla de ejectar DVD como tecla Delete (fn+backspace); possibilidade de também a utilizar tecla ctrl + c / x / v para copiar/cortar/colar, tal como windows (nativamente é a tecla cmd).

          – Com o software BetterTouchTool (paga) consigo personalizar o trackpad, como por exemplo clicar no canto inferior direito para simular o botão direito do rato. Esta aplicação também traz o bonus do Windows Snap evitando a tal “retardada” funcionalidade do fullscreen como descreveste.

          • Valeriu says:

            a questao aqui ‘e qual ‘e o mais user friendly, e o no osx faltam funcionalidades basicas que ja deveriam ter sido implementadas a mais tempo.

        • Xinuo says:

          Não acha que é questão de costume? No Windows, creio (eu uso KDE no GNU/Linux), para fechar uma janela podes clicar em ALT+F4. O que têm de user friendly em ALT+F4? Apenas os utilizadores estão acostumados.

          Me parece bem mais user friendly o CMD+Q, pois o se está a passar é um comando com auxílio de teclas, sendo Q é de quit, fechar/parar/sair em inglês.

    • Not Paulo Andrade says:

      Asdrubal embora eu tivesse pensado assim durante muito tempo isso não é verdade.
      O melhor exemplo que te posso dar é o do meu pai que nunca teve qualquer tipo de formação nem grande experiência na area, ele utiliza Deepin, e consegue fazer tudo o que uma pessoa que tivesse tido tic na escola em metade dos clicks. O Deepin é o SO mais simples e fácil de usar que já vi e alem disso tem uma interface espectacular. Isso de Linux não apanhar vírus é mentira mas a segurança é feita pelo kernel, para o qual tens actualizações diárias e milhares de pessoas verificam o que o torna muito mais seguro. “OS bem construído e pensado”, com o linux podes escolher de entre dezenas de DE’s enquanto que no Windows/OSX tens um.

    • Eduardo Silva says:

      Migrei para Linux em 2009, definitivamente. Windows em casa raramente, só mesmo para aceder a algum site “incompatível”. Tudo muito mais simples, sem vírus, sem ecrãs azuis, sem trojans, sem malware, tudo muito mais rápido, mais fluído, até mais bonito. Lojas de aplicações com milhares de programas, coisa que a Microsoft nunca soube capitalizar, nem nos sistemas Mobile, daí levar uma valente “abada” da concorrência Android (linux) e iOS. Instalações e actualizações simples e rápidas. Sem formatações frequentes, sem lixarada e desfragmentações, sem instalação de drivers, com actualização automática de versão para versão. Sem custos. Só vantagens. A todos os meus amigos aos quais instalei Ubuntu ou Mint nunca mais quiseram outra coisa. Este post foi escrito no meu Mint 17.2 XFCE, instalado no meu velhinho Pentium M e o qual funciona perfeitamente. Minto, não estou a conseguir fazer funcionar a Vodafone Tv, mesmo já tendo instalado o substituto do Silverlight da Micrtosoft (pipelight). Mas o Netflix funciona na perfeição. https://www.dropbox.com/s/enacccqnxkw3t5b/Captura%20de%20ecr%C3%A3_2016-02-24_11-50-12.png?dl=0 https://www.dropbox.com/s/9cjh1q9holca3xb/Captura%20de%20ecr%C3%A3_2016-02-24_11-56-53.png?dl=0

    • pedrostrik says:

      mais um tuga ignorante a falar do que nunca viu ou mexeu, e podem crer se o windows não tivesse tanta pirataria nem 50 % tinha do mercado e o linux estava de tal forma que mesmo para jogos era a preferência das editoras.

      • Luis Aguiar says:

        para jogos, a plataforma Steam serve todas as minhas necessidades. compativel com os varios sistemas

        • Rui says:

          Errado, a lista alem dos jogos da valve que estão portados para todas as plataformas são uma minoria. nem todos funcionam em OSx ou em linux.
          Até nos steam Machines que usam linux tem uma lista muito pequena de jogos.

      • Koelhon says:

        Concordo plenamente, linux faz tanto ou mais quanto o windows, muitas das vezes é uma questao de adaptacao ao que se precisa. A nivel de jogos, cada vez mais as consolas ganham terreno e sao mais escolhidas.

    • Jeremias Humberto says:

      Questão escolha, só isso

    • Miguel says:

      Estou com debian 8 com o KDE a derreter ram por ser bonito já faz alguns meses neste portatil e, ainda não fui uma unica vez à consola fazer nada de especial alem de alguns pings e acesso remoto a maquinas.. tenho tudo em modo grafico mesmo para coisas fora do ‘normal’… não vejo hoje em dia dificuldades por esse ponto, tendo em conta ubuntus, debians, etc etc que são tão ou mais amigos do utilizador quanto os windows e não nos espiam tanto 😉

    • Diogo says:

      Asdrubal, vê-se que não usas Linux há algum tempo, se é que alguma vez usaste.

    • Gabriel says:

      O Windows 10 tem vários elementos do OSX e KDE
      Portanto…..

    • Rui Martins says:

      Linux é mesmo tramado e pouco user friendly… Só mesmo pessoal mais habituado à informatica, como o meu miúdo que logo com 8 anos não sentiu uma ponta de dificuldade utilizar o edubuntu como sistema operativo para fazer pesquisas e trabalhos para a escola…

  2. Cláudio Barbeiro says:

    Porque é que os utilizadores pagam pelo Windows quando podem ter um sistema igualmente capaz gratuitamente?
    Porque são obrigados. Praticamente todos os computadores que se encontram à venda nas grandes superfícies comerciais já vêm com Windows por defeito, logo as pessoas como não têm conhecimentos mais aprofundados usam o que lhes é dado / imposto.
    Na minha opinião a pirataria é um mal menor nestas contas, mas sim todo o “negocio” que está por traz dos fabricantes.

  3. Paulo Oliveira says:

    O Gnu/linux não tem mais utilização porque por causa da licença GPL, os programadores na sua maioria não se interessam em libertar o código fonte do software que produzem, e logo produzem somente para windows e Mac

    • Jbastos says:

      Bons livros compram-se… Porque haveria de bom código ser dado?
      “There are no free meals”

      obs.: Também anda por aí muito código que nem dado devia ser usado….

      • Khidreal says:

        A licença GPL basicamente obriga os programadores a libertar o codigo fonte, sendo assim, o que me impede de pegar no teu codigo fonte que te demorou 6 meses a fazer, e em 15 dias melhoro-o e coloco-o online. conclusão: as pessoas irão transferir a minha aplicação melhorada, ao invez da tua, que irá cair no esquecimento. ou seja, basicamente agora coloco os downloads a passar pelo adf.ly e ganho alguns cobres, à custa do teu programa.
        é por isso que muitos programadores gostam de manter os programas closedsource.
        não obstante, sim, é necessário livros para aprender a lingua, não me adianta de nada ter o source code se não percebo o que lá diz… e, bom codigo ou mau codigo, sob a licença GPL és obrigado a da-lo.

    • Patricio Cordeiro says:

      A licença do kernel do linux não têm vínculo sobre as aplicações que correm no linux.
      Aliás existem várias aplicações proprietárias para linux, a mas famosa e usada das quais, o Google Chrome.
      Outro exemplo seria o lightworks, um editor de vídeo profissional multi plataforma,

    • Sergio J says:

      No segmento empresarial tocaste no ponto. Especialmente as viral licenses. Se não queremos disponibilizar o codigo, temos de ter muito cuidado com as bibliotecas que usamos. Nos embebidos tem acontecido muito isso. Muita gente tem optado pelo Linux não respeitando depois as licenças. Se o codigo num embebido está ali escondido, ninguem sabe o que está ali ao certo, nas aplicações desktop já não é bem assim.

      Se as empresas não usam Linux (excluindo casos especificos, como servidores web), depois as pessoas usam em casa o que usam nas empresas, genericamente falando.

    • A. Barbosa says:

      Paulo, embora o que disseste tenha alguma lógica, temos que ter atenção que existe software comercial nativo para Linux que é fechado (gratuito e pago).
      Como exemplo temos vários jogos (incluindo no Steam), browsers (por exemplo o Opera e, em parte, o Chrome), e existem exemplos em quase todas as áreas.
      Dois exemplos que conheço melhor:
      – O programa de facturação Colibri (que é português), tem versão nativa para Linux tanto na versão gratuita como nas licenças pagas.
      – O Bitwig Studio é um programa profissional de produção musical que tem versão nativa para Linux e que é fechado, custa 299€, e que, embora recente, tem vindo a ganhar terreno na área.

      Em suma, uma vez mais é uma questão de percepção e os mitos do costumo:
      – O Linux é para nerds. – Também há nerds no windows, e também há quem não perceba nada de informática a preferir Linux (como a minha mãe, que tem um dual boot no portátil do meu pai só para poder ir ao facebook, porque acha o Linux mais fácil).
      – O software para Linux tem de ser livre/gratuito. – ver acima.
      – O Linux não tem bom suporte para hardware. – Já foi verdade. Os problemas que subsistem são consequência do ponto anterior. Por experiência própria tenho tido mais problemas com compatibilidade Windows que Linux (excepto em hardware mais antigo).

    • João says:

      Not True!!!

      Em Linux cada um pode criar os programas na licença que quiser. Aliás, mesmo o software sob a licença GPL é passível de ser vendido!!! Qualquer pessoa pode vender um programa que tenha feito e que tenha licenciado sob GPL sem qualquer problema. O GPL apenas obriga a disponibilização do código fonte de forma gratuita, não os binários!!! (claro, cada um poderá sempre compilar o código gratuitamente, mas não estou a ver o utilizador comum a fazer isso)

      O que entra directamente para o Kernel, isso sim tem de ser GPL… MAS: se tivermos como exemplo os drivers, estes podem ser desenvolvidos através de um módulo do kernel – o UIO – que permite desenvolver estes drivers de forma a funcionarem no userspace em vez de no kernelspace (o que trás algumas vantagens: permite que os drivers tenham uma licença qualquer que não a do kernel, se o driver falhar o sistema não “crasha”, etc).

      Portanto, essa não serve de desculpa para a fraca utilização do GNU/Linux.

      As empresas que pensam isso deviam analisar melhor estes detalhes legais porque não tem razão nenhuma para reclamarem da licença (excepto que o q for para dentro do kernel propriamente dito TEM, claro, de ter o seu código open) – mas ha formas de contornar isso… é uma questão de analise!!!

  4. rui says:

    “Porque é que os utilizadores pagam pelo Windows quando podem ter um sistema igualmente capaz gratuitamente?” Para coisas simples, ou mesmo em termos de trabalho, concordo com esta afirmação até porque uma distribuição de linux serve muito bem. Agora para, por exemplo, jogar, o windows dá 10 a zero ao linux, tanto em estabilidade como mesmo no caso de drivers para os componentes (mas esta parte dos drivers já depende mais dos fabricantes e não do sistema). Mesmo que não houvesse Windows pirata, não acredito que a quota pertencente a windows fosse tão baixa como o artigo diz, precisamente por muita coisa que windows faz melhor (ou com menos “trabalho” e os utilizadores gostam pouco de fazer “20 cliques” para uma coisa que no windows podem aceder com “dois”). 40% para linux é muito exagerado. Agora acredito sim, é que haveria possivelmente mais computadores da apple (porque as pessoas choram-se do preço do windows mas vão gastar mais dinheiro num computador da apple só porque sim, ou porque viram alguém a usar e dizer que é fixe e tal, coisa típica de 80% das pessoas que usam produtos da marca: só “para inglês ver”).

    • Not Paulo Andrade says:

      Rui tas errado, o único motivo para não jogar em linux é a compatibilidade com Directx11/12
      Jogo em linux e em windows no mesmo pc e é completamente diferente, muito menos lag, muito mais ram livre,etc. Para alem disso nunca tive de desligar/reiniciar o meu linux coisa que me acontece constantemente no windows. O motivo das pessoas utilizarem o so da microsoft é o mesmo de comprarem macs, estão a pagar desmasiado por uma coisa que não o vale so porque é mais famosa. O OSX da Apple é baseado no Darwin, uma distribuição BSD que tanto no seu desenvolvimento como no seu funcionamento é parecido ao linux

      • Joao Carvalhinho says:

        Não me parece… nem mesmo o grande impulsionador da joga em Linux consegue resolver os problemas de performance…

        http://arstechnica.com/gaming/2015/11/ars-benchmarks-show-significant-performance-hit-for-steamos-gaming/

        Gosto muito de linux e participo ativamente na tradução do elementaryOS, mas gaming não é o seu forte… nunca foi. Nem gaming nem UI/UX. É quase tudo software ultracompleto e totalmente parametrizável (na maioria das vezes apenas com um editor de texto), feito por excelentes programadores, mas sem a ajuda de designers. Macosx é exatamente o contrário. Perfere-se dar atenção aos detalhes gráficos, ainda que castre funcionalidades… (O exemplo do rato de 1 botão foi paradigmático. E durante muito tempo ninguém precisou dos dois botões em Mac, porque o Soperativo não precisava… O mesmo para os trackpads)

        Eu, gosto de todos. Cada um tem os seus pontos fortes… mas cada um tem os seus pontos fracos também…. logo cada um serve para uma situação específica.

    • pedrostrik says:

      perdeste uma boa ocasião para nada escreveres, só escreveste disparates, essa da marca só para inglês ver, é de bradar aos céus, pois o ambiente user friendly optimizado foi introduzido ao nivel doméstico no MAC (apareceu na Xerox), o bill gates só copiava ou já te esqueceste ?
      E depois como tu és expert, caso não saibas muitos dos melhores softwares de desenho e musica existem em exclusividade na marca da maça. Mas como tu dizes jogar é no windows, então segue o meu conselho, continua a jogar….

    • Khidreal says:

      o windows tem uma quota de pirataria de cerca de 40%, basicamente os seus utilizadores iriam reduzir para metade… depois, o windows é bom pra jogos porque os primeiros jogos foram desenvolvidos para windows, e com isso mais utilizadores o que originou mais desenvolvedores. se em vez do windows fosse criado o linux primeiro, seria hoje o linux com mais jogos. no entanto as grandes companhias como a EA, e Eidos já começam a apostar nos jogos para linux também, embora a lista não tenha 5% comparado com Windows, mas lá se há-de chegar, nunca vi tanta gente a migrar para linux do que agora, com o lançamento do W8 e 10, os foruns sobre linux estão atolados de perguntas sobre instalar linux, como usar, etc.

  5. Carlos says:

    E se a minha avó tivesse asas era um avião.

    O que é que interessa debater a pirataria do Windows agora quando isto ficou decidido há 20 anos?

    Além disso duvido que a taxa de pirataria no Windows seja assim tão alta, porque *ninguém* compra e instala o Windows, simplesmente é o que já vem instalado quando se compra o computador. Há 20 anos, lá está, talvez fosse, mas hoje não é.

    E em cima disso, acontece que o Linux não é igualmente capaz ao Windows. Nenhuma distro do Linux me permite jogar ao Rise of the Tomb Riser literalmente com 2 clicks.

    É a tal história dos 80% das pessoas só usam 20% das funções. Que é outra coisa que os proponentes do Linux (e não só) nunca perceberam.

    • Altair says:

      Será que todos os usuários de windows são Gamers? so falam de jogos.
      Querem comparar um sistema no caso o windows que esta a mais tempo no mercado do que linux em questão de games, agora que saiu a API Vulkan vamos ver o que vai surgir daqui pra vente, eu uso windows 7 pra games e ubuntu pra todo o resto, desde navegar na internet ate ouvir musicas e videos, daqui a pouco vai aparecer gente dizendo que é dificil instalar softwares no linux, ja é bom responder logo $ sudo apt-get install “software”

      • Joao Carvalhinho says:

        Access, Outlook com exchange, e Excel com VBA. isso é tudo trabalho que não se faz em Linux. Isto sem começar a entrar nas suites gráficas ao nível pro. Gimp e inkscape safam os developers que dão uns toques para as suas apps, mas quem quer trabalhar à séria na área do design gráfico digital ou “analógico”, isto não chega.

        • Tico says:

          Os programas não adivinham o que quer fazer, se não sabe bem pode procurar ter as melhores aplicações do mundo… uma pessoa quando não sabe dançar diz que esta é torta.

        • N'uno says:

          Isto é uma visão um pouco distorcida e demasiado limitativa… Aposto que nunca exploraste convenientemente as suites gráficas existentes no Linux, nem trabalhaste a sério com bases de dados… Access é um excelente canivete suíço, costumo dizer, mas não é insubstituível, ou até indispensável. Outlook e Exchange então, nem comento. Já o Libre Calc, por exemplo, permite macros com muitas linguagens para além do Basic. Só não são VBA, certo…
          O problema é a confusão do “trabalhar à séria” com “usar os mesmos formatos proprietários que toda a gente usa”, diria.

      • Joao Carvalhinho says:

        …e já agora, e para o comum dos mortais, $ sudo apt-get install “software” não é fácil. Além de ter que estar nos repositórios autorizados, e ter a certeza que estes estão atualizados, bem como todas as dependências, abrir a linha de comandos para escrever uma coisa críptica (sudo? apt? get? porque apt-get quando escrevemos o “install”?não chega?)* é ridículo nos dias que correm. (e.g. em Macosx descarregas uma “pasta com o icone do “software” que arrastas para uma pasta na tua conta de aplicações, ou de sistema para ficar disponível para todos- exige permissões… mesmo assim, tenho gente que se queixa pois as apps desaparecem… porque as correm diretamente dos discos virtuais -dmg- que sacas da net)

        E não tentemos comparar as apps disponíveis nas respetivas stores. 🙂 eu sofro cada vez que abro a “appstore” do elementaryOS/Ubuntu.

        *Não faria mais sentido algo do tipo – Install “software” – em que o install era compreendido pelo sistema como “Instala o que vou dizer a seguir!” e isto lançaria o apt-get (programa de instalar coisas), que pediria a pass do sudo por omissão???

        • Tico says:

          Porque é que está a tentar enganar as pessoas com as suas “ideias” que de fundamento nada tem?

          quer comparar tempos, e processos então vamos a isso.

          1 – no linux quer instalar uma aplicação, por exemplo um browser que não venha instalado (e.g. firefox):

          a) carrega em simultaneo no ctrl+alt+t e escreve “sudo apt-get install firefox” sem aspas, carrega em enter.

          b) insere a password e carrega em enter.

          Já está instalada.

          2 – no windows quer instalar uma aplicação, por exemplo um browser que não venha instalado (e.g. firefox):

          a) abre um browser (edge, chrome) e procura por firefox.

          b) seleciona a página que acha ser a homepage do proprietário da aplicação.

          c) Na página procura a última versão, depois tem de ter o cuidado de saber se vai copiar a versão adequada para o seu sistema operativo (32/64 bits).

          d) Localiza o ficheiro copiado, de seguida várias vezes carrega em seguinte, seguinte… e por fim está instalado.

          3 – no osx quer instalar uma aplicação, por exemplo um browser que não venha instalado (e.g. firefox):

          a) abre um browser (opera) e procura por firefox.

          b) seleciona a página que acha ser a homepage do proprietário da aplicação.

          c) Na página procura a última versão, depois tem de ter o cuidado de saber se vai copiar a versão adequada para o seu sistema operativo.

          d) Localiza o ficheiro copiado, de seguida arrasta o ficheiro… e por fim está instalado.

          Qual é o mais complexo?

          • Joao Carvalhinho says:

            Mau exemplo…
            Abro a minha aplicação de ir a internet (aquele sítio onde se sacam as apps) e escrevo “firefox”… o primeiro hit é a página da mozilla em português de Portugal… e clico lá. SEI O QUE ESTOU A FAZER. Bem no meio, a verde, está um botão que diz “descarregar gratuitamente”.
            Clico lá, e o browser para a minha plataforma é descarregado para a minha pasta de downloads de forma automática e com cues visuais… SEI O QUE ESTOU A FAZER. depois é só clicar duas vezes no indicador de “descarregado” no meu programa de internet (ou procurar o icone do firefox na minha pasta de donalds), e ele abre o dmg, onde me diz… pega nisto aqui, e arrasta para ali… que faço prontamente. Já está.

            Sudo? apt-get? já viste a quantidade de coisas estranhas que tens que escrever? eu sei lá que raio é o apt-get e quem é o sudo?… não é suposto ser o software center para instalar coisas? não deveria ser “software-center firefox”? Aliás… desafio qualquer tipo que acabou de instalar um Linux/ arrancar um OSX pela primeira vez, a instalar o firefox para ver qual é a primeira coisa que faz… e vê se ele abre logo a linha de comandos, e vai escrever sudo apt-get install firefox.

            Depois queixam-se que há totós que escreve “sudo rm rf” só porque quando perguntaram na net, foi a resposta que obtiveram. 🙂 AS PESSOAS NORMAIS NÃO SABEM O QUE FAZEM 🙂 as pessoas normais não somos nós!

            Como já disse… uso todas as plataformas, e contribuo sempre que posso com traduções para LInux, ou seja contribuo muito mais do que muitos pseudo-linuxers o fazem.

            E graças a Deus que tenho ideias… tal como os meus companheiros de linux… senão, nem estaríamos aqui a discutir isto.

            Já agora, passa estes dois how-to’s ao teu pai:

            https://support.mozilla.org/en-US/kb/how-download-and-install-firefox-mac
            https://support.mozilla.org/en-US/kb/install-firefox-linux

            E pergunta-lhe qual parece ser o mais fácil.
            No Linux começa logo por dizer…
            “Ensure that you have all the required libraries”
            WTF? good luck with that. Se tens alguma instalação manhosa em que uma das dependências ficou “mal instalada”… good luck with that.

          • Mylittlelife says:

            No Linux para fazeres a maioria das coisas é estilo MS DOS, tens que escrever comandos e …saber o que escrever. No Windows tens um teclado virtual de fácil e os sites detectam por norma a versão mais adequada ao SÓ, e dps de descarregada aparece no browser o ficheiro e é só clicar para instalar. No Linux fica “a fazer algo”.

            Dou um exemplo: como instalas uma vpn? E no Windows/OSX?

          • Tico says:

            Mylittlelife, quem é que te disse que também em linux os sites também não te recomendam a versão aconselhada? Tens cá umas teorias… para não complicar muito se quiseres ter uma vpn para aceder a um site por exemplo bloqueado, no teu browser procuras uma extensão para o efeito… exactamente igual a outro sistema operativo qualquer…

            http://lmgtfy.com/?q=como+instalar+uma+extensão+no+browser

          • Joao Carvalhinho says:

            Ezperimenta instalar o VLC por exemplo… E nao te esqueças que tens que adicionar os “repositórios”, que claro sabes de cor tal como sabias o sudo apt-get…

          • Tico says:

            JC, não sei de onde é que tirou a ideia que é preciso instalar o repositório do vlc, antes de instalar o programa, sugiro que visite a página deles ( http://www.videolan.org/vlc/download-ubuntu.html ).

          • Joao Carvalhinho says:

            My bad… Ainda sou do tempo em que era 😉

          • Tico says:

            O linux ainda tem uma coisa mais excelente que é quero instalar por exemplo vários programas (vamos por exemplo escolher seis FIREFOX, SCRIBUS, BLENDER, INKSCAPE, VLC e SKYPE) escrevo apenas em duas linhas de código, a primeira para escrever “sudo apt-get install firefox scribus blender inkscape vlc skype”, sem as aspas, carrego em enter. De seguida meto a password e carrego no enter e é só deixar a instalar por exemplo seis programas ao mesmo tempo com apenas duas linhas de código (se eu já tiver como SU, então aí nem é preciso duas linhas de código basta uma).

    • Khidreal says:

      “É a tal história dos 80% das pessoas só usam 20% das funções. Que é outra coisa que os proponentes do Linux (e não só) nunca perceberam.”

      eu acho que e mais ao contrario… não é o linux que vem carregado de features e coisas que os utilizadores desconhecem ou não utilizam… por exemplo, para que o windows tem o windows disk cleanup tool se maioria dos utilizadores usam Ccleaner? pra q bitlocker se apenas uns 10 ou 20% dos utilizadores encriptam a unidade? pra q desfragmentador se os utilizadores usam software de terceiros? pra q windows defender se os utilizadores sempre instalam outra coisa? posso tar aqui todo o dia…
      não é por nada, mas se uma distribuição “normal” linux tem 1.5GB e o windows 4GB, sendo o linux completamente funcional e ainda tem extras, o que raio são esses 3.5GB a mais que o windows tem?

  6. Sérgio E. says:

    Há qualquer coisa neste artigo que eu não percebo…
    Então, segundo o estudo, uma das razões da não adoção do Linux é:
    “Os utilizadores optam pelo sistema que necessitam e que lhes poderá dar mais benefícios, logo, na maioria dos casos, o Windows é a escolha”
    e a culpa é da pirataria ? Não percebo. Por outro lado, a pirataria faz com que o preço do Windows desça, o que retira mercado ao Linux. Então mas o Linux não é ele próprio gratuito ? Por essa lógica, não deveria de ser ele o mais utilizado ?

    • Xinuo says:

      Na maioria dos casos a escolha é pelo Windows, mas o Windows não vêm instalado na maioria das máquinas?

      Eu comprei um notebook da DELL com Ubuntu. Mas antes as opções eram muito poucas, geralmente o Ubuntu ou outra distro GNU/Linux só era colocado em máquinas baratas, ao contrário do meu DELL que é top.

      Quanto a ser mais usado… as pessoas têm medo do novo, do diferente, preferem a zona de conforto. Então o Windows é famoso no desktop então a maioria vai preferir e é difícil mudar. Até para Microsoft foi difícil vencer as pessoas que queriam Windows XP. Veja o Vista, teve que ser modificado, pois o que se queria era XP. Dá mesma forma nos smartphones, o Android é o que se quer, visto que não daria para usar o XP neles.

  7. Fla says:

    Não sei se seria bem assim. A maioria das pessoas são apologistas da simplicidade e de se manterem com aquilo que conhecem. Se o Windows não fosse pirateavel as percentagens manteriam-se +/- iguais ao que são actualmente, as pessoas pagariam mais (se tivesse que ser) para ter Windows. Isto já assumindo que as pessoas o compram/instalam, quando a grande maioria limita-se a ficar com aquele que vem de origem nos computadores.

    Eu utilizo Linux (Mint) e acho que o Linux tem grandes problemas actualmente, entre eles o facto de existirem 1001 distribuiçōes, até eu para encontrar “o ideal para mim” tive que experimentar uma panóplia de distribuições, o mercado esta demasiado fragmentado…

    • Joao Carvalhinho says:

      Aquilo que chamas fragmentação, os linux lovers chamam (e bem): escolha… É avassalador, mas também é uma benesse :).

      O meu problema (e dos novos utiliziadores de Linux) é a appstore. Então desde que todos temos um smartphone nos bolso, isto tornou-se ainda mais evidente.
      E não vai melhorar… com iniciativas como o RemixOS… Linux vai ficar ainda em maiores dificuldades em angariar developers e designers de jeito.

      • Khidreal says:

        o proprio remix OS é considerado linux, a ver, ele corre no kernel do linux… sem linux não haveria remix OS… para além disso o linux não é um OS, é um conjunto de sistemas operativos, com tantos sistemas operativos no conjunto linux, são quantos já? mais de 200 distribuições? eu acho que o conjunto linux já sofre de “sindrome de poucos developers e designers” à muito tempo…

  8. Vasco Carreira says:

    A minha modesta opinião é a seguinte:
    Linux para desktop é limitado.
    Mac é estupidamente caro.
    Windows não é tão caro como Mac e permite-te fazer tudo, apesar de achar que o 10 está uma trapalhada de todo o tamanho… Enfim… Resta esperar e ter fé na Microsoft.

    • g0tH1c.X says:

      Permite-me discordar…
      – Linux é tudo menos limitado e em desktop funciona muito bem. Se disseres que pode ser mais complexo, aí sim…para a maioria das pessoas pelo menos…:)
      – Mac não é caro, está bem para o que é… Basicamente são produtos gourmet…:D
      . Win10 é das melhores releases até agora, que pode ser melhor…mas isso tudo pode! :o)

      • Vasco Carreira says:

        Permissão concedida…

        Por favor, tente jogar um LoL em linux. Já nem peço um FPS.
        Ou então, vamos a algo mais produtivo, Office 2013/16.

        Se conseguir um desses, eu calo-me para sempre xD

        • Carlos Alberto Teixeira Fernandes says:

          Office? no linux? Libre, Open, WPS, Caligra…. à e tal não é a mesma coisa, não tem as mesmas definições usem o Microsoft Office Online Apps. Se mesmo assim não servir então comprem uma licença do windows com o Office.

        • paulo g. says:

          Se 90% das pessoas souberem usar 50% das capacidades do LibreOffice… para quê usar outro? Limitado em quê?
          Se não precisarem de jogar e quiserem navegar na internet o Linux serve perfeitamente e extremamente simples de usar… e claro instalar, além de ser rápido.

        • pentestbox says:

          Libre office atende a maioria dos usuários, apesar de poder rodar algumas versões do Office pelo wine, eu não vejo pq usar softwares de windows no linux, acho q e melhor a pessoa ficar no windows mesmo, ou usar windows com linux em dualboot ou em maquina virtual, mas não por causa de uma suite de escritório, no qual o libreoffice que é gratuito e ja vem por padrão na maioria das distros atente e muito bem a maioria dos usuários, quanto a games tudo é questão de tempo, agora que surgiu a API Vulkan acredito que muita coisa vai melhorar, so fico me perguntando, depois que lançarem games AAA pra linux, qual será a proxima desculpa para alguns usuários de windows , quererem alfinetar o sistema

        • A. Barbosa says:

          Esse é software nativo e exclusivo para Windows. Quem precisa de software específico (e querer jogar LoL é o mesmo que precisar de um software específico) tem de usar a plataforma específica para ele.
          Esse pensamento é o mesmo que dizer que o Android é limitado só porque há aplicações que só correm em iOS ou vice-versa.
          Não uso Mac, no entanto há um programa que é o standard de uma das minhas áreas de actividade que só existe para Mac. Até agora tenho-me safado bem com software alternativo para Windows e Linux, mas se um dia tiver mesmo que usar esse software não terei outro remédio senão sacar do dinheiro e comprar um Mac. No entanto o que uso é tudo menos limitado.

          P.S.: Há FPS’s a correr nativamente em Linux (e não estou a falar de jogos indie).

        • ZarkBit says:

          LoL em linux é possível, já o fiz no Mint, e posso-te dizer que é bem mais rápido através do Wine/PlayOnLinux do que diretamente em Windows, se tens dúvidas mete mãos à obra e testa, dá trabalho, sem dúvida, mas funciona e melhor.

          Em relação aos produtos Office, tens gratuitos, podem não ser lá grande espingarda, mas fazem o seu trabalho, o grande problema destes é quando os documentos são passados para o Office da MS (problemas de compatibilidade na formatação).

          Vê as coisas desta forma, se a pirataria não existisse, haveria muita gente que se ira ver à rasca para comprar um OS Windows ou um produto Office da MS, é aí que entram as distros Linux, são gratuitos (na sua maioria), são uma excelente (única) alternativa para quem não pode desembolsar num ambiente Windows.

          Tudo o que fazes em Windows podes fazer em Linux, não é limitado, sem dúvida que é um ambiente que exige aprendizagem, e dá algum trabalho, dependendo do DE (Desktop Environment) utilizado e do teu fim, ok… pode e existe software que infelizmente não se encontra em Linux, ou que não seja “igual”, mas é aí que entra a aprendizagem e adaptação.

          Eu já nem entro na guerra dos jogos, a maior parte dos (grandes) jogos estão em Windows, se queres um OS para jogar, então vai Windows.

          • eu says:

            “Tudo o que fazes em Windows podes fazer em Linux, não é limitado, sem dúvida que é um ambiente que exige aprendizagem, e dá algum trabalho, dependendo do DE (Desktop Environment) utilizado e do teu fim, ok”

            Não esquecer que o Windows também tiveram que aprender e não deve ser muito intuitivo porque há cursos de iniciação ao windows.

      • João says:

        É limitado sim. é limitado quando não contem as drivers recentes para a tua máquina ou as que estão disponíveis são menos eficazes que para windows. Culpem os fabricantes, culpem quem quiserem, isso para o utilizador final vale 0. Deixo o exemplo da tecnologia gráfica Optimus. Sim existe o Bumblebee. Não tem comparação com windows. Alem de que a duração da bateria é o que é.
        É limitado quando algumas aplicações mais que badaladas não tem portabilidade completa ou a sua alternativa ainda tem muitas lacunas como o Office. Sim a microsoft não se rege pelos standards. Para o utilizador não comum isso vale igualmente 0.
        Sim o Libre office ajusta-se ao utilizador comum. Nem todo o utilizador é comum.
        Podemos falar em Desenho e Modelação 3d CAM e CAE. Não há alternativa empresarial, industrial com o mesmo peso que solidworks CATIA Autodesk e afins. Sim isso é apenas um nicho. Sim é, mas as lacunas estão lá.
        há o wine, há mas tem também as suas lacunas, logo são lacunas dentro de lacunas.
        Há a questão do preço, apsar de licenças à borla o apoio técnico é mais caro daí algumas implementações em grande escala se mostraram mais cara que em windows.
        Resumindo Linux e seus ótimos derivados tem as mesmas limitações iniciais. Há uma constante evolução funcional e estética mas continua a ser apenas para utilização de aprender algo diferente e gosto pessoal , salvo algumas execepções.

    • pentestbox says:

      Não vejo essa limitação em linux pra desktop não, vamos analisar o básico d eum usuário final, ele usa navegador para visitar seus sites, escuta música, ve filmes, usa ferramentas de escritório, enfim o linux atende tudo isso ai que o usuário final precisa e com estabilidade e segurança, não entendo muito bem essa limitação, se vc se referir a usuários gamers até pode ser por enquanto mas não tanto quanto antigamente, pois a Steam cresce pra linux a cada dia, tudo bem que existe alguns programas de windows que não rodam no linux, nem com wine, se vc se referir nisso como limitação, eu digo que os softwares de linux não rodam no windows, o que também torna o sistema da microsoft limitado, uso linux todos os dias no desktop e a limititação que algumas pessoas falam ficou la em 1991.

  9. g0tH1c.X says:

    O Win só não é anti-pirata porque a M$ não quer…xD E de facto faz mais sentido cobrar aos fabricantes e ter o preço do OS diluído no preço do equipamento, à semelhança do que faz a Apple nos seus produtos e OS.
    Enquanto que para 90% dos users, qualquer Linux servia tão bem ou melhor que o WIn, as pessoas simplesmente não estão para isso…Antes irem para MacOS do que trocarem o WIn por uma distro Linux qualquer…:p

  10. ppfoasld.1 says:

    há certos aspectos do linux que o tornam inutilizável para muitos utilizadores mais comuns. Alguns tentam aproximar mais do Windows ou OSX mas ainda não é o suficiente.

  11. pentestbox says:

    É tudo questão de qual o sistema operacional chegou primeiro o windows chegou primeiro ao mercado, a microsoft hj é uma empresa muito rica então consegue investir em propagandas, e parcerias com alguns Órgãos públicos e instituições de ensino, tando é que a maioria dos pc’s/Notebooks que compramos ja vem com windows, tudo isso ajudou e muito na imagem do sistema para ele ser bem famoso hj em dia, porém na minha opinião o Linux é um sistema muito mais maduro, seguro, estável, é um sistema muito verdadeiro onde não tem nada a esconder dos seus usuários, ta tudo la nele, se quiser ter acesso ao seu kernel, ao seu cógido fonte, teremos acesso, o que não será possível com o windows, dentre os dois sistemas eu fico com Linux, pois so vejo vantagens nesse sistema, não me incomoda em nada ele so ter uma fatia de 2% a nível de desktop, até pq isso não influencia em nada no seu uso, qualquer ferramenta que eu preciso la esta, e totalmente gratuíta, fora toda a liberdade de poder fazer o que quiser com o sistema, e dizer que sim o sistema é nosso, não estamos presos a uma licença , não estamos presos a uma empresa, quanto ao futuro é fato que esses 2% vão aumentar, tendo em vista a grande propaganda da Steam sobre o Steam Machine, a quantidade de novos games que surgem dia após dia, não ira alcançar o windows em utilizadores, mas ja será um grande vitória ao software livre, acho que todos deveriam preferir usar software livre do que propriétario.

  12. Luis says:

    É uma pergunta pertinente e penso que para a maioria dos utilizadores não faz diferença qual o sistema operativo. A prova foi ter instalado o Xubuntu para uma amiga e, ela que nunca tinha utilizado Linux, ficou agradavelmente surpreendida com a facilidade e interacção com o sistema.

  13. Insider says:

    Os drivers, sempre o mesmo problema. Se até para Windows já é um problema, nem sequer imagino o que é para Linux…e atenção que estou mortinho por mudar uns quantos portáteis que temos por aqui para Linux…mas…e a trabalheira??

    • A. Barbosa says:

      Isso é uma verdade (especialmente em portáteis) para máquinas mais antigas ou para máquinas com a tecnologia de topo mais recente (não tanto como com as antigas).
      No entanto, o processo de instalação de drivers livres é automático e se não existirem livres / forem necessários drivers proprietários é semelhante à instalação em Windows (doenload – next – next – ok).

    • Paulo P. says:

      Trabalheira?? Já instalei linux em muitos portáteis, novos e já velhinhos e nunca tive problema nenhum com qualquer driver!
      Apenas tens que escolher a distro certa para os portáteis mais antigos…

    • paulo g. says:

      Lol, trabalheira? Como se em linux fosse necessário instalar algum driver. Já foi o tempo…
      Trabalheira é ter de ir à procura do nº de série do ruim e do office e ter de os activar.

    • Zaark says:

      Nem,sequer imagina… pois claro que não, nunca usou! Se tivesde usado, saberia que já é mais fácil instalar drivers no Linux do que no Windows. Passo a explicar. A maioria das distribuições Linux traz uma coisinha maravilhosa que procura por drivers para o hardware da máquina de forma automática e em background – no Ubuntu vamos a “Additional Hardware” e aparecem listadas as drivers disponíveis para os vários componentes, sempre com uma indicada como “recomendada”. Seleccionamos as que queremos instalar, clicamos em “Install”, introduzimos a nossa password, e podemos “ir embora” que ele fica a instalar. No Windows Update, já há drivers a instalar em automaticamente, mas isso só surgiu bem depois do “Additional Hardware” no mundo Linux! E ainda existe quem use programas externos para procurar as drivers e instalá-las, o que até é, de certa forma, cómico.

      • Lori says:

        Este argumento já está tão desgastado… os drivers funcionam de pronto no Linux porque são drivers genéricos e não do fabricante, para instalar drivers do fabricante é uma dor de cabeça bem maior do que o Windows. Agora experimenta a instalar os drivers proprietários da AMD no Ubuntu 15.10 e vais ver o que te acontece de seguida… ecrã preto. Vai para o OpenSUSE e experimenta lá a ver se instalar os drivers da NVIDIA é apenas dar dois cliques e instalar… e fazer upgrades no kernel? Uiiii… proibidíssimo, é para acabar com o black screen of death.

    • Martins says:

      Eu uso windows 10 e ubuntu,o meu problema no ubuntu foi sempre suspender, nunca mas NUNCA consegui fazer com que ele suspendesse. Percorri toda a internet, até pedi a um professor da minha universidade( que perdeu meia hora a tentar solucionar o problema) e ainda não existe solução. No meu ponto de vista,muito pessoal simplesmente não quer Linux com medo destes problemas, há que também ver que nem toda a gente se interessa a resolver estes problemas, daí o windows ser a melhor opção para a grande maioria.

  14. Romário says:

    Sim porque se esses 40% de pirataria não existissem, automaticamente os mesmos 40% seriam utilizadores de Linux… as pessoas esquecem-se que não há muito tempo atrás, 5 anos se tanto, Linux era praticamente inutilizável por falta de suporte a hardware, especialmente em portáteis, ainda hoje é um pesadelo na questão das GPUs, Basta olhar para o exemplo dos Chromebooks, que conseguem maior penetração do que portáteis com Ubuntu. Portanto, não vejo a lógica em assumir que se a pirataria não existisse, todos os piratas estariam a usar Linux, muito provavelmente com uma fatia de mercado tão grande por abastecer, haveria de surgir alguma empresa a criar um OS mais barato ou gratuito, tal como está a fazer a Google.

  15. Mário Jorge says:

    O grande problema do Linux é a compatibilidade.
    Quando tudo tudo o que usamos no Windows puder ser usado no Windows, sem qualquer problema, instalando e pronto, o linux começará a ser bem mais utilizado. Até isso acontecer o Windows manterá o seu primeiro lugar, desde logo, porque se queremos instalar algo clicamos no programa e instalamos.
    Quando programas e drives que instalamos no Windows puderem ser instalados no linux, e da mesma maneira que são instalados no Windows, imensa gente pelo mundo fora, migrará do Windows para o Linux. E eu serei uma dessas pessoas!

  16. WW55 says:

    Se não houvesse Windows piratas, qual seria o sucesso do WINDOWS?

    • Mikes says:

      O mesmo de hoje! Até há uns 5 ou 6 anos atrás a única alternativa era OS.
      O “problema” da pouca quota do linux não é a pirataria mas sim o aparecimento tarde e a relutância de muitos “amantes” do Linux em criarem interfaces gráficos atractivos e que qualquer pessoa possa usar.
      O Linux está como está muito por culpa própria. 🙂

  17. Mário Jorge says:

    O grande problema do Linux é a compatibilidade.
    Quando tudo tudo o que usamos no Windows puder ser usado no Linux, sem qualquer problema, instalando e pronto, o linux começará a ser bem mais utilizado. Até isso acontecer o Windows manterá o seu primeiro lugar, desde logo, porque se queremos instalar algo clicamos no programa e instalamos.
    Quando programas e drives que instalamos no Windows puderem ser instalados no linux, e da mesma maneira que são instalados no Windows, imensa gente pelo mundo fora, migrará do Windows para o Linux. E eu serei uma dessas pessoas!

  18. nuno says:

    “O sistema operativo Windows é sem dúvida o mais popular, completo e funcional comparativamente à sua concorrência.”
    Não concordo com esta afirnação. Pode ser o mais popular, mas mais completo e funcional tem muito a desejar.
    Windows só é bom para “brincar” lol
    Qto a problemas de drivers, já vou no 4º portátil com linux e até agora o unico problema que tenho tinho é apenas com as teclas de luminosidade do ecra, em dois deles nunca funcionaram, mas um mal menor…
    Qto a jogos sempre ha a opção do steam.

    Talvez não exista muito suporte por parte dos fabricantes de portáteis porque a maioria dos utilizadores não se interessam ou não fazem qualquer tipo de pressão sobre os mesmos de modo a oferecerem maior suporte.

    Se houver uma mudança massiva para Linux, o suporte e oferta irão aumentar consideravelmente, é a lei da oferta e da procura.

  19. Jorge says:

    Tb é muito facil piratear software em android. Aplicaçoes pagas, e que muitas vezes nao estao em nada ligadas à google, sao facilmente pirateadas. Ate parece que a google pede para as pessoas piratearem. É essa a razao do sucesso do Android…?

  20. Alberto Soares says:

    Ja usei os 3 so’s, e uso o meu so principal eh um windows devido ao trabalho (.net) e em casa para jogar e ocasionalmente tb para trabalho (mais um vez .net).

    Acho que os 3 principais so’s tem as suas valencias, e aqui fica a minha comparacao com carros, que acho bastante fiavel com a experiencia que tenho neles (eh so uma opniao, e muito simplista):

    Linux: Eh um carro de Formula 1. Podemos mexer em todas as pecas, tirar todo o proveito do hardware ao fazer tweaks e mudar o kernel a nossa vontade, mas tem o problema dos carros de formula 1, eh preciso uma equipa de engenheiros para mexer nele, i.e., apesar do longo e bom caminho que linux tem feito para ser mais user friendly, ainda ha muita coisa que pode ser complicada para um user comum.

    Windows: Um sedan normal de mudancas manuais. Em termos facilidade, eh capaz de ser o mais equilibrado, pois eh facil para um user comum mexer nele, e caso queira fazer algo mais “power user”, o caminho ate la chegar nao eh tao complicado como no linux, sendo que no reverso da medalha, tb nao tem tanta liberdade para se fazer o que quiser.

    Mac OS X: Smart car da google. Este eh o so que qq pessoa que nunca tenha mexido num computador, eh capaz de em poucas horas estar trabalhar como se um computador fosse algo que conhecesse ha anos. Tudo o que eh necessario para um user comum esta facilmente acessivel, e esta feito para que nao se tenham de preocupar com coisas mais complexas, sendo que as partes mais complexas estao escondidas e de dificil acesso para que a experiencia seja a melhor.

    Para mim, o meu favorito (se eh que posso dizer que tenho algum) eh o max os x, tenho um “linux” a correr na minha maquina, facil de usar e sem ter de abrir um consola, mas que quando quero fazer algo mais complexo, tenho maneiras de ir ao poder do linux e faze-lo. O mac os x para mim, apenas peca pelo preco, pois nao o consigo correr (legalmente) numa maquina que nao seja apple.

    Sidenote: ja algum tempo que nao mexo em linux e gostava de voltar a ele, qual a distro que aconselham (sem ser ubunto, que nao gostei)?

    • paulo g. says:

      Podes ver o Mint… super muito user friendly e sempre podes ir ao terminal rapidamente. Não vejo o linux complicado.

    • eu says:

      O ubuntu agora tem mais “flavors”. Pessoalmente não gosto do unity, prefiro o gnome mas é uma questão de hábito/ gosto.

    • Joao Carvalhinho says:

      Excelente analogia. Sendo utilizador dos 3 sistemas, concordo em absoluto.
      Experimenta o elementaryOS. É uma distro baseada em ubuntu, mas com um aspeto gráfico cuidado, e integrado nas apps que estão instaladas de origem.
      Quanto ao preço dos macs… continuo a não conseguir concordar com isto. Tenho lá em casa um macbook de primeira geração com mais de 8 anos que continua a ser o computador principal de trabalho da minha filhota. Estável, seguro, e à prova de putos :). O meu irmão já coleccionou uns 3 portáteis durante o mesmo período de tempo… e só conseguiu recuperar alguns para a vida recentemente pois meteu um ssd… Se eu vos contasse as vezes que o Magsafe já me salvou… 🙂 nem percebo como mais ninguém copiou.

      • Mylittlelife says:

        João, isso depende do que compras de hardware. Se compras um PC do preço dum Mac também te dura imenso. Eu tenho um Acer com 10 anos e continua a funcionar “bem” (exceptuando a bateria) com o hdd de origem (já bastante cansado). Imagina se fosse um Toshiba ou mesmo um Asus …

        Acho que escolhendo bem um modelo, preço e alguma sorte tens portátil para muitos anos. Inclusive muitos portáteis antigos (com sata) apenas com a substituição de hdd para ssd e instalação do zero do Windows 10 ficam como novos.

        O melhor investimento num portátil é ecrã ips de alta resolução, boa gráfica e cpu (i7 por exemplo) e muuuuuita RAM. Depois com Update do SSD em 8 anos ainda roda bem.

  21. odin says:

    O Windows 10 é gratuito pq por de trás dele A microsoft sabe tudo o que fazes no windows

  22. JotaS says:

    Acho mesmo piada… os argumentos e defesas que aparecem para esta batalha Windows/Linux é exactamente a mesma e com os mesmos argumentos dos ataques que lançam ao WP…
    Como dizem pelos comentários fora:
    – é limitado
    – para 90% das pessoas chegava e sobra
    – bla bla bla

    Neste campo o linux chega e sobra para a maioria, mas nos disp. móveis já precisam de 30 apps para a mesma coisa e queixam-se do WP não as ter.

    No WP dizemos que bem que nos contentamos com apps alternativas ao que respondem que nunca é a mesma coisa. No entanto para defender o linux aqui já servem as apps alternativas?

    É mesmo engraçade…

  23. José Luiz says:

    Trabalhei com informática em São Paulo-BR de 2001 à 2015, e 90% dos meus clientes nem sequer havia ouvido falar em linux. Na epoca havia uma distro muito boa chamada KURUMIM feita por um brasileiro. Os que tinham alguma informação, achavam “obscuro e complicado”. Sugeri a varios clientes, corporativos e particulares, trocar de SO, cheguei a disponibilizar micros com linux para testes, mas o “desconhecido” linux perdia logo de cara.

  24. Az8teiro says:

    O sistema operativo Windows é sem dúvida o mais popular, completo e funcional comparativamente à sua concorrência. Mas será que teria a mesma força caso não existisse um mercado “pirata” paralelo? Porque é que os utilizadores pagam pelo Windows quando podem ter um sistema igualmente capaz gratuitamente? Estas e outras questões que apareçam deixamos agora para debate!

    Quem escreveu este parágrafo (último) que me explique: “Windows é sem dúvida o mais popular, completo e funcional comparativamente à sua concorrência.” e “Porque é que os utilizadores pagam pelo Windows quando podem ter um sistema igualmente capaz gratuitamente?”

    Em que ficamos afinal? É o mais popular completo e funcional, ou é igualmente popular completo e funcional a um sistema gratuito? Parece-me que noto aqui alguma contradição..A

    • Vítor M. says:

      Caríssimo, leste então sem perceber, o que está a simples e explicado em todo o texto.

      Então vamos por parte. O Windows é de facto o mais popular, é o mais abrangente e o mais completo, contudo, no mundo Linux, se este fosse mais usado é popular tal como o Windows, a sua estrutura permite que fosse tão capaz como o Windows, tão abrangente e completo, acrescentando o factor segurança.

      Basicamente e depois de 10 anos a falarmos sobre este assunto, hoje é esta a apreciação que deixamos a debate. Onde vês aqui contradição?

      Na verdade a realidade é um pouco está: se não houvesse pirataria, o que seria do Windows hoje?

      Te te parece a ti?

  25. Theboice says:

    Por… Linux é para programadores e poliglotas. Eu que sou um simples mortal tenho noções básicas de inglês não percebo nada de programação e farto-me de ajudar familiares e amigos em instalações de Windows (desk ou portáteis) sem qualquer problemas, quanto ao Linux já me predispus à sua instalação desde mint a ubunto e derivados e ao fim de 4 e 5 horas acabo sempre por desistir, logo será fácil descobrir a verdadeira razão…

    • Pentestbox says:

      Não é verdade amigo, linux não é so pra programadores, pode ser usado pelo usuario final tranquilarmente, tem distros para todos os tipos dos usuários, no ubuntu e mint por exemplo vc não precisa nem abrir terminal pra nada pode usar a interface grafica pra tudo que vc quiser, estão muito intuitivos, talvez vc não fique muito tempo no linux pq não tem seus games, ou alguma ferramenta específica que tem no windows, como por exemplo o photoshop, apesar de muitos usarem o wine par rodar ferramentas windows, so que o fato de não existir mais arquivos .exe assusta muita gente que esta migrando de windows pra linux, mas a verdade é que é e um sistem bem melhor, estavel e seguro.

    • paulo g. says:

      Essa dos poliglotas foi fixe. Pois o único momento na instalação de linux que se tem de saber inglês deve ser quando se escolhe a língua, em que o resto do processo já deve ser em português ou nas outras 100 línguas. No caso de apanharem a versão de instalação do ruim em inglês não têm opções para instalar em português, isso só será possível depois de aparecer o modo gráfico e têm de saber inglês para descobrir onde isso se encontra.

      • Joao Carvalhinho says:

        Assim que tens que fazer a mínima coisa em linha de comandos, tem que ser em inglês. Pior…inglês -va c:vach críptico.

        • Tico says:

          A pessoa consegue fazer tudo em linux o que faz no windows sem abrir uma única vez o terminal.

          Mas se tens problemas com os comandos em linux lembro-te que alguns são iguais aos do windows, como por exemplo um muito importante como é o caso do “dir”… saber cinco ou seis palavras em inglês e com isso ganhar vários minutos… são opções…

    • Theidol says:

      Fartas-te de ajudar familiares e amigos em instalações de Windows? Se o Windows é assim tão user friendly, nem percebo por que razão alguém precisa de ajuda… Nesse caso, tu também podes pedir auxílio a alguém que esteja farto de ajudar pessoas em instalações de Linux. Porque não?

      • Theboice says:

        pois aí é que está, não é fácil arranjar alguém para me ajudar no linux, e já agora só necessitava de linux para portátil antigo (centrino a 1600) para usar net e tirar eventualmente alguns apontamentos e seria para alguém já com idade aprioveitar o pc logo português vinha a calhar. obrigado

  26. Mylittlelife says:

    Eu num modelo antigo (Pentium M 1.6 GHz, 768 MB RAM, 60 GB HDD 4200 RPM IDE) tinha problemas de lentidão com Windows 7 e 10, então aceitei uma sugestão e instalei o LUBUNTU e é fantástico e rápido. Mas só por esta razão porque não substitui nem tem a perfeição dum Windows, além de muita coisa ter ainda que ser configurada / instalada por linha de comandos …

  27. Mário Jorge says:

    Quando tudo aquilo que instalamos no Windows puder ser instalado da mesma forma como o fazemos no Windows, muitos milhares de pessoas pelo mundo fora, migrarão do Windows para o Linux.
    O Windows, ao contrário do Linux, é um sistema operativo simples e prático. Não necessita de saber linhas de código para instalar nada.
    Qualquer pessoa, tenha ou não conhecimentos de códigos, pode utilizar o Windows, sem problemas. Mas o mesmo já não acontece no Linux.
    E estes são os principais do Linux, que o fazem perder para o Windows!

    • Ruy Acquaviva says:

      Estou a ver que nunca viste a Central de Programas do Ubuntu, com uma facilidade de uso e praticidade que não se encontra no Windows.
      Também nunca usaste o Synaptic em outras distribuições do Linux, um programa que tem a mesma facilidade de uso da Central de Programas do Ubuntu, embora sua interface gráfica não seja tão bonita, o que é explicado pelo fato de ser um sistema mais antigo.
      Existem vários outros sistema como o RPM e YaST, todos com interface gráfica e absolutamente nenhuma necessidade de recorrer à linha de comando.
      O fato de muitos ussuários do Linux usarem a linha de comando é que ela tem praticidade. Muitas vezes é mais fácil copiar uma linha de texto e colar no terminal do que ficar navegando entre ícones e menus de opções de uma interface gráfica.
      O que sempre me espanta é o medo que os usuários de Windows tem da linha de comando e a ignorância deles sobre a interface gráfica sofisticada que as principais distribuições Linux possuem. Nem é tão difícil usar uma linha de comando nem é necessário recorrer a essa opção no Linux. Na verdade o Windows possui um sofisticado terminal de texto (o Powershell) que foi desenvolvido justamente para permitir a realização de operações rotineiras de forma mais prática, porém os usuários desse sistema não precisam utilizar a linha de comando. O mesmo ocorre com o Linux, só usa a linha de comando quem quer.

  28. Mário Jorge says:

    Quando tudo aquilo que instalamos no Windows puder ser instalado da mesma forma como o fazemos no Windows, muitos milhares de pessoas pelo mundo fora, migrarão do Windows para o Linux.
    O Windows, ao contrário do Linux, é um sistema operativo simples e prático. Não necessita de saber linhas de código para instalar nada.
    Qualquer pessoa, tenha ou não conhecimentos de códigos, pode utilizar o Windows, sem problemas. Mas o mesmo já não acontece no Linux.
    E estes são os principais problemas do Linux, que o fazem perder para o Windows!

  29. celso says:

    Não entendo estas maneiras de pensar….
    UM SISTEMA OPERATIVO TEM DE SE ADAPTAR A NÓS, E NÃO NÓS AO SISTEMA OPERATIVO.
    Entendam isto de uma vez por todas!!!
    Eu mudei para Linux há mais ou menos 12 anos atrás e até hoje só me arrependo por não poder ter o halo 1 e 2 nativo para o Linux. De resto, não sinto nada a falta do Windows. Mas isto sou eu! Cada um usa o que se sente melhor.

    • N'uno says:

      Celso, estou como tu… Mudei há 3 anos e não voltei atrás. E trabalho todos os dias com Windows!… Mas entendo que a adaptação tem que ser nas duas vertentes. O sistema operativo deve adaptar-se a nós primordialmente, mas nós também temos que estar disponíveis para alguma adaptação, e é precisamente neste ponto que maior parte dos “pseudo-inimigos” do Linux falham. Não estão para isso!…
      Tenho uma diferença, contudo: no meu Linux não há jogos.

  30. ilustredesconhecido says:

    Afinal sou um poliglota e não sabia.

    Se não existissem cópias piratas do windows, teríamos de ficar com a versão original que comprámos junto com o computador. E provavelmente escolheríamos trocar de computador em vez de apenas trocar de sistema de operativo. O utilizador apenas optaria por uma solução gratuita Linux nos casos em que não existissem verbas disponíveis. Contudo, quer-me parecer que nesta situação hipotética a Microsoft optaria por baixar os preços das licenças para upgrades, sabendo que iria no imediato segurar o cliente e que mais tarde o mesmo cliente tería que comprar uma máquina mais potente, e nova licença windows subjacente, quando a sua não fosse capaz de correr satisfatóriamente uma qualquer versão futura.

    Portanto parece-me ingénuo pensar que a quota de mercado Linux sería superior na ausência de cópias pirata windows, pelo simples facto que o objectivo da Microsoft sempre foi o monopólio (ao contrário da Apple, que tem como mercado alvo a classe média/alta) e seria capaz de se adaptar para continuar em perseguição das suas metas.

  31. Jorge Rosa says:

    É só marketing a funcionar (e funciona, pois basta ver o Windows em tudo o que é PC por aí). A primeira vez que instalei um GNU/Linux já foi à muitos anos, e com bastante receio, claro. Pois os nomes e os “sítios das coisas” eram confusos para mim (Claro, estava habituado ao Windows). Depois com o tempo, descobri que tem tudo o que quero e bem melhor, em todos os aspectos. Descobri que afinal existem “coisas” gratuitas com bem mais qualidade do que aquelas que são pagas (vi por experiência própria, também eu não acreditava muito nisso). Descobri que eu não me deixava influenciar por publicidade e marketing, afinal era de facto influenciado. O windows é bom para quem tem “muito medo” e outros traumas. Desde que tenha dinheiro para pagar assistência e licenças estúpidas (mensais, anuais, por upgrade, por update, para 1 utilizador, para vários utilizadores, porque quer mudar de computador, porque o PC avariou….) ou seja, para que goste disso que faça bom proveito (mas que faça também as contas à sua vida, apenas para saber quanto lhe custou tudo isso, quando podia ter ido por outro “caminho” igual ou melhor)… Mas não dou conselhos a ninguém! É bom ter opções de escolha, que hajam opções… (e otários…) que a vida continua. 😉

  32. aaaaa says:

    O problema é que a malta está habituada a Windows e não vai mudar. Não há nada de errado entre Linux, Mac e Windows. São sistemas diferentes e mais ou menos concorrentes em certas áreas.
    Pessoalmente acho Windows mais difícil de instalar, usar e configurar do que Linux, Debian Xfce no meu caso.
    Quem experimenta Linux nas primeiras vezes diz logo mal porque não sabe mexer naquilo e não quer aprender. Quer que seja igual ao Windows. Mas não é e espero que nunca o venha a ser. Haver diversidade não faz mal nenhum.
    A dificuldade vem de usarmos algo que não estamos habituados. Para mim Linux é o melhor. PARA MIM!!

    • N'uno says:

      Nem mais! Não é só habituada. A malta cresceu a respirar Windows, por isso noções como “normal” ou “friendly” correspondem à imagem que fazem do Windows. Só aceitarão a mudança se conseguirem pensar “fora da box”.
      Para mim Linux é melhor, mas não antipatizo com Windows, apesar de já ter simpatizado mais. Mac já me faz confusão porque o simples torna-se complicado, por um lado, e porque é uma questão de moda/estatuto, ainda por cima exorbitantemente cara…

    • Reinaldo Lima says:

      Concordo, no linux você instala um sistema completo em 10 ou 20 minutos depende da distribuição, mas já tem tudo que precisa, não é igual ao o windows, que tem que instalar o sistema, depois o office, depois determinados drivers, depois adobe, depois , depois…. depois… e por aí vai.

  33. alessandro simon says:

    E o Android é Linux ? ao meu ver é SuperLinux.
    Porque muitas pessoas que converso sobre o Linux não sabem que usam Linux sem saber.

    • Pentestbox says:

      Quem usa android usa o kernel linux, quem usa linux no desktop usa o sistema GNU/Linux que tbm usa o kernel linux , a grande diferença é que o kernel linux do Android é todo modificado pela google, o que particularmente eu não gosto.

  34. YaBa says:

    Por algum motivo sempre foi fácil crackar o Windows.
    Há jogos bem menos conhecidos com proteções mais avançadas.

  35. Nuno says:

    Ao contrario do que foi dito, o facto do Linux ter várias distros não é um ponto negativo, mas sim um ponto positivo, nem todos têm o mesmo hardware, nem todos querem fazer do sistema a mesma coisa, nem todos querem usar Xcfe, nem todos querem KDE nem todos querem MATE e nem todos querem Cinnamon, entre outros. Eu já uso linux à mais de 1 ano, e nunca tive problemas absolutamente nenhum, nem com a impressora, nem com o scanner, nem com outros periféricos. O Sistema é tão estável que por vezes sinto-me chateado, pq não acontece nada, não tenho de resolver nada… It just works. Tenho uma firewall que me tira preocupações, tenho gravador de cd’s/dvds, jogo jogos recentes sem problemas.

    O Unico problema que tive até agora foi ter de fazer um VM com o Windows XP porque a TomTom não tem software de updates para sistema linux. Foi a unica coisa, e ai o problema não é propriamente do linux, mas sim da Tomtom que não faz software para o mesmo.

  36. Serato says:

    Linux: Para Nerds
    Apple: Para Hipsters
    Windows: Para quem quer ser produtivo e ainda jogar e trabalhar (Heavy user) com audio/video

    O problema do Linux, é que falta fazer praticamente tudo o que se faz no Windows. No caso da Apple, não faz nada que um computador com Windows não faça melhor (E não custa 2000€)

    • YaBa says:

      Se calhar é melhor experimentares para não dizeres tanta asneira junta.

      As pessoas usam o que lhes metem à frente. Uma senhora idosa minha conhecida usa Linux perfeitamente, tanto lhe dá que seja Linux, Windows, MS-DOS desde que consiga abrir o mail, o facebook e escrever umas receitas.

    • nuno says:

      No linux fazes o mesmo ou melhor e muito mais rápido.
      Pode custar um bocado no inicio para nerds que só vêm windows à frente.
      Passado pouco tempo verás o qto a tua produtividade aumentou… 😛

  37. bonitobonito says:

    Já que a utilização do opengl é praticamente insignificante no mundo dos jogos… E se o linux tivesse directx nativo tal como o ms windows… qual seria o sucesso do linux?

    • nuno says:

      Existem alternativas, o problema muitas vezes é a inercia… 😛
      https://www.libsdl.org/
      para qq sistema com full suporte… se os programadores de jogos usassem todas lucravam… 😛
      (SDL officially supports Windows, Mac OS X, Linux, iOS, and Android)
      Mais:
      “SDL 2.0 is distributed under the zlib license. This license allows you to use SDL freely in any software.”

    • João says:

      O problema é que o directx é uma tecnologia proprietária da Microsoft . A Microsoft é que devia adoptar o OpenGL, que é um standard da industria, mas isso não lhe interessa.

  38. Tico says:

    Penso que as distribuições linux só não tem mais utilizadores porque “não querem”, até porque são poucas as coisas que ainda não se consegue fazer tão rápido no linux, renomear pastas/ficheiros (no windows basta fazer duplo clique sobre as mesmas), explorador de ficheiros (os vários existentes para linux são muito menos intuitivos e para fazer a mesma coisa tem de se dar muito mais passos e gastar muito mais tempo).

    Quanto a programas em linux sinto falta apenas de dois (porque os para windows são claramente mais rápidos, isto é, menos passos para fazer o mesmo) o nitro pro (em linux uso o master pdf editor) e o winrar (em linux já experimentei vários e todos obrigam a perder mais tempo).

  39. Eric Mac Fadden says:

    Windows? Barato?

    Aqui na Banânia custa quase um salário mínimo! (duzentos Euros)

  40. Reinaldo Lima says:

    Acho mesmo que é porque as pessoas a maioria são leigas, não sabem mexer direito nem com o Windows imagine com o linux, querem tudo mastigado e mesmo assim não sabem usar direito .
    O linux é muito bom mas para quem gosta de coisas diferentes, uso linux desde 2002, mas ainda não abandonei o Windows, em questão de estabilidade, o Linux sempre foi melhor pelo menos ao meu ver, eu tenho alguns sistemas linux instalados, : ZorinOs , Slackaware Emmabuntu, Makulu ,etc…. amo o Linux.
    O Windows a maioria usa porque é mais fácil e porque é pirateado, tanto é que a microsoft acabou praticamente deixando gratuíto o Windows 10 , mas com certeza tem coisas por trás.

  41. WW55 says:

    Meu caro Mikes,
    Será que o linux que você se refere é o mesmo que os demais conhecem?
    E me lembro quando usei o Conectiva Parolin ele já contava com interface gráfica e isso faz muito mais que 5 anos. Essa história esta parecendo uma conversa que tive com minha avó que nunca tinha usado um computador e me disse que odiava linux, pois ele tinha uma tela preta. Tudo bem minha avó nem se quer conhecia um computador.

    • N'uno says:

      Sem dúvida que o desconhecimento e a enorme aversão à mudança estarão na base de maior parte destes comentários “pró qualquer coisa” radicais… Lembro-me dos dias em que médicos começaram a querer escrever CVs num processador de texto. Conheço um caso muito próximo que não conseguia adiantar uma linhas de texto no fantástico Borland Sprint, parando assim que “a página ficou em branco de repente! Fugiu!”. Tomara, a referência dele era a máquina de escrever… Hoje em dia só “trabalha” com Mac’s. É um daqueles casos em que o simples limitado é o ideal. Cada um é como cada um, repito!

  42. MCanossa says:

    Boas, utilizei windows durante muitos anos e, para mim, não havia melhor SO… até ter experimentado OSX. Muito mais intuitivo, rápido, estável e menos sujeito a ameaças. Por isso, amigos, não me venham gabar os sistemas operativos clientes da Microsoft. Como dizia o meu pai, “só gosta de broa quem nunca provou lagosta”. Cumps.

    • N'uno says:

      Eu acompanhei o Windows desde a sua “nascença”. Ainda não existia e já eu trabalhava na área. Foi o melhor do mundo para mim em tempos idos, acabou por se perder. Investi no Linux e não quero outra coisa. Mas também já experimentei várias gerações de Mac’s, e nunca me fascinaram. Irrita-me andar à procura de funcionalidades que não existem por conta da “simplicidade”, talvez por estar habituado a ter mais controlo.
      Resumindo, cada um é como cada um. Não temos todos que gostar de amarelo!

    • Oton says:

      Bem, estável o Windows é, e o Linux também. O problema está no propósito de uso dos SO. Por exemplo, qual SO oferta aplicativos para um relógio de ponto? Uma central telefônica? Contabilidade? Frente de loja? Hotelaria? É essa a diferença. Linux é ótimo, eu uso, OSX deve ser também, mas a hegemonia do Windows está na infinidade de sistemas de produtividade.

      • YaBa says:

        A maioria das centrais telefónicas assenta em sistemas *nix.
        O frontend é Windows pura e simplesmente porque tem mais utilizadores, o fabricante adapta-se à realidade, não faria sentido o inverso.
        Aos restantes softwares, uma pesquisa no Google revela-te vários sistemas que falaste para Linux, POS principalmente. Cá em Portugal é que não tens grande oferta.

  43. Joao Carvalhinho says:

    isto é pior que jogar as adivinhas :).

    O mais certo era o mundo todo rodar em torno do mais barato para os fabricantes (em preço de licença, suporte continuado, e desenvolvimento interno de software/drivers, e não apenas de licenças par ao utilizador final que é que está implícito aqui). Se na altura fosse o linux, o Windows teria sido rapidamente erradicado do mercado, pois haveria um mecanismo de carneirada em torno do linux.

    Assistimos a este efeito muito recentemente com o Android. Chegou “depois” do iOS, e do windows mobile, e do webOS, e do BBOS7, e do symbian, e, por ser o mais barato para os fabricantes incorporarem nos seus devices, por ter um suporte continuado por parte da Google, e por parte dos fabricantes de apps… vingou! Creio que ao ponto da MS estar com mais medo agora do recente remixOS do que propriamente do velhinho Ubuntu (que também vingou face aos outros Linuxes por ter a Canonical por detrás a puxar pelo desenvolvimento, pelo suporte continuado e afins).

    No entanto, esta discussão é fútil… mas é também uma das mais antigas da internet 🙂

  44. Cléo Quintiliano says:

    O trunfo da Microsoft, principalmente nas empresas, é o pacote Office. Anos luz a frente dos similares quando o assunto é produtividade, principalmente no trabalho com planilhas. Quando aos jogos, que acaba sendo a desculpa de muitos para piratear e utilizar Windows, já foi demostrando que Linux tem um melhor desempenho. Quanto a programas de design desenvolvida por outras empresas, e claro que parcerias provavelmente são feitas e só encontramos versões para Windows, e a coisa está piorando, várias ferramentas que tinham versões para Linux estão deixando de fornecer a última versão para este SO, tenho notado isso em várias ferramentas, mesmo as pagas. Notasse que depois do Windows 8, quando muitos computadores começaram a vir com Windows de fábrica (antigamente muitos vinham com Linux e a máquina muitas vezes era levada pra formatação de imediato), o empenho da Microsoft em dominar o mercado de PCs está mais pesado e com vários parceiros envolvidos. Uso Ubuntu e Debian me sinto satisfeito com o desempenho, mas quando preciso trabalhar com arquivos do pacote Office realmente não tem como negar a superioridade da Microsoft.

  45. JFernandes says:

    Todos os sistemas tem os seus pontos positivos e negativos. Em tempos, qualquer coisa para além de windows para mim não era funcional ou pratico.
    O certo é que, actualmente, prefiro usar linux em vez de windows, apesar de ter que continuar ligado ao windows por causa dos produtos autodesk, e é ai que acho que esta o problema da adaptação do linux, não no sistema em si mas no facto das empresas não desenvolver com o mesmo empenho os seus programas para ele.

  46. Pepe Pedro says:

    Isso do “User friendly” é uma tanga. Um utilizador de Linux ou MAC sente-se tão perdido em Windows como o contrario : Para quem mora em Lisboa andar no Porto é muito difícil, já andar em Lisboa …

  47. Luis says:

    Para mim é simples. É muito mais facil passar 1 hora a instalar o windows mesmo tendo de o Crackar, do que ter de tirar um dia ou dois a instalar linux (seja que versao for, acho que ja as testei todas…) porque cria sempre problemas com as drives, drivers, boot loaders, etc.
    É obvio que se estás habituado a usar um sistema é mais facil continuar com ele do que mudar. Por isso a maioria de OS X users tem ms office tambem.

    • Tico says:

      Em menos de 25 minutos instala qualquer distribuição derivada de debian ou ubuntu, neste tempo (25 min) já está incluída a instalação de todas as aplicações que necessita, como já referi depois de instalar a distribuição carrega em três teclas (ctrl+alt+t) para abrir o terminal e escreve (se for preguiçoso, o que já vimos que é, pode copiar o que está escrito e fazer shift+insert):
      sudo su
      (mete a password)
      apt-get dist-upgrade
      apt-get upgrade && apt-get update
      apt-get install firefox skype gimp scribus inkscape blender vlc

      Obs: Na última linha pode adicionar as aplicações que quer instalar com o nome delas separadas por um espaço, as que dei foi apenas um exemplo (até porque algumas das que usei no exemplo já estão de origem em algumas das distribuições). Quanto aos problemas que diz sentir em linux parece que nunca o usou, por isso seria interessante falar apenas do que sabe…

  48. J says:

    Eu deixo uma outra pergunta… o que seria do Linux se o Windows fosse totalmente gratuito?

  49. Antonio Raimundo says:

    O problema da windows e do office quando pirateados é que ninguém reclamava, os utilizadores comuns só conhecem o Windows porque usam tudo menos os dispendiosos mac/apple, é o que está à mão, também há o chrome os e estou a experimentar também o android em atividades produtivas, se em 1989 só o Windows era barato, agora acho que há mais opções tendo em conta o que a maioria dos utilizadores precisa. O windows 10, no meu caso, já se deu mal com um surface pro 3 (com um blue screen) e empanou-me um outro pC, que já não via desde a windows milénio. Eu estou a perder a adição.

  50. Francisco Chinita says:

    A meu ver a resposta está no domínio de mercado. O Windows vem instalado em todas as máquinas que compramos, exceto os Mac e não há opção, na maioria dos casos, de contornar isso, logo, há muitos anos (desde o início) é o primeiro contacto que temos com o PC ou notbook. Habituação, só isso. Se alguém, como eu, migrar para o Linux e perder, como fez com o windows, algum tempo a estuda-lo, vai encontra-lo muito acessível.
    Existem centenas de “distros” linux, cada um é uma lufada de ar fresco, um novo visual. Passei pelo Caixa Mágica, pelo Ubunto, pelo Mint e estou com o Debian. Por nada voltaria ao Windows. No Linux, hoje, temos tudo e todo o tipo de programas que temos no windows… posso até correr o meu Photoshop da adobe embora o Gimp no linux seja igualmente excelente.
    Se não fosse a pirataria nem o domínio do mercado por parte da Microsoft, se não fosse o diz que disse, o windows não teria os 90% de mercado (utilização).
    Ainda bem que podemos escolher e que todos possamos ser felizes.
    Um bom ano 2017 a todos os cibernautas.

  51. Carlos Cidade says:

    A resposta à pergunta é fácil… Se não houvesse forma de usar versões piratas do Windows o sucesso do Linux seria muito maior. Eu já usei o Linux no meu PC em dual boot com o Windows e só utilizava o Windows porque precisava de programas que simplesmente não rodam no Linux. Acabei por abandonar o Linux porque lhe falta ser mais simples de usar para o utilizador comum. Para instalar alguns programas ou resolver algum problema perdi muito tempo a pesquisar na net e na maioria das vezes em sites em inglês. O Windows nisso é muito mais simples. Acredito que se o Linux tivesse mais utilizadores acabaria por ir ao encontro do utilizador comum e suporte seria, como é óbvio, muito maior.

  52. Tonhão says:

    Isto é mesmo conversa da treta, estão aqui a falar no “SE”.
    Este “SE” é tudo aquilo que se possa dizer e o seu contrário… como tal, os pressupostos mantêm-se, ou seja a Microsoft domina com 90% o mercado desktop, que é um facto, uma realidade, tudo o resto é masturbação intelectual, por outras palavras, uma realidade alternativa (como está na moda), realidade virtual, enfim o que lhe queiram chamar.
    Estamos mesmo em Portugal, em que o ppl perde tempo com conversa da treta para não chegar a lado nenhum, é este o espelho do país que temos… o porreirismo nacional continua.
    Epá se o Trump não fosse eleito, estava lá outro, a realidade é essa.
    Se cá nevasse fazia-se cá sky, como diz a musica.

  53. sabem quem sou says:

    A grande maioria dos programas pagos ou não pagos são “malware” e ponto final.
    Explico porquê. Malware porque, para além do fim a que se deviam destinar ( fazer o trabalho que pretendemos ), fazem muito mais, às escondidas. Copiam todo o conteúdo do nosso sistema e enviam de volta para grandes centros de rastreio contra terrorismos, etc.
    Se assim não fosse não teríamos actualizações e instalações de pequenos pacotes de correcções a demorar uma eternidade a instalar. Um pequeno pacote de actualização do Windows, que deveria demorar poucos segundos a instalar, acaba por ficar, por vezes, mais de meia hora.
    Estou certo ou estou errado?
    Desde há muito tempo que várias empresas oferecem espaço na net para colocarmos os nossos ficheiros. começaram com alguns MB e já vamos em 25 gigas ou mais. Tudo a custo zero… mas alguém dá alguma coisa a alguem?

  54. Francisco Rocha says:

    Depois de ler tanta desinformação não resisti a partilhar que na empresa em que trabalho (100% portuguesa) temos aproximadamente 800 postos de trabalho a rular em Linux. Com 0% de utilizadores com problemas induzidos pelo Linux e com 100% das aplicações de trabalho a correr também sem problemas que possam ser imputados ao Linux!

  55. Toni mint says:

    Podem dizer o que quiser, para mim o linux é o melhor sistema, me atende em tudo que preciso, não sinto a menor necessidade de usar Windows.

  56. Tiago Ferreira says:

    Qual seria o sucesso do Linux? O mesmo que já existe. Acho que são sistemas operativos bem distintos por mais que os tentem comparar, o mesmo se aplica ao OS X. Fazer este tipo de comparação é o mesmo que fazer a comparação com carros de alta cilindrada de marcas diferentes, todos andam, mas cada um com o seu conforto, a estabilidade na estrada por vezes é um fator e a influência nas marcas e vaidade é outra das razões, no entanto todos fazem o mesmo. Neste caso esta comparação não faz nenhum sentido, o Windows sempre foi o sucesso que tem provas dadas até aos dias de hoje, OS X é um sistema operativo bastante estável, que sempre foi escolhido nas áreas de design e artes gráficas e que tem vindo a evoluir no campo do utilizador doméstico, no entanto nem todos arriscam a fazer tal mudança pelo motivo de que nem todos têm condições económicas para adquirir um equipamento Apple, e por fim o Linux é e sempre foi um sistema operativo vocacionado para programação, muito estável e até aos dias hoje é usado em grandes centros de dados, mas nunca será um sistema adaptável há grande maioria dos utilizadores doméstico, pelo menos enquanto for um sistema open-source e tudo porque os utilizadores não vão comprar um PC para aprender a lidar com Linux como rapidamente lidam com ambiente Windows. Eu falo por mim que sou técnico de informática e lido diariamente com clientes até mesmo na área de vendas, onde maioria dos clientes procuram bom e fácil de usar. São raros os clientes que procuram algo na área da programação, até porque a pequena maioria que percebe de Linux tem um médio/grande conhecimento técnico e nunca jamais procura computadores à venda com Windows pré-instalado, procuram sim montar o seu próprio hardware. Contudo em análise final, nenhum destes sistemas operativos são perfeitos, no entanto são três sistemas operativos bons, mas cada um na sua área, onde não é possível os comparar, sempre vão ter diferenças, onde nuns iremos encontrar facilidades e noutros funções mais complexas que o utilizador “normal” não pretende aprender ou perder o seu tempo. Talvez num futuro os jovens de hoje em dia possam alargar os seus conhecimentos e querer interessar-se mais por Linux ou OS X e largar o tão usado Windows, mas lembrem-se, não é só o Linux e OS X que evoluí mas sim o Windows também, portanto as opiniões vão sempre dividir-se, até porque se todos gostássemos de uma cor, o que seriam das restantes. É bom haver concorrência, é bom haver opções de escolha, por isso hoje em dia o Windows lidera cada vez menos o mercado, mas isso não quer dizer que tenha perdido qualidades, a razão determinante é que o mundo da informática evoluiu e continua a evoluir e os jovens de hoje em dia têm facilmente mais acesso à Internet para aprender a programar, existe mais acessos a informação, existem cursos de informática mais acessíveis algo que não existia há muitos anos atrás e as pessoas limitavam-se ao famoso Windows.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.