PplWare Mobile

Adeus Windows ou macOS! O elementary OS tem o que precisa (1)


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

118 Respostas

  1. Cortano says:

    Lá vem novamente a conversa da tanga.
    Tudo muito bonito mas a utilização por users básicos esbarra num ponto crucial e que deita toda essa conversa por terra: Linha de comandos

    • Goncalo Pereira says:

      É no user básico que o linux dá cartas…

    • mijn says:

      la vem mais treta… a linha de comandos esta la sim, mas para utilizadores avançados… de resto podes fazer de tudo sem lhe tocar….

    • Hugo Gomes says:

      Sim se todos na maioria tivessem andado na antiga escola do ms dos não havia muitos problemas. Agora se cada vez mais facilitam a coisas e a linha de comandos hoje em dia ja é para quem é expert nessas coisas.

      • Barf says:

        O que importa é a produtividade se é mais fácil e com isto te tornas mais produtivo é o que importa. Deixa lá o amor à camisola para a bola de domigo. 🙂

    • Allez says:

      Em práticamente todas as distribuições populares podes perfeitamente instalar software a partir dos centro de aplicações e mesmo adicionar repositórios sem a necessidade da linha de comandos. Perfeitamente apto para o utilizador básico
      Simplesmente pela linha de comandos é mais fácil e rápido.
      Quem usa esse argumento não percebe que o pode fazer das duas maneiras e não percebe que a linha de comandos é potentíssima para precisamente o que o pplware se pretede fazer, ensinar. É bem mais eficaz fazer um tutorial com uma linha para o terminal do que teres de colocar um screenshot para cada clique ou descreveres cada clique.

      • Toni da Adega says:

        Se a linha de comandos é mais fácil e rápido entao nao faz sentido ter interface grafico

      • Cortano says:

        Estamos numa época em que a tendência é toque, em que o UX e UI são “os empregos da moda”, em que as pessoas querem chegar e tocar, clicar e não andar a escrever ou a decorar linhas para fazer algo que é possível ser feito com um ou dois toques.
        Sim, podes fazer sem usares a linha de comando, mas o problema da complexidade mantém-se quando entramos no campo dos repositórios, dos package managers, das atualizações, dos drivers, etc.

        Depois, podemos falar das fragmentação enorme do Linux que só cria confusões. Podemos falar das guerras internas no linux para decidirem qual a melhor distro, qual o melhor desktop, qual o melhor repositório, qual o melhor x ou y.

        Tenho 2 distros instaladas em VMs que vou usando para me manter atualizado acerca do desenvolvimento Linux (Mint e esta do artigo). Reconheço que Linux evoluiu muito no que toca a interface e usabilidade, mas ainda tem muitas coisas para evoluir para ser realmente user-friendly – continuo a odiar ter de meter a password para conseguir fazer coisas básicas… mas pronto…. é a segurança…

        • António Paulo says:

          Se não me engano, podes desligar isso

        • Allez says:

          Compreendo que ainda há muito trabalho a fazer no que toca a interfaces gráficas, mas basta procurar no gestor de pacotes da distribuição pelo nome do pacote e para adicionar um novo repositório também tens interfaces gráficas em algumas distribuições populares (Ubunto e derivadas e outras).
          É claro que há trabalho a fazer para unificar os pacotes e repositórios entre as diferentes distribuições e aí entram os formatos flatpack e os snap.
          O meu ponto é: a linha de comandos / terminal não deve ser visto como um entrave mas sim uma ferramenta poderosa para a instalação e manutenção das actualizações do sistema.
          A questão da password, apesar de chato (e podes sempre desactivar, que no caso de VM não é tão grave) é uma das melhores medidas de segurança.

    • rand says:

      user básicos não precisam da linha de comandos, o software pode ser instalado pela loja out por .deb (equivalente ao .exe e .msi do windows), actualizações também podem ser feitas pela loja, configurações também podem ser feitas graficamente.

      Acho que devia experimentar antes de fazer esse tipo de comentários.

      • Cortano says:

        Usar/acompanhar a evolução do Linux há mais de 10 anos acho que já posso dizer que tenho algum conhecimento.
        Queres comparar a treta dos repositorios, fragmentados, com lixo, em que tens de adicionar (para tal, tens de saber que existem), para conseguires ter algo mais que coisas feitas na aula de programação de 1º ano, com a loja ou software na net do Windows ou MacOs?!
        Queres falar da facilidade de atualizar o sistema Windows ou MacOs com Linux – que te apresenta uma lista de coisas, e às tantas aparecem uns sinais de aviso que vais instalar dependencias de terceiros e bla, bla, bla… e depois tens de escolher numa lista de opções que não fazes ideia do que estás a ver para depois fazeres OK… e rezares que a fonte que escolheste seja compatível com o desktop que usas?!
        Queres comparar a facilidade de instalação de um software com a complexidade de instalares certos packages em linux?! (se bem que agora os novos tipos de “instaladores” que não instala são bem porreiros).

        Ainda há dias li um artigo sobre Linux e um dos pontos achei que podia ser vantajoso: Haver uma Distro Oficial de Linux e não esta confusão de opções. Um distro oficial lançada e suportada pela Linux Foundation… isto sim, acho que criava alguma estabilidade e melhor aceitação do Linux.

        • rand says:

          Repositorios fragmentados? aplicações feitas em aulas de 1º ano? Só por essas duas afirmações dá para ver que não tem experiência nenhuma com Distros como Ubuntu, Elementary e Fedora.

          Acho que essa parte das dependências de terceiros tem a ver com reprodução multimédia on se tem que instalar os codecs, o que também é necessário fazer no Windows a não ser que se instale um reprodutor como o VLC que se encontra disponivel na store to Ubuntu, Elementary, Fedora e muitas outras distribuições Linux.

          Em relação à fonte ser compatível com o desktop não faço ideia do que esteja a falar, em 15 anos a utilizar Linux nunca tive problemas com compatibilidade de fontes, até as do Windows sempre funcionaram.

          Instalar software no Linux é bastante fácil o que não está na store vais ao site da aplicação e faz-se download do executável tal como se faz no windows, e agora há como menciona os novos formatos.

        • Sandro Souza says:

          Quem gosta de ficar preso a praticamente uma opção critica um sistema que tem várias opções. Vá entender…

          Vamos instalar programas?

          Ubuntu

          Abra um terminal de comandos e digite “sudo apt-get install” seguido do nome do programa que deseja instalar. Exemplo: queremos instalar o Gimp.
          sudo apt-get install gimp
          Fedora

          Abra um terminal de comandos e digite “sudo yum install”, seguido do programa que deseja instalar. Exemplo:
          sudo yum install gimp
          Arch

          O comando desta distro é “sudo pacman -S” seguido do nome do programa. Exemplo:
          sudo pacman -S gimp

          Todas as distros Linux possuem instaladores gráficos. Eu pessoalmente prefiro o terminal, mas a cada dia estão surgindo mais e mais instaladores gráficos que são fáceis de usar (não mais que 2 cliques no total).

          Windows
          Instalar software gratuito

          1 – Acessar ao site do software.
          2 – Baixar
          3 – Dê dois clicks no arquivo de extensão .Exe para iniciar o instalador.
          4 – Basta clicar no botão “Seguinte”.
          5 – Aceitar a licença.
          6 – Clicar no botão “Seguinte”.
          7 – Dê cliques em todos os botões “Seguinte”.
          8 – Escolha onde instalar.
          9 – Clique em “Ok”.

          Instalar software pago

          1 – Entre no Google e digite na caixa de pesquisa qualquer das seguintes seqüências: “warez nome_do_programa”, “nome_do_programa download grátis”, “nome_do_programa crackeado”, “nome_do_programa taringa” ou coisas do tipo. Exerça sua criatividade.
          2 – Executar o passo 1 até que você tenha pelo menos 20 abas abertas e encontre um link que funciona. Às vezes pode ser necessário fazer alguns registros em fóruns para o download.
          3 – Atualize seu antivírus.
          4 – Duplo clique no instalador .Exe (se você tiver sorte suficiente para encontrar o instalador .Exe e não outra coisa mais difícil de instalar).
          5 – Se o antivírus não der nenhum sinal, em seguida, basta clicar no “Seguinte”.
          6 – Escolha o diretório onde instalar.
          7 – Clicar no botão “Seguinte”.
          8 – Clicar em “Concluir”.
          9 – Repita o passo 1 acrescentando a palavra “crack” ou “keygen”.
          10 – Repita os passos 2-8
          11 – Cruze os dedos, pegue um galho de arruda e inicie o programa. Se nada de estranho ocorreu, então você foi bem sucedido. Caso contrário, repita a partir do passo 1 e tenha mais sorte da próxima vez.

    • Douglas Ferreira says:

      O usuário básico não precisa de linha de comando em praticamente nenhuma das principais distribuições para desktop.

      Antigamente, o uso mais comum da CLI era para atualizar ou instalar programas, mas isso é possível através de aplicativos gráficos parecidos com o que temos nos celulares.

    • Ricardo Gaio says:

      Não precisas.
      Podes fazer tudo por cliques como no Windows.
      Se bem que a linha de comandos, primeiro estranha-se, depois entranha-se. E quando chegas a esse ponto, não queres outra coisa! 😉 Sim, falo por experiência própria! 😉

      • Cortano says:

        Já tive muitos anos a escrever linhas… já chega.

        • Allez says:

          Não se trata de estar a escrever linhas, simplesmente queres installar o firefox e “apt install firefox” (em Ubuntu e derivadas) resolve.
          Como o Ricardo diz, primeiro estranha-se, depois intranha-se a facilidade disto.

          • Cortano says:

            ~$ sudo apt install firefox
            [sudo] password for ***:
            Reading package lists… Done
            Building dependency tree
            Reading state information… Done
            The following packages were automatically installed and are no longer required:
            gir1.2-javascriptcoregtk-4.0 gir1.2-json-1.0 gir1.2-soup-2.4
            gir1.2-webkit2-4.0 libatkmm-1.6-1v5 libcairomm-1.0-1v5 libglibmm-2.4-1v5
            libido3-0.1-0 libllvm4.0 libpangomm-1.4-1v5 libsigc++-2.0-0v5
            libvala-0.34-0 sbsigntool
            Use ‘sudo apt autoremove’ to remove them.
            The following additional packages will be installed:
            xul-ext-ubufox
            Suggested packages:
            fonts-lyx
            The following NEW packages will be installed:
            firefox xul-ext-ubufox
            0 upgraded, 2 newly installed, 0 to remove and 68 not upgraded.
            E: Could not get lock /var/cache/apt/archives/lock – open (11: Resource temporarily unavailable)
            E: Unable to lock directory /var/cache/apt/archives/

            —-
            AAHHHHH, quase que dava…
            Já sei, vais-me dar outro comando para desbloquear isto, né?!

          • Allez says:

            Em muitos anos nunca me deparei com o erro que te apareceu. No entanto, normalmente erros de “lock” acontecem quando outro software está a usar também privilégios de administrador.
            E não te vou dar nada, queres, procuras, que é o que eu faria.

          • Cortano says:

            Ok… Já não preciso. Distro apagada.
            Vou testar outras.

    • nomadewolf says:

      É a beleza do Linux: tens distribuições para todos os gostos! Algumas, como o Elementary, não precisas de usar a linha de comandos. Ou então podes usar outras em que tens de ser tu a configurar tudo através da linha de comandos…
      Há para todos os gostos e feitios.
      Ou como se costuma dizer no mundo Linux: há de todos os sabores!…

  2. Tiago says:

    Mas a nível de instalações e assim? Commands?

    • mijn says:

      tens o app center. so precisas de comandos na consola se fores instalar algo que nao esteja presente no app center.

      e mesmo que seja preciso tocar no terminal, ele nao ferra…

  3. AiOGajo says:

    Eu gostei, mas experimentei num PC de uma outra década pelo que as transições e efeitos gráficos faziam abrandar a experiência de utilização…

    No entanto, não gostei muito da app center.

  4. Wagner Silva says:

    Vcs precisam ver o Deepin Linux.

  5. JOSÉ CARLOS MOURA E COSTA says:

    Olá.
    por favor, deixem o link de download dele p podermos baixar e testar.

    obrigado.

  6. 3m says:

    Em termos de harmonia de aplicações e funcionamento é 5*, para quem gosta de dar um toque pessoal sem usar o terminal tem poucas opções de personalização, devido ao Pantheon mesmo utilizando aplicações de terceiros não é fácil, de base praticamente só se consegue mudar o wallpaper, depois o tema tipo macOS está um pouco gasto e fora de moda.

    Sim provavelmente será bom para utilizadores windows, instala e deixar ficar como está.

  7. Aprendiz says:

    e a nivel de jogos suporta ? ou teria ser proprios pra ele?

  8. pedro says:

    e a distribuição Linux mais simpática e user friendly … mas daí até dizer adeus ao windows ou ao MacOS ainda vai uma grande distancia!!!!

  9. Flávio Ferreira says:

    Dá para instalar o bsplayer, o wave editor, vdownloader, acestream para ver a bola? Senão der ou der mais demorar 30 minutos como no Ubuntu para se instalar o acestream era preciso sacar 3 plugins por uma certa ordem, e depois tínhamos de ir a linha de comandos e depois é que instalava o software ahahah

  10. pois..... says:

    ainda ontem falaram nisto 😀
    faltam ideias para artigos?

  11. Eu says:

    A partir do momento que seja preciso utilizar Linha de comandos deixa de ser “user friendly”!

  12. Miguel says:

    Ainda bem que posso usar o AutoCad ou a Suite toda da Adobe com isto!…. aaaa pera…. não dá … ora bolas . lá tenho de voltar a ter um OS a sério.

    • Pedro Pinto says:

      Para ti não serve. Mas um utilizador tradicional não usa isso…Por exemplo eu não uso!

    • Gustavo Garcia says:

      Também podias usar software a sério… A Suite toda da Adobe! Que cromo!

    • Tiago Marques says:

      OS a sério?? Adoro pagar por um SO e poder sentir-me seguro, poder usufruir do SO a 100% e poder dizer que é meu.

    • André says:

      Não tens autocad porque a Autodesk não o quer. Mas decerto até o tens legal e tudo, reclama…
      Mas tens Bricscad e Drafsight, por ex, que em 2D funcionam em condições.

    • Marco says:

      LOL, há mundo para além do teu umbigo e as necessidades dos outros podem não serem exactamente as tuas.

      Uso um OS de brincar, de acordo com o teu ponto de vista, mas que é suficiente para escrever algumas linhas de código (não falo de usar o terminal), texto (latex e outros), abrir um browser para ver os comentários do Pplware, uns filmes piratas e mais algumas coisas.

      Para mim chega. Se tens outras necessidades, vês o que é melhor para ti e respeitas os outros

    • willian says:

      Colaborar com o SO para melhorias já que é opensource ninguém quer né, agora pra criticar a fila tá grande hein! kkkk

  13. Bruno says:

    Não percebo o problema da linha de comandos. O windows também a tem e quase ninguém a sabe utilizar.

    • Valter says:

      Mas no Linux em muitos casos é necessário recorrer as linha de comando, já no Windows é bem mais difícil você precisar.

    • Cortano says:

      Porque não precisas.
      Tirando situações avançadas, não precisas de usar a linha de comandos.

      • arc says:

        Da mesma forma que em Linux, excluindo situações avançadas, não é necessário CLI para nada.

        • Cortano says:

          Mas depois tens o problema da comunidade, ou seja, tu tens um problema no Windows e quem sabe corrigir raramente te dá linhas de comando para usares (a não ser em casos realmente graves que precisas de ir mais a fundo).
          No Linux, pedes ajuda e espetam-te com uma carrada de linhas de comando… a ultima dor de cabeça que tive foi com o GRUB… a partir desse momento deixei de meter dual-boot com linux… agora só VM

          • arc says:

            Tens o Grub Customizer, quem sabe resolve esse e outros problemas, é via GUI.

          • Marco says:

            Se calhar a ajuda aparece assim por ser mais fácil de escrever (no site/fórum/…) é também torna-se mais fácil de executar, basta copiar e colar.

            Não estranhei muito no início, talvez por ter mexido em DOS, mas há sempre uma adaptação. Há quem se adapte e quem não se adapte,é como em tudo na vida.

          • Cortano says:

            @Marco: Eu também mexi muito no DOS, ainda tenho para sei algures o manual com umas 500 páginas.
            Mas isto foi há uns 25 anos… Hoje não estou para isso.

          • Marco says:

            @Cortano: Mas é mais simples, pelo menos para mim, seguir o guia com comandos em que podes fazer copy/paste do que seguir com imagens ( Partindo do princípio que estás a usar só um monitor :D).

            Mas agora lá está, depende de cada um de nós, se está para isso ou não, se gosta ou não.

            Agora dizer que Linux não presta porque não gosto da linha de comandos é que não… (não estou a dizer que é o teu caso).

            A verdade é que há SO para todos os gostos, ou quase todos, é uma questão de escolhermos o que acharmos melhor para nós.

  14. Mc says:

    ok peguem num diretorio cheio de mp3. Renomeiem tudo para .xyz sem linha de comandos…. no ambiente gràfico do Vosso SO

  15. Ricardo says:

    o Deepin 15.5 também é muito parecido. Eu já não uso windows em casa a alguns anos, só linux e android. Uso o windows apenas no trabalho e porque só obrigado..

  16. Jonas Tadeu says:

    É uma distro bonita. Mas está muito “trancada” para o meu gosto. Para quem não gosta de complicar está ótima, é abrir a loja, clicar no programa que se pretende, e voilá, instala. Mas se se quiser fazer algo mais específico, ou adicionar um programa que não esteja na loja, já complica mais um pouco. Por exemplo, adicionar ppa’s está bloqueado. Há scripts e maneiras de o contornar, mas dá muito trabalho, quando há ubuntu’s, linux mint’s e outros que tais. Outra coisa que não gosto é que, após instalar e fazer login, o pc fica com as ventoinhas ao máximo e não se consegue fazer nada do pc. É a loja a fazer as actualizações que entende necessárias. Mas de maneira completamente opaca para o utilizador (pelo menos para mim). Coisa que também não gosto, gosto de receber os avisos e ver o que o sistema está a fazer.

    Vou experimentando a distro na VM para acompanhar novidades, mas não é para mim.

  17. jAugusto says:

    Experimentei com o artigo de ontem e é bem bonita mas Primeiro tive de alterar todos os programas/apps instalados de raiz; Segundo tive de instalar o synaptic; Terceiro ao nivel de configuração é tudo muito limitado comparado com o xfce por exemplo.

  18. Sérgio says:

    Este post vem mesmo a calhar, tentei instalar o Elementary OS na passada 6a feira e surgiu-me o seguinte erro https://imgur.com/a/TUaoa https://imgur.com/a/dVgvM e não consigo instalar, já tentei procurar possíveis soluções e não as encontro em lado algum , será que me podem ajudar ?

  19. jorge santos says:

    O sistema em si é deslumbrante. O grande defeito que vejo nele é não poder usar o Desktop para ter alguns ficheiros que preciso de ter sempre à mão…

  20. IKAROS says:

    Há muitos tipos de utilizadores mas digo-vos que se calhar o que vocês chamam de utilizares básicos não passa de imaginação vossa.

    Tive de instalar um novo pc ao meu pai e optei por um MacBook Air em 2ª mão.

    O sistema é perfeito: Tem o Office da Microsoft, para as suas preciosas fotos tem a Photos incrível da Apple, e tudo o resto foi a coisa mais simples de lhe explicar como funciona.

    Ofereci-lhe uma Time Capsule para as suas precisas backups das fotos, não precisei antivírus e o Safari com um bom Adblock… um Windows 7 em VM para alguma “urgência” em correr EXEs…

    Enfim, zero problemas, zero chatices, e o meu pai nunca foi tão feliz com um PC.
    Recomendo Mac.

    Desculpem algumas typos, escrito em andamento

  21. jprscierra@gddd,coim says:

    já utilizei desde as primeiras versões. Acha muito bonito e bem conseguido no design mas tem bastantes falhas a nível de estabilidade.

  22. Pedro says:

    um dia que façam um Linux compatível com os jogos do Windows e corram otimizados mudo para linux

  23. Fernando Marques Martini says:

    ate bonito mas tenta acessar automaticamnt sites da Caixa por exemplo, mandar imprimir direto fatalmene vai precisar instalr algo na mao é bom para curiosos, fucador, quem tem tempo, eu uso linux mas as vezes coisas elementares dao dor de cabeca

  24. Myself_PT says:

    Resumindo e concluindo, tenho de deitar fora o meu Pentium 4 (32 Bits) que uso para “brincar” e esperar que um dia tenha acesso a uma board e processador de 64 Bits para ir testando umas distros “mais a sério”…

  25. Joca says:

    Caros “postadores”
    E se a maioria dos utilizadores fprem tão básicos qusnto eu r apenas quisetem “seguir a seta” sem se quererem preocupar com aspetos tecnicos.
    Apenas clicar em ficheiros e/ou pastas e executar aplicações.
    Nem pensar em aprender todo esse jargão que todos os dignissimos teferem acima.

    • Marco says:

      Bem dito.

      Mas consegue isso numa distro Linux…

    • arc says:

      Joca, por isso mesmo e indo ao encontro do seu modo de pensar (mas não só), é que as distribuições de Linux, se encontram em vários aspectos, mais amigas de e para o utilizador final. Contudo, deixando outras opções, as quais requerem outro tipo de conhecimentos, para outro tipo de utilizadores mais avançados ou que desejem aprofundar mais os seus conhecimentos. Essa é uma das mais valias do Linux no seu todo. Assim, gosta como está, resolve os seus problemas mais importantes, sirva-se com prazer, quer modificar a receita mais ao seu gosto, tem sempre essa possibilidade.

  26. Carla says:

    É tudo muito bonito… Mas os JOGOS da “moda” correm neste sistema Linux?
    Pois…

    • Marco says:

      Pois… Mas será que todos querem os jogos da moda?

      Lá voltamos a colocar tudo pela mesma bitola.

      • Myself_PT says:

        Se correr os mesmos jogos que eu jogo em Windows (e não, não uso Steam nem quero usar) porque não?

        • Marco says:

          OK, aí está. Nesse caso, uso o sistema que preferir. O que não posso fazer, ou pelo menos não devo, é dizer que não presta porque não corre o jogo que eu quero.

          Não me serve, uso outro que me sirva.

          Será que vou fazer TT com um Ferrari? Não, escolho algo de acordo com as minhas necessidades

          • Myself_PT says:

            Precisamente. Agora, podemos sempre ver ou testar a concorrência não é verdade? É o que eu faço com o meu velhinho Pentium 4 mas claro está fico reduzido a versões 32 Bits. A não ser que instale o Virtualbox no meu PC Windows e veja toda essa nova panóplia de distros a 64 Bits em modo virtual)…

          • Cortano says:

            @myself, usa o Hyper-V (virtual machine) para testar distros, dá muito menos trabalho que instalares fisicamente num pc.
            Ser não gostares é só fazer “delete”

    • arc says:

      Estou “preocupado” com a Carla, deve estar a instalar o Linux Zara Desktop!

  27. Luís says:

    Eu uso o Xubuntu e não quero outra coisa. É gratuito e funciona na perfeição. Já me contaram que no w10 faz-se uma actualização e por algum motivo deixam de funcionar as. aplicações ou a barra das apps. Isso não é para mim…

  28. Jose Antonio says:

    Luis – Sou utilizador da Microsoft desde o MSDOS 6.2, não usei o Windows 95, entrei no Windows pelo sistema operativo profissional Windows NT 4. Daí passei para o 7, 8 e agora no 10.
    Em suma, nunca tive aplicações bloqueadas, nunca tive écrans azuis, porquê? porque sempre tive edições legais, nunca usei versões piratas.
    Tenho um computador com uma distro Linux, e sempre que preciso de uma aplicação para qualquer coisa, só encontro versões 0. qualquer coisa.

  29. Redblack says:

    Gostei dos comentários do Cortano. Difícil para o usuário básico simpatizar com linha de comando um exemplo prático que tive foi tentar instalar o firefox no Metamorphose, distro que para um usuário básico como eu gostei muito, de um visual legal, interface show, más infelizmente o UB aqui não gostou da experiência de queimar neurônios e perder tempo tentando instalat uma porra de navegador, coisa que no Windows para mim é moleza. essa ESTÓRIO que o linux não trava também é balela e a outra é que tem milhões de virus a tua espera nos programas .exe, ué, pra que existe programas anti-vírus, o excelente Windows Defender, enfim existe muito mito sobre linux embora eu admire muito estes OS’s, uns menos.

    • Sandro says:

      Vá na central de programas e instale o navegador desejado, sem precisar de linha de comando, aliás a linha de comando é que te dá possibilidades de ir muito além de uma interface gráfica bonita, então linha de comando é a cereja do bolo e não um problema. Todo sistema é passível de travamento, principalmente os mais expostos aos vírus.

  30. Rui Carneiro says:

    Bom dia a todos. Gostaria que me retirassem uma dúvida. Tenho um HP Pavilion x360 e o Elementary recusa-se a “bootar”, congela na tela de loading. Testei noutro computador, num Toshiba Sattelite L40-15G, e arrancou bem, ou seja, corrupção já não é problema. Posso instalar o Elementary no disco com o Toshiba para conseguir usar o HP com o mesmo ou irá acontecer o mesmo com o windows 7, imcompatibilidade de drivers?
    Obrigado,
    Rui Carneiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.