Agora é super fácil ter o Linux Ubuntu com cara de Windows


Destaques PPLWARE

36 Respostas

  1. Carlos Fernandes says:

    a este nível o Zorin está muito melhor.

  2. Ricardo Gaio says:

    Mais um…
    “Baseado no popular MATE”, não é o Mate que é baseado no Gnome… 😐

  3. CMatomic says:

    Só falta as appimages , para ficar semelhante ao Windows .
    http://appimage.org/

  4. fernando marques martini says:

    risos poxa mais facil por o Windows de de 1x hein

  5. Felipe Rei says:

    Desnecessário, completamente.

  6. João says:

    A sério?!?! Ambiente Windows?! Isto?????

    Vou deixar uma sugestão que (na minha opinião) é bastante melhor…

    Deixo 2 links:

    Um Post explicativo: http://www.kdeblog.com/k10-nuevo-tema-para-look-feel.html
    O ThemePack: https://store.kde.org/p/1172822/

    Também disponível para fácil instalação através do GetNewHotStuff do LookAndFeel no KDE Plasma

    NOTA: É necessário Plasma 5.9 (disponivel no KDE Neon e no openSUSE Tumbleweed)

  7. jonas batata says:

    Na minha opinião, se quer usar linux, para quer deixar igual o Windows. Usa o Windows de uma vez…….

  8. de Carvalho says:

    AJUDA:
    Qual a melhor solução Linux para colocar nos PCS fixos de uma escola?
    Em que os alunos estão habituados a Windows mas o PC já esta não aguenta com o WIn10?

    • jAugusto says:

      zorin os foi o primeiro que usei é mais um ubuntu com cara de windows…
      https://distrowatch.com/table.php?distribution=zorin

    • João says:

      Lubuntu ou openSUSE com LXQt

    • 34 says:

      Tens muitas distros leves (Lubuntu, Puppy, o Arch mediante a escolha dos componentes durante a instalação acertada, Edubuntu….).
      Basicamente estas são as distros que tem isto pronto ou quase, mas podes pegar em qualquer linux e trocas os programas do sistema operativo e estás pronto…
      Mas tens uns quantos problemas…
      Ao optar por um sistema leve o suficiente para que seja relevante significa incompleto, demasiado para o que pretendes.
      Basicamente o que estou a dizer é que tens que ir pessoalmente a cada computador de cada miúdo ver o que ele está a fazer agora, só para dar um exemplo.
      Podes por exemplo implementar o “controlo” de Internet apenas e somente na infraestrutura, é a maneira mais fácil que estou a ver no momento de pessoas que não percebem da coisa lidarem com isto diariamente sem contratarem alguém a tempo inteiro só para isto, mas isto implica teres uma infraestrutura razoável separada só para os alunos, e nisto vais gastar muito dinheiro (quando precisares de alguma coisa telefonas para o teu fornecedor qye trata disto, se não precisares de nada…).
      Basicamente as tuas melhores opções são duas:
      – Ofereces só a Internet e os alunos usam equipamentos deles, excelente opção especialmente no campo da tua responsabilidade cível e criminal (oferefes internet es responsável por ela, estás com os miúdos és responsável por eles, o computador não é teu não és responsável enquanto ele não se enquadrar nas tuas outras responsabilidades).
      – Usar serviços web based, neles é quase irrelevante a questão dos computadores de cada utilizador (só precisas de computadores que consigam trabalhar com a internet, bons computadores Windows recentes apenas são úteis se fores trabalhar com aplicações “altamente profissionais” o que não é o caso), mas esta opção obriga a fazer algumas contas, basicamente se nao fores uma escola grande talvez queiras comparar um serviço pronto como por exemplo o Google app que tem na opção educação algumas mais-valias com o clasroom, com tuas outras opções a ver se o dinheiro que vais pagar compensa.

    • Anderson says:

      Trabalho numa escola técnica federal e aqui usamos o Ubuntu.

    • de Carvalho says:

      Obrigado a todos pela ajuda.

      A minha ideia é nos pcs da escola sem ser salas (para já) por Linux de forma a ficarem bem mais leves e não ter problemas.

  9. Leonel says:

    Como é que posso instalar tendo o 16.04?

  10. Pai de Burro says:

    Se nao os podes VENCER, junta-te a eles. Concordo com a medida, e sempre achei que a diversidade (grafica) era um obstáculo, a que o linux se dissemina-se, em grande escala.

    Vou experimentar, mas estou já habituado ao Mint.

  11. Douglas Ferreira says:

    Apesar de atualmente não usar (usar mesmo, como sistema principal) Linux há alguns anos, ainda testo as principais distribuições de vez em quando. Sempre mantive uma máquina virtual com o Ubuntu.

    Antigamente gosta bastante do KDE, isso no tempo do Mandrake Linux, mas depois veio o KDE 4 e tudo começou a exigir um pouco mais do hardware, além daquilo que considero “uma bagunça” com relação às milhares de opções de personalização e configuração do sistema.

    Parti para outras distribuições com o Gnome 2, e acabei caindo no Ubuntu, bem nas primeiras versões. Era ótimo, sistema leve, vinham fazendo um ótimo trabalho.

    Então resolveram descontinuar o Gnome 2 e lançaram o Gnome 3, foi ódio à primeira vista… e até hoje continuo odiando o atual Gnome.

    Agora, com o fim do Unity (ao menos no Ubuntu oficial), resolvi testar alguns outros ambientes, inclusive o próprio Gnome. Resultado, difícil achar um sistema que funcione tão redondo com o ambiente gráfico quanto o Ubuntu vinha funcionando.

    Acho a Unity muito agrável de usar, mostrando apenas o que é primordial ao usuário. Por exemplo: instalei o Xubuntu e tomei um susto ao ver aquele monte de opções no menu de configurações do XFCE, opções que tinham nomes que nem sequer eram intuitivas ao ponto de perder tempo demais para poder fazer qualquer configuração no visual da interface.

    Tentei usar o Manjaro com Gnome, mas aquilo tem uma personalização desagradável demais. Ao menos tinha um Dock fixa na lateral esquerda, mas as janelas se escondiam por trás dela sempre que abria algum aplicativo.

    Há alguns meses usei também o Elementary OS e gostei, principalmente por ter uma aparência que lembra o Mac OS, mas ainda acho que não está pronto ao ponto de substituir uma distribuição tão madura quanto o Ubuntu.

    Mas a minha grande decepção foi mesmo com o Fedora. Já o tinha usado por muito tempo na época que ainda se chamava Fedora Core e vinha com Gnome 2. Agora, quando instalei a versão atual, percebi que o consumo de memória está excessivamente alto (quase 1,5GB quando acaba de ligar). Sei que computadores atuais têm memória suficiente para rodar com folga um sistema assim, mas para rodar em VM tem de consumir menos RAM.

    Ainda vou rever o OpenSuse, mas pelo visto o meu Linux vai ser mesmo o Mint com Cinnamon, pois assim não será necessária uma readaptação ao sistema de gerenciamento de pacotes. Já o tinha testado em outros momentos e tinha um certo equilíbrio entre simplicidade e usabilidade.

  12. pedro says:

    se usarem o linux MINT, não será a melhor opção que este ambiente gráfico UKUI???

  13. *** Redbob365 says:

    Eca!!! Quanto mau gosto!!

  14. Silvio Cadete says:

    Ubuntu vai perdendo a sua originalidade. E aos poucos o mundo open source vai sendo prostituido com as tendências de se parecer à windows. Falta pouco para termos NNF.

  15. camt says:

    Se querem uma distro com a cara chapada de qualquer windowns experimentem esta
    https://www.youtube.com/watch?v=_Fh2XxX5FlE

  16. PAULO DUARTE says:

    BOM DIA
    SOU NOVO NESTAS ANDANÇAS DO LINUX!!!
    TENHO UM PC ASUS INTEL CORE2 CPU 6420 @ 2.13Ghz 32BIT 2gb DE MEMÓRIA RAM
    COM WINDOWS 7 INSTALADO ….
    GOSTARIA DE SABER QUAL O MELHOR LINUX ESTE EQUIPAMENTO
    SEM MAIS
    UM ABRAÇO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.