Quantcast
PplWare Mobile

64% consideram que o Estado Português deveria adotar Linux nos serviços públicos

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. AJ says:

    Vão fazer isso tanto como vão passar a utilizar carros do estado da marca Citroën. Ou seja, nunca.

  2. Joao Ptt says:

    Deveria adoptar um sistema aberto, tipo Linux, desde que disponha de uma equipa muito grande e especializada nele, para o manter ao longo das décadas independentemente de terceiros estarem a criar novas versões cada vez que vão ao WC… o que para um estado, mesmo pequeno como o Estado Português, não é lá muito aceitável… eles querem rendimento & segurança, e não andar a ter quebras constantes de serviço para actualizações inúteis de coisas que não precisam realmente.

    • Manuel da Rocha says:

      Catalunha gastou 147 milhões de euros, a mais, ao ter criado uma equipa de 8000 informáticos para dar suporte a um sistema operativo, baseado em Linux, para todo o governo regional. Ao 4 ano, já tinham esgotado o orçamento para 10 anos de serviço.
      Voltaram a contratar a Microsoft e conseguiram trocar 2 milhões de computadores, em 3 anos, dentro do orçamento que estavam a gastar com o open source.
      No entanto, nos computadores não propriedade dos serviços, só podem usar Libreoffice, para não pagarem versões do Office.

    • David says:

      Vocês têm noção que os funcionários públicos mal sabem usar windows e office, quanto mais uma distro de linux e um office replacement.

  3. Luis Henrique Santos Silva says:

    Desktop sem sombra de dúvida, portátil também é bom, que é o que uso, mas depois não dá para mudar cpu e GPU exceto alguns portáteis que dão para o fazer.
    SE pudesse era um bom desktop e um portátil mais fraquinho só pra outras coisas, mas agora não vivo sozinho por isso já não posso meter em loucuras lool

  4. André R. says:

    O problema é que na FP usam-se algumas aplicações que são nativas para Windows e essa mudança seria complicada, mas as restantes, baseadas em browsers, seriam fáceis de transitar.

    • Manuel da Rocha says:

      Só o suporte seriam 700 milhões de euros, em 2 anos. Esse valor são 15 anos de serviços de manutenção e updates da Microsoft.
      Ao cabo de 5 anos, já teriam gasto 70 anos do que pagariam para ter windows em todos os computadores.

      • João Dias says:

        Onde vais buscar esses valores?

      • João Dias says:

        Pesquisando o site base gov só nos primeiros 6 meses do ano todas as entidades do estado já gastaram 21 015 934,03 €. Quantos ordenados altos dos tais que pagam nos outros países pagariam por ca? cá temos o que merecemos, pagamos a outros para nos fazerem…

      • João Dias says:

        Em 2021 o estado gastou 6.932.745,39. Ee dividires esse valor por 12 tens um orçamento de 500mil por mês. quantos engenheiros dignos do nome pagarias para fazer uma equipa de suporte? era dinheiro que ficava na nossa economia que descontava para a segurança social etc…

        • Manuel Santos says:

          Assim rápidamente, a um custo mensal de 2.000€/mês (e o ano tem 14 meses, não 12), dava cerca de 247 engenheiros bem pagos. E o resto das despesas? Isso são contas de merceeiro que não são as que devem ser feitas, são contas muito mais complexas que isso

  5. Fernando Dias says:

    Quando se diz que o estado português devia mudar para linux será que está tudo a pensar em reduzir custos de licenciamento? Se for isso não devem por de lado os custos com o tempo que vai ser necessario para formar as pessoas, não esquecer que os cidadaos que são quem lá vai já demora tempo demais agora quanto mais se lhes mudarem o SO. A grande vantagem é que tem maquinas já do tempo do foge que te indireitas e essas podiam ficar com melhor resposta. Desktop ou portatil têm ambos vatagens e desvantagens será que têm definidos os requesitos minimos para um posto de trabalho na função publica.

    • jaquim says:

      Na sala de informática da minha escola, onde lecionei o 5º e 6º ano, temos portáteis com windows e desktops com linux mint. Nunca os vi a terem preferência, bastava funcionar para o que precisavam, como era quase tudo online era indiferente…

  6. Tónio Piroco says:

    Existe um problema enorme que toda a gente não está a ter em conta, que é a idade de quem o usa. Infelizmente, para algumas pessoas isto vai ser um grande problema na sua utilização. É obvio que isto não pode ou pelo menos não devia ser um fator a ter em conta.

    • Jsantosu says:

      Nessa questão da idade, tem toda a razão, já diz o ditado que burro velho não aprende línguas.
      Por isso é que no ensino devia ser obrigatório ter TI com diversos sistemas operativos para não haver esse problema.

  7. Luís Pinho says:

    Quanto à questão da semana passada, não cheguei a tomar conhecimento, pelo que não votei, mas aqui vai a minha opinião.
    Reconheço que, no atual contexto hegemónico do Windows, a migração será difícil, morosa e cara. No entanto sempre achei que o Estado e, em particular a educação, deveriam privilegiar sistemas open source, como o Linux.
    É verdade que existem mais versões do Linux que utilizadores (passe o exagero), mas seria de selecionar a (as) mais adequada (s).
    O software específico usado nos serviços públicos é feito à medida, nesse aspeto seria igual, com a vantagem de se poder também ajustar o SO.
    O mais comum, por exemplo suites de produtividade, também existem em código aberto.
    Para o utilizador, o mais importante é a interface, não o código que a suporta.
    Na educação, está deveria ter sido uma aposta desde o princípio.
    Penso que uma migração faseada seria possível e vantajosa.

  8. anonimus says:

    Eu sou a favor, mas lá está, estas coisas não podem ser mudadas assim do pé para a mão, é necessário, um estudo 1º, todos os softwares que são utilizados tem de ser feitos e compilados para operar em Linux e acabar com a dependência do sistema Windows.

    Outra situação é formar equipas de IT para estarem sempre em cima do acontecimento, formar as pessoas que vão usar os sistemas a trabalhar com eles, tendo estas de passar por um período de adaptação, tal como a implementação ir sendo gradual e não logo todo de uma virada para não ter um enorme impacto no fluir dos serviços.

    Mas como estamos em Portugal como é normal, isto não passa de uma mera hipótese, pois todos sabemos que o estado é deixa andar e enterra dinheiro em buracos, ao invés de aplicar em investimentos que visam melhoramentos. Outro problema é a malta que opera com os sistemas é preguiçosa e não gosta de mudanças logo iria ser um problema na fase de transição como sempre.

    • gustavo says:

      a concorrência já passou por muitos testes, hackers e etc.
      se trabalha com Linux sabe que os sistemas do Linux dão muito mais trabalho a resolver problemas do que no Windows.
      aprendi Linux e posso lhe dizer que tem vantagens, mas que não compensam os problemas associados.
      no Linux vamos pedir suporte a quem? stackoverflow?
      aí está um grande problema…

      • Samuel MGor says:

        !? Queres elaborar? Eu uso Linux há mais de 10 anos e nunca tive problemas. Corri um jogo que só há para Windows e não tive nenhum problema ao jogar. Se o estado farta-se de criar comissões para ver qual é o papel higiénico que se usa na AR então também pode criar uma empresa para prestar esse serviço.

        • Manuel Santos says:

          A sério que acha que não é assim? Eu não sou propriamente um leigo nestas andanças, já passei por sistemas operativos que você nem sonha e posso lhe garantir que foi uma verdadeira dor de cabeça para montar um sistema Linux para fazer desenvolvimento para ambiente web.

          • John says:

            Como?!?! Dor de cabeça para desenvolvimento web em Linux? Tem a certeza? Linux sempre foi simples na configuração ara desenvolvimento web que o windows. Eu tive muitos mais problemas quando usei o EasyPHP ou o XAMPP do que quando migrei de vez pra Linux.

            Uso Linux há mais de 10 anos, nem tudo foi simples, mas tudo se resolveu.

            @Gustavo, essa de pedir ajuda ao stackoverflow foi de rir!

            Há com cada um… Lá por não saberem usar Linux, não quer dizer que os outros não o saibam usar. Na função publica com alguns serviços a serem web based, não vejo onde está o problema.

      • Rui says:

        Não existe empresas que desenvolvem e fornecem suporte para versões próprias Linux? Aliás, não existe uma empresa portuguesa que faz isso?
        Esse não é um problema, o suporte em vez de ser prestado pela Microsoft seria por outra empresa.

        • gustavo says:

          Era uma ironia, sei que existem empresas para isso, mas comparar uma pequena empresa portuguesa, com uma grande multinacional, que tem um orçamente muito superior para além de contratar os melhores do mercado…
          Sem contar que o sistemas do windows são testados por muito mais pessoas pelo mundo, logo os erros/bugs aparecem com muita mais facilidade.
          Estar a dizer que o linux é uma sistema tão simples como o Windows é uma falácia.

  9. Jota says:

    Isso seria “passar de cavalo para burro”! Eu já vi ai num lado qualquer, um país a mudar para Linux e depois reverter novamente parta Windows! Se há pessoas com algumas queixas da administração pública, então se mudassem para Linux é que as queixas subiriam a pique! Tenham juizinho na cabeça e tentem ver para além da árvore!

    • Samuel MGor says:

      Foi Munique mas essa reversão teve como causa as mão untadas (100 mil euros) do Presidente Municipal. Agora vai voltar a usar Linux.

      • Manuel Santos says:

        O principal problema em Munique não foram as mão untadas, foi a compatibilidade de aplicações, os drivers específicos a criar, a formação dos utilizadores, que ao fim de 10 anos de tentativa de migração e muitos milhares de euros gastos fizeram voltar tudo atrás. Os detratores do windows é que tentam impingi ideia do untar das mãos..

    • Jsantosu says:

      Caríssimo Jota

      A maior parte dos servidores de todo o mundo correm…. Linux

      • Manuel Santos says:

        Servidores, não sistemas para o utilizador final.

        • Profeta says:

          Manuel vai dar ao mesmo. Um bom tecnico de TI competente aposto que conseguiria resolver os problemas que tu colocas. A questao aqui e mesmo planeamento em condicoes e falta de vontade. E eliminar pelo meio os resistentes a mudanca, alguma coisa deveria ser feita, tudo leva tempo obviamente, mas se todos trabalhassem para o mesmo te garanto que o sistema open source funcionaria na funcao publica. So falta e vontade e investimento, e remover as ervas daninhas pelo meio. Softwares era o que daria mais trabalho a desenvolver, mas algum dia iriam ficar concluidos, entao esta teria de ser uma migracao lenta e ao fim de 10 anos ja se veriam resultados finais e satisfatorios.

          • MJSantos says:

            Se fosse assim não se teria revertido o processo em Munique

          • Profeta says:

            MJSantos queres justificar maus exemplos de uns para todos os outros ? Entregassem esses projectos a pessoas capazes e daqui por dez anos o sistema funcionaria na perfeicao. Tens duvidas ? Ao menos usa argumentos de peso e nao casos de insucesso que nada tem a ver com falta de suporte ou que os custos sao mais elevados. Isso e tudo conversa para boi dormir. Coisas bem planeadas e estruturadas dariam frutos devagar mas a dependenca tecnologica da Microsoft ia desaparecendo. Mas tal como falei, primeiro teriam de mudar as pessoas depois os softwares.

          • Manuel Santos says:

            Um entidade estatal alemã a não ter pessoas competentes à frente do processo? Sinceramente, não me acredito!

  10. gustavo says:

    isso seria um enorme erro, sistemas Linux na teoria são melhores e etc, mas na prática tem muitos “bugs”. como utilizador de ambos, posso dizer que o Linux não compensa as dores de cabeça que os seus concorrentes tem, íamos poupar meia dúzia no licenciamento para depois gastar milhares a resolver bugs. a 10 anos que se diz que o Linux é vida e a prova é que da forma como funciona, nunca o será

    • Jsantosu says:

      Caríssimo de certeza que nunca usou Linux.
      Certamente deve ter um andoids e esse corre Linux debaixo do capô.

    • Samuel MGor says:

      Tem bugs (0) não tantos como Windows (15) e o Edge (30). Se queres falar de um bugs de 10 anos do Linux que foi descoberto o ano passado e que tal mencionares o bug que o Windows tinha desde do windows 95 (bug com 26 anos).

  11. Antonio Godinho says:

    Não e difícil nem morosa e impossível hoje a Microsoft e serviço e 365 e OneDrive e sharepoint e Visio e powerbi etc etc

  12. Jsantosu says:

    Acho que que o estado português deveria investir em Linux, seu que há muita gente a dizer bem e mal, mas também não conheço nenhum SO 100% infalível. Não há.
    Quanto à formação, software utilizado, apps, o que quer que seja, podem perfeitamente arranjar para Linux, como arranjam para Windows.
    E a todos os que são contra o Linux, não se esqueçam que os andoids são Linux.

  13. São Pedro says:

    Por princípio acho que um estado deve saber que sistema operativo tem, saber como se comporta, o que divulga e quando tem necessidades de melhor hardware e não uma empresa externa forçar a renovação do equipamento para continuarem a fazer as mesmas tarefas.

  14. Rugas be like says:

    Só loucos! Nunca… Era preciso formar todo o pessoal e passar tudo de windows para linux

  15. Carolina Costa says:

    linux ? se a maioria das pessoas da função publica mal sabem trabalhar com Windows, quanto mais linux que nunca devem ter ouvido falar

  16. João Matos says:

    Tugas típicos, mais vale mandar milhões para os américas do que criar equipas de trabalho para suportar o tal Linux… Espera .. ui o Linux já trabalha em muito sítio da FP… Só cromos a pensar… A fp para muitos só utiliza cisco, Office, 365, exchange, Windows, SQL server etc… Tudo m$… Certamente o funcionário público que todos pensam que é incompetente não conseguiria abrir o Chrome numa qualquer distribuição… Tenham juízo e não utilizem este espaço para discutir coisas que não sabem.. o bom que a internet tem é dar palco a cromos…

    • Samuel MGor says:

      Cisco é uma empresa que usa Linux (já te enterraste). Pelo menos deste a resposta porque é que os servidores do estado são tão fáceis de hackear 😛 Usam Windows server 🙁

      • João Dias says:

        Onde digo que cisco é Linux? seguindo a tua análise também digo que office é linux, exchange é linux e windows é linux? O que digo é que muitos que aqui comentam não sabem o que é a FP…. apenas comentam o que vislumbram num qualquer balcão de muitos serviços da FP…

      • João Dias says:

        são fáceis? quantos foram hackeados? consegues comprovar a tua afirmação?

  17. Utilizador says:

    A maior parte das aplicações nos dias de hoje são desenvolvidas para funcionar através de um browser. IRS, seg-social, imt, etc. Para consultar e inserir registos ou ficheiros no sistema, o Chrome ou o Firefox a correr num simples Ubuntu é mais que suficiente. Em casos muito específicos, na necessidade de utilização de software específico, aí sim, Windows. Gradualmente, se houvesse boa vontade a coisa iria a bom porto.

  18. Ivo says:

    Penso que Chrome OS Flex também é uma boa opção para a FP.

  19. Antonio Godinho says:

    https://pplware.sapo.pt/linux/linius-o-linux-do-ministerio-da-justica/
    http://www.dgsi.pt/bpjl.nsf/83cbe9acef94db5a8025730800549412/6da2569d67f172e58025705a0059f0ac?OpenDocument
    https://www.computerworld.com.pt/2010/11/09/migracao-para-linux-diminui-custos-no-itij/

    estes são alguns do artigos maravilhosos do LInux no MJ poupanças e ganhos de eficiencia, a barracada foi de tal ordem que o MJ há 3 ou 4 anos teve de gastar milhoes para conseguir por a funcionar os tribunais e serviços tiveram de gastar milhoes ,em microsoft pois tinham perdido as licencas e livraram-se de milhoes em serviços dos salvadores em Linux era só ver empresas a cobrar 10 x mais em serviços, agora estabilizou e conseguiram por a rede da justica a funcionar tem acontecido um pouco por todo o mundo

    • Profeta says:

      Esse tipo de situacoes e mais do mesmo, quando envolve entidades do Estado, e tudo a ver quem mama mais. Esse e um exemplo tipico de mau planeamento e usurpacao de dinheiros publicos. E ainda faco outra pergunta. O pessoal de TI da microsoft leva mais barato que o pessoal de TI de linux ? Quais os criterios para isso acontecer ? Se estivesse gente honesta envolvida neste tipo de migracoes essas coisas nao aconteceriam. Mas isso e pedir muito quando entidades do estado estao envolvidas.

      • gustavo says:

        o pessoal da microsoft ganha mais do que o da linux, só que um vende milhões e o outro talvez uns milhares.
        não aconteceu só em portugal, espanha teve o mesmo problema…
        se o linux realmente fosse bom e com muitos benefícios, o que não ia faltar no mundo eram pessoas a usá-lo.

  20. TT says:

    64% acreditam no pai natal e vivem desconectados da realidade! Já vivem com o seu linux em marte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.