Quantcast
PplWare Mobile

Questão semanal: 40% concorda com adoção de Linux nos serviços públicos portugueses

Outras sondagens já realizadas

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. DEUS says:

    macOS is the way.
    As grandes empresas estao todas a mudar, já se apreceberam que poupam muito dinheiro com macOS.
    Com Linux iriam depender muito mais das equipas de TI: definitivamente este não é o caminho.
    Portugal não está a inventar nada!! Olhem para os exemplos no mundo.

    • joao says:

      de facto ja vi algumas empresas a comprar macs para programadores…nao percebi pq mas gostava de saber o motivo. é que para um programador um computador com 10anos e um notepad chegam…
      por acaso temos um mac, mas pq para fazer apps para IOS precisamos mesmo de um para fazer builds. de resto, nao me estou a ver a mudar..nem as milhares de pessoas que mal sabem trabalhar num pc..quanto mais num mac…bem vejo a nossa designer andar as aranhas quase todos os dias a procura de pilhas..um dia pro rato..outro pro teclado….se é para ter uma app ligada e trabalhar so nela…seja linux, macOs or windows qualquer um serve..problema é que 100% do software do estado é feito para pc….mudar isso tudo para mac ou linux ia sair mais caro que manter em pc.
      e sinceramente nao vejo porque raio ia ser melhor para o estado…o custo do linux é muito superior ao do pc…os alemaes demoraram a perceber isso….

      • Pérolas says:

        O alemães não perceberam isso os $$$$$ da M$ é que encontraram a rota de penetração que permitiu essa mudança, mas, mais uma vez vão ficar na mão de um SO fechado com tudo o que tem de pernicioso. Com a clivagem que está a existir entre os 2 continentes seria bom que o lado de cá não fique na mão de quem possa mandar tudo o que for M$ abaixo. Muitos paises já perceberam isso e uns mais silenciosos do que outros estão a mudar os sistemas chave para SO aberto! Lamento, mas os alemães não são exemplo para ninguém e mais ainda quando estão desesperados…

        • Joao says:

          conta la que paises é que perceberam isso? e ja agora conta a historia toda..quanto investiram….o que fizeram a curto, medio e longo prazo…e nao noticias de cafe…

          • Bruno B. says:

            Ainda não vai há muito tempo saiu um artigo neste mesmo site que referenciava a cidade de Munique.
            Basta pesquisar um pouco sobre o assunto verá que o Linux não é viável para infraestruturas de grande escala e que já muitos países estão a migrar para sistemas Microsoft e Apple por serem mais robustos e terem suporte por parte das desenvolvedoras

          • NT says:

            @Bruno B.
            Será que eles não tentaram ir longe demais? Porque é que raio em vez de criar uma “distro” só para eles, não se ficaram num ubuntu, redhat ou ainda melhor suse(só porque é “almanhês”). Acho que esse foi o grande falhanço da cidade de Munique, tentaram reinventar o que já tinha sido feito e depois tens muita razão ficaram “sem suporte” mas não ficaram sem suporte para o linux mas sim as modificações que fizeram.

            Quanto à adoção a grande escala… https://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Linux_adopters

            Já agora o linux está em marte… o Windows ou macOS estão?

          • Maria João says:

            Bruno B.

            Explique-me porque é que os sistemas embebidos usam Linux, os Servidores Linux, os Carros Linux os Aviões idem… honestamente, porque é que não se pode utilizar Linux para “grande escala”? Os datacenters correm o quê? Microsoft? Quem pagava tantos milhões em licenças? Já agora pergunte à Google, Facebook, Netflix… o que é que corre nos servidores deles! Deve ser windows… na China também é Microsoft querem ver que por causa do Linux que os chinas não crescem financeiramente?!?

      • Marco says:

        100%??
        muito do software do estado ainda corre em JAVA e tanto quanto me lembro JAVA é multi-plataforma. Já para não falar de alguns serviços em que tens um PC com Windows ligado a terminal remoto, nestes casos o PC podia muito bem correr linux.

      • Antonio Salaraz says:

        Um computador com 10 anos chega? brincadeira, ou a produtividade desse programador é muito reduzido para não sentir a falta de performance da maquina.

        • Miguel says:

          Se for programar com o android studio entao… xD

        • Joao says:

          o meu do trabalho tem 6 anos tem disco ssd, processador 3570k, 8Gb, radeon 7850. tenho teclado mecanico e rato de gamer, dac externo 32bits, phones akg 550, duvido que tenhas melhores condicoes de trabalho que eu. deves estar a pensar a caca dos portateis que os putos todos usam e so sabem usar…..um computador desktop de 10 anos e chega sobra para um programador…se nao chega…bem o problema nao esta no computador….

          • Roberto Falcão says:

            Para programação em Android Studio é preciso mais do que 8Gb
            Se usares browser+android studio pode ultrapassar os 10 Gigas
            O ideal é mesmo 16 Gb
            Tenho a certeza que existem outros casos em que 8Gb não é o suficiente.

          • Marco says:

            @Roberto Falcão: deixa o homem falar, se ele soubesse os recursos q o vs 2015 ou o 2017 consomem.

        • Joao says:

          mas ja agora tu es programador ao menos para mandares filetes?

    • Daniel says:

      “Olhem para os exemplos no mundo.”

      ¯\_(ツ)_/¯

    • Joao says:

      De onde vem essa informação? Ou é “aquilo que tu ves”?

  2. João Lopes says:

    Se o software usado nos serviços públicos evoluir para aplicações Web (se é que isto já não está a acontecer), só passando a ser necessário ter um browser a correr, faz todo o sentido a evolução para Linux. E não me venham com a história dos funcionários e das equipas de TI, os primeiros apenas têm que aprender a abrir o Browser e os segundos têm a obrigação de em 3 meses adaptarem-se ao Linux, se não conseguirem são uma equipa de TI com um curso tirado ao Domingo…

    • joao says:

      mais um academico…fica la no teu mundo de brincar que o resto do povo na vida real tem que os aturar…

      • Tiago Santos says:

        Bem fundamentado sim sr… Concordo em tudo o que o João Lopes disse e já trabalhei diversos anos para instituições publicas e a migração para ferramentas online esta a correr a boa velocidade.. So não é maior porque ainda existe alguma resistência à mudança.. Mas vai acontecer 😉

        • Joao says:

          se a migracao para web esta a acontecer (que ja devia ter acontecido ha 20 anos), mas como disseste e bem a resistencia….porque raio vai tudo passar para linux?
          as licencas do windows ja estao pagas….o browser nao precisa de grande computador nem de SO…..depois acontece alguma coisa ao computador…todos os departamentos vao ter um especialista de linux ao lado para resolver o assunto certo? ou liga-se para a assistencia e espera-se 3 dias que alguem venha? depois se ja trabalhaste em instituicoes publicas ja devias saber que burocracia é o nome do meio….nunca existe so uma aplicacao..e trabalham em varias ao mesmo tempo….a passagem para TUDO web é utopica….vao sempre haver uns que resolver fazer alguma coisa interna que “so” resulta para eles….resumindo…mudar so por mudar nao faz sentido nenhum….nao vejo nenhum, 0 melhorias em relacao ao windows..ok fica bonito e “nerd” dizer que podiamos ter linux….enfim…deves estar a escrever dum linux, deves deves….

          • Rudi says:

            As licenças não estão pagas… são renovadas todos os anos ou 4 em 4 anos para todas as maquinas, são contratos empresariais que custam umas centenas de milhar de euros

      • reboot says:

        não percebo o teu problema, para desktops tens o ubuntu que retira toda a dificuldade do linux, tem uma interface tipo windows … é de borla e não andas a encher os bolsos a ms …

        • Bruno B. says:

          E quando precisar de assistência? Vais lá tu? Tou a ver que temos aqui um mestre de SOs, deve ser este que faz alterações às novas versões dos programas para resolver problemas de compatibilidade com o kernel dos SOs.
          Este pensamento saloio de “AH, mas tem uma interface gráfica??? Então está bem!!!” é recorrente nos TIs antigos (pessoas com cursos de eletricista ou de passador de cabos de rede).
          Ainda bem que não é gente infundada e sem conhecimento de causa que decide o futuro.

      • João Lopes says:

        Não sou um académico, mas sim sou um inovador que acredita que tudo é possível de concretizar, mas claro para isso tem de existir otimismo e força de vontade. Fique lá com a sua vida real…

        • Joao says:

          isso é um sonhador nao é um inovador…va ao dicionario que isso passa…

          • PeFerreira98 says:

            É por homens como tu resistentes a mudança que isto nunca mais vai para a frente. Estou a acabar o meu estágio curicular e só vejo más praticas de software por tudo quanto é canto. Se já reclamava dos erros de colegas da faculdade então isto é fora do normal mesmo.
            Claro que mesmo assim irei para o mês que vêm mostrar um Proof of concept de que o software deles a base de CMS funciona perfeitamente adotando uma arquitectura de microserviços. Temos que evoluir.
            Não digo passar tudo para web apps mas pouco a pouco transformar o que já está e começar os novos projectos já com essa ideologia.

    • Joao says:

      Estás a simplificar demasiado as coisas. Há muitas outras questões para além das ferramentas. Autenticação, acessos remotos, compatibilidade com diferentes tipos de hardware, niveis de permissões, etc. etc.

      • Rudi says:

        Por acaso é simples se tiveres praticamente tudo com aplicações online, o problema é só o Office da Microsoft que é realmente uma boa ferramenta e as pessoas estão muito habituadas ao excel.
        Hardware não é problema porque a compatibilidade existe e é bastante mais alargada em termos de tempo de uso do equipamento.
        Acessos remotos nada que não se faça com ssh ou vnc, permissões já tens o Samba4 e em Linux as permissões são algo diferentes, podes mexer o quanto queres na tua área mas não afeta o sistema no geral.
        Portanto é possivel ainda por cima cada vez se vê mais a usar SaaS, mas eu previa o caminho mais para o Android Box que um Distro Linux por conveniência.

        • Joao says:

          e pq raio ia-se ter esse trabalho todo quando o que se tem ja esta a funcionar? por ficar bonito? a tua justificao so esta a dar razao ao Joao…

          • reboot says:

            o problema é que possivelmente poderá nao estar a funcionar na totalidade …
            alem do mais há a questão de melhoria de serviços que implica uma constante atualização e melhoria do sw …

          • Rudi says:

            As licenças que estado português paga são elevadas, essa coisa de já está a funcionar depende sempre o ROI que é o que realmente importa.
            Porque o que leio é “se já está porque vou mudar”… pois bem não sei podíamos continuar a andar de carro de bois não sei porque razão mudamos…
            Se quiseres referir a resistência à mudança de quem opera e mantêm os sistemas, tens toda a razão, mas isso é um problema que é das pessoas não do sistema informático.

          • Joao says:

            Rudi, continuo sem receber motivos validos para a mudanca…volto a perguntar..vamos mudar pq é mais “in” dizer que trabalhamos em linux?
            Evoluir é possivel e deve-se evoluir sempre…o android ja vai no P, o IOS no 12…..o sistema é o mesmo em cada ecosistema….a microsft tentou algo diferente foi o que se viu…a blackberry idem aspas…depois de estar enraizado nas pessoas….uma mudanca a grande escala custa muito mais dinheiro do que tu pensas….

          • Rudi says:

            Os dois únicos motivos validos seria Return on Investment e segurança, claro que ai há muitos estudos controversos mesmo o caso de Muniche, quem estava lá dentro dizia que estava tudo ok, mas o gestor dizia que não. Em termos de segurança não tanto falhas de segurança, mas quem controla a tua maquina e que informação ela envia.
            Um sistema operativo é um sistema operativo, tens um menu de iniciar e o lindo do Chorme ou do Firefox escarrapachado, não há muita diferença de um XP ou de um Seven, se é só para fazer login e abrir um browser.
            A mudança custa dinheiro claro mas dai depende mais uma vez do ROI, se a mudança poupa € em X anos ou não, simples matemática, não sei que mais motivos precisas.
            Tens o caso das escolas da Grécia, com cortes orçamentais os professores nem conseguiam dar aulas em maquinas velhas, a necessidade é a mãe da invenção.
            Também verdade seja dita, o porque da mudança muitas vezes não tem a haver com o dinheiro mas a falta de vontade porque alguém tem de se mexer, ou porque há falta de pessoal e ninguém quer meter mais informáticos porque acha que basta 1 para dar suporte a 200.

            http://www.ltsp.org/stories/

          • Joao says:

            Rubi, resumindo…nao fazes ideia dos beneficios da mudanca….mandas pro ar umas ideias…uns conceitos e nada em concreto..o mundo real nao funciona assim…continua a tua conversa de cafe…

          • Rudi says:

            Bolas até gosto de ter conversas inteligentes, mas confesso que estás a ser um verdadeiro desafio.
            O estado português de momento deve de estar a pagar mais de 100 Milhões de euros em licenciamento só para a Microsoft, não sei dizer se é de 4 em 4 ou de ano a ano.
            Prefiro gastar 100 milhoes em Tecnicos Linux do que licenciamento da Microsoft, é Dinheiro que roda dentro de território portugues em vez de sair numa conta dos EUA ou da Irlanda livre de impostos.
            Este já é um bom motivo e por mim bastava mas vamos continuar.
            O hardware tinha um tempo de vida mais comprido, significa que poupa-se em renovações de maquinas porque é um sistema mais leve, poupa-se mais dinheiro dos nossos queridos impostos, mas vamos continuar.
            Forma-se técnicos com inteligência e cria-se ferramentas a nível europeu de gestão e inovação tecnológica. Mais uma boa razão em vez de ficar tudo em Silicon Valley. Mas vamos continuar.
            Escolas, ensina-se as crianças a trabalhar com sistemas diferentes, uma raspberry pi com Python ou Scratch é espetacular e os miudos são com outras valências porque quando os automatismos da robótica tomar conta de todo o trabalho repetitivo vai se separar as pessoas em quem sabe usar o cérebro e quem não sabe.
            Portanto abre os horizontes e não sejas assim tão agressivo/fanboy/comodista e pensa…

          • eduardo says:

            Claramente o colega (assumindo que é IT) não faz ideia dos valores pagos por contratos de manutenção, em que 50 a 60% do valor pago sao em equipamentos e licenças. No inicio obviamente que seria mais caro fazer a migração e garantir a compatibilidade de alguns serviços, mas nada que uma equipa de informáticos não o consiga fazer. em menos de 10anos conseguias facilmente baixar os custos anuais de qualquer contrato em nunca menos de 35 a 45%. A questão (ou não questão) de um tecnico de informática que dá suporte a utilizadores não saber resolver problemas em linux nem se deve colocar, pois questiono-me a qualidade do mesmo. Ate porque na sua grande maioria os contratos prevem que o tecnico local resolva problemas locais, impressoras que nao funcionam, SO’s que nao trabalham etc… coisas que acontecem 90% das vezes em windows e 10% em linux (sendo muito generoso)
            Para os utilizadores, usar ubuntu ou usar windows é igual, desde que tenham os icons do office para ver os PPT’s dos gatinhos e o solitário numa qualquer repartição pública claro
            Quase todas as aplicações que existem na FP neste momento sao geridas e acedidas via web, à excessão de bases de dados feitas em excel (sim ainda somos assim tao pouco inteligentes para entender que o excel é um programa de calculo)

        • Joao says:

          Estamos a falar de instituições públicas e governamentais, não de um escritório com meia de duzia de users. Não digo que nao seja possível mas não é a melhor opção na maioria dos cenários.

          • Joao says:

            Acesso remoto por VNC para instituições governamentais? Really???

          • reboot says:

            joao vê-se que estás desfazado da realidade … existem instituições publicas que têm acessos vpn / vnc … eu até te dizia quais, mas obviamente não posso …

          • Joao says:

            @rebbot VPN é uma coisa, é um conceito generico. VNC é outra. E garantir acessos remotos (desde fora da rede, entenda-se) por para entornos deste genero não me parece boa opção. Não digo que não exista, mas não é boa opção.

  3. Spoky says:

    Não vamos estar a discutir qual é o melhor ou Pior, vai SEMPRE mas SEMPRE haver alguem do contra e a favor, é uma “discussão” sem fim, será que não entenderam isso ainda? Ambos sistemas tem vantagens e desvantagens é um ciclo vicioso, pode-se dizer que o Linux tem vantagens e tem, mas também tem desvantagens.

    os fanboys que parem de perder o vosso tempo a defender algo sem qualquer nexo, qualquer um dos dois tem aspectos bons e negativos, perderem o vosso tempo a discutir e a comentar com ódio não vós leva a lado nenhum.

    Vai sempre haver alguem a dizer o contrário e a dizer que X ou Y não presta e vice versa como podem calcular é um ciclo vicioso -> A Defende Linux -> B defende Windows -> C defende Linux -> D defende Windows -> voltar ao inicio e repetir o mesmo processo.

    Não há ponta onde se pegue, o melhor é deixar o Estado experimentar. Se correr mal correu, aprendem a lição. Se correr melhor, ainda bem.

    Just my 2cents.

  4. hommer says:

    interessante uma pequena minoria defende a mudança, mas reza a história que já houve algures que optaram por essa via gastou-se milhares e depois ao fim de algum tempo retrocedeu novamente ao antigo sistema…

    afinal as coisas não são assim tão simples como muitos pintam…

  5. Ig says:

    Deviam começar com escolas e universidades para formar a geração opensource e não ir na conversa de uma enpresa que toda agente conhece.
    Assim a longo prazo vão recolher frutos e com menor custo possivel.

    Outra hipótese e migrar todas as aplicações para tecnologias web conforme o João Lopes referiu no seu comentário

  6. Jota says:

    Seria passa de cavalo para burro! Literalmente!

  7. Henrique says:

    Guerras à parte, seria mais justo e verídico o título desta forma “Apenas 40% concorda …..”

  8. Rui Pedro says:

    Já vi num banco do estado a usarem linux (pela interface parecia ubuntu) como S.O. e com virtualização do windows para serviços e aplicações que dele precisam.

    • Joao says:

      resumindo tem linux para depois poderem usar windows…fabuloso nao é?
      vamos todos instalar linux e depois continuar a usar windows ok?
      mas tu les o que escreves?

      • PeFerreira98 says:

        Assim a ler por alto parece estupido sim mas o facto de que aquele computador ter um linux com updates de segurança diarios a correr Windows em VM é muito preferivel aos computadores a correr Windows xp ou 7 já deprecated e com possiveis falhas de segurança.

  9. Rui says:

    40% vivem no mundo da lua!

  10. Joao says:

    A pergunta tb podia ser…concorda que o estado devia passar a usar IOS? Aposto que até eram melhores os resultados.

  11. Me and me says:

    Isto é tudo muito giro mas há coisas que simesmente não funcionam assim.
    Não estou a ver o estado a gastar milhões a voltar a desenvolver o software das máquinas que se usa para fazer o CC. Iam voltar décadas para trás em termos de desenvolvimento e debugging.
    Outro problema seria o funcionamento do sistema em si. Sejamos honestos, Linux tem muitos mais problemas do que Windows na mesma amostra. Está melhor, mas ainda existem falhas na capacidade de muitas aplicações conseguirem funcionar da mesma forma em todos os computadores…

    Não estou a defender Windows, mas a verdade é que é um SO um pouco mais estável, digamos assim.

    MacOs é para esquecer, iam ter os mesmos problemas que Linux, e ia ser ainda mais caro desenvolver ou adquirir o software necessário para o funcionamento dos serviços…

    Usam base web, mas não em tudo…

    My 2 cents

    • Rudi says:

      o que não usam base web geralmente é feito em Java, portanto não é por ai, o maior contra à mudança é o Office.
      O CC que falas se é o cartão do cidadão existe oficialmente aplicação nativa para linux, aliás o estado tinha uma distro que distribuia de forma gratuita para poderem aceder às finanças. Agora claro que com a oferta mudou-se o paradigma.
      E não se ia voltar decadas atrás o que não é feito em java é feito em .NET que também já existe para linux.
      Portanto é a questão do Office e a formação dos tecnicos que inibe a mudança.

      • Me and me says:

        Estou a falar do controlo das máquinas…
        Não disse que não vai funcionar em Linux, mas ia ser uma terrível perda de tempo e dinheiro para meter tudo operacional

        • Rudi says:

          como assim controlo das maquinas?
          Perda de dinheiro só depende do ROI, pagas licenças que não são para alguem trabalhar num browser, coisa que até um tablet fazia! O que importa é poupar dinheiro ao estado e a confiança do software.
          Devo lembrar que por muito que a Microsoft tenha mudado para melhor continua a não dizer em concreto que informação recolhe das maquinas nem dá a opção de desligar completamente.

          • Pérolas says:

            Ora ai está, estas feridas doem e são não doem para alguns deviam doer… M$ não é autosuficiência é DEPENDÊNCIA pura e dura!!! É um erro estratégico e um risco ter serviços críticos suportados por SO fechado e com isto não estou contra a M$; abram eles o código ou criem uma distro linux e o caso já muda de figura.

          • Me and me says:

            Pq a máquina que mede a altura, tira foto e fica com assinatura envia os dados para o posto de trabalho por magia….

        • Marco says:

          aquilo que o CC faz para teres acesso à maquina, tb se faz no linux. NEXT.

        • Marco says:

          “Pq a máquina que mede a altura, tira foto e fica com assinatura envia os dados para o posto de trabalho por magia….”
          ohhh estas a falar disto? Oh srs eng que saem da universidade se n sabem fazer isto….

  12. maria vieira a atriz says:

    portugal contra o mundo e que o mundo deseja o contrario

  13. Rafael Santos says:

    Claro que deveria mudar, mas não em tudo. Computadores onde apenas seja feito trabalho de “escritório”, PC’s de utilização dos utentes para navegação web, e tudo o que fosse possível nos servidores.
    E sim o Linux é mais dificil de aprender bla bla bla, mas para a utilização “normal” emails, web, documentos “word”, “excel” etc é igual ao windows e OSx.

    ps: sou utilizador de linux e tenho uma máquina virtual windows para correr software que não há alternativa em linux ou as que há são muito más.

  14. Joao Dias says:

    Tanta gente a falar do que nem sonha. Julgam os funcionários como incompetentes, não sabem que a maioria dos funcionários públicos cerca de 70% apenas utilizam aplicações baseadas na web, para qualquer software house já não faz sentido sistemas instalados, imaginem o que é actualizar carradas de aplicações diariamente.
    sabiam que os funcionários públicos estão obrigados a ter x hora de formação por ano?
    quando falamos se admin publica estamos a incluir autarquias também?, admin interna? exercito? não é tudo do mesmo saco! as realidades são distintas em cada organismo….
    ser o so linux, windows ou mac tanto faz.. o problema é apenas a microsoft e as sofware houses que desenvolvem com base m$. ainda estão muitas aplicações a trabalhar no velhinho internet explorer.
    sabiam que as gestões documentais geram modelos .odt que basta preencher em algumas entidades publicas?
    por isso não venham com tretas … falam contra linux quem não o sabe utilizar… falam a favor de windows aqueles que desde a primária andaram a ser inundados de office e windows. nem o caixa mágica que era nacional utilizaram… o problema é mesmo gastar-se milhões em licenciamentos por causa de um browser em mais de 60% da admin publica…

    • Pedro says:

      Porque esse browser o Internet Explorer não bloqueia acessos, nem limita aplicações anteriores ao contrario do firefox e chrome, e o que é facto é o Windows é muito mais estável livre de erros e o Office muito mais avançado e fácil de usar que tudo o resto que existe não é à toa que 90% dos computadores do mundo usam Windows e Office, mesmo as grandes corporações mundiais! Linux é para que gosta de brincar, quem tem de dar produção e andar para a frente não pode perder tempo com banalidades desnecessárias!

    • Rui says:

      Se o João Dias é funcionário público, porque não tenta implementar o Linux no seu departamento?
      A vantagem a quem já tem décadas disto, é que já se fartou de andar a correr a apagar incêndios a configurar máquinas…… para a maioria dos utilizadores/trabalhadores do estado, basta mudar os atalhos de sítio para ter um chorrilho de telefonemas.
      E sabe porque é que o windows domina? É que para além de ser mais simples de utilizar e instalar (configura uma máquina do zero em 15 a 30 minutos), é o SO que tem de longe a maior panóplia de software (o motivo oposto que levou ao desaparecimento do windows phone) e…… vai uma aposta que o estado não tem licença nem de metade do que utiliza?
      Mais, muitas das vezes mantém verdadeiros dinossauros informáticos ligados porque funciona com o programa x, para o qual têem licença e mantém-se a funcionar sem problemas!!!!!

      • Rudi says:

        Depende num disco mecânico em 15-30 minutos instalo um Xubuntu com todas as aplicações de desenvolvimento necessárias… num ssd… 5-15…
        Isso já não é um bom argumento hoje em dia, até a propria microsoft está a acelerar o desenvolvimento do Debian e do FreeBSD

        • Joao says:

          tu e o pai natal…tambem entregam os presentes no dia 25 a toda a gente a mesma hora….
          mais um teorico da treta….nao tens nocao nenhuma em que estado estao os computadores dos departamentos….

          • Rudi says:

            Tenho infelizmente, metes um Xubuntu/lubuntu/ Debian com LXC ou XFCE num P4 com 512MB de RAM e a instalação ocupa no maximo 1,5 Gb alguns nem chega a 1Gb.
            Não me leves a mal mas provavelmente não tens trabalhado com distribuições Linux ultimamente.

          • Joao says:

            Rudi, mas tu nao percebes que instalar um novo SO num computador ja existente nao é so formatar e instalar um novo? ate te fazia um desenho mas duvido que chegues la..vive la no teu mundo dos 512Mb..quando saires da cave da casa dos teus pais avisa…
            o pai natal manda cumprimentos. por acaso nao instalo linux prai a uns 7 aninhos…mas uso linux desde 1993…sei bem que linux nao precisa de grande hardware…o que tem isso a ver cm o que tu disseste que em 15m instalas um xubuntu..ah espera com discos ssd…ya que no estado os computadores tem todos discos ssd…enfim..acredita..quando saires de casa vais perceber a realidade…

          • Rudi says:

            OK João vou acabar a conversa por aqui que não vou gastar tempo com gente frustrada e que em vez de ser inteligente insulta a inteligência dos outros.
            Primeiro não sou psicologicamente fedelho como tu, sabes lá por onde andei ou que andei a fazer nos ultimos 20 anos, portanto respeitinho ou ide para um sitio que cá sei.
            segundo SSD são 5 minutos mecanico são uns 15! LÊ!!!!
            A realidade trabalho numa empresa privada mas temos o estado como cliente, conheço a realidade de ambos e bem!
            tenho maquinas desde P4 até i7 e xeons, sei do que falo e sou responsável por desenvolvimento onde trabalho, farto de fuçar em porra de código e maquinas o dia todo nem que seja só pelo gozo e para relaxar um pouco.
            Portanto para mim acabou-se a conversa por aqui se não tens nada de inteligente para dizer. Vai praticar Ioga ou coisa assim, estás muito agressivo isso é um problema que não te ajuda.
            Fica bem 🙂

        • Joao says:

          continuo sem perceber qual seria a vantagem de passar para linux…

          • reboot says:

            fácil (para alem do que o Joao Dias disse) , a vantagem é não estares dependente da “idiossincrasia do windows” , em qe te fazem updates à ma´quina a seu bel prazer podendo as aplicações deixarem de funcionar. Depois está-se a pagar por um s.o tendo um de borla …
            quer dizer que se tu poderes ter algo de borla , vais pagar ? o principio é o mesmo …

          • Joao says:

            Reboot não inventes. As actualizações podem ser totalmente controladas por GPO.

          • Rudi says:

            Depende dos casos, se tiveres um PC muito antigo tiras mais rendimento dele e actualizações de segurança recentes.
            O licenciamento não é problema, não existe, e acaba por ser um sistema muito mais interessante e com muito mais controlo, tirando o uso do Office que ai Mac ou Windows se não usares o Office365.

            Obvio que é mais facil para quem está habituado mas é essencialmente isso, mas até a propria MS tem pessoal contratado a trabalhar exclusivamente em Debian, portanto…
            Tens de experimentar para comparar são dois sistemas completamente diferentes, há coisas que é melhor, há outras que não é assim tão facil, Office nem se discute, mas é um problema de não estares formado ou acostumado ao sistema, é uma ferramenta como as outras.
            Agora digam o que disserem, Desenvolvimento e Servidor de projectos desenvolvidos em Open source (PHP, Phython, Ruby, java), tirando o SubSistema linux do Windows (que ainda assim dá problemas) Linux é a melhor ferramenta.

          • Joao says:

            Rubi, mas tu les o que escreves? so das exemplo de empresas de TI, que usam o Debian e afins? o que tem isso a ver com os empregados do estado que mal sabem pegar no rato, cada vez menos é certo.. um sistema mais interessante e controlo para quem? é que para os utilizadore é que nao é de certeza..ou so pensas nos administradores de sistemas esses sao 0.1% dos empregados….
            vamos la aos licenciamentos…..custo zero linux..certo…..tens garantias que essa disto esta no mercado daqui a 10 anos? e actualizacoes..tambem as garantes? é que dou-te um exemplo..ou é produtivo andar a saltar de distro em distro? quando comecei a usar linux…a red hat comecou a ser um player muito forte…em 2003 fecharam a torneira e optaram por um modelo empresarial……
            achas que um estado pode dar-se ao luxo de andar ao sabor do que os programadores “livres” fazem ou nao fazem?? olhem quando tiverem tempo…corrigam la o bugzinho sff. o software pago nao é so porque é pago..é pq te da garantias de assistencia….que assistencia tens no linux? é que a paga..é bem paga….

          • Rudi says:

            João, tenho a certeza que tu não sabes ler que já é a segunda vez que te enganas no meu nome, mas sim tento reler o que escrevo a ver se não digo nenhuma barbaridade.

            1 – Tu e toda gente no mundo navega na internet com codigo desses ‘programadores “livres” fazem ou nao fazem’.

            2 – O mundo não é feito para pessoas infoexcluidas ou com graves problemas de comodismo, a é REALIDADE evolve or perish!
            Não sabem pegar no rato mas têm Facebook!

            3 – Fizeram a mesma pergunta há 20 anos com o Debian, há 10 anos com o Ubuntu, há 15 com o CentOS, há 20 com o BSD, não sei vamos esperar mais 20 anos para descobrir?

            4 – 100 Milhões de Euros é muito dinheiro, estamos a falar no estado português, fora os restantes da união europeia e universidades, portanto é um projecto colaborativo dá para toda gente contribuir, ve lá que o Debian tem o alto patrocinio da Microsoft, de graça, imagina só.

            As Distros Linux tem um bugfix’s em tempo recorde, tas a ver o MeltDown e o Spectre, advinha quem mandou fixes de Kernel cá para fora mais cedo que o Windows?

            Da RedHat passavas para CentOS, exatamente a mesma coisa… Mau exemplo.
            Que garantias a MS dá?

            Jovem tens duas hipóteses nesta discussão, se não sabes pergunta, se não queres perguntar pesquisa, não arranjes desculpa de comodismo, não te fica bem, olha o Balmer foi corrido da MS à pala disso.

          • Marco says:

            será que estás assim tanto na defesa pq temes pelo teu posto de trabalho? Assim derepente lembro-me de quando o ITJ passou os servidores para Linux, deixaram de ter problemas com os emails, pouparam umas massas, o sistema de elitoral passou a funcionar, agora voltou para Windows, e os email voltaram …., voltaram a pagar licenças de servidores, qt ao sistema eleitoral vamos ver se se matem linux.

          • Pérolas says:

            @joao: em termos de garantia a M$ dá ZERO GARANTIA! ZERO! O ransomware é um exemplo de chancela dessa garantia!!!

          • camt says:

            Fala com a SONAIE que eles explicam quando fores fazer compras e pagares em algumas areas comerciais que eles posuem.

      • Pérolas says:

        @Rui: 15 ou 30 minutos para configurar o Window$ LOL também quero esse sonho LOL Nem a clonar uma máquina virtual com window$ demora esse tempo. E resto??? O resto é que é broa, são horas!!! Até fico nervoso quando tenho de formatar e repor máquinas window$.

    • Pedro says:

      Hmm! Sabe quem são os maiores parceiros do Linux não sabes?

    • Pedro says:

      AT&T, Microsoft, Cisco, Oracle, DellEMC, VMware, todos platinum partners da Linux Foundation TODOS Americanos, usaste um exemplo parvo! E quanto aos valores das noticias por cada funcionário em Munique o Linux ficou bem mais caro, de tal forma que regressaram à Microsoft!

    • Rui says:

      Paulo? E é só dos EUA? Nunca ouviu falar das TV asiáticas que ouvem e vêem tudo o que fazemos? Porque compra uma tv/monitor Asus, LG, Samsung, Sony….. quando podia comprar uma Philips que provavelmente (repito, provavelmente) não estaria a ser espiado?
      Computadores, processadores…… até os brinquedos das crianças!?!?!?!?!
      Realmente nalguns dos comentários da notícia que refere, as pessoas referem e muito bem o risco de espionagem (que eu tenho a certeza que acontece, seja pelos americanos, sejam pelos asiáticos e até europeus….) e até dos empregos europeus em risco!

      • Paulo says:

        Rui, a questão colocada pelo pplware foi sobre a possibilidade de os SERVIÇOS PÚBLICOS portugueses adoptarem o Linux. E foi nesse sentido que eu pus o link acima que alerta para os perigos de uma empresa privada americana – neste caso, a Microsoft – ter capturado e tornado sua dependente os serviços públicos europeus e as consequências que essa situação provoca para o erário público mas, sobretudo, para a soberania dos Estados-membros.

        Relativamente aos casos de que fala, já ouvi falar sim. E tento precaver-me. Mas uma coisa é a nível particular e profissional outra é a nível do ESTADO português, dos serviços públicos portugueses.

        Como já disse abaixo, não tenho nada contra a Microsoft ou qualquer outra empresa privada. Nem mesmo contra empresas privadas cooperarem com o Estado desde que sigam/façam exactamente aquilo que lhes pedem (sem recursos a backdoors e/ou software malicioso que lhes permite ter acesso à informação privada, sensível do Estado Português). Para termos a certeza disso, é preciso haver transparência. Código aberto para ser visto e revisto pelos técnicos nacionais ao serviço do Estado português para certificarem que está tudo como deve ser. É tão simples quanto isto.

  15. Sergio says:

    Esta discussão faz me lembrar quando a Policia de NY resolveu usar apenas Windows Phone, passados uns tempos lá tiveram que mudar os equipamentos.
    Outro exemplo, acho que até está aqui no site, uma cidade Alemã também quis mudar os seu serviços para linux.. passados uns tempos, volta para trás..
    Não somos propriamente um estado carregado de dinheiro para andar com tentativas, que venham muitos exemplos de fora e se realmente for extremamente viável e útil, que se faça cá o mesmo.

    • Joao says:

      a microsoft investiu demasido e bem para os seus interesses ao ponto que se ensina os seus produtos na escola e desde cedo para criar habito. ou seja, o estado ja investe dinheiro para a formacao das pessoas nessa area….e vai agora mudar tudo de repente porque algum pseudo academico que nunca trabalhou na vida vir dizer que linux é que é…usei linux desde 1993. usei durante alguns anos tanto fora como dentro da Universidade, mas pensar que pt esta preparado para a mudança é roçar o ridiculo e ignorancia a falta de melhores palavras.

    • Paulo says:

      Mais do que os custos, é uma questão de soberania. Não tenho nada contra a Microsoft ou contra qualquer outra empresa privada (americanas, chinesas, etc.) como alguns comentadores que não lêem as notícias até ao fim (ou têm um problema de literacia) querem fazer crer mas ter os SERVIÇOS PÚBLICOS (que foi a questão colocada aqui no pplware) portugueses capturados/dependentes da Microsoft, parece-me ser um grave atentado à segurança e à privacidade dos portugueses e dos europeus em geral. Parafraseando Raúl Oliveira, professor universitário e presidente da ESOP, “é inconcebível que “o sangue e as veias da União Europeia”, ou seja a informação dos Estados sobre os seus cidadãos e os seus recursos, não estejam em território europeu e defendidos por lei europeia”. Há muitos interesses e a Microsoft sabe fazer lobby muito bem mas, como disse o general Camilo Sileo, que lidera a migração dos computadores do exército italiano para software livre, “quando as pessoas percebem as razões da mudança, as resistências ultrapassam-se”.

      Relativamente ao sector privado (empresas, particulares), há estudos para todos os gostos. Por isso, em termos financeiros, cada caso é um caso. Em termos de privacidade, é sabido que a versão 10 do Windows não é lá muito amiga da privacidade mas cada um é que sabe…

      Just my two cents.

      • Joao says:

        ok, mais um acadamico…quando o tal Sr. Dr. Eng. Arq. Raul Olivera vier para o mundo real (se é que tem coragem para isso) avisa…é que teoricos da treta nao comento… e nacionalismo é do mais mediocre que pode existir…frases sensacionalistas para parolos como tu as engolirem…continua a parafrasear outras pessoas que ja vi que ideias proprias nao tens nenhumas…

        • Paulo says:

          Teóricos da treta? Vida real? Nacionalismo? He he he mas que grande confusão, ó joão. Você tem mesmo que aprender a ler. Em primeiro lugar, você conhece o presidente da ESOP? Sabe quem é, o que faz e o que já fez? É triste fazer julgamentos precipitados. Parece haver aí um complexo qualquer contra os académicos (que) também tem de resolver. Mas há outros exemplos sem serem académicos no tal artigo que você não leu, se isso lhe faz confusão. Em segundo lugar, nacionalismo? Mas você sabe ao menos o que isso é? Então ter a preocupação que os serviços públicos portugueses não fiquem reféns de uma empresa privada como a Microsoft, que os dados dos portugueses e outras informações sensíveis do Estado português não sejam vasculhados pelas agências secretas americanas (ou outras), é ser nacionalista? Acha normal a possibilidade de a CIA (ou outras agências) poder aceder aos dados nacionais? Ser consciente em relação a estas matérias da privacidade é ser nacionalista? Qual foi a parte do “Não tenho nada contra a Microsoft ou contra qualquer outra empresa privada (americanas, chinesas, etc.)” que você não percebeu (no contexto empresarial e particular)?

          Meu caro joão, tente não responder com base numa cartilha pró-Microsoft. Acima de tudo, pense! Pense com a sua cabeça! Leia bem as questões que lhe são colocadas. E quando for pedido para ler um texto, não leia apenas os títulos para não tirar conclusões precipitadas e fazer figuras tristes. Leia tudo! Depois pode não concordar, mas pense primeiro antes de responder.

          Boa sorte. E as melhoras.

          • Marco says:

            Tenho ca para mim que ele presta serviços MS para o estado e então está com mede de perder alguma coisa.

  16. Me and me says:

    Estão todos a navegar fora do o que interessa…
    Linux não se paga o software.. ok.
    Mas gastamos imenso tempo a aprender e configurar o sistema. Existe ajuda na via internet… Ok.
    Mas em termos de custos de mão de obra é uma loucura.

    Para não falar de quando chegar o tempo de fazer refresh de hardware e migrar tudo….

    Em algumas coisas talvez consigamos mudar, não digo o contrário, mas a verdade é que a MS tem o melhor produto… Isso por muito que tentem argumentar é a verdade.

    • Rudi Servo says:

      Os custos de mão de obra não é muito diferente de alguém certificado da MS.
      Refresh de hardware é relativamente simples, tenho um servidor que já troquei de MB é cpu 3 vezes e foi só trocar o disco, trabalho tudo out of the box sem problemas.
      Tenho vários thinkspads que é a mesma coisa só trocar o disco, ou copiar o disco e expandir o fs.
      MS é um produto diferente, é bom com ferramentas da Microsoft, é péssimo com ferramentas open source.

      • El Pasta Negra says:

        Devo discordar consigo, os custos seriam exorbitantes! Alías ja temos factos do que existem imensos custos associados a essa mudança. Claramente nao percebe puto do que está a escrever ai, Aconselho vivamente que antes de escrever tais barbaridades procure se informar no assunto primeiro.

  17. Alexandre Pires says:

    Acho que neste caso seria melhor investir no BSD, o Linux limita muito a capacidade de replicar e ainda insiste que ponhas a fonte. A licença BSD é bem superior a GPL neste quesito, no BSD há mais liberdade que no Linux, podes replicar e até fazer algo free torna-se como proprietário.
    Sou falta o BSD torna-se mais user-friendly para ser uma alternativa mais viável ao Linux.

  18. Figas says:

    A maior parte dos que dizem que sim usam Windows ou Mac no pc 🙂

    • Antonio Salaraz says:

      Boas,

      Desenvolvo software, e apenas uso linux, porque haveria de precisar de windows?
      Todas as apps que uso para desenvolvimento de tenho para linux, a parte disso quase tudo que uso é acessível via browser. Fora isso tenho spotify, skype, thunderbird para linux… Explique porque precisaria de windows???
      A unica coisa que me poderia levar a usar windows, seria para jogos.

      Enquanto usei o windows 10 sentia uma enorme melhoria, gostava imenso deste SO, mas depois de mudar par linux, não consigo voltar para windows. Mas acho o windows 10 um grande SO e que o linux ainda não da para todos, mas felizmente para mim esta ótimo e simples.

      • Figas says:

        Para servidores web tambem servem bem…e para outros serviços tipo o seu trabalho…

        Agora a maioria do mundo liga o pc e quer um produto que se pareça com algo realmente “acabado”, funcional, que permita “rodar” tudo, que permita Office com Outlook (não tunderbird), correio é Outlook, e não existe melhor e mais funcional…mesmo não se gostando..é o melhor cliente de email. Um serviço realmente util para empresas, onde possa existir um domínio de “fácil” gestão, com um Windows Server bastante gerivel, e que seja possivel domar…um posto com todas as integrações de serviços…num ambiente empresarial com dominio não à nada que se aproxime nem de perto ao potencial windows…para jogos, não há melhor que windows…..ok, MAC OS é bom com coisas de video e imagem, ok, mas windows tambem roda, já linux….adobe…mmmmm

        Os grandes mercados são empresarial e gaming, e nisso linux não cabe a não ser pelo “preço” das ferramentas que para produção e desenvolvimento para essas plataformas..nada mais que isso..

        O unico “linux” que vingou é android, se me disserem que android é o novo Windows, concordo perfeitamente, mas nem de perto consegue a proeza que tem a Microsoft nos setores que contam.

        No seu caso o uso até pode chegar…mas quem usa windows o “chegar” não basta, querem que de para tudo e mais alguma coisa. Linux não tem poder para fazer face a isso..

        Eu uso linux tambem, mas não aconcelho a ninguem que use um ERP ou algo parecido a tentar a sorte..não há hipotesse.

        • Pérolas says:

          @Figas: não é bem assim… senão vejamos, o outlook é uma referência no mercado e um carro caro também é, mas, se queres rentabilização de capital é melhor escolher um carro mais económico, adequado às necessidades e que não te deixe penhorado até à raiz dos cabelos.

          Quanto ao window$ server, este tem o seu mercado, mas é para estar sempre com o «coração nas mãos).

          Jogos? Ui, com a plataforma Steam é sempre a abrir.

          «O unico “linux” que vingou é android», mais uma vez não é bem assim, pois, à execpção dos desktops TUDO no mudo é linux. Básicamente o window$ ainda domina nos desktops, mas, o linux domina e tudo o resto e está à conquitas do mercado dos desktops, pois, se tal não fosse verdade ou fosse insignificante não haviam comentários contra o linux e a defenderem a m$.

          O linux tem e vai ter o poder para fazer tudo o que se pretende e ainda mais, caso contrários, a M$ não estaria tão desesperada… vejamos a coisa como a substituição do cavalo pelo veículo a motor…

          ERP… ter um servidor window$ só com o ERP e todos os postos em linux, de várias filiais, ligarem-se a ele através de ambiente remoto conta?

          • Figas says:

            Windows server com coração nas mãos?? Já nao se usa 2003 ou 2008 🙂 RDP de linux para Windows Server??? E imprimir? Jamais.. Tudo no “mundo” domina linux? Sim, servidores de dns, horários, servidores de email, web, entre outros, no fundo de serviços básicos cujo licenciamento Windows ou não, é dispendioso, não significa qualidade, significa básico a preço zero.

            Jogar por Steam, boa sorte…Pergunta séria, vives sem windows? seja pelo que seja…existe total “free” ou “opensource” suficiente para viver tranquilamente sem windows? Jamais…compatibilidades entao, daria pano para mangas a conversa…

            A conversa do “linux” ir dominar o mercado já vem dos primórdios…a realidade é que mesmo em empresas que usam linux “à séria” usam versões pagas…

            A MS não está desesperada, aliás basta ver o ranking, é agora a 3 mais valiosa…..não entendo essa informação..passou a Alphabet..

            Windows ser mais para desktop?!! Admira-me que alguem use windows server para fazer algo que não seja dar serviços…normal que o windows domine os desktops, é aí que as pessoas trabalham…quanto à rentabilizaçao de capital por causa do outlook…?! Tunderbird por causa de preço Office, valores que não são elevados demais, são demasiado otimos investimentos/usabilidade/qualidade.. Então o O365, matou o mercado, é uma ferramenta, para quem sabe usar, de potencial quase infinito..

            Eu trabalhei no estado português, claro que é apenas uma opinião 😀

          • Marco says:

            @figas: Já n se usa o 2003 e o 2008? ta bem ta, e 2003 com problemas de TLS, uiiii, e 2008 que n levaram com patchs de segurança e andam ai todos mamados. isto acontece tanto no estado como no privado.

  19. Mc says:

    Todos os Linux que testei atè agora… bem jà vai algum tempo… tinham um problema. Se tirasse a ficha ao PC podia correr e saltar que nunca mais arrancava. Não sei se aìnda è assim. O meu NAS pede logo um chkdsk. Se não me lembro, Munique e Moscovo abandonaram o open source, pois paga-se supostamente para se ter suporte.

    • Antonio Salaraz says:

      Já foi há muitos muitos anos, ou então ouviu isso em algum lado e achou que colava.
      Já agora porque Munique estava a desenvolver a própria disto? Afinal queriam poupar ou queriam ser uma software house ou algo do genero para se lembrarem de desenvolver uma disto. Problema disto é deixar tomar decisões quem não sabe ou tem ideias megalómanas.

  20. Joao says:

    Acho que a resposta está nas lojas, quantos pcs/laptops são vendidos com uma distro de Linux?

    • José Miguel says:

      Tens noção que a industria Gaming tem um grande papel na decisão do Sistema Operativo que as Lojas vendem? A maioria dos jogos são desenvolvidos em DirectX porque tem uma API mais simples que o OpenGL (Multiplataforma). Alguns já vêm com Linux (a pedido) ou sem Sistema Operativo no ato da compra. Aos poucos o Linux e não coloquemos de lado os BSD’s e afins estão a captar o mercado que outrora era da Microsoft e não, não sou um teórico, trabalho tanto com Windows, como Linux’s e BSD’s no meu dia-a-dia quer em Server-Side como em Client-Side, digamos que Windows Server é a maior treta que já usei em todos os aspectos. Windows tem sobrevivido tal como já vi aí um comentário à base do software que lhe é compatível/desenvolvido para essa mesma plataforma. Quer queiram quer não a Microsoft está a perder mercado e quer queiram quer não a tendência é migrar para plataformas open-source, não porque é bonito, não porque é moda mas sim pelas vantagens que oferece, quem quiser verificar o que disse nada como experimentar e informar-se sobre estas temáticas em foruns/blogs etc…

  21. Antonio Salaraz says:

    Por exemplo se as aplicação usadas pela segurança social, finanças passarem todas para cloud acessível por browser o sistema operativo é importante, aí sim valeria a pena passar para linux.

    • Joao says:

      valeria a pena porque? o que o estado ganha com a mudanca? as pessoas vao produzir melhor?
      a resposta dos servicos ia ser mais rapida? é que falam da mudanca ser possivel mas nao falam dos benificios dela….mudar so por mudar é treta. estou curioso de saber a resposta destas perguntas…a espera nao es mais um do nacionalismo e soberania nacional pois nao?

  22. JP says:

    Depois de uma leitura muito rápida aos comentários aqui feitos, fiquei parvo com alguns dos que li principalmente porque, na realidade, parece não saberem do que estão a falar.
    Já tive a oportunidade de, por mais do que uma vez, referir que na autarquia onde trabalho, ter migrado para Linux (xUbuntu) cerca de 90% de todo o parque informático, Servidores incluídos, e apenas terem ficado de fora desta migração aqueles PC’s destinados a trabalho com software de CAD.
    Dizem em alguns dos comentários que, os custos de “mão de obra são uma loucura”, ou que, com windows, “(configura uma máquina do zero em 15 a 30 minutos)” o que deixa a ideia que configurar uma máquina Linux demora uma eternidade, pois isso não é verdade e passo a explicar.
    – Com a migração que fiz poupei milhares de euros por ano em licenciamento Microsoft.
    – Os servidores funcionam na perfeição, quase esqueço que eles existem
    – configurar uma máquina windows do zero em 15 a 30 minutos? pois eu consigo ter um posto de trabalho Linux operacional, do zero e no domínio, em menos de 10 minutos.
    É claro que ter Linux não significa estar isento de problemas, é claro que eles existem, mas nestes 10 anos ainda não me arrependi uma vez que fosse de ter mudado.
    Só não muda quem não quer !

    • Joao says:

      tu podes nao estar arrependido..mas nao es tu que tens que estar…mas sim quem foi afectado com essa mudanca todos os dias..quanto tempo demorou a migracao? custos dessa migracao? quem e quantos foram os trabalhadores afectados com essa mudanca? O departamento de qualidade fez algum questionario de satisfacao dos utilizadores? Foram tomadas medidas para reduzir o impacto? a produtividade aumentou? ficou igual? que milhares de euros é que poupaste em licencas??? actualizaste os computadores muitas vezes?
      seja como for é bom ver que existem pessoas como tu a tentarem fazer algo diferente no pais…e nao os teoricos da treta que so falam mas nao fazem nada…pelo menos fizeste algo…se foi para melhor kudos..
      ah os que falaram dos 15 a 30m nao foram do windows mas sim do linux…acho que leste na diagonal de mais…

      • Marco says:

        foi o RUI a defender o windows: ” É que para além de ser mais simples de utilizar e instalar (configura uma máquina do zero em 15 a 30 minutos),”

      • JP says:

        Antes da migração ser efetuada fiz todos os testes que considerei necessários na altura, depois procurei uma “cobaia” para avaliar o impacto da mudança e o feedback foi positivo.
        A migração dos postos de trabalho não demorou mais do que uma semana; os custos dessa migração foi o ordenado que me pagam todos os meses; todos os trabalhadores em todas as áreas foram afetados com essa mudança, à exceção dos postos de trabalho com CAD’s e estes na altura eram muito poucos e ainda são poucos (10); não houve questionário de satisfação; não houve medidas para reduzir o impacto; poupei cerca de 30 mil euros em licenciamento; quanto à produtividade, de uma coisa tenho a certeza, não diminuiu; os computadores estão sempre atualizados, neste momento estou a testar a versão 18.04 do (x)Ubuntu para, correndo os testes todos bem, atualizar brevemente todos os computadores.

        • Marco says:

          Tens os updates centralizados? A RH tinha uma ferremante muito porreira, para isso em que gerias as atualizações por computador.

          • JP says:

            As atualizações de segurança são feitas automaticamente, as outras faço-as manualmente através do meu posto de trabalho com recurso ao PAC Manager que me permite executar o mesmo comando em N máquinas em simultâneo, acaba por ser um processo rápido!

    • Jonas says:

      “Só não muda quem não quer !”
      A mudança só por si vale zero. Se não for para melhor e para um bem comum de todos e não só para o teu bem…é no mínimo egoista e narcisista.

    • eduardo says:

      JP obrigado por essa intervenção…
      Na autarquia onde trabalhei passou-se uma situação semelhante, claro que nao se mudou tudo porque existiam pessoas que nao podiam passar sem as coisinhas bonitas do windows e depois era uma vergonha tinham de usar o pc apenas para trabalhar…
      mas de resto, as plataforma informáticas com que se trabalhavam foram migradas para desenvolvimentos java e python e demoraram menos tempo a migrar do que alguns updates estruturais que foram necessários no passado

      • JP says:

        Na minha Autarquia houve apoio politico para avançar com essa mudança, sem ele, é quase certo que não a teria conseguido fazer. Quanto às coisas bonitinhas, essas não foram tidas em consideração!
        Passados que estão 10 anos do inicio da mudança, o feedback continua a ser positivo, é claro que continuam a existir os que de vez em quando reclamam, mas esses são os do costume e reclamam apenas porque sim!

  23. NunoR says:

    A grande maioria dos comentários cinge-se ou a aspectos técnicos, ou a sucessos (ou insucessos) aqui ou ali. Nem uma questão, nem outra, são o cerne da questão na adopção, ou não de Linux na Administação Pública. Na minha opinião essa questão tem apenas dois vectores: 1) o vector funcional, se é ou não possível, a custos razoáveis, migrar/adaptar aplicações, ou manter a (pouca) operacionalidade dos serviços públicos, e 2) o vector político, a definir se queremos, ou não, independência duma empresa específica. E se não quisermos… será que não iríamos saltar da frigideira para o lume?
    Mas em boa verdade a questão é puramente académica, porque no estado português duvido que exista alguém com a capacidade, meios (humanos e financeiros), competência e bom senso, necessários para avaliar estes dois vectores em todas as suas dimensões e implicações.

  24. Simão Sá says:

    Se as soluções dos serviços públicos forem em todas web based não fará diferença trabalhar em windows ou linux.
    No entanto confesso que mesmo assim há pessoas que vao precisar de alguma formação, pois em vez de utilizarem o internet explorer (aka Chrome downloader) para trabalhar vao ter de utilizar o mozilla firefox ou o chrome.

  25. eduardo says:

    Apenas gostaria de deixar aqui uma informação para quem nao a tem, linux(ou todos os SO’s a base de linux) sao responsaveis por 70% de todos os SO’s do mundo inteiro… Quando necessitas de um servidor vais usar o que ? windows… ok
    O proprio Azure sabem o que corre ? uma versão modificada de unix (SO Linux), macOsX é o que? Unix
    O departamento de estado norte americano corre sobre o que ? Unix.
    Na FP são imensos os departamentos que correm linux, unix etc… os unicos pc’s em windows acredite quem quizer sao os dos utilizadores. e normalmente é por duas unicas coisas o office (que também funciona em linux amigos) e algumas aplicaçoes que correm em .net ou c# que neste momento sao poucas, mas ate essas para migrar para python, java sao simples, isto para nao meter ruby ao barulho por exemplo.
    Enfim, quem pensa que mudar para linux nao tras vantagem esta formatado apenas.

  26. int3 says:

    40%? não, 65%. ou será 85%? Tens que aprender estatística.
    Apenas 15% disse que não. Os restantes é sim? porquê é que só os 40% são considerados que sim?

  27. francis says:

    Aceito e concordo com este inquerito.

    Poderiam dar sujestões para por exemplo ensino profissional????

  28. Vitor Santos says:

    Podia ser implementado o linux desde que esse departamento compensa-se usalo senão mais vale estar o antigo sistema.

  29. Jose Santos says:

    Velhos do Restelo!

  30. Ismael Magalhães says:

    Já vai tarde! Nas escolas deveria de ser obrigatório a utilização de Linux. Não faz sentido as escolas gastarem tanto dinheiro com a treta dos offices e windows da microsoft, quando existe open source de borla que faz a mesma coisa e até melhor! É uma anedota! Que paguem aos professores o que lhes devem 9 anos, 4 meses e 2 dias e podem por exemplo poupar cortando no windows e offices da microsoft, substituindo pelo linux. Isto só não acontece por causa de alguns gestores, professoras limitadas, que não conhecem mais nada e de um Ministério da Educação caduco, velho e instalado e já agora mafiosos! ( E ainda devia de dizer mais!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.