PplWare Mobile

Uber usa software para escapar às investigações da polícia


Marisa Pinto

Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

26 Respostas

  1. Ricardo says:

    Os americanos sempre foram gente muito honesta e transparente…

  2. Lalal says:

    Cheira-me que com um mandato eles têm que dar os dados independentemente de mudarem as passwords ou não.
    Em relação a ter um sistema de rotação de passwords (quando há suspeita de um acesso não autorizado ou de x em x tempo) parece-me uma coisa que todas as empresas deviam ter.
    Era ótimo que a Uber partilhasse este sistema em Open source como contribuição para a comunidade 🙂

  3. Mindful Peasant says:

    Não sendo tudo mau o é tecnológico, a Uber como a Bitcoin são produtos da ganância desmedida, lucro custe o que custar sempre feito à custa daqueles que trabalham…
    Pelo menos a Uber esta a ser banida ou regulada, como inevitavelmente teria que ser, a Bitcoin durará até a bolha rebentar e queime os palermas que investiram por ultimo pensado que iam ficar ricos sem nada produzir…

    • André Breda says:

      Não vejo como há comparação. O Bitcoin só tem o valor que tem porque há gente disposta a pagar esse valor para o ter. Lei da oferta e da procura. Está numa bolha? Sem dúvida, mas o lucro não vem “à custa dos que trabalham”, será à custa dos últimos a meter lá dinheiro (e ainda assim não creio que vá ao fundo muito violentamente dada a lentidão da rede e a descentralização de todo o protocolo).
      Para o caso da Uber, o produto é inovador. Eles gerem uma frota sem a terem, e nunca foi tão conveniente ser transportado: sem ter de pagar em dinheiro, com transparência nas tarifas, nos percursos dos condutores e um sistema de rating que encoraja qualidade de serviço. A empresa por detrás está podre em muitos aspetos, e a legislação por detrás também (e já estava à mais tempo, mas os taxistas não o sentiam tanto porque a competição era mais pequena), mas este modelo de transporte (no que toca à experiência do utilizador) é bom e veio para ficar.

  4. hsff says:

    O poder destas empresas tecnológicas é cada vez maior utilizam a tecnologia para operarem à margem da lei.

  5. Jobz says:

    A UBER em Portugal continua a operar de forma ilegal aos olhos de todos, e mesmo que a polícia faça um raid aos seus escritórios, o facto de o marido da líder do CDS ser o administrador em território nacional, diz muito sobre o porquê de não ter acontecido nada até agora.

  6. Hugo Marques says:

    E os taxistas que dão voltas maiores só para irem buscar mais euros e quando se pede a fatura ficam aborrecidos

    • Nuno says:

      E não só viagens do aeroporto para a praça do comércio,Gar do Oriente a 50 € aos camones.
      Viagens pequenas ficam fod!!!
      E a uber faz na boa.

    • Joca says:

      Nunca fiquei aborrecido por me pedirem fatura. É o mal de medir todos pelo mesmo.

    • João says:

      pode haver algum motorista de táxi que faça isso ,mas tomar a parte pelo todo é fraco de análise ,tenho clientes que vem do Tagus Park para aeroporto e querem o percurso. Crel pela rapidez,mas vejo pelo caminho mais Uber que táxis.sem mais comentários .mas o nosso país para alguns é a república das bananas .

      • jadir says:

        Na Uber já sabes o valor que vais pagar antes de entrares no carro, por exemplo se vais de marques de pombal ao aeroporto vai-te custar entre 5 e 7 euros. O motorista da Uber até pode passar pela ponte e voltar outra vez que o preço não passará dos 7 euros. Por isso não entendo que estejas a reclamar que há ubers a fazer trajectos mais longos, isso não se aplica no modelo de negócios da Uber.

  7. António Monteiro says:

    A ilegalidade da Uber e o suposto lobby com o marido da Cristas vem contrapor o lobby taxis/policia que todos sabem existir e com as noticias que dão destaque ao negativo a começar também por esta. Foi o Tribunal da 1ª Instância que declarou a Uber ilegal. O Tribunal de Lisboa declarou que era legal. Como é que empresas e funcionários pagam Iva e impostos de uma coisa ilegal? E como vai fazer o presidente da Antral às frotas de carros Uber que ele e os filhos teem?

    • mlopes says:

      claro que os impostos podem incidir sobre atividades ilegais.
      exemplo mais claro: artigo 1º nº 1 do código do irs diz claramente que “o imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (irs) incide sobre o valor anual dos rendimentos das categorias seguintes, mesmo quando provenientes de actos ilícitos, depois de efetuadas as correspondentes deduções e abatimentos”

  8. Mc says:

    Esta gente è mesmo ingènua. No momento da apreensão ès obrigado a revelar os users e as passes à PJ senão è mais uma acusação a juntar ao processo.

  9. jadir says:

    Para mim, táxis, Uber são favas contadas. Ontem como tinha pressa, precisava ir de Alcantara a Benfica de Benfica a Alcântara e por fim de Alcântara a Belém, simplesmente apanhei um carro da drive now (carros espalhados pela cidade que podemos conduzir mediante introdução de um código e pagamento via cartão de credito) acabei por pagar apenas 8 euros, se fosse de Uber iria pagar uns 25 euros no mínimo se fosse de táxi era uns 30 euros no mínimo. Este sim é o futuro, quero ver o que os taxistas vão fazer!!! Vão proibir aluguer de curta duração de carros sem motoristas? Qual será a desculpa deles. Adorei ter usado o serviço da drive now, andei de um BMW xpto, limpo, novo em folha fiz varias viagens e só paguei 8 euros.

    • Frederico says:

      Diga-me qual a diferença entre o Drive Now e Uber ?

      • jadir says:

        Uber tem motorista e drive now és tu que conduzes o carro, já andei muito de Uber, estou satisfeito, mas prefiro a drive now. É claro que em algumas circunstancias acabas por nao ter alternativa e acabas por apanhar um Uber ou táxi. Mas onde houver a alternativa da drive now irei sempre escolhe-los.

  10. eu says:

    A Uber é um bom serviço que veio por fim fazer concorrência à chulice de alguns taxistas e façam o que fizeram, é inevitável que vai continuar a existir. Se cair, irá aparecer uma maior e melhor.
    Eu olho para os “antigos” taxistas como máquinas de escrever que tentam desesperadamente sobreviver com manifestações mas que não passam de peças de museu mortas que todos já o sabem menos eles !

    Por outro lado, a Uber tem de cumprir a lei em termos de dados e acesso quando solicitado/exigido pelas forças policiais com mandato.
    Comigo sempre passaram fatura (é automatico) e tudo impecável.

  11. Frederico says:

    Falam tanto da Uber… Caso muitos não saibam os mesmos táxis utilizam já plataformas electrónicas (taxi99, taxinow etc)… Li por aqui também plataformas do Drive now…
    A minha pergunta é qual a diferença entre elas??
    Bla bla bla car, Drive now, uber, táxi 99 estas são algumas das plataformas

  12. Rodrigo Neto says:

    Mas que trafulhice! E ainda aceitam este tipo de atitude por parte de uma empresa internacional, e presente em diversos países? Ridiculo. Estas más condutas só vão prejudicar a empresa no futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.