Quantcast
PplWare Mobile

Trabalho não declarado passa a crime com pena de prisão

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. lapizazul says:

    E isso aplica-se aos politicos?

  2. PeterOak says:

    Feirantes incluídos?

  3. Tonheco says:

    Vão ao Alentejo investigar o trabalho rural/florestal. Uma veradeira vergonha, desde dinheiro por fora a não descontarem os dias que trabalham.

  4. Carlos Gonçalves says:

    Será desta que ase acabam as ajudas de custo e outras componentes salariais por baixo da mesa que apenas introduzem um desequilíbrio enorme em termos de competitividade face àquelas empresas que ainda são sérias?

    • João says:

      O crime vai continuar a compensar e depois estão cá os que descontam para pagar os subsídios dos que praticamente nunca descontaram nada durante toda a vida.

    • Há cada gajo says:

      Com é que acabam, se continua a ser legal pagar sob a forma de ajuda de custo ?

      • GM says:

        Ou em cartões de refeição, que dão para ser usados no supermercado….

        • Paulo Martins says:

          O cartão refeição faz todo o sentido puder ser usado no supermercado, porque eu e muitos colegas meus trazemos almoço de casa, a minha esposa porque trabalha perto de casa vem almoçar a casa, não faz sentido nenhum obrigar o trabalhador a ir almoçar a um restaurante, cada um come onde quer.
          Agora o que eu não percebo é a industria de cartões de refeição, porque é que se foi criar um industria que certamente fatura alguns milhões por ano em vez de atribuir o subsídio de alimentação normal ao trabalhador.

          • Zé Fonseca A. says:

            Eu vou ao restaurante todos os dias e uso o meu cartão de refeição, não vejo qual o mal.
            A ideia do cartão de refeição é precisamente não ser taxado até 7,63€, para receberes em dinheiro acima de 4,XX já és taxado.
            Eu tenho subsídio de refeição em cartão de 15€, por isso pago imposto sobre o valor acima de 7,63, preferia não pagar e dava pra mais uma sobremesa ou duas.

          • David Guerreiro says:

            Sabes qual é a vergonha? A vergonha é que o dinheiro é nosso, mas não o podemos gastar nos restaurantes que bem entendermos, porque só podemos utilizar naqueles com pagamento por cartão. Ficam de fora inúmeros restaurantes, pastelarias, etc. Já para não falar de feiras e mercados. Nós temos que gastar o dinheiro que é nosso por direito, onde os governantes querem. Outra coisa é algumas empresas darem em cartão que só funciona dentro da própria empresa, como supermercados.

          • Paulo Martins says:

            Zé Fonseca A. o mal é que o cartão refeição foi criado única e exclusivamente como tacho para alguém, o governo aumentou o valor máximo de subsídio que não paga taxa no cartão como incentivo para as empresas aderirem ao cartão de forma a criar o tacho, mas se o valor fosse o mesmo não há vantagens para ninguém, as empresas têm que ter contrato a empresa emissora do cartão, para além do trabalho administrativo extra alguns cartões têm anuidades pagas pela empresa – logo traduz-se em custos extra para as empresas, os trabalhadores perdem opções de escolha porque nem todos os locais que servem refeições são aderentes ao pagamentos por cartão refeição, os restaurantes ficam a perder porque têm que pagar contratos, plural porque cada empresa emissora do cartão obriga a um contrato, e ainda taxa por transação, logo recebem menos do que fosse pago por exemplo em numerário.
            Logo deveria de ser como antigamente, subsídio de alimentação junto com o salário e o trabalhador gasta o dinheiro conforme bem entender.

          • Filipe says:

            O cartão de refeição não faz qualquer sentido. É a empresa que manda onde podes gastar o dinheiro que ganhaste. Qual é o sentido disso? Esse valor no total do recibo de vencimento não dará muito mais roubo….quer dizer, desconto, do que aquele que já se desconta. Não falando que em muitos locais o cartão nem sequer funciona e a empresa quer que os empregados vão ao site do cartão sugerir espaços onde pode funcionar. Os colaboradores é que têm de fazer o trabalho deles? É que isso foi causado pela borrada de ideia que é o cartão de refeição.

          • Andre Antunes says:

            Paulo o que estão a falar não tem haver com isso mas sim com o gajo das obras que foi ganhar ao dia sem declarar nada ou o gajo que trabalha no cafe ao dia tambem sem contrato, alias a restauração, contrução civil e trabalho agricola são os setores que mais fazem, efetivamente depois há o ze da esquina que mama do desemprego e ainda vai todos os dias trabalhar a 50 paus ao dia sem declarar um tusto, e nós a incharmos com impostos para cobrir o desemprego que se formos bem ver não é desemprego….
            é isto que a senhora ministra quer acabar.

          • Ricardo Jose says:

            Oh David…
            Sabes como é que resolve isso de poderes gastar o teu dinheiro em sítios onde não há multibanco?
            Paguem no salário e já podes gastar onde e no que quiseres.

        • David Guerreiro says:

          Supermercados esses que em alguns casos até fornecem refeições no interior…

          • PeterJust says:

            Então não está fácil perceber que estes cartões são para dar mais milhões de lucros aos bancos e às grandes superfícies e respetivos grupos económicos?!? Parece que anda tudo burro hoje em dia, há um supermercado de um grande grupo económico por quarteirão e as mercearias tradicionais estão praticamente extintas, continuem a dar o vosso dinheirinho para os ricos meterem nas offshores e depois digam que pagam muitos impostos… pagamos os impostos que os grandes grupos económicos tem ginástica contabilística (para não usar o termo crime contabilístico) para fugir, mas se alguém tem de pagar e eles não pagam, adivinhem para quem sobra? Sim é para ti, vai lá com o cartão “poupa mais” e paga com o cartão do banquinho que eles precisam de fazer uma nova remessa do teu dinheiro para as ilhas caimão.

    • darksantacruz says:

      Esse comentário seria correto se as empresas não tivessem que pagar impostos elevados para salários elevados sem ajudas de custo ou outras componentes.

      Não crítico nenhuma empresa que use das outras componentes para aumentar os salários critico sim o estado por continuar com uma carga fiscal elevada seja para empresas ou particulares.

      • Edson Monteiro says:

        Concordo

      • PeterJust says:

        Mas é a lei, se todas as empresas cumprirem, além de ser mais justo para todos, não andavam uns a pagar os impostos dos outros. Depois poderíamos até falar em menos impostos, mas se assim continuar, para baixar aqui os impostos temos de aumentar noutro lado, ir buscar aos hospitais, às escolas, etc Também não é fácil.

        • darksantacruz says:

          Para mim a lei está errada e devido a tal as empresas são obrigadas a fazer artimanhas de forma legal claro para fugir aos impostos. Se é legal colocar as ajudas de custo como componente salarial não percebo o seu comentário.

          A forma mais simples de fazer com que não haja desculpas para não aumentar os salários e para ficarmos mais competitivos em relação à Europa é baixar impostos.

  5. JLacerda says:

    Acho muito bem!
    Pela leitura do artigo não ficou totalmente claro mas espero que isto também se aplique ao pessoal que faz uns biscates por fora e que recebe por “baixo da mesa”! Nestes casos, tanto o trabalhador como o empregrador deveriam ir de cana ou pagar uma multa a doer.

    • E então says:

      Eu já declaro e desconto bastante … bastante mesmo, o resto meto no bolso não dou nem mais um cêntimo…

      Abram os olhos, os políticos com regalias atrás de regalias, só esquemas ninguém os toca …

      Tantos descontos, eu nem médico de família tenho ….

      Decerto que não por causa desta questão que o país já teve muitas bancas rotas … mas isso não é importante … o que importa é continuar a taxar e a taxar …

    • maroiseg says:

      Que comentário mais miserável! Já não chega o estado levar uma grande parte do suor com quem quer ganhar um extra para poder subir na vida tem que levar com um aumento ainda maior de impostos sobre o rendimento. O estado deveria era eliminar qualquer tipo de imposto a que tem um trabalho de 8 horas e ainda vai partir pedra para ganhar um pouco mais… cheira mal, cheira a FP….

      • JLacerda says:

        “Cheira a FP” deduzo que queiras dizer “cheira a função pública”.
        Estás redondamente enganado!!!!
        Trabalho no privado e declaro tudo, mas mesmo tudo, o que ganho, quer sejam rendimentos da categora A ou os tais biscates.
        E só mais uma coisa, sou de direita e jamais votei num partido de esquerda. Mas, desta vez, tenho que concordar com o governo.

  6. Fusion says:

    Pelo que leio aqui nos comentários está toda a gente contente com isto, mas esqueceram que vivemos em Portugal? Muitas pessoas precisam desses “trabalhos por fora” para conseguir chegar ao final do mês. Quantas e quantas pessoas por exemplo na área da informática não fazem uns trabalhos ao fim do dia para ganhar mais uns trocos? Ou já esqueceram quem em Portugal trabalhar “legalmente” apenas serve para enriquecer os bolsos dos boys

    • JLacerda says:

      Sou informático e faço os tais trabalhos por fora. A diferença, é que no final do trabalho, acedo ao portal da AT, Opção Emitir Recibos Verdes e lá se vai 25% do que cobrei!!!
      Depois, em Maio, os valores dos recibos verdes somam aos rendimetnos da categoria A e lá vai mais uma paulada!!!!
      Enquanto isso, outros “artistas”, em especial na área da contrução civil, fazem biscates atrás de biscates e nem 1 cêntimo declaram.

      • HL says:

        Estamos em Portugal!! Mas há muita boa gente que se não fizer um biscate ou outro as contas apertam. Nem todos têm a mesma sorte. Se estivéssemos num país decente a receber bem era uma coisa mas estamos num país onde o espaço entre os ricos e os pobres cada vez é maior. Prisão por não declarar um biscate? Comecem então pelos biscates dos políticos. Isso sim seria um exemplo para os outros mas já se está a ver que os pobres é vão ter que se lixar com isto tudo. Realmente com as costas quentes é tão fácil fazer politica e concordar com ela.

        • Nuno Teixeira says:

          Percebo o ponto mas acho que o foco não é tanto nos biscateiros mas nas empresas que não declaram trabalho efectuado.
          Achas justo para com as empresas que cumprem a lei?

          O mal do nosso país é os salários serem baixos e daí captam-se menos impostos (quando são declarados correctamente) e o poder de compra continua baixo que faz com que o dinheiro não circule tanto.

          A causa dos salários serem baixos poderá ser o facto de serem empregos de baixa rentabilidade ou o facto de os empregadores preferirem pagar o menos possível.

          • King Banido says:

            Os patrões pagam o menos possivel, derivado à carga de impostos deste miserável pais, se a carga fosse menor, veriamos salarios acima do minimo nacional. Alias o pais nao tem culpa, os governantes é que são xulos, corruptos e bandidos, e o povo não acorda e vota neles, ou nao vota com a desculpa que estão a protestar. lol

          • GM says:

            Faz as contas de quanto custa ao empregador um salário, por exemplo, de 1000€ brutos, sem o sub. alimentação. A esses 1000€, acresce-lhes 23,75% da seg. social, + seguro acidentes de trabalho (que é em função do vencimento do funcionário) + HST. Dos 1000€, o funcionário recebe, se for solteiro e sem dependentes, -110€ devido à contribuição da seg. social (11%) -110,40€ devido à retenção de IRS. Ou seja, recebe 780€. Ao patrão, custos directos são 1.237,50€ acrescido do que referi acima.

          • Zé Fonseca A. says:

            GM, e não esquecer que é x14.
            As empresas são demasiado taxadas e os trabalhadores também, posso dizer que todos os anos tenho aumentos, no entanto nunca vão além dos 10% porque seria um acrescimento incomportável para a empresa, então tipicamente aumentam benefícios flex como car allowance, PPRs, seguros de capitalização, stocks, etc.

          • Filipe says:

            Mas os empregadores querem TODOS sem excepção pagar o menos possível. Agem como se a culpa de tantos impostos fosse dos trabalhadores. E ainda pensam que estão a fazer um favor aos empregados aos quais chamam de colaboradores.

          • darksantacruz says:

            Estou 100% de acordo com o comentário do utilizador King Banido e do GM.

          • Ricardo José says:

            Por acaso a desigualdade cada vez maior neste país vem de onde?
            É do clima?

            A vergonha dos salários que se pagam neste país não vos envergonha? Têm alguma noção sobre o que é viver com o salário mínimo que se paga neste país?

            É curioso que não faltam exemplos de empresas que distribuem dividendos mas congelam salários, que se descobre que colocam dinheiro em offshores e congelam salários, etc…

            E depois dizem que os patrões não pagam porque não os deixam… Aliás em Portugal as crises vê-se bem em quem tocam e a quem não tocam.

            Em Portugal a diferença entre a remuneração dos gestores e os trabalhadores é bem superior a muitos outros países que gostamos de citar e essa é a realidade.

        • Ricardo Silva says:

          Isto. ☝️

  7. Há cada gajo says:

    Isto nunca irá mudar enquanto não houver uma verdadeira moralização da população para a necessidade de pagar impostos. E isto começa com as gerações mais novas na escola, no sistema educativo. Tem de educar nesse sentido. Caso contrário andarão sempre poucos a pagar por muitos, porque os outros fogem. Egoísmos de quem ainda não sabe viver em comunidade.

    • GM says:

      O drama é que o lema “se todos pagarem todos pagam menos” está errado, pois a classe política arranja sempre forma de ” se todos pagarem, todos pagam cada vez mais”.

      • Paulo Martins says:

        Então a tua solução é fugir aos impostos? Pagar o menos possível… Será que aqueles que pagam são burros e os que fogem são espertos?

      • Há cada gajo says:

        Pois, é por essa ordem de pensamento que continuamos como estamos.

        • GM says:

          A tua ordem te pensamento é a mesma do ministro das finanças: englobamento – taxa tudo ao máximo possível. No período da Troika circulou um meme que dizia: “Tem rendimentos? Envie-nos tudo o que tem”. Estamos quase lá.

          • Tabonitota says:

            Lol. Em altura da troika pagavas menos meu caro 😉 não esquecer este ponto importante. Dizer que a troika e austeridade foram só no paços coelho é uma falácia. Tens a carga fiscal mais alta de sempre num país como o nosso, apenas de forma indirecta. Mas que o pagas la isso pagas. A troika foi o melhor que nós pode acontecer, pois foram ideologias apenas que nos safaram. Não havia dinheiro para pagar a função pública naquele preciso mês. Lol.

    • Edson Monteiro says:

      Imposto é roubo amigo, o estado te perguntou se você vqueria pagá-lo? Porquê o estado não cria a prisão perpétua para políticos que roubam o dinheiro da nação?

      • Ricardo José says:

        E Edson quem é que corrompe os políticos? São as pessoas do rendimento mínimo?

        Engraçado que peça prisão perpétua apenas para os políticos. Se calhar pertence à Associação de Defesa dos Banqueiros Amnésicos.

        Se não se pagassem impostos donde vinha os apoios para as empresas que tiveste na pandemia?

        Por favor não sejamos demagogos. Discutir onde os impostos, e já agora os fundos da bazuca, são aplicados é muito importante mas essa conversa de acabar com os impostos é populismo serôdio.

  8. EuTech says:

    Os políticos declaram lá as suas contas em paraisos fiscais dos seus “trabalhos por fora” ou exprimentem a viver com o salário mínimo.. que depois falamos…

  9. andre says:

    Solução, imposto zero é impossível de fugir e resolvia-se o problema.

    • Rui Costa says:

      Depois queres estradas, educação, saúde…..e pagas tudo em 100%

      • Urtencio says:

        Looool paguei para construírem auto estradas e agora tenho de pagar para andar nelas

      • Filipe says:

        Se fores a ver bem, pagar pelo que se usa é bem melhor e mais justo do que pagar por tudo e não usares 90% daquilo ao que se deveriam destinar os teus descontos e impostos. Quem trabalha só ajuda quem não quer trabalhar. Já basta quem não pode mesmo trabalhar. Agora quem pode e não quer porque ganha mais em subsídios do que uma pessoa a trabalhar 8 horas por dia e fins de semana, é completamente ridículo. Achas bem pagar por isso? Pelos vistos, dos 40% de população que normalmente vota, Mais de metade acha que é justo e vota nos mesmos.

      • Pedro Ferreira says:

        Sinceramente, acho que preferia que me mandassem uma fatura ao final do mês pelos serviços que uso (estradas/saude/infra/eletricidade publica…) do que simplesmente mandar 25% “para o ar” que, pelo que vejo, grande parte vai parar aos bolsos de quem está na AR e para os que estão em casa a “pastar”.
        Como muita gente por aqui diz e bem… Não me importo de pagar. Mas que ao menos seja investido/bem aplicado e que não sirva simplesmente para enriquecer ricos e suportar quem não queira trabalhar.

  10. Mauro Correia says:

    E os políticos corruptos!?
    E os presidentes/ministros e secretários com praticas suspeitas, para não falar de gestão danosa de fundos e bens públicos?!
    Que classe mais hipócrita e incompetente… E este povo que não acorda NUNCA!

    Politicos com gestão danosa de fundos e bens publicos?????

  11. jimmypt says:

    A maior trafulhice é feita pelas empresas de trabalho temporário.
    Investiguem essas empresas.

    • azazel says:

      Nem + dou assistência informatica em cerca de 10 empresas de trabalho temporário todas roubam umas ao trabalhador outras ao estado mas todas roubam alem de fazerem muito mas mesmo muito dinheiro com os escravos que alugam as empresas.

  12. Zed says:

    Os mesmos que acham que os funcionários públicos são uns malandros, são os mesmos que agora gemem por ter de descontar tudo como eles.

    • Filipe says:

      Na FP trabalham muito menos e ganham muito mais. Descontarem mais não lhes faz mal nenhum.

      • PeFerreira says:

        Certo… É por isso que existe familiares meus na FP com 30 anos de serviço a ganhar tanto como eu com 4 anos no privado.
        É melhor reveres essa frase. Nem toda a gente é igual.

        • Paulo says:

          Nem toda a gente é igual mas há uns mais iguais que outros, daí haver a ideia generalizada que o empregado da função pública é, em modo geral, um grande malandro. Aqui na Mealhada é aos magotes, por exemplo…

  13. Morte Aos Políticos says:

    Pergunto-me como e que eles vão saber que estou a fazer uns biscates?.
    já estou tao farto pela maneira que este ( governo ) nos trata, juro quem me financiar um lança rocket eu acabo com assembleia toda com todos la dentro, e não me venham dizer que vão para la outros, pois será feito o mesmo.

  14. Bernardo duro says:

    Acabem com a fuga ao fisco têm o meu Voto pela primeira vez

    • RatazanaDoPunjab says:

      Bernardo, aham, desculpe a pergunta, mas já alguma vez parou para pensar porque razão o enriquecimento ilícito nunca passa no chiqueiro, há quem lhe chame assembleia da República?
      E vem me falar em acabem com a fuga ao fisco?
      Mas vc tem noção do disparate que está a dizer?

    • darksantacruz says:

      Acabem com a corrupção política e têm o meu voto.

  15. Bernardo duro says:

    Os corruptos do país ditos trabalhadores estão malucos carrega PS ganhaste o meu voto!

  16. Vasco says:

    Eu sou adepto da simplificação máxima. Flat tax. Façam as contas de quanto custa por ano gerir e manter o país, de forma minimalista – segurança pública, saúde e educação básica – e deixem tudo o resto a cargo da iniciativa privada. Em seguida dividam esse custo pelo número de contribuintes e digam qual é a percentagem única de imposto que cada cidadão terá de descontar. Mas apenas depois de terem inventariado e optimizado todos os organismos do estado. Em suma, façam pelo menos contas de merceeiro, com a honestidade de uma dona de casa à maneira antiga, como dizia um saudoso economista. Flat tax e código de contribuições e impostos extremamente simples. Vão ver o país a mudar rapidamente e a atrair investimentos externos. Claro que não dará para manter as tribos de parasitas e avençados que actualmente vivem à conta do estado. Nota: de resto, deixem-se de m e metam os 50 euros onde o sol não brilha.

  17. alt.menino says:

    Isto está em modo de ASSALTO, perdeu-se todo o sentido da palavra RESPEITO. Eu e vocês, equivale-mos ZERO, os impostos seriam a fonte para gerar riqueza e dar melhores condições de vida, principalmente para os mais necessitados, o mal é nosso quando não tomamos atitude….. devíamos todos ter um período chamado : ALZHEIMER como aquele amiguinho que colocou o padre como testemunha. Pode ser que um dia a gente ganhe VERGONHA e comece a bater o pé. Os DIREITOS que nós querem dar é estarmos CALADOS e sermos OBEDIENTES, começa logo nos empregos. FAZ, CALA-TE, NÃO ESTÁS AQUI PARA PENSAR.

  18. alt.menino says:

    O dono da empresa que eu representanto é ex chefe do corpo de intervenção da PSP, se já não estiver de licença sem vencimento, enquanto passeia de porche, vai pensando como há-de sacar mais algum aqueles que lhe geram valor….. depois transmite as suas brilhantes ideias ao Director dos recursos humanos que é outro elemento da PSP de licença sem vencimento e estes dois compinchas fazem oitos das pessoas, como pessoas valem o quê ? E tem deveres e obrigações acrescidas….. Estamos rodeados de bandidagem.

    • JS says:

      Quando vou ao Continente vejo lá muitos trabalhadores Asiáticos não tenho nada contra a imigração ,a ganharem o SMN e a empresa a pagar as que disponibilizam as pessoas mil e tal €
      Essas empresas são de amigos políticos e não se passa nada

  19. Pedro Franco says:

    Sou motorista de táxi por conta de outrem, posso dizer que entre Novembro e Março ganho cerca de 900€ por mês, de Abril a Outubro ganho entre os 1500€/2000€, mas o meu patrão apenas desconta sobre o ordenado mínimo 665€, o que me espera na velhice é fome pobreza e desespero.
    A minha reforma será 65% dos vencimentos declarados.
    Trabalho 12 horas por dia 6 dias por semana, o que perfaz um total de 312 horas mensais, agora vem o mais impressionante, durante o meu turno de trabalho faço em média 150€ de facturação, recebo 40% do total, ou seja, 60 €, o meu patrão dos 90€ de seu ganho apenas declara 50€, fugindo ao fisco em 40€ diários, se somar este valor por 7 viaturas, todas elas com 2 turnos de 12 horas façam as contas.
    O meu patrão também é agradaciado com a restituição do valor total do gasóleo gasto, a título de exemplo, se 7 viaturas ao longo do ano abastecerem no total 10000 lt o meu patrão vai buscar 6%.
    Para finalizar, todos os empregados da empresa onde trabalho, passam recibos verdes, despesa essa que entra nas contas da empresa como gasto.

    • lagoa says:

      era só investigar todos os que têm carros acima dos 40.000 euros e imóveis acima dos 200.000 euros onde foram buscar os rendimentos para os pagar… era fácil… muito fácil.

  20. Pedro says:

    Isso é tirar as atenções do verdadeiro problema, que são esses mesmos parasitas que fazem as leis. Claro que todo o trabalho deve ser declaro. Mas que serve continuar a destruir os mais venerável? O foco deve ir para senhores do poder, empresas que têm esquemas bem elaborados para fugir aos impostos, instituições de futebol por exemplo, que não pagam um centavo de impostos. Uma vergonha. Só o trabalhador que tem um salário mínimo miserável é que tem de cumprir e ser exemplo, quando os que deveriam ser o exemplo são bandidos com poder para destruir o futuro dos nossos filhos e netos.
    Os portugueses têm de acordar e reflectir que são sempre os mesmo que estão a destruir o país, e dar oportunidade a políticos que querem mudar isso.. mas em Portugal enquanto houver futebol, cerveja e tremoços está tudo bem.

  21. Marco says:

    Mas isto é uma brincadeira para inglês ver. Acham que vai haver uma condenação sequer? O governo só agora reparou nisto? Acordaram? Vão finalmente enviar fiscais aos que não declaram quase nada? Descansem. Isto é areia para desviar as atenções e a tensão na sociedade…

  22. Jon says:

    Já não se pode ir fazer biscatos fora

  23. pedro says:

    com esta carga fiscal, a medida vai ter o efeito contrário ao que estão á espera !!! isto é típico de politicos que nunca criaram um emprego, nunca pagaram salários (a não ser os do Estado) ….

  24. Tabonitota says:

    Como vi aqui refletido. Uma empresa que pague 1200 ao colaborador, o colaborador leva 780€.
    Contudo está a esquecer-se de outros custos e não está a fazer englobamento a 14 meses mas sim a 12 meses.m, e quando i trabalhador apenas trabalha 11.
    Uma essa que tenha 1200€ de salário deixa ao estado a módica quantia de 1900€ euros mensais. Repartido por 14 meses. Façam la essas contas e bem.
    Portugal está no top dos podes da OCDE que mais impostos cobram sobre as empresas.
    Outra questão: os patrões não querem pagar mais ? Isso é outra falácia. O patrão é sempre o mauzao da fita. É sempre aquele fulano que anda de mercedes e que não quer saber dos funcionários: Epa …. Abram vocês a porcaria de uma empresa. Tanta coisa, tanto falar mal , tanta vontade de fazer mais e melhor mas depois quando chega a altura da realidade são uns gatos mansos. Vocês precisam é de coragem para abrir uma empresa em Portugal. Colaboradores apor conta doutoram andam sempre de peito feito quando recebem o seu salário e alguns deles até nada fizeram para o merecer, mas depois veem mandar postas de pescada que deviam ganhar mais , e que são XPTO. Abram vocês a empresa. Era só o que faltava. Sua tive dos dois lados da barricada, e muitas vezes pensei assim, erradamente hoje vejo. Sou o tipo que mais trabalha na minha empresa, o primeiro a entrar e inutilidade a sair. Não durmo de noite para pensar em soluções de pagar salários no final do mês. Ando sempre reocupado em pagar as bojardas de impostos mensalmente, desde IVA, pagamento especial por conta, segurança social, salários. Não venham cá com tretas. Abram vocês mesmos a empresa e falamos depois !!

    • lagos says:

      100 % de acordo consigo… agora ninguém comenta?…

      • GM says:

        Eu comento. No comentário que fiz anteriormente, não referi se era 11, 12 ou 14 meses. E aos custos que mencionei, falta acrescer 1% relativo ao Fundo de Compensação (0,925% da parte do empregador, 0,075% da parte do funcionário, x 12M/ano).
        Simplificando, 1.237,50€ x 14M / 11M = 1575€ / mês durante 12 meses, é o custo de cada empregado que tenha vencimento-base de 1000€, ao empregador. Assim ele produza, pelo menos, esse valor.

    • Sergio says:

      Não diria melhor, as pessoas fazem de meia duzia de casos, de Patrões em grandes empresas industriais a regra geral.
      E esquecem-se dos outros 90% dos patrões que passam pela a aflição de garantir o salário ao final do mês, as horas que trabalham e as horas que perdem com a almofada sem dormir.

      Também já fui empregado e agora sou patrão, e sinceramente penso imensas vezes em voltar a ser empregado e a ganhar menos 400€, do que ter as preocupações que tenho como patrão.

    • Pedro Franco says:

      Um texto imenso para dizer uma mão cheia de nada.
      O código do trabalho é bastante explícito.
      O trabalhador trabalha 11 meses e aufer 14 vencimentos, claro que sim, apenas se esqueceu de dizer que Portugal é o segundo país da UE mais pobre.
      Atrás de Portugal só a Bulgária .
      Entramos para a CEE em 1986, depois de tantos anos e, com a promessa que iríamos convergir com os restantes países europeus, uma falácia, uma mentira…
      Os coitadinhos dos patrões continuam a andar de Mercedes e BMW, os trabalhadores mal sobrevivem e andam de transportes públicos.
      Se o estado cobra uma alta taxa de impostos é são contra, fechem as fábricas, o trabalho é um bem constitucional e serve para tirar as pessoas da pobreza, se não gosta, coma só as batatas.
      Para acabar, o tecido empresarial português é constituído na sua maioria por PME, em grande parte os trabalhadores têm mais qualificações que os patrões.
      Simples.

      • Sergio says:

        Nao fazes ideia do que estás a dizer, tanto a nivel economico como a nivel humano, percebes zero. Por essas palavras e falta de senso, és claramente daquele grupo de pessoas que no facebook diz tudo, mas quando é para estar numa manifestacao organizada, está ocupado.
        E fica a saber quem em 2020 mais de 5 países na europa tiveram um indice de pobreza superior ao de Portugal.. a pobreza nao se mede apenas pelo que ganhas por hora.

      • Paulo says:

        Até os transportes públicos são caros neste país… Vejam lá os preços da CP fora de Lisboa e Porto, um autêntico assalto.

  25. lagos says:

    Os que mais fogem aos impostos são os médicos e os advogados não sei como vão fazer… vai tudo preso
    o melhor é começarem já a fazer mais prisões…

  26. Sergio says:

    De que adianta esta alteração à lei se depois a fiscalização é insuficiente?

    Venham a Aveiro e limpam os restaurantes e pastelarias a eito, sem horarios fixados, sem marcaçao de ferias no devido tempo, sem contrato.. Ao domingo então é um tal ver miúdos de 16 anos a ganhar por fora 3€ à hora.
    Dias de Pascoa, de natal.. vale tudo no backoffice destes estabelecimentos.
    Além da falta de inspeção, ainda há os que são avisados, porque os trabalhadores do ACT cá da zona tomam lá o pequeno almoço 😉
    Concluindo, nada vai mudar..

  27. João says:

    Quantas mais regras fazem menos regras cumprem. Fiscalizem as regras que temos e deixem de brincar com a população.

  28. Diogo says:

    Não se verá mais ciganos a vender produtos na rua ?
    O senhor das castanhas não poderá vender mais , o mendigo não poderá pedir dinheiro ?
    A política irá acabar ? Uma vez que são os responsáveis por essa falta de dinheiro nos cofres públicos ?

  29. Jafo Dias says:

    Estamos cada vez mais a ser governados por partidos que representam menos de 5% dos Portugueses.
    Nao há maior cego do que aquele que nao quer ver. Tristeza de povo.

    • Paulo says:

      Só temos o que merecemos e nada mais do que isso. Isto dura há quase 50 anos e o povo continua burro… O Botas era mau, os que vieram a seguir são o quê?

  30. Jafo Dias says:

    Estamos cada vez mais a ser governados por partidos que representam menos de 5% dos Portugueses.
    Nao há maior cego do que aquele que nao quer ver. Tristeza de povo.

  31. TheGreatEqualizer says:

    Quando o enriquecimento ilícito/injustificado, apenas possível para alguns colarinhos brancos, também for criminalizado e devidamente punido, então aplaudirei esta medida. Assim, não.

  32. Catarina says:

    Acho muito bem que queiram acabar com a corrupção, tudo haveria de ser declarado, mas percebo perfeitamente um patrão, um patrão que queira pagar mais a um funcionário paga 24,5% de impostos, sobre o ordenado do mesmo, como pequenas e médias empresas conseguem pagar tudo declarado?! E espero bem que isto inicialmente comece por investigar políticos e não empresas.

  33. Francisca Farias says:

    É sempre a mesma coisa, o povo tem que declarar até o ar que respira, acho bem… Se não é preso!!! E os que roubam milhões, desviam, não se lembram… Ganham prémios, viajam, são ovacionados… Tá tudo doido

  34. ? says:

    Por exemplo, o trabalho doméstica que alguém faz na casa de outros também precisa de ser declarado? Não é com o objetivo de criticar… Tenho dúvidas, apenas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.