PplWare Mobile

Robôs vão substituir profissionais com salários mais baixos


Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.

Destaques PPLWARE

  1. bruno says:

    Resta saber quantos postos vão criar a manutenção e criação dos robôs.

  2. Mudança says:

    Porque não existem leis para proteger os trabalhadores nesta revolução industrial, porque não existem regras, e limites para as empresas no que toca a estas situações, como é possível ninguém conseguir fazer nada contra isto, será que esses 5 milhões espectáveis de ficarem desempregados não são gente suficiente para exigirem dignidade, como é possível isto estar a acontecer e as pessoas a ver e não poderem fazer nada como se nada fosse possível de ser feito, mundo abre os olhos comessem a agir! Actualmente temos toda a informação do que se anda a passar não somos mais ignorantes!

    • Marco says:

      Por onde sugeres começar?

    • manuel says:

      O porquê de não existir uma leia que obriga as pessoas a adaptarem-se ao futuro e a estudarem outras áreas e matérias, tendo em conta o ritmo e crescimento tecnológico?
      Aprender custa mas tem as suas vantagens. Darwin Theory nisso!

      • FF says:

        Isso não é teoria da evolução mas da adaptação… alem disso não se obriga ninguém a fazer o que quer que seja, onde fica a liberdade… Quando se quer aprender realmente alguma coisa as pessoas procuram e aprendem!

        • manuel says:

          Não te vou explicar a teoria da evolução e o significado dela! Contudo é melhor reveres a matéria!
          BTW, espero que saibas o que significa evoluir, desenvolver e aperfeiçoar.
          Quanto ao meu primeiro post, foi apenas um contra argumento do mesmo nível que o @Mudança, só para ficar esclarecida a relevância de ambos os lados.

          • FF says:

            Sei bem a diferença!
            Mas neste caso continuo a achar que se aplica adaptação.
            Contudo concordo quando diz que é preciso haver um desenvolvimento das pessoas.
            Mas como nos mostra a historia, estas mudanças estão ao nível da revolução industrial, quando as pessoas pensavam que iam ficar sem trabalho com a introdução e o forte crescimento de todo o tipo de industrias e sem precisar de leis as pessoas ‘Adaptaram-se’ às mudanças… 🙂

    • NT says:

      Pois… Aqui está uma ideia. Acabar com a nossa actual economia!(que não é nada económica)
      Os robots já pode substituir cerca de 98% das ‘profissões’ existentes. Porque é que raio em vez de estarmos a matutar uma maneira de ‘salvar o dinheiro’ não procuramos nos salvar? Será que as palas são assim tão grandes?
      Mudança porque é que raio queres mais leis? Proteger os trabalhadores ou teres mais escravos à disposição?
      Acho que realmente temos que acordar mas é para a tecnologia que nós temos e fazer com que elas nos sirva e não o contrário. Nunca entendi porque é que raio damos tanto valor (por exemplo) a um iphone que passado 2 anos já está “obsoleto” e será mais recursos que vão “descansar” numa lixeira algures. Agora imaginem máquinas de lavar roupa ou frigoríficos, passados 5 anos é espectável que avariem ou que estejam completamente ultrapassados. Porque não fazer do melhor sem estar à espera que ‘avariem’ ou fiquem obsoletos porque a ‘economia’ do dinheiro tem que ser salva?

    • Anarca says:

      Exacto. Devíamos voltar a usar pás… Pás?! Não! Colheres em vez de máquinas para haver mais pessoal na construção. Isso sim, metia este país a mexer. Analfabetos económicos.

  3. Aj says:

    Se cada maquina paga-se imposto por cada posto de trabalho que retira ao Homem , o mundo seria bem melhor

    • kabuki says:

      Isso tem sido o problema dos ‘desgovernos’, a empresa investe e ganha mais produtividade, o desemprego aumenta e a despesa do estado também. Claro que estou a resumir em demasia, mas a título de exemplo, as tecnologias nas portagens retiraram muitos postos de trabalho aumentarão os lucros, reduziram as contribuições para o estado de forma drástica, mas o governo não cria a taxa necessária. O desgoverno normalmente, sobe impostos.

      • apache says:

        Taxa para quê?

        Nem escrever direito sabes! “aumentarão”.

        • Aj says:

          Não sou contra a Robótica ou Automatização , mas na minha opinião , se uma máquina substitui 40 postos de trabalho, a mesma devia pagar os encargos sociais de 40 pessoas, o lucro que dá a maquina está ,na produção, o não pagamento de salários e maior elevada produção.

    • JV says:

      se assim fosse ainda fazíamos contas com ábacos e não terias um computador ou um smartphone onde escrever este comentário ridículo.

      • Aj says:

        Não te vou responder a essas comparações Ridículas entre grande produção automatizada e smartphones ou computadores . Tens ainda uma visão sobre o mundo da era dos ábacos

    • MarioM says:

      Nem Mais.
      Por cada emprego perdido para Robô,essa empresa tiria de pagar + impostos,pois um robô não consome,logo cria riqueza que não vai ser consumida e ao mesmo tempo cria pobreza.

      • APereira says:

        Um robot, consome…
        Consome recursos, consome manutencao etc etc etc…

        É suposto as pessoas serem substituidas para que possam ser mais produtivas e/ou terem mais tempo para outras tarefas que ate entao nao tinham.

  4. P says:

    Porque haverão de ter uma pessoa com custo mensal que só trabalha 8 horas (cof cof..) por dia quando podem ter um robô a trabalhar 24h sobre 365 dias?

  5. Daniel says:

    Se tu colocar um robô para trabalhar, vai precisar de um engenheiro elétrico ou técnico em robótica e um desenvolvedor para manter o software, ou seja tu substitui um por dois, se tu substituir 10 trabalhadores, da mesma forma, vai ter que ter pelo menos dois especialistas cuidando dos robôs, desta forma, as pessoas terão que se especializar cada vez mais, ao invés de estarem apenas fazendo trabalhos de macaco em empresas, terão de fazer trabalho de pensadores e analistas.
    Bem se por um lado terão menos pessoas na produção, por outro muito provavelmente as empresas poderão ter mais cérebros pensadores para manutenção do seu negócio.
    Acredito que o avanço da tecnologia forçará a humanidade a buscar mais conhecimento e aprimoramento, não mais necessitando fazer trabalhos simples e sim os complexos. Temos muito a explorar no espaço, no mar, na terra. Temos muito a melhorar em termos de vida para os humanos, diminuir as diferenças sociais, acabar com a fome, e dar uma vida mais digna as pessoas do planeta.

  6. Luís M says:

    A economia está assente no consumo. As pessoas produzem e consomem, os robots praticamente só produzem e mais importante que isso não votam.

  7. vitor guedes says:

    Temos que ver isto de outra forma, sou a favor dos robós mas para a Administração de Empresas e serviços públicos. Acabavam-se as mordomias que custam uma boa parte dos rendimentos, acabavam-se com os ordenados chorudos apenas para assinar papeis e ir a almoços e jantar de negócios, sem falar nas viagens de prospecção económica, em países como Brasil, Colombia, Estados Unidos, Dubai, Tailandia. Seriam mais justos em cumprir com os seus deveres e não erravam em elaborar orçamentos nem omitiam resultados para não baixar os seus bónus. As famosas cunhas dos boys também não funcionariam, com estes factores acho que sim aceito os robós, já agora podiam ir para o Governo.

  8. tp says:

    E o Costa ainda incentiva à natalidade.

  9. big says:

    A tendência estes últimos anos tem sido mesmo essa, homem substituído por máquinas, agora com esse robôs com capacidades surpreendentes e caso de mantenha a tendência, a produtividade vai ser sempre crescente com mão-de-obra cada vez mais diminuta, a perspectiva é o aumento de desemprego.
    Falta saber como os governantes vão gerir isso, os gastos com o estado social vão aumentar, será que um dia vamos todos ficar sem fazer nenhum…

    • Pedro H. says:

      Concordo.
      Mas uma outra questão que surge com esta adopção dos robôs, é uma questão de certas indústrias e áreas de actuação em que é necessário sempre um elemento humano. Por exemplo, citando o “I, Robot”, numa cena em que o Will Smith recorda que foi salvo por um robô por este ter mais probabilidade de sobreviver do que uma criança que estava a necessitar de ajuda. ( Os fabricantes de automóveis autónomos também se debatem com isto. ) E a responsabilidade? O ser humano é muito melhor a “calcular” eventos e a tomar uma decisão. Um robô não tem a capacidade e não sei se chegará a ter, a capacidade emocional de um ser humano para decidir que a sua vida, como adulto proteger a vida de uma criança sacrificando a sua.
      Como é que poderemos programar um robô para avaliar uma vida humana ( Exterminador 2, últimas palavras de Sarah Connor no filme ) ? Um juiz robótico apenas poderá dar a sua sentença com base nas leis ( mas continua a ser programável por quem pode… ) e será que tem emoçoes suficientes para julgar as circunstâncias e situação em que dado crime foi cometido?
      Vai ser muito dificil substituir humanos em determinadas áreas mesmo…

      Por outro lado, poderemos antever um cenário tipo Matrix e outro tipo StarTrek. Num temos os robôs como escravos e uma raça humana preguiçosa, por outro, temos exploradores do espaço em que devido à tecnologia da série temos muito mais tempo para nos melhorar-nos a nós próprios…

      Vamos ver se não nos espalhamos neste tipo de decisões que afectam muitas pessoas…

  10. rui says:

    “Mas quem serão os mais afectados”? Isso é fácil de responder: aqueles trabalhadores que se estão a esforçar e a ganhar pouco para conseguirem subir na carreira. Se o estado souber gerir tudo isto, consegue-se diminuir os prejuízos pois muitos podem ter formação para lidarem com estes robôs e assim poderem ter postos de trabalho noutras áreas. Mas por cá já se sabe como as coisas funcionam: quem ficar a trabalhar depois de uma implementação de evolução tecnológica assim é que se vai lixar a seguir a quem já se lixou antes.

  11. Tony das couves says:

    O suicídio das empresas e da economia no geral começa assim – diria mesmo que já começou e já o vivemos há alguns anos, mas com este novo passo irá agravar-se de uma forma que não terá retorno.

    Se não há trabalho para as pessoas, não há ordenados, se não há ordenados não é preciso fabricar nada porque não há quem possa comprar. E pronto, basicamente é tão simples quanto isto.

    É impressionante a capacidade que a humanidade tem de arranjar formas de se auto-destruir.

  12. Brian says:

    Sou um trabalhador com baixo salário e nem máquinas em condições temos em Portugal já estou mesmo a ver termos dinheiro para os robôs. Tanto alarme duvido muitíssimo que eu e os meus colegas possamos ser substituídos.

  13. carreira says:

    se os robôs substituírem as pessoas com salários baixos o que vão fazer aos desempregados? Imaginem a china?
    existe uma solução que devia ser imposta por todos os governos! mesmo um robô deveria pagar impostos como um humano, só assim haverá dignidade para com as pessoas que ficarão se emprego….

  14. Gabriel says:

    Esses Robôs vão produzir para quem???
    …”A tecnologia moderna é capaz de realizar a produção sem emprego. O diabo é que a economia moderna não consegue inventar o consumo sem salário” – Herbert José de Sousa (Betinho)

  15. MarioM says:

    Esses 5 milhoes de desempregados já fazem um bom exercito.

  16. Diogo Sotero Pereira Pinto says:

    Meu Deus ! Eu não me estou á ver á olhar para o lado e vêr um robô á acender as luzes do parque de estacionamento ! Ao que isto já chegou !!! O futuro é prometedor.

  17. manuel says:

    Meus caros, não sou CEO nem gestor de recursos… Contudo tenho a noção de quanto uma empresa é capaz de gastar por recurso humano! Isto é uma boa noticia para toda a gente, menos para aquelas pessoas que estão habituadas a fazer o mesmo trabalho desde os 16 anos…

  18. joaquim says:

    Nao entendo qual a dificuldade de por um Robô a descontar para o desemprego e seguranca social como qualquer robô humano Qual o Problema????

  19. Luis M. says:

    20$ por hora dá qualquer coisa como 3500$ por mês. Por esse prisma mais de 90% da população portuguesa fica desempregada.

  20. R o B says:

    Está no bom caminho para perceberem que não haverá roobots para comprar a demanda

  21. joao alves says:

    se a taxa ao lucro das empresas tivesse em conta o numero de funcionarios e o salario medio dos mesmos… as empresas pensavam de outra forma

  22. RuiP says:

    Como diz o outro: Estudasses.

  23. Jota says:

    Já começa a fazer impressão esta questão de os robôs substituir as pessoas em tudo!

  24. Paulo Cardoso says:

    Fosse a sociedade melhor e não haveria problema, o robot trabalha e o homem tem tempo para inventar o que sonha, mas infelizmente não o é.

  25. pisca says:

    Por cá não precisam de robots, bastam uns estagiários ou fulanos a recibo verde, e ainda poupam na energia necessária, para além de serem renováveis e descartáveis em qualquer altura

  26. LDiogo says:

    Bem, se fosse cá a limpeza que não seria…quantas são as profissões a ganhar 20$ à hora????estes gajos têm muito que aprender connosco, manter ordenados baixos para garantir emprego e assim nunca sermos substituídos por robôs, este é o caminho, da miséria, claro

  27. Rui C. says:

    Muito E-Machina anda por aqui.
    Cada caso é um caso.

    Podiam era trocar a malta da função publica que não produz por robôs. Isso sim era uma boa ideia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.