PplWare Mobile

Portugal: Telemóveis nas prisões? Em breve poderá ser possível


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Tiago says:

    Mas isto ja nao e possível? ;P

  2. Correia says:

    Acho que deviam ter tanta coisa lá dentro que eliminaria a necessidade de virem cá para fora fazer porcaria. Já agora para facilitar deveria haver perpétua, a julgar pela quantidade de mitras que querem voltar para prisão e reincidem em crimes. Pelos vistos para muitos aquilo é uma festa…

  3. ToFerreira says:

    “7 telemóveis no ânus.”?!

    Vamos começar a dar também armas aos assassinos, já que eles as arranjam de qualquer das maneiras…

  4. miguel says:

    Existe tecnologia que permite que se acabe com esta pouca vergonha nas prisões portuguesas!

    Se quiserem nenhuma rede de telemóvel funciona dentro de um perímetro pre estabelecido.

    • rand says:

      Mas isto sai mais barato e dá menos trabalho.

    • Miu says:

      Se o interesse fosse acabar com o problema. Mas é sempre o contrário. Pulhiticos….corja genocida.

    • Ricardo Gonçalves says:

      Exatamente, metiam um jammer e se quisessem falar com os familiares por exemplo , parava-se o jammer das 21 as 22 que é quando estão fechados na sua cela digo eu. Nada de andar com o telemóvel no pátio e onde quer que seja.

    • Jorge Franco says:

      O uso de telemoveis na cadeia é igual a legalizar cannabis , é uma forma de controlo.
      é mais facil controlar os numeros conhecidos e ter acesso a todas as chamadas/sms realizadas.
      os burros ainda mandam sms a dizer vai matar o filho do armenio. e assim já se sabe 😉

  5. Afonso henriques says:

    Isso já há com fartura. Só falta mesmo hidromassagem e gajas à descrição. A quadrilha de esquerda deu cabo do Brasil e agora prepara-se para fazer o mesmo em Portugal. Triste destino o nosso.

  6. Mateus Pinto says:

    Já agora internet fibra, consola com flat rate para jogos e lagosta a pedido.

    No final anda a ladroagem a gozar quem trabalha e paga impostos: cá fora roubam, usufruem do rendimento mínimo e ainda sujam tudo, além de terem apartamento grátis para o seu tráfico de droga; lá dentro (se algum dia depois de 1 milhão de denúncias forem presos) gozam ao máximo, fazem negócios de drogas, tem direito a relações e quando saem ainda “limpam o sebo” a quem os denunciou. Parabéns a Portugal, sempre na vanguarda do que NÃO se deve de fazer.

  7. Professor Chibamga says:

    Ja agora porque não fornecer tambem tv cabo com canais a 8k, colchoes com viscogel e aromoterapia, aos domingos podiam ir passear ao shopping, é que apesar de serem assasinos, ladroes, violadores , no fundo parasitas da sociedade, eles tambem são pessoas (que mataram, violaram, roubaram outras pessoas)

  8. José says:

    Discordo. É preciso mas é tirar de todos!!!

    Jammer

  9. Hp says:

    Portugal é governado por anormais só pode, por vezes tenho vergonha de ser Português e por viver num País de corruptos impunes.

  10. Luis says:

    É mais que sabido que os telemóveis e as drogas que entram nas prisões são “tolerados” numa certa medida por reduzirem a tensão na população prisional.
    Tirem-lhes as 2 coisas e tem revoltas todas as semanas.
    O outro facto é que a introdução dos mesmos dentro dos estabelecimentos prisionais constituem uma fonte de rendimentos adicional para muitos funcionários prisionais (talvez pelos baixos salários).
    Não é só cá que isso acontece.

    • Mateus Pinto says:

      Espera, o resto da sociedade tem que estar preocupado … com a tensão da população prisional ?! Lolol já agora umas massagens tailandesas para os “meninos” ficarem bem relaxados.

  11. Mirando o mar... says:

    Porque não bloquear o sinal da rede móvel e só o disponibilizar durante uns 15 minutos por dia?

    Ahhh, esperem… Estamos em Portugal!

  12. Jota says:

    Está tudo maluco! Daqui a uns tempos não falta pessoal que queira ir para a prisão, tal são a excelentes condições de vida que eles já lá têm!

  13. David Guerreiro says:

    O próximo passo deve ser implementar o que fazem (ou faziam, não sei se o Bolsonaro já mudou isso) no Brasil, em que quando alguém vai preso o Estado paga um subsídio à família. Qualquer dia o melhor é mudarem o nome de Estabelecimento Prisional para Estabelecimento Recreativo

  14. pauloj says:

    Portugal esta entregue a bicharada e muito perto de bater no fundo.
    Estes tipos criminosos, gozam com o povo, sitema judicial e penal e a solucao apresentado pelos inuteis do sistema e recompensa-los.
    So peco uma coisa ao povo portugues POR FAVOR VOTEM no Costa, BE ou PCP, Por favor!

  15. Ricardo Manuel Figueiredo de Brito says:

    Livros tudo bem Internet não nunca jamais

  16. Manuel says:

    Sinto-me revoltado e ao mesmo tempo triste de ser um gajo honesto. Trabalho que me farto, pago impostos que até doi para quê? Andamos a sustentar uma quantidade enorme de parasitas, desde as prisões ao parlamento. Começo a questionar-me que tipo de educação devo dar aos meus filhos!

  17. DrFrank says:

    O objectivo de estarem na prisão é serem privados das suas liberdades. Ora, permitir telemoveis seja em que contexto for, representa algo claramente contrário à privacão de liberdade.

    Cheira-me que isto não passa de uma medida para evitar que a gestão das prisões fique com má cara. Afinal se telemoveis são permitidos… já não há problema nenhum nem vergonha nenhuma em terem tantos reclusos com telemóveis a transmitir diretos para o facebook…

    • Kaiser says:

      +1

      teto, roupa lavada, cama, comida e telemóveis.. fds assim vale a pensa estar preso! Pagamos nós os impostos com a nossa honestidade para esta gente não ser punida e ainda recompensada!
      É o país que temos.

  18. Carlos Calvario says:

    Voces falam e escrevem porque nao sabem o que custa estar fechado 24 por 7.
    Os telemoveis aqui sao apenas um escape a rotina, e podem acreditar que salva a vida a muitos colegas meus.

    • eu says:

      “nao sabem o que custa estar fechado 24 por 7”
      Não façam porcaria cá fora !

      “salva a vida a muitos colegas meus”
      Forca e resolvia-se a questão e ainda saia mais barato.

      Ando a trabalhar para vos colocar comida na mesa e roupa lavada após terem feito porcaria.

    • Fulano says:

      A tua sorte é não ser eu a mandar, senão tinhas uma cela com a porta acimentada até cumprires a pena na totalidade.

    • Kaiser says:

      “aqui” ?
      Vamos assumir que tu não estás preso.

      Vamos tbm assumir que não disseste uma estupidez destas. Mas afinal qual é a ideia de punir quem comete crimes se podem fazer tudo o que fazem cá fora?! Ando eu a pagar os meus impostos e a trablhar que nem um cão para gajos como vocês terem cama, roupa lavada e telemóveis?!
      Qual é a ideia de punir alguém então!?

  19. jmaos@msk.com says:

    Digno de um pais de corruptos

  20. jmaos@msk.com says:

    Aproveitem e mandem pra lá uns inocentes ao fim de semana pra serem assaltados

  21. Fulano says:

    E que tal acimentar a porta da cela até cumprirem a pena na totalidade?
    Se estão de cana é para não ter luxos, e sim pagarem pelos crimes que cometeram.

  22. Joao Ptt says:

    Pensava que o objectivo de colocarem as pessoas na prisão era para proteger a sociedade daqueles que vão sobressaindo pelas piores razões.

    Se em muitos casos o impacto para a sociedade de alguém preso ter telemóvel é nenhum, em outros casos o preso ter acesso a comunicação com o exterior permite-lhe continuar a actividade que prejudica a sociedade.

    Deveriam existir dois tipos de prisão: 1) aquelas em que a pessoa pode comunicar com o exterior e 2) aquelas onde tal não é permitido, sendo os categorizados na segunda hipótese colocados na primeira hipótese após trabalho social/ psicológico e respectivas avaliações que permitam aferir que deixaram de constituir uma ameaça tão grande à sociedade que já possam comunicar com o exterior sem que tal constitua para a sociedade um perigo elevado de continuação ou criação de actividade criminosa.

  23. ivan says:

    Trabalhar em média 8 horas (tendo em conta que tem que se andar 12 anos a estudar, e mais 3/5 anos para tirar uma licenciatura mais um mestrado(opcional)) pagar impostos possuir despesas, apanhar o stress diario do trabalho. Quando podemos simplesmente estar presos ter tudo pago e a unica coisa que nao podemos fazer é sair de lá? Mas desde quando cometer crimes compensa? É que o que eu vejo simplesmente é que quem nao trabalha neste país tem de cada vez melhores condições de vida enquanto que quem estuda/trabalha apenas apanham dores de cabeça onde cada vez é mais facil desenvolver uma depressao ansiedade ou stress.
    Isto já não é considerado estar preso…não é ser punido por crimes cometidos…é apenas um “hotel” que não se paga mas há que pague por quem la esta…

  24. jAr says:

    Há diversos tipos de crimes pelos quais se por ir preso, e o estado também tem o dever de zelar pela segurança dos reclusos, não podem haver matanças lá dentro entre eles, por isso sim, a “tensão da população prisional” é um assunto. No entanto, não creio que os telemóveis sejam solução e também partilho da opinião que deviam bloquear o sinal. Já as drogas é outro assunto.

  25. JC says:

    As nossas prisões a parecerem verdadeiros campos de férias!
    Trabalhar e pagar impostos para quê? Lá dentro têm tecto, comida, roupa lavada, assistência médica, tv, tudo pago. É melhor mandar prender os nossos idosos, sempre lá têm dentro aquilo que o Estado não lhes dá cá fora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.