PplWare Mobile

Lítio pode ser o “petróleo de Portugal”? Investigadora diz que sim


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. rui says:

    Espero que sim.

  2. Pedro says:

    O problema que vejo nesta hipótese, tem a ver com a cambada de gatunos que vão por ganância ficar mais ricos, roubar um recurso de todos, porque vão fazer ou já fizeram negociatas dos tais filões. Conclusão ficam mais ricos e capazes de deixar danos no território para todos pagarmos um dia….

  3. BlackFerdyPT says:

    A não ser que apareçam uns quantos “ambientalistas”, que irão querer preservar as rochas, as ervas rasteiras etc…

    Não sabendo, ou esquecendo-se de, que:

    – a Natureza depois recupera, em algumas décadas, de grande parte das alterações que são feitas;

    – as pessoas precisam de empregos e de desenvolvimento económico, para não terem vidas miseráveis;

    – não estão ultimamente a preservar nada, porque tudo isto irá acabar quando o Sol deixar de queimar hidrogénio – e que, a única maneira de preservar alguma coisa (i.e. nós, a espécie humana) é investir no progresso tecnológico, para que possamos um dia ir viver para outros planetas.

    • Sergio J says:

      Espera contra o petróleo és ecologista, mas já és a favor de exploração de lítio a céu aberto em centenas de hectares às portas dos parques naturais?

    • António Domingues says:

      Santa ignorância… recomendo ouvires isto para ficares mais elucidado do problema que enfrentamos
      https://fumaca.pt/guilherme-serodio-se-os-governos-tem-um-inacao-criminosa-em-relacao-ao-clima-nos-temos-o-direito-de-rebelar-nos/

    • Eu says:

      “porque tudo isto irá acabar quando o Sol deixar de queimar hidrogénio”
      Se estás a pensar nisso, também não vale a pena investir no progresso tecnológico, a não ser que se consiga chegar ao ponto de criar outro universo, pois o nosso também tem data de validade (com muitos zeros mas tem).
      Quando só restarem buracos negros ou quando as partículas fundamentais se decompuserem. E ainda não sabem com certeza o que pode acontecer com o crescimento contínuo universo.

      E já agora, a natureza não recupera. Adapta-se.
      Como está a acontecer no nosso planeta agora. Está a adaptar-se para condições cada vez mais dificil para a vida como a conhecemos.

    • anon says:

      Convém não esquecer que ao apoiar causas ambientais na maior parte das vezes pessoas acabam por apoiar a pobreza. Tem toda a razão.

    • Cortano says:

      “– a Natureza depois recupera, em algumas décadas, de grande parte das alterações que são feitas;”

      Só com esta frase mostras a tua ignorância.

  4. Jo says:

    O problemas destas explorações é que só lucram uns quantos, mas trazem problemas ambientais para os demais.

  5. Antonio says:

    Basta descobrirem uma nova tecnologia de baterias e lá se vai o petróleo de lítio!

  6. jaugusto says:

    Já disse isto umas 500 vezes o litio tuga é menor qualidade usado em fornos de ceramicas e mais caro pois precisa mais quimicos na exploração, e a mim o que interessa são os 2 mil milhões investidos pela na polónia numa fabrica de baterias ai é que fica o valor …

  7. Carlos F. Cipriano says:

    O petróleo é o poluente que está na moda por isso o “pessoal” é contra a exploraçao no Offshore português a uma dezenas ou centenas de kilometros da costa já explorar o litio à porta em céu aberto é do “baril” porque as baterias (possivelmente com 200 ou 300Kg cada ) não são más para o ambiente é so larga-las na caixinha para o efecito hahahahaha

    • anon says:

      Isto é para o pessoal começar a abrir os olhos que os carros elétricos não são assim tão ecológicos. Poluir na China ou seja onde for é aceitável mas se for em Portugal já não.

  8. ToFerreira says:

    Acho piada é aos ambientalistas que são fervorosos defensores dos carros elétricos, mas são contra as explorações de litio…

    • anon says:

      Tudo é relativo. Enquanto os maiores poluidores não deixarem de poluir tudo que estamos a fazer na Europa será inútil. Pura demagogia.

    • Miguel S says:

      Penso que o status quo actual é bem pior.
      Temos que ir abandonando a economia do carbono e ir para o eléctrico.
      Ainda ontem vi uma noticia do Guterres quando recebeu o prémio Carlos Magno a sugerir transitar os impostos sobre rendimento das pessoas (IRS) para o carbono (combustíveis), achei interessante.
      Portugal produz mais de 50% da electricidade de fontes renováveis e se os carros forem carregados de noite ainda seria melhor devido à produção das eólicas, o que fazer com essa energia? Actualmente nas barragens bombeamos água para cima ou vendemos a outros países. Já chegamos a pagar para vender 😉 (por causa dos custos de transporte de energia), um absurdo.

  9. manito says:

    ” Litio é o petroleo de Portugal”…. explorado por terceiros!!!! boa Portugal, cada cavadela cada minhoca!

    • Asilva says:

      Aí está o comun cidadão português não irá usufruir um cêntimo da exploração, mas irá arcar com todas as consequências daí resultantes

  10. Rui says:

    Acredito que quem está em Lisboa, sentado a governar-se do país, pense assim.
    Já a população que vai ficar com a paisagem totalmente esburacada e com poços de vários km, onde fazem as suas vidas, acredito que não fiquem lá muito contentes!!!!!

    Costumo passar ao lado de uma antiga mina de ouro, desactivada à 60 anos, a qual nunca foi recuperada! Os tratamentos químicos são tais quem não se vê 1 única árvore no perímetro do terreno da mina, em contraste com a vegetação selvagem logo ao lado!!!!!

    Porque será!?!?!?

  11. Miguel Nóbrega says:

    A Angola está rica com o Petróleo? A Venezuela? o Kuwait? O México? A Nigéria?
    Porque seremos diferentes?
    Deixo as perguntas e passo a minha opinião, minas de Litio em Portugal? Não, obrigado.. prefiro investir em turismo de natureza, o retorno é maior monetáriamente e socialmente para todos os Portugueses

  12. Cortano says:

    Muitas áreas ardidas no ano passado, curiosamente, parece que afinal são potenciais recursos de litio… aliás, o governo está prestes a entregar essas áreas à exploração de litio…

    Era tudo contra a exploração offshore de petróleo no Algarve… agora espero que essas mesmas pessoas se manifestem contra as minas de litio.

  13. Samuel says:

    Se o governo começar a pensar que o lítio é o petróleo moderno então podem dizer adeus aos parques naturais, às aldeias e quem sabe até mesmo às cidades. Onde houver lítio tudo será destruído para ser esburacado. As consequências serão pagas por todos nós pois a água e o solo em redor destas minas serão envenenados.

  14. Fábio Miranda says:

    Mais vale um Planeta (país) de pobreza e habitável do que um Planeta cheio de riqueza e inabitável.
    Pensem mais nos vossos filhos e netos, porque casas constroem-se até com água e terra. Agora atmosfera respirável e habitável, não encontras em lado nenhum no universo.
    A pequena ação que tomamos hoje, mais do que nunca tem um impacto exponencial na saúde do planeta.

  15. Eduardo Nogueira says:

    Para o pessoal que anda distraido, pode ver como portugal é “ignorante”, através desta reportagem da tvi!

    https://tviplayer.iol.pt/programa/ana-leal/5bec51560cf26bfdcaedf1f9/video/5c002d990cf20b592eba6790

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.