Quantcast
PplWare Mobile

iPhone 12 poderá tornar-se no smartphone de maior sucesso de todos os tempos

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Rafa says:

    Cada vez vejo mais pessoas com iPhone. devem ser de borla. Na tv só artistas e apresentadores com iPhone, Apple Watch e nas redes sociais é cada vez mais as pessoas a gravar com iPhones . Até os tipo da one plus no Twitter usam iPhone para publicar. Não admira que vendam milhões.

  2. Paulo Pedroso says:

    Uma lista que não conta com o Nokia 1100 e com o 1110 cada 1 com 250M de uni vendidas, com o nokia 3210, 5230,1200, 3310, Samsung E1100, Moto Razr V3 é uma lista de vário telemoveis que venderam mais de 100M.
    Uma lista que poem iPhone 6 AND 6 Plus, (ou seja não se separa o 6 do modelo plus)
    Onde está a coerencia ? Que eu saiba o iPhone 6 é um telemovel e o iPhone 6 Plus é outro, assim como o iPhone 12 e o Mini. São telemoveis diferentes.

    • Abel says:

      Eles falam em smartphones e não em telemóveis.
      No entanto juntar 2 modelos de smartphones não faz qualquer sentido.

    • Vítor M. says:

      Como já foi referido, tens de ler bem, se não misturas tudo. Fala-se em smartphones e o iPhone 6 foi o mais vendido de sempre, como podes ver na tabela deixada. Depois, o facto de haver dois tamanhos, é o normal, porque, se vires, em todos os modelos, das várias marcas, são agrupados os tamanhos do mesmo modelo. São tamanhos diferentes do mesmo modelo. Assim como o iPhone 12 e iPhone 12 mini (não estão, por exemplo, o iPhone 12 Pro ou Pro Max).

      Depois dessa relação estão os vários modelos, 30 pelo menos, e os smartphones Apple dominam logo seguidos pela Samsung.

  3. Oscar Miguel Alho says:

    Não é novidade, todos os comparativos de telemóveis há sempre um telemóvel que está sempre presente, o iphone.

  4. Blox says:

    Devem ter sido bem pagos (Strecker Backe e Daniel Ives) por esta “analize” da treta…

  5. José says:

    IPhone? Unleach the dogs 😉

  6. A. says:

    Acho curioso, não ser o iphone 2020 SE, uma vez que é mais acessível, e apresenta características interessantes, será do facto do 5 G estar a ser um excelente Marketing ?

    • Celso R says:

      O iPhone SE teve algum hype no lançamento, maioritariamente com os bloggers e Youtuber dos EUA, onde a Apple tem uma cota de mercado maior que o normal e não há grandes opções de telemóveis de gama média/baixa, mas depois esfumou-se.

      Na Europa e noutros territórios existe uma concorrência muito forte da Xiaomi e afins, para além da gama Galaxy A.

      O fato de ter um design já datado e um preço maior do que nos EUA também não ajudou…

      • Vítor M. says:

        Certo, mas então repara na quantidade já vendida do iPhone SE de 2ª geração… face aos outros eventuais concorrentes que falaste. É que cada vez mais a oferta da Apple de serviços torna-se um incentivo para as pessoas comprarem um iPhone, como, por exemplo, o Apple Pay que é muito usado nos EUA. O Apple Music, outro serviço do dia a dia muito popular nos EUA. Pode ser importante um smartphone mais barato, mas ter de ser um iPhone. A integração do SE com os AirPods, com o Apple Watch, com o CarPlay não tem qualquer impedimento face aos outros iPhones mais caros. Por isso a Apple já vendeu mais de 24.2 milhões de unidades.

        • Celso R says:

          Sim, Vítor que a Apple está bem entrincheirada nos EUA não é novidade. 🙂

          Se bem que, pelo que costumo ler, o grande “serviço” da Apple nos EUA é mesmo o iMessage.

          Ainda fico estupefacto como é que um país inteiro se prendeu a um serviço de comunicação que só existe para um sistema… Depois falam de “blue bubbles” e “green bubbles” e até cortam pessoas dos grupos de chat por isto. Parece uma realidade alternativa.

          Quanto aos outros serviços, Apple Music também existe para Android, Apple TV+ também está a ficar cada vez mais espalhado, para os AirPods já existe bastante concorrência e todos os carros com Car Play também suportam Android Auto, não acho que seja por aí. O Apple Watch talvez…

          De qualquer forma, 24 Milhões de unidades é +/- 10% das vendas anuais médias dos iPhones. Não é mau, mas nada comparado com o hype que a maior parte dos blogs e YouTubers americano a este modelo quando saiu…

          • Vítor M. says:

            Há um segmento que quer este tipo de telefones, um mercado da indústria que precisa deste tipo de iPhones e nos EUA representam uma boa fatia. Sobre os serviços, esqueceste-te 😉 do mais importante que só há na Apple (gadgets) o Apple Pay e que é muito importante nesse mesmo segmento.

  7. Celso R says:

    Isto é normal, é matemática.

    A Apple vende cerca de 200 a 230 milhões de iPhones “novos” (não recondicionados) todos os anos, divididos por 6 a 7 modelos (considerando os modelos de anos anteriores).

    Depois é uma questão da popularidade relativa de cada modelo dentro da sua família.

    Já o Android vende 6 a 7 vezes isto por ano, mas dividido por centenas de modelos de várias marcas.

    Honestamente fico mais admirado por ver a Galaxy A51 a vender 95 milhões de unidades com a quantidade de outros bons telemóveis na sua gama de preço que existem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.