PplWare Mobile

Inglaterra: Condutor engana radar com laser e apanha 3 meses de prisão


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Falcão Azul says:

    Há sempre a corja dos espertinhos com os “esqueminhas” do costume para fugir de tudo e mais alguma coisa.Só que se lixam sempre.E ainda bem.

    • PoPeY says:

      Nem sempre… Queres uns nomes?

    • André says:

      Ui, o pessoal que levou alguns bancos à falência está todo a pagar pelo que fez! Ah espera…

    • Carlos Braga says:

      Flacão Azul, espero que um dia sejas tu a levar com multas sucessivas de velocidade. Basta nesse dia estares em emergencia medica e viveres fora de um grande centro e passes por 3 ou 4 radares que só servem para sacar dinheiro. Conheço 1 individuo como tu, que pensa que nunca irá exceder os limites. Mas quando o pai desse individuo teve um AVAC numa aldeia e não havia 112 e ambulancias disponiveis, ficou sem a carta e terá que fazer novamente exame daqui a 5 anos pq passou 4 radares a 180 Km/h. A unica coisa de boa é que o pai dele sobreviveu…

      • blablabla says:

        Não havia 112? Ou não havia cobertura de rede?
        Não havia ambulâncias disponíveis? Como sabe disto? Perguntou a alguém e disseram-lhe literalmente isso?

        História muito mal contada.

      • Sebastiao F says:

        História da tanga, conheço pessoalmente um caso semelhante, bastou fazer prova em tribunal de que se tratava de emergência médica e de que não haviam outros meios disponíveis para o socorro e foi totalmente ilibado de todas as multas.
        Por isso das duas uma, ou estás com tangas, ou esse teu “amigo” é burro e não contra-argumentou…

  2. Rodrigo Da Silva says:

    nunca percebi essa..Ha paises na Europa onde se pode usar um detector de radares sem problemas enquanto que outros nao.

    • Louro says:

      No uk podes usar alguns, nao podes usar é Radar Jammer…

      Acho que seja óbvio o porque.

    • Rui says:

      A multa e a prisão deve-se ao facto de ter um aparelho que impede a leitura da velocidade.

      Outra coisa diferente são os detectores de radar, sem interferência. Por exemplo um GPS ou telemóvel com as apps certas, identificam onde estão os radares (não todos)….

      • Joao says:

        Estás a confundir localizador de radares com detector. São aparelhos diferentes. O primeiro é totalmente legar el Portugal, o segundo não.

        • Rui says:

          E qual a diferença entre localizador e detector?

          • Joao says:

            Os localizadores recorrem a uma base de dados onde consta a localização dos radares e emitem um aviso com base na localizacao, como faz por exemplo o Waze. Os detectores sao aparelhos que detectam as frequências emitidas pelos radares e avisam de que existe um radar a aproximar-se. Estes últimos são os que são ilegais.

    • Toni da Adega says:

      Muitas dessas sao desnecessarias, no UK muitos dos radares estao devidamente identificados. A quantidade de radares nas Auto estradas é tal que a maioria (perto de 100%) do pessoal compre os limites de velocidade.

  3. Realista says:

    Não roube!
    O Governo detesta concorrência!

    • Joao Silva says:

      Parece-lhe normal conduzir tipo besta pondo em perigo os demais? Nestes casos, os únicos que roubam são estes mamíferos. Roubam a calma, a paz de espírito e por vezes a vida dos outros…

      • Rui says:

        E quem é o João para criticar quem quer que seja?
        Se eu for a 120Km/h numa auto-estrada, sou um cidadão cumpridor, se for a 130 ou 140 já sou um demónio?
        E o caso de um tractor que vai a 10 ou 20Km/h, sem qualquer luz (de 2 rodas, com várias pessoas penduradas entre o tractor e o atrelado), em que vou a ultrapassar um carro e dou de caras com o tractor, de noite e sem luzes? Só não houve uma catástrofe porque a estrada até permitiu passarmos os 3!
        E pessoas a conduzir com álcool? E sem carta? Ou quem atropela e foge?
        E quem não sabe fazer uma rotunda? Ou quem não usa o pisca?

        Pode pedir um lápis azul, para o nomearem o provedor do pplware

        • Toni da Adega says:

          Se é assim entao tudo bem. Se os outros fazem asneiras entao podemos fazer o que quisermos.

          Bom agora vou ali roubar o carro do seu Rui, porque se há quem faca entao eu também tenho direito de o fazer.

          • Rui says:

            Não misture as questões Toni. Sabe perfeitamente ao que me refiro.
            Mas vou mais longe, apesar de andarem devagar na estrada, faz algum sentido andarem na estrada papa-reformas ou mata-velhos, com condutores que não fazem ideia quais são as regras de trânsito?
            E como é possível circularem nas estradas, carros (diria carrinhas de mercadorias) que claramente não vão à inspecção à alguns anos?

        • Toni says:

          Que exagero de reação…
          Concordo consigo em todos os pontos por si apresentados assim como com o João pelo ponto que ele apresentou. Há que ser moderado a conduzir e tentar respeitar ao máximo as regras de transito. Pessoalmente prefiro uma condução de estilo mais defensivo.
          Como o Rui refere, existem muitos aspectos tão ou mais perigosos que o andar acima do limite da via em questão. Aqui a questão seja talvez em como monitorizar os restantes sem interromper o transito em demasia. Ter um radar na berma da estrada a medir a velocidade e tirar fotos ao veículo é uma forma não intrusiva ao transito de monitorização. Talvez ajam formas de monitorizar as restantes, mas quanto custam?
          Havendo um acidente causado pelos pontos que apresenta e sendo o indivíduo que o causou apanhado e provado o que fez, haverá certamente consequências.

          Mas tem toda a razão, esses pontos são tão importantes para a segurança rodoviária como o excesso de velocidade. Como monitorizar de forma sustentável e de forma não intrusiva ao transito?

        • ivan says:

          O problema e que há imensas pessoas que nem a 120km/h sabem conduzir mas isso já é outra história…isto das cartas de condução tem muito que se lhe digam porque na minha opinião nem 20% do skill básico é ganho

        • Joao Silva says:

          Essa estratégia de vitimização é fraca… falei genericamente e é óbvio que pequenos excessos de velocidade não podem ser comparados a atropelamentos ou excesso de álcool… é muita desonestidade intelectual fazer a comparação e tentar colar isso a outros. Recomendo a leitura mais atenta ao que escrevi, pois não menciono nada do que respondeu. Mas este tema é simples, o código da estrada separa perfeitamente todas as infracções que menciona e explicita as consequências. Em relação à história do lápis azul, é parvo demais para sequer responder. 🙂

          • Rui says:

            O João é que chama besta a quem acelera e eu é que sou agressivo, está certo. Besta era com certeza um elogio e eu é que não decifrei!!!!!!

      • Pintor says:

        Em algumas vias na Alemanha devem ser só bestas, visto não existir limite máximo de velocidade.

  4. Realista says:

    Onde é que se pode comprar um desses?!
    Eu querooo…

  5. ANTÓNIO JOSÉ GUIA DOS SANTOS says:

    Uma coisa é certa, que existem esquemas que detectam os radares é mais que evidente. Eu que vou na Autoestrada já nos meus 140 Km/h, isto é já transgressão, qual é o meu espanto que passam por mim como se eu fosse a 50.
    Por isso não condeno que a Policia faça uma fiscalização a estes sistema de se furtarem a serem detectados pelos radares.

  6. Vm says:

    Se fores do corpo diplomático já 200km/h já é legal. Ninguém te manda parar.

  7. Alpha says:

    Na Alemanha os troços sem limite de velocidade têm o mesmo ou menos nível de acidentes que as zonas limitadas…

    A velocidade tem como efeito piorar o acidente em si, não quer dizer que seja a causa directa (só é normalmente em caso de piso molhado).

    Estar com os recursos e a coação sempre sobre a velocidade é como tentar tratar de uma doença com analgésicos… nunca se resolve a verdadeira causa.

    • Alpha says:

      Uma coisa é certa… é a forma mais fácil de cobrar e ter receitas: multas por excesso de velocidade.

      Basta um radar, uma recta (normalmente é sempre em sítios onde não há perigo) e é só ligar a máquina!

    • malakias says:

      pois claro, consegue-se evitar um obstáculo ou segurar o carro com um furo a 200 da mesma maneira que se for a 100… é só g+enios da lâmpada!

      • Alpha says:

        Na autoestrada é suposto não haver pneus e obstáculos… Se o há, de forma regular, o problema é outro, porque a autoestrada é para andar rápido!

        Inevitáveis vão haver sempre, mas se queremos 0 mortes não andamos de carro!

        Agora, vamos lá ver, quantos radares já viram em rectas e sítios seguros onde facilmente se ultrapassa o limite? É constante! Alguém já viu um radar em frente ou ao pé de um hospital ou escola? NUNCA VI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.