PplWare Mobile

Governo acaba com serviço universal de telefone fixo


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Nildo says:

    bom! eu aqui em casa tenho linha fixa há vários anos e posso contar nos dedos às vezes que usei.

    • Leonald says:

      Sou do Brasil. A principal operadora, Vivo ( telefônica) empurra de qualquer modo as opções de internet com telefone ( oferecendo descontos, e valores exorbitantes para internet solo). Não uso fico pelo menos 5 anos. E não sinto falta.

  2. cmatomic says:

    Não se pensem em redes robustas , e depois não se queixem .

  3. Daniel says:

    A Altice só não repudia a falta de antenas no interior e a falta de fibra em muitas freguesias, como a minha. Se a Altice está assim tão preocupada, que assuma os telefones e não esteja à espera do dinheiro dos contribuintes para manter as linhas ativas, que cobre as chamadas telefónicas dos telefones públicos fixos.

    • m3mn0t says:

      Repare que o seu comentário até faz algum sentido mas…
      Seria mais honesto analisarmos a postura da ANACOM. Enquanto a ALTICE foi portuguesa, mais propriamente uma golden-share, a ANACOM pouco ou nada vazia. Obvio será dizer quer sabemos porque, não iria a ANACOM “virar o dente à galinha de ovos de ouro do governo”. Agora que já não o é, a mesma coloca “entraves” e “obrigações” em tudo da ALTICE (e não só), esta é uma realidade de quem está a par da situação. Em relação ao seu comentário, se a ALTICE podia\devia colocar mais “antenas e fibra” ? Podia….. mas depois vem a ANACOM exigir, sim EXIGIR, que a mesma seja obrigada a praticar preços “MAIS HONESTOS e COMPETITIVOS” ….. mas quem investiu a ANACOM ou a ALTICE? Isto são guerras de outros mundos… veja-se os preços por exemplo que se aplicou na MADEIRA e AÇORES em relação aos cabos submarinos!!!!

      • Realista says:

        “Os postos públicos de telefone, que são operados pela Meo, que é detentora do serviço universal neste segmento, afinal registam menos chamadas do que aquelas que a operadora inicialmente considerou. Segundo a Anacom, “o serviço universal de postos públicos prestado pela Meo regista uma média de uma chamada por posto público por dia no período de um ano (Abril de 2016/Março de 2017), de acordo com dados corrigidos pela Meo no passado mês de Agosto, complementados por correcções subsequentes”, número que “é metade do valor anteriormente reportado”, revelou o regulador em comunicado.

        (…)

        No total, os postos públicos registaram, com as correcções feitas, um total de 3,1 milhões de chamadas. Tinha sido reportado um tráfego de seis milhões de chamadas. Para a Anacom, “revela que a utilização dos postos públicos é muitíssimo reduzida”.

        Mas há uma justificação para esta diferença: é que nos 3,1 milhões não foram consideradas as chamadas automáticas de rotina geradas pelo sistema de gestão do parque telefónico, mas foram incluídas outras – não especificadas no comunicado.”

        Fonte: https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/telecomunicacoes/detalhe/foram-realizadas-3-milhoes-de-chamadas-num-ano-nas-cabines-telefonicas-da-meo

  4. carlos oliveira says:

    é uma vergonha estes contratos feitos a esbanjar o dinheiro dos contribuintes aos milhões

  5. Filipe B says:

    2 clientes!!!! 😉 Assim é difícil justificar, acho muito bem.
    Já em relação ás cabines tenho sentimentos mistos. Então e o turista? O pessoal chega no aeroporto, quer ligar para um táxi ou para o número do alojamento local, como faz? Até pode arranjar um n.º móvel só para duas semanas, mas mal chega não tem nada.
    Que se reduza a rede, nada contra, mas a eliminação acho pouco prudente.

    • LFC says:

      +1
      pensei o mesmo

    • DrFrank says:

      Roaming não há? Ainda para mais se for turista europeu mais facil fica.

      • Danny says:

        Não dependas apenas do roaming. Mania de depender apenas de um serviço e depois quando precisam, reclamam que não há. E depois nem todos ligam ao roaming pois sabem muito bem que as chamadas serão sempre mais caras. Tenho amigos e familiares que nunca dependem disso, preferindo comprar um cartao SIM e ter serviços durante a sua estadia. Até encontrar cartão, dependem do fixo.

    • Luis says:

      Já ouviu falar em roaming???
      Sim, o que nós vemos mais é turistas à procura de cabines telefónicas. Até porque quem faz turismo de certo abdica de ter um smartphone para poder viajar

    • Yur-pt says:

      O turista faz como eu faço quando saio como turista. Uso o telemóvel. Não faz sentido algum manter um serviço que ninguém usa só a pensar num possível turista sem telemóvel.

      • Filipe B says:

        Luis e Yur-pt,
        Em condições normais concordo convosco, pois também não me vejo a usar outra coisa que não o meu telemóvel.
        No entanto, existe uma coisa chamada info-exclusão. Nem todas as pessoas têm smartphones, e para muitos o serviço roaming é apenas uma palavra estrangeira sem qualquer significado. Para estas pessoas na minha opinião vale a pena manter cabinas em certos locais. Até pode ter um serviço web por detrás, mas um telefone fixo, pago a moedas ou cartão, seria um serviço público que gostaria que mantivessem (mesmo que pessoalmente nunca o use).

        • carlos oliveira says:

          o que o smartphones tem haver com o assunto ?
          eu não tenho smartphones mas tenho um telemovel não preciso da rede fixa
          os smartphones não tem nada haver com o tema ….

        • carlos oliveira says:

          o que o smartphones tem haver com o assunto ?
          eu não tenho smartphones mas tenho um telemovel não preciso da rede fixa
          os smartphones não tem nada haver com o tema ….

          • Filipe B says:

            O smartphone permite whatsapp/skype e similares. Não é preciso muito treino para ensinar qualquer pessoa, de qualquer idade, a usar estes serviços. Só falei de smartphones, pois permitem mais alternativas.
            Um telefone mais simples usa o igualmente simples roaming, mas também conheço pessoas que acham que o telefone não vai funcionar fora do seu país.
            O meu ponto não era acerca de 95% das pessoas que estão a ler este artigo que não precisam de ajuda. São os restantes que têm alguma dificuldade em acompanhar a evolução das coisas. O serviço público é também para estas pessoas.

  6. Fixo says:

    Aqui em casa deu-me muito jeito a rede de telefone fixo que estava instalada e não se usava – ata-se um cabo de dados ao fio do telefone fixo e puxa-se (uma boa rede doméstica, não se constrói só por com wi-fi).

    O telefone fixo doméstico tem a vantagem de não depender da rede eléctrica da casa – mesmo sem electricidade o telefone fixo funciona, ao contrário do VOIP. “Bem, mas agora, toda a gente tem telemóvel, não é preciso o telefone fixo!”. OK – desde que não esteja sem bateria (e não haja electricidade para o carregar) e a rede de telefone móvel funcione.
    E o telefone fixo não é só o doméstico – é também o das cabines telefónicas. “Mas ainda há disso. alguém usa?” De vez em quando vejo gente a usar, é porque é útil.

    • Casuístico says:

      Essa mania de “ser moderno”, usando só telefonia móvel ao invés do fixo que muita gente tem ( até pq. viciaram-se no FB, whatsapp, etc…), coloca as pessoas em vulnerabilidades desnecessárias. Telefone fixo é útil, muitas pessoas usam. É interessante como pessoas postam que telefonia fixa é inútil baseadas em suas próprias experiências. típico pensamento ” eu não preciso, logo, ninguém mais precisa”, só que no mundo real não é assim. Saudações.

    • DrFrank says:

      Pagas tu os custos para alguém usar de vez em quando só porque é útil para uma percentagem insignificativa da populacão?

    • Eu says:

      Não é o serviço fixo que está em causa, mas sim o Serviço Universal! São coisas diferentes.
      E o Serviço Universal actualmente fornecido em muitos lugares nem fixo é!

      • Fixo says:

        Diz o título do post: “Governo acaba com serviço universal de telefone fixo”.

        Diz o “DN”: “Serviço universal de telefone fixo acaba. Cabines telefónicas poderão ter net”

        O que está em causa é o serviço universal de telefone fixo.

  7. Nuno Oliveira says:

    Telefone fixo???
    O que é isso???

    • Fixo says:

      Era um fio que saía da parede ligado a um telefone que funcionava sempre. Como a rede fixa está concessionada a um único operador (creio que a MEO) e as pessoas queriam continuar a ter um “número de casa”, os operadores passaram a oferecer o “numero de casa VOIP”.
      Quando há electricidade e internet não se nota a diferença. Quando não há nota-se.

    • Fixo says:

      Era um fio que saía da parede ligado a um telefone que funcionava sempre. Como a rede fixa está concessionada a um único operador (creio que a MEO) e as pessoas queriam continuar a ter um “número de casa”, os operadores passaram a oferecer o “numero de casa VOIP”.
      Quando há electricidade e internet não se nota a diferença. Quando não há nota-se.

      • Pedro F. Sousa says:

        Desculpa lá mas não consigo concordar…
        Há 8 meses as baterias instaladas nos postes tinham uma durabilidade média de 1 minuto e 18 segundos e uma das empresas onde trabalhei concorreu para a substituição das baterias…
        Onde moro, quando falha a luz o telefone fixo não aguenta mais de 15 segundos…
        Por isso, muito honestamente, mais vale confiar na bateria de um telemóvel do que nos telefones fixos…

    • LFC says:

      ainda uso… para ligar para números de valor acrescentado quando não sei o tempo que vou estar em espera.
      à 2 semanas tive em chamada com a eDreams e só em espera foram 15min para me atenderem e esse valor é pago à mesma.
      Mas é verdade que já é raro o uso do fixo.

    • Yur-pt says:

      É um serviço que noutros tempos, só para teres o fio ligado na habitação, te cobravam uma taxa nada barata, quer usasses, que não.

  8. Blue Beast says:

    Não é que use muito cá em casa mas o telefone fixo faz-me muita falta.Até pelo benefício de ligar para o serviço fixo ou móvel sem pagar,derivado do contrato que tenho com a minha operadora.Posso estar um “x” tempo a falar sem pagar,o que é muito benéfico. 🙂

    • Pedro F. Sousa says:

      O telefone da tua operadora não vai acabar. O que vai acabar é o serviço universal de telefone…
      Aquele que está em casa de quem não tem televisão nem internet por cabo…

  9. Zé Tuga says:

    Reparei agora que tenho um telefone fixo cá em casa. Nunca tinha visto.

  10. Rui Mendes says:

    Conheço dezenas de pessoas que só têm telefone fixo, não sei onde foram buscar essa dos 2 clientes…

    • carlos oliveira says:

      devem ter se não os entregaram á pt eu tambem tenho nunca o vieram buscar deves estar pro sótão
      só os estupidos ainda pagam assinatura de uma coisa inutil é tipico dos velhos com ideias jurassicas
      ainda deve haver alguns pessoas com problemas que não sabem se gerir

  11. JJ_ says:

    Dizer que o serviço “apenas tem 2 utilizadores” é enganador!
    Apesar da NOS ter o contrato para o serviço universal, quem na realidade o prestava era a Altice.

    Na altura dos incêndios, a 2 anos, o presidente da Altice destacou isso mesmo, que a NOS tinha o contrato do serviço universal, mas depois tinha de ser a Altice a preocupar-se que o serviço universal fosse reposto. A NOS nessa altura passou zero metros de linha de cobre… apesar de estar “obrigada” a garantir um serviço universal do telefone. O que a NOS fez nessa altura, foi tentar fazer contratos com as pessoas para mudarem de operador, principalmente para os serviços que incluam TV, mas como muitos não queriam esse serviço e o telefone “fixo” (que na realidade é movel) não tinha cobertura em muitas aldeias, as pessoas simplesmente ficaram a espera que a MEO restabelecesse o serviço.

    O problema de se terminar com o serviço universal, é só um: num local onde não haja cobertura de rede móvel, por exemplo em aldeias do norte no meio de um vale, nenhuma operadora vai ser obrigada a lá ir por uma linha telefónica!

    • Eu says:

      A NOS fala dos clientes dele e “esqueceram-se” dos clientes do Serviço Universal que ficaram pendurados na PT/Altice, sem que ninguém lhes tenha dito nada! É o que temos. Uma ANACOM inútil e interesseira, empresas que se estão a borrifar para os clientes, que só querem “patos” que lhes paguem rendas com fidelizações de 2 anos.

  12. LA says:

    Não vejo qualquer utilidade no telefone fixo, para a maior parte dos portugueses. E não vejo também qualquer utilidade no serviço de cobre, senão para quem ainda não tem Fibra e necessita de internet sobre ADSL. Se reforçarem a cobertura 4G, o cobre deixa de ter sentido por completo, visto que já à algum tempo, que os números fixos podem ter infraestrutura GSM.

  13. Joao Ptt says:

    A Meo/ Altice com mais um momento cómico!!!

    Esta é a mesma empresa que fecha cabines telefónicas em locais onde não existe nenhuma outra nas proximidades, e que tem cabines telefónicas meses a fio sem funcionar (o que revela a profunda preocupação que eles NÃO têm com esta área… excepto receber o dinheiro do estado… com isso já se preocupam), e que mesmo depois de comunicada a avaria podem demorar semanas até finalmente se dignarem a resolver o problema… que normalmente acontece de novo passado pouco tempo.

    É fácil de compreender porque as cabines têm tão pouca utilização, mesmo que alguém as queira utilizar a probabilidade de estar avariada é altíssima!

    Meo/ Altice, se alguém da área das cabines públicas me estiver a ler (sei que não):
    – Acabem com as actuais cabines telefónicas.

    Substituam por novas cabines telefónicas como fez a BT na Inglaterra… e ofereçam chamadas gratuitas para todas as redes nacionais (fixas e móveis) e cobrem só pelas chamadas de serviços especiais; ofereçam Wi-Fi gratuito de alta velocidade (ligação fibra óptica de 1 Gbps ou superior, com ligação satélite como recurso de emergência embutida na própria estrutura); tenham sensores ambientais (poluição, etc.) com informação exibida localmente e pela Internet; tenham vários pontos de carregamento por ligação USB gratuitos; e coloquem publicidade para pagar tudo isso. Deve incluir baterias que permitam manter tudo a funcionar (excepto talvez os ecrãs publicitários que gastam certamente bastante energia) durante pelo menos duas semanas.

    Talvez assim conseguissem justificar receber um subsídio do estado para garantir a viabilidade económica (que a publicidade em princípio seria por si só mais que suficiente)… já que entre chamadas gratuitas/ Wi-Fi gratuito, informação ambiental e carregamento de dispositivos móveis, já seria fácil justificar a utilidade pública e por tanto o subsídio.
    A questão das baterias para durar pelo menos duas semanas caso recebessem subsídio do estado deve a Meo/ Altice comprovar que têm um contracto junto de uma empresa especializada que monitorize o estado das baterias e as substitua quando necessário para garantir o cumprimento da durabilidade… caso contrário a probabilidade de o posto deixar de funcionar em caso de falha eléctrica será mais que muita já que ninguém quererá gastar dinheiro a mudar baterias se não for obrigado.

  14. Joaquim de sousa Ferreira os says:

    O telefone fixo não deve acabar mas tem que ser modernizado ara dar lucro porque coisas sem lucro não funcionais parabéns Joaquim de Sousa ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.