PplWare Mobile

Cuidado: E-mails de Sextortion (extorsão sexual) têm novo esquema Ransomware


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Zeze.camarinha says:

    A vossa solução é um primor. Não ligues, apaga a mensagem sem a leres que assim não sentes 🙂 assim não existe 😀
    E que tal, por exemplo, não ter câmeras ligadas ao computador? E para quem usa portátil, basta colar qualquer porcaria na camera, toda a gente faz isso desde há muito tempo.

    • Vítor M. says:

      Porque é um disparate o que dizes. Basicamente tinhas de desligar o microfone também, a câmara do computador, do telemóvel… a dares ouvidos a determinados email de “engenharia social” que apenas estão a trabalhar na tua cabeça. Ora se dominares a informação, tiveres a máquina bem protegida e atualizada e não tiveres software pirata, cheio de cracks e “cenas”, não tens de te preocupar. E olha que muita gente ficou “aflita” com este email que andou a circular, pela “familiaridade” que continha no mail.

      Não ligues, ignora, porque dominas a informação sobre o método usado. 😉

      • Zeze.camarinha says:

        Vítor, aproveita e vê também o link que deixei em baixo aqui no outro comentário, imagino que domines melhor a informação que o boss do Facebook, e repara, então não é mesmo um portátil da Apple? Não me digas que tem para lá cracks e cenas, ou melhor, não me digas que não está bem protegida e que não recebe actualizações!

        • Vítor M. says:

          Como posso eu dominar algo mais que o próprio “hacker” que invade tudo, até o microfone? Tu, o que estás a dizer, é apenas meia verdade e meia inverdade. Ele, como já mostrou por várias vezes, dá uma no cravo e outra na ferradura, para confundir, iludir. As pessoas seguramente, com o Facebook, mostram mais com as suas visitas do que com as cãmaras 😀 e nem vamos falar no microfone, que fica sempre a dúvida se o teu dispositivo não está sempre a ouvir o que dizes para angariar preferências de anúncios no Facebook. Fica a dúvida eterna 😉

    • FS says:

      Zezé tu és um fenômeno, nunca tinha pensando nisso, acho que vou por aqui um pouco de fita-cola para nunca mais ver os teus comentários. 😉

  2. Danny says:

    há uns meses recebi algo muito parecido ao que esta aqui exposto. Mas depois olhei bem para o mail e vi duas falhas. A primeira é que dizia para fazer pagamento via bitcoin. Para aqueles que nao sabem o que é bitcoin? como funciona isso? e tenho 24 horas para fazer a transferência? penso que o que se quer é pagamento rápido e simples. O tal “toma lá e dá cá”. dai ter desconfiado um pouco.
    Mais desconfiado fiquei pela ameaça.
    Se nao fizesse o pagamento, enviava o vídeo a todos os contactos. Se eu nao acredita-se, entao que responde-se ao mail e ele enviava o vídeo a 4 contactos. LOL. entao enviar a 4 ou a todos é a mesma coisa. e claro, vi que era treta e óbvio nem paguei.
    Mas confesso que no inicio o coração acelera um pouco.
    Isto que acontece é muito mau e pior é para quem apenas lida com a internet para andar nas redes sociais.
    A noticia de “Mais de metade da população mundial estará ligada à Internet até o fim do ano” encaixa bem neste momento. Nem mesmo metade dessa metade deve saber lidar com a internet.

  3. SIM says:

    Usem iOS e estao safos.

  4. X2o says:

    Estes piratas devem ter acesso a centros de dados verdadeiramente fabulosos ou equipas de milhares de pessoas para serem capazes de armazenar todos os dados dos milhares de pcs que hackeam e investigar ao detalhe toda a informação que pretendamente recolhem… É inverossímil que um hacker tenha recursos para fazer o que afirma que faz na mensagem. E se os tiver usaria para atividades bem mais proveitosas pois de burros não têm nada..

  5. Rui says:

    Já recebi a mesma trata via email, nem me afligi, primeiro não é o primeiro email do género que recebo, segundo tenho as minhas máquinas sempre actualizadas e sei onde clico e o que faço na internet, terceiro quem não deve não teme.

  6. Chevichev says:

    mas ainda há gente que se preocupa com isto? Eles não têm nada, zero.

  7. JJ_ says:

    Não clique e não acredite, em tudo o que vê na Internet.
    Por incrível que pareça esta é a melhor solução contra este tipo de situação.

  8. nm says:

    Quem não deve não teme. Shift+Delete nesses mails da treta e nunca ter passwords guardadas nos browsers.

    • mlopes says:

      parem de repetir essa coisa do “quem não deve não teme”!
      leiam e informam-se!
      essa “coisa” para além de tentar inverter de forma grosseira o ónus da prova, é perigosa, ignorante e complacente com sistemas ditatoriais de várias índoles!
      mais uma vez deixo uma explicaçãoo sobre esta matéria, desta vez nas palavras de outrem:

      “A diferença que existe entre “Quem não deve não teme” e “Quem deve teme” (…) é a mesma que existe entre as tiranias e as democracias.
      Uma das formas usadas pelos regimes de força para se impor — além da violência física propriamente dita — é a disseminação do medo. Aqui vai entrar o concurso da gramática. Há duas orações em “Quem não deve não teme” — trata-se de um período composto. O sujeito da segunda (não teme) é a primeira (quem não deve). Este sujeito da gramática é também um sujeito político que se afirma por meio da negativa, do que não fez. No ambiente de suspeição, ele está tranqüilo porque, de fato, é o “não-sujeito”. Ou, pior ainda, “não dever” é uma condição que lhe é imanente — já que é próprio das tiranias separar os homens, por princípio, entre “os que devem” e os “que não devem”.
      Já o “Quem deve teme” perde o sentido de uma sentença e de um norte moral para ser uma constatação referencial dos regimes onde vige o estado de direito. O sujeito da segunda oração (teme) é a primeira (quem deve). Há uma diferença abismal entre as duas perspectivas. Nesse caso, o sujeito “teme” porque sabe que “deve” — e, pois, ainda que contra a lei, afirmou-se positivamente. Ele não vive assombrado pelo que não sabe o que seja, a exemplo daquele outro. O que pode eventualmente persegui-lo é um código que ele sabe que transgrediu.
      As implicações não são só essas, não. Há outras. Na sociedade do “Quem não deve não teme”, o indivíduo está convidado a provar permanentemente a sua inocência, dado que está sob a ameaça de que alguma acusação lhe caia sobre os ombros. Ainda que aconteça, nada devendo, ele se encarregará de provar que é inocente. Ocorre que, nas democracias, é o estado que tem de provar a sua culpa. Culpa que aquele “que deve” tem consciência de ter. E o que ele “teme”? Justamente ser confrontado com as provas dessa culpa — e cabe ao acusador apresentá-las.”
      Reinaldo Azevedo in Veja

      • Alpha says:

        O que se passa cada vez mais na sociedade é isto… O “quem não deve, não teme” referido pelos políticos diversas vezes como Joseph Goebbels, é hoje dito e aceite, infelizmente por uma grande parte das pessoas.

        A autoridade fiscal mais especificamente, em todo o seu funcionamento funciona sempre sob essa doutrina, nós à partida somos culpados e temos de provar o contrário! Usam o medo e a coação para o fim e utilizam-se do resto da população para uma moral de “dar o exemplo”, como se todos tivessem de acordo e TODOS os impostos são necessários e para pagar.
        Andamos preocupados que hackers, Google e outros vejam demasiado das nossas vidas, mas aceitamos que qualquer empregado da AT possa saber o que compramos, com que cartão, quando, onde, o que ganhamos, o que temos na conta, dados pessoais etc… basta ter um amigo na AT e sabemos tudo de alguém! Tudo em nome de um “bem comum”, como todas as sociedades a caminhar para o autoritarismo.

    • Eutemo says:

      O que eu devo a alguém só a esse alguém diz respeito. E a minha privacidade não é um livro numa biblioteca, para ser consultado.
      Se te perguntar sobre a tua vida íntima tu respondes? Mandas fotos? Mandas vídeos? Posso pedir para tue mandares a tua declaração de IRS?Temes o quê?

  9. Wishmaster says:

    Já recebi um email desses e de facto tinha lá uma password que usei há uns 3 anos… Como o desgraçado do hacker estava tão desactualizado, não liguei muito, mas mesmo assim não deixei de pensar que pudesse mesmo ter entrado no meu email ou computador. Mudei logo a palavra-passe de novo e mudo todos os meses.

  10. Vasco says:

    Idêntico a receber um correio postal a pedir para abrir a porta de casa em certa data e hora. Tolos, existirão sempre.

  11. Koso says:

    Esses gajos haviam de ser linchados do cimo da Terra.

  12. Joaquim Urbano says:

    Já cá contam dois desses. A ambos mandei-os phuder e lamber a kon@ à mãezinha deles. Em inglês, em japonês e em chinês (um era japonês e outro chinoca). Mas tenho uma Logitech com tampa no olho do ku da objectiva, por isso se estiver a dar uma, não vêm e geralmente quando faço isso, a máquina está desligada. PQOP.

  13. ked says:

    Procurem na China e encontram o autor desses e-mails!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.