Quantcast
PplWare Mobile

Apple Watch salva vida de utilizador com úlcera perfurada

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Joao Silveira says:

    Ainda bem que ele tinha o apple watch, imagina se ele tivesse com dor, mal-estar, tontura, “batedeira no peito” e olhasse pro seu relógio comum sem nada avisando para procurar um médico, estaria morto agora.

  2. Manuel Gomes says:

    O homem sente-se mal, com tonturas e ainda começa a sangrar e só procura ajuda porque o relógio diz para procurar?
    OK, não vejo nada de errado nessa história.

    • Belmiro says:

      EUA… já foram várias notícias em varios websites de “salvamento” das pessoas mas em todos os casos só se as pessoas fossem (literalmente) limitadas do cérebro.

      Em todas tiveram taquicardia, e em todas já eram condições “crónicas” o que significa que já teriam manifestações (cansaço muito exagerado, palpitações, edema nos membros, palidez anormal, etc. ) mas estas alminhas só foram ao médico porque o relógio lhes disse…

      Espero que esta moda e estupidez não chegue a Portugal.

    • Vitor says:

      Já apareceram diversas “Estórias” deste género e todas têm uma coisa em comum…é sempre um “aparelho” da Apple que “salva a vida” do doente!Desde um Apple Wacht passando pelo iPhone que faz “alertas” e detém “balas perdidas” em tiroteios…um dia destes os médicos fazem uma petição para que esses produtos sejam banidos! Mesmo em situações criticas os smartphones de outras marcas têm uma “paradinha” e deixam de funcionar…os da Apple nada os pára!!

    • Toni da Adega says:

      O problema é que as pessoas vao comecar a ligar somente a estes dispositivos, um dia o dispositivo nao dá alerta e ai vao começar a culpar e a chover pedidos de indemnização.

  3. Blackbit says:

    Ainda bem que ficou bem e que o problema foi detectado a tempo de o salvar.
    Agora ler coisas como “…perdendo 80% do sangue.” fica mal na historia, pois não creio que seja possível sobreviver depois de uma tão grande hemorragia.

    De resto, por esta altura o paciente deve dar por muito bem empregue a compra do smartwatch 🙂

    • Vítor M. says:

      It’s a good thing Monzidelis heeded the warning from his Apple Watch, and left when he did: During the ensuing 30-minute drive to he hospital, he told NBC that he lost about 80% of his blood in the car and was constantly drifting in and out of consciousness.

      • Eduardo says:

        Ainda que a tradução esteja correta, o fato em si não está. 80% é morte. Foi só força de expressão.

      • Belmiro says:

        Sensacionalismo (não vosso, da história original) tipico americano.

        Muito antes de chegar ao ponto do sangue pela boca (falo de semanas e com recidivas) o homem teve que ter dores fortíssimas, estômago distendido, muito má disposição, há muito sangue visível nas fezes, etc. e … ainda assim não foi ao médico?

        Pior: o choque hipovolemico (batimentos mais rápidos por falta de volume sanguíneo) só começa com perdas significativas, o que diz que o homem já tinha perdido muito sangue até o relógio detetar a alteração. E perder 80% de sangue??? Lolol estaria morto.

        Ou seja: todas estas histórias são demasiado surreais, mal contadas e (quase) só possíveis num país onde a medicina é para poucos, cara e onde muitas pessoas vão ao médico so quando estão a morrer. Felizmente na Europa e noutros países civilizados isto raramente acontece.

      • Toni da Adega says:

        Clinicamente é impossível até podia perder até 40% e mesmo assim era esticar muito.

        Class IV Hemorrhage involves loss of >40% of circulating blood volume. The limit of the body’s compensation is reached and aggressive resuscitation is required to prevent death.

        Muito provavelmente isso deve ser lido:
        80% do sangue perdido durante a hemorragia, nao 80% do sangue total

        • FO says:

          “…HE TOLD NBC that he lost about 80% of his blood…”

          A NBC defende-se proactivamente de qualquer acusação de sensacionalismo dizendo que, “foi ele que disse”. AHAHA

        • Nadadenovo says:

          Estão a espera que a pplware perceba de factos ou faça alguma research? As histórias são simples copy paste.

          • Sr. Velho says:

            Não digas asneiras.

          • Vítor M. says:

            Sim, como tu o farias, porque os espertos são como as andorinhas da primavera, mandamos um mail ao homem. Estamos á espera que ele recolha o sangue que restou para fazer a diferença. Depois, com essa diferença, iremos ao laboratório esvaziar o homem de todo e qualquer sangue e por fim vamos encher até à rolha para saber quando cabe e subtrair o que foi recolhido anteriormente.

            Por fim, vamos a todas as fontes que noticiaram e vamos corrigir, temos já um corretor fantástico, uma pasta branca da melhor qualidade para esborratar os 80% e colocar o valor calculado.

            Estamos a tratar, calma, dá tempo para encher a seringa.

        • Vítor M. says:

          Certo. Toni, poderia ter sido muita coisa, mas as fontes oficiais dizem uma coisa, não podemos inventar. Provavelmente podes ter razão, mas os dados que existem, em todas as fontes, são esses. Contudo, esse é um dado que não tem a importância de toda a história, o importante é a capacidade de monitorização e alerta do Apple Watch, isso sim é um dado que tem transformado este gadget no mais usado dos smartwatches e que tem levado a muitos developers a investir em fantásticas aplicações. O resto, são acessórios do que realmente se passou a seguir.

          • LR says:

            Vitor, sem querer estar a aumentar a discussão: que fontes oficiais? O que a vitima disse à NBC? Isso não é uma fonte oficial.

            Não há dúvida nenhuma que o homem teve uma grande sorte, e que o desfecho podia ter sido outro. Também não há dúvida que é importante a capacidade de monitorização e alertas do Apple Watch. Mas, como diz o João Silveira e o Manuel Gomes, se com todos os sintomas que o homem teve de apresentare ignorou, e apenas procurou ajuda quando o Apple Watch o alertou, ainda bem que o Apple Watch não tem um sensor de parvoíce, senão deste homem não se calava…

    • AiOGajo says:

      Hemorragia é uma perda de sangue interna…

      Obviamente que não há problema nenhum, porque é dentro do corpo que o sangue deve estar.

      • AiOGajo says:

        *BADUM*TSSS

      • LR says:

        Calado, serias um poeta.
        Uma hemorragia é a perda de sangue do sistema circulatório. Pode ser interna ou externa. Externa é o tipo de perda de sangue para o exterior do corpo. Interna é a que se produz dentro do corpo, e que não sai para o exterior do mesmo. Corrigida a primeira asneira.

        Quanto à segunda pérola de sabedoria, o sangue deve estar dentro do corpo, mas confinado aos seus locais naturais. Ou achas que teres o estomago cheio de sangue é normal e inócuo? E porque não teres o espaço intracraniano cheio de sangue? Está dentro do corpo, é normal, certo?

        Há com cada um…

        • Noboruu says:

          Perdeste uma bela chance de estar calado, ele estava apenas a brincar com a situação porque a pessoa em causa apenas decidiu dirigir-se ao hospital após o relogiozinho o avisar.

  4. Marco says:

    Quando falam em apps e só existem nos EUA!
    😐

    • Vítor M. says:

      Não é apenas uma app, é o estudo que está por trás e que, como vem sendo norma, acaba por alimentar outras apps que vão beber aos dados recolhidos. Várias outras apps estão disponíveis, como já demos a conhecer.

  5. Filipe says:

    Infelizmente, caíram novamente que nem patinhos em mais uma história inventada. Mesmo que não fosse inventada, foi exagerada ao extremo. É pena ver cada vez mais coisas dessas aqui e em todos os jornais. O mais engraçado é que tem sempre artigos da Apple metidos ao barulho nestas brincadeiras para parecerem que são produtos milagrosos para o ser humano. Têm de ter cuidado com as vossas fontes.

    • Vítor M. says:

      Sim sim sim… só porque não gostas já achas que é mentira. Aproveita a informação dedicada, conhece os factos e percebendo, custa-te menos. Há tanta coisa que não sabes que contamos na informação 😉

      • Nuno says:

        O facto da notícia indicar que o paciente perdeu 80% do sangue? O facto da notícia dizer que os médicos afirmaram que o Apple Watch salvou-lhe a vida, mas não colocam a opinião de um único médico? O fato de uma pessoa perder sangue, sentir-se tonta e precisar que um gadget lhe indique para consultar o médico, não é indicativo da falta de inteligência deste? Se calhar o que o Apple Watch devia de ter indicado era que este procurasse um psiquiatra.

        Eu não duvido que o episódio tenha acontecido, mas também não duvido que este foi distorcido para que este fosse, nada mais, nada menos, que publicidade ao apple watch.

      • Joao Magalhaes says:

        Na história original o rapaz disse que perdeu 110% de sangue, mas depois alguém lhe disse que era melhor ser 80%, era “mais credivel”. Mais um com um gadget da Apple só para dizer que tem pois esse rapaz só tem m… na cabeça, o ritmo cardiaco com um nivel alarmante e o rapaz não sentiu, foi necessário o relógio, loooooooooool. Isto é noticia de Correio da Manhã, mas como é Apple nada como publicar aqui.

  6. Adalberto says:

    Aquelas coincidências que só acontecem nos EUA

  7. dino says:

    Todos os anos um Apple device salva vidas. É incrível! !
    Na terra dos rednecks isto funciona.

    • Vítor M. says:

      Não é todos os anos, é quase todas as semanas que são dados a conhecer estes casos, o que mostra a importância cada vez maior destes dispositivos de monitorização dos sinais vitais. Alias, agora só alguns estão a usar e a dar importância, mas em breve, daqui a poucos anos, é algo que não vais sair de casa sem andar com um dispositivo destes. Tu, como todos, terão interesse na monitorização constante dos muitos dados recolhidos referentes à nossa saúde.

      É a evolução tecnológica. Repara que a partir deste ano os veículos novos já têm de trazer eCall, contudo, em 2010 já tínhamos falado neste tipo de tecnologias: http://bit.ly/2KzrLfj

      O que ontem (como dizes de hoje) era algo desnecessário, hoje é obrigatório. 😉

      • Nuno says:

        Quando afirmas que estes dispositivos salvam vidas, tens que demonstrar que estes realmente salvam vidas. Isso significa que tens que demonstrar que nos casos como este, a vida da pessoa estaria em rico se estes não possuíssem um apple watch. Também acho deveras estranho os únicos casos reportados sejam de pessoas que utilizam Apple Watch e não outros gadgets. Dizer que é obrigatório um gadget destes é no mínimo ridículo. Para tal tens que demonstrar que o número de vidas salvo por estes é significativo.

      • Dino says:

        Podem até salvar vidas mas o curioso é só acontecer com a Apple!
        Pelo menos noticiado é sempre da Apple. É no mínimo estranho e eu não acredito (estou no meu direito).
        Eu diria que estás claramente ao serviço da Apple Portugal.
        Espero que te paguem bem.
        Um bem haja

  8. Joao Silveira says:

    Gente limitada… Continuem a gastar dinheiro com gadgets inuteis e carissimos, pois as grandes Empresas agradecem… E de preferencia troquem todos os Anos, pois assim eles podem continuar a subir os lucros desenfreados que tÊm e o povo pode abanar os braços a exibir os tão famosos e importantes gadgets que tanta falta fazem no dia a dia…

  9. censo says:

    Pplware, comentários via app android não aparecem. Alguma sugestão ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.