Quantcast
PplWare Mobile

ALERTA: Há um novo esquema com o sistema de pagamentos MB WAY

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. paulo says:

    este artico foi patrocionado por alguma entidade bancaria?

    Não aceite fazer pagamentos através da aplicação;
    Sempre que possível, realize os seus negócios de forma presencial;
    Receba os pagamentos presencialmente ou através de transferência bancária;

    a solucao nao seje burro é simples!

    • Blackbit says:

      +1
      Essas recomendações não fazem sentido e vão contra o proposito do MBWay.
      A dar conselhos que sejam com sentido.

    • Luisão says:

      Concordo com o Paulo, não percebo o sentido de “Não aceite fazer pagamentos através da aplicação;
      Sempre que possível, realize os seus negócios de forma presencial;
      Receba os pagamentos presencialmente ou através de transferência bancária;” a aplicação MBWay não tem como objectivo facilitar essas transacções?
      Se alguém tem dúvidas de como a aplicação funciona ou de alguma funcionalidade o melhor é não instalar e informar-se antes de fazer seja o que for.

    • gabs says:

      objetivo da aplicação: fazer pagamentos pela aplicação sem haver contato

      pplware: não aceite fazer pagamentos através da aplicação. sempre que possível realize de forma presencial.

      lol

    • Vítor M. says:

      Acho estranho, e só vejo uma razão, para quando alertamos para perigos e esquemas fraudulentos um ou outro ficar irritado com isso 😉

      Contudo, sempre que tivermos de alertar e desmascarar estes esquemas, vamos fazer. Aqui, como o artigo era sobre pessoas que não dominam a ferramenta MB WAY, claramente que não devem fazer pagamentos por lá.

  2. Luis Henrique Silva says:

    Essa do “Não aceite fazer pagamentos através da aplicação” é um pouco descabida, então querem que façam como, o MBway serve também para isso….
    Ao menos diziam por exemplo, confirmar destinatário, ou confirme se não é burla o pagamento……porque há situações que se fazem pagamentos sem ser presencial

  3. Rui Costa says:

    Ora, segundo a PPLWARE, a primeira linha de segurança contra burlas, via MBWAY, é não utilizar a aplicação. Até iria mais longe. Para evitar burlas via internet é deixar de utilizar a internet. Como se evitam acidentes rodoviários? Evitando andar em qualquer veículo. Como se evitam os incêndios? Cortando todas as árvores e mato.

    Aprendi muito com este post.

    • Joao Ptt says:

      Nos EUA por causa de algumas mortes de pessoas com armas semi-automáticas de cano longo (menos de 300 mortes por ano), já existe quem peça a sua proibição, e claro que outros começaram já a pedir por exemplo das bicicletas para crianças, já que mais crianças morrem de acidentes com elas (+/- 700) do que pessoas morrem com armas de cano longo semi-automático, e claro que as pessoas deixem de comer, já que morrem centenas de milhares (655,000) de pessoas todos os anos de comer, e que deixem de usar-se automóveis já que morrem dezenas de milhares (38,000) de pessoas, e que as pessoas deixem de ter casas (18,000), já que milhares de pessoas morrem todos os anos em casas.

      O que tem isto haver? Demonstra a estupidez, acabar com algo útil não faz sentido, o que faz sentido é mudar as coisas para tornar difícil a sua má utilização.

    • MACnista says:

      … evitas incêndios não fazendo fogo, não é cortar as árvores, se não fizeres fogo logo…

    • Narciso Miranda says:

      Ainda ia mais longe… como medida supra de segurança, é deixar de respirar

  4. Piwi says:

    Indo de encontro ao que já vários utilizadores já aqui referiram e complementando, não se percebe como
    se escreve no primeiro parágrafo que o sistema MBWay é seguro e mais à frente se desaconselha a sua utilização.
    O sistema é seguro e funciona muito bem. O problema reside na iliteracia digital e essa só se combate com informação. Se as pessoas forem informadas não caem nestas fraudes, nem em phishings ou smishings, etc…
    Se queriam uma recomendação como deve ser, ao invés de terem escrito como fizeram, deviam ter escrito “Não use/adira ao sistema MBWay se não sabe como funciona e o risco que corre ao colocar códigos no Multibanco por sugestão de desconhecidos.”

  5. Joaquim says:

    Estão a jogar muito fogo para uma aplicação muito útil, e utilizo sem problema para até comprar no OLX.
    HA que apostar mais na educação, e informação. para evitar as situações, NÃO as PLATAFORMAS.

    Vamos lá cancelar E-MAIL em geral, porque existe BURLAS (phising), até bastante convincentes. Pq dá para forjar o endereço email de origem. (mas vendo headers do email, vemos a origem) sei que é mais técnico.
    mas informar as pessoas para olharem os domínios!
    Mas vendo os Links do email (é sites, .br / .fr / etc)

    Se continuar assim, estamos a cancelar bons serviços, por falta de educação!!!

    Como coisa acontecido no facebook, que aparece a mencionar 99 pessoas ou assim.
    Ir ás definições -> Privacidade -> Perfil e Identificação -> A Rever (tem 2 oções), ativar ambas!
    desta forma temos que confirmar(rever) que queremos ser identificados num post.

    Informação!!!

  6. SANDOKAN 1513 says:

    MBWay nunca mais.Ganhei um medo à aplicação por causa de tantas trafulhices que podem fazer com ela que nunca mais quero saber disso para nada.Para nada.

  7. Samuel MG says:

    Como não gosto de bater no…. Ficam com esta: ” O conhecimento não ocupa espaço”

  8. Vasco says:

    Eu uso mbway com alguma frequência e nunca tive o menor problema. Será que as pessoas se tornaram tão preguiçosas que já nem sequer conseguem ler meia dúzia de parágrafos escritos em linguagem simples e reter alguns conhecimentos, antes de usar uma aplicação utilissima? O comportamento de muitas vítimas dessas burlas só têm paralelo com o acto de deixar uma carteira aberta no meio de uma rua e ir tomar café na esquina… Qualquer pessoa minimamente atenta não vai transferir dinheiro só porque recebeu uma sms ou um email. Existem coisas tão básicas e de tão simples aprendizagem que errar nelas equivale a passar um auto atestado de desleixo.

    • Vítor M. says:

      Ó Vasco… a maioria das pessoas em Portugal nunca usou essa app. É um nicho os que usam e mais nicho ainda os que dominam as funcionalidades. OS muitos que passam a usar pela primeira vez, caem neste esquema, porque a app e o sistema têm uma grande fragilidade e os criminosos sabem disso.

      • Vasco says:

        Concordo no essencial e penso que poderiam ser feitas melhorias em termos da segurança. Existe contudo uma componente de ingenuidade que é quase imperdoável… Imagine-se a situação de alguém que nunca tendo usado o serviço, resolve seguir as indicações telefónicas de terceiros, para fazer o download da aplicação e associar o número de telefone do burlão ao serviço, por exemplo. Qualquer pessoa menos familiarizada com tecnologia em geral, smartphones e novos tipos de serviços, poderá ser enganada, mas parte-se do princípio que todas as pessoas devem ter uma dose saudável de cepticismo quando seguem as instruções de terceiros. Não o fazer revela alguma ingenuidade. Note Vítor que eu não parto do princípio de que alguém vigarizado ao utilizar serviços como o mbway é pouco inteligente, mas que se revela alguma falta de cuidado, lá isso revela. Mas eu sou daqueles que compra qualquer coisa e antes de a ligar à tomada costuma ler o manual e aguente uma boa meia hora sem a ver a funcionar antes da estreia… 😉

      • Atento says:

        Permita-me discordar veementemente da opinião que emite.
        Concorda que alguém que nunca aprendeu a pilotar pegue num avião ?
        Porque razão se há-de desresponsabilizar alguém que, não tendo conhecimentos para tal, utiliza um mecanismo e se vê alvo de fraude ?
        Conheço razoavelmente bem esse meio de pagamento e não tenho conhecimento da fragilidade que menciona. Naturalmente, não considero fragilidade a ignorância do utilizador, porque, esse, se não sabe pilotar, não pega num avião.
        As minhas desculpas pela hipérbole, mas há conceitos que só assim se transmitem.

        • Vítor M. says:

          Se estava estranho, agora comparar a simplicidade de usar uma app com a de pilotar um avião, ficou ainda mais. Vá lá, pés no chão e vejam o enquadramento do uso desta app com a facilidade do roubo. Se calhar nem sabes como se processo a burla, para perceberes que nada tem a ver com o pilotar um avião.

          • Atento says:

            Os comentários devem, sempre, ser lidos até ao fim, sob pena de interpretarmos a informação descontextualizada … (era desnecessário).
            sic (As minhas desculpas pela hipérbole, mas há conceitos que só assim se transmitem).
            O exemplo dado ainda no seguimento do comentário inicial, também ilustra plenamente o meu ponto de vista.

          • Vítor M. says:

            É isso, então estamos de acordo.

      • Atento says:

        A título de exemplo, posso dar um caso de um utilizador de um site bancário que entregou todas as credenciais a terceiros (2FA) que fizeram utilização fraudulenta dessas credenciais.
        Quando percebeu a fraude, o utilizador, invocou o desconhecimento sobre a utilização que os terceiros iriam fazer com as credenciais e que o banco o deveria ter protegido «melhor» (enteda-se lá o que isso significa).
        O que acontece com o MBWay integra-se neste contexto.

  9. Bruno says:

    O mbway foi das melhores coisas que aconteceu, facilito muito, uma coisa que podiam fazer é quando uma pessoa vai associar pela primeira vez um um cartão no ATM, deviam reforçar mais a informação que o destinatário é o dono da conta, porque essa frase é o que deve induzir muita gente a ser enganada

    • Vítor M. says:

      Sem dúvida que é um fantástico pacote de funcionalidades, mas tem uma enorme fragilidade, deveria haver um mecanismo que protegesse essas pessoas que são enganadas por essa tal fragilidade na app. Aos anos que se falsa nisto e o que se tem feito? Já viste a quantidade de pessoas enganadas? Algo já deveria ter sido feito pelas entidades que regulam este tipo de iniciativa, para afinar melhor a aplicação de método a travar estes roubos.

      • Vitolas says:

        Todo o sistema MBway tem alertas em todo o lado,o que mais podem eles fazer? Acabar?
        Temos é de acabar com esta coisa de desculpabilizar as pessoas pelas asneiras que fazem, as pessoas usam as coisas sem qualquer conhecimento e ainda têm a ousadia de, em pleno 2021 dizerem que é falta de informação, quando na realidade não querem é saber e acham que sabem tudo quando nada sabem.

        • Vítor M. says:

          Acabar? O que dissemos não foi acabar, ora lê bem. Se o assunto são as pessoas vítimas de burla, se não dominam não devem fazer pagamentos com esta app. Simples. Se foram comprar algo e disserem que tem de ser por MB WAY, a pessoa não sabendo como se usa, não deve nunca aceitar.

      • Filipe Ribeiro says:

        Não percebi onde está a fragilidade da APP… É a mesma fragilidade do cartão multibanco. Se eu lhe disse para me dar o cartão e o código se calhar não me dá… Quem não sabe, não usa. Quem quer saber como usar lê a explicação de como usar… Basta usar a cabeça e não culpar a segurança da app

  10. miguel says:

    “Não aceite fazer pagamentos através da aplicação;”
    ????? A sério esqueceram-se da mais importante.

    Não usem a internet, desliguem a ficha!

    • Vítor M. says:

      É estranho Miguel não achares que, tendo em conta os milhões já roubados com esquemas envolvendo esta app, o melhor será mesmo não usar pagamentos pela app na troca comercial. O usar vai fomentar a prática criminosa, isso já não achas estranho?

      • miguel says:

        Sabes quantas burlas são feitas com € ou atravês da internet?
        Então o melhor é não usar € ou internet?

        Vitor percebo onde querem chegar, mas deixar de usar uma aplicação não é a solução, a primeira deveria ser:
        – Contacte com o seu banco para ele lhe explicar como usar em segurança a APP.

        • Vítor M. says:

          Miguel, “Contacte com o seu banco para ele lhe explicar como usar em segurança a APP.” achas que vai ser assim? Então a tua ideia seria, a pessoa instala a app, vai ao banco, tem uma hora de formação e só depois recebe a autorização para usar, seria assim?

          Agora pensa Miguel.

          Continuo a dizer, se nunca usou e não domina a ferramenta, não a use quando solicitada numa troca comercial, poderá estar a ser enganado(a).

  11. Jorge Soares says:

    Supostamente o pplware será um site sobre tecnologia, notícias, software, etc, para espanto meu a primeira recomendação dada acerca de um serviço inovador que funciona perfeitamente. “Não aceite fazer pagamentos através da aplicação;”.

    Não encontram aqui um contrassenso? A única recomendação digna de nome será a última, “Antes de utilizar a aplicação, solicite sempre informação ao banco sobre o seu funcionamento”

    • Vítor M. says:

      O que os vigaristas querem é que as pessoas continuem a usar o MB Way quando não sabem como funciona. E para essas pessoas, a maioria que não sabe como app funciona, o melhor é exatamente isso, não aceitarem que uma medida para finalizar a venda seja o pagamento através da app.

      O único contrassenso é mesmo esta app e método estar a auxiliar o crime a desviar de pessoas incautas milhões de euros. Se fosse a ti, a tua primeira recomendação seria nunca mais usar.

      • Jorge Soares says:

        Pela quantidade de respostas que estás a dar aos comentários das duas uma, ou acordaste mal disposto (provavelmente efeitos do confinamento) ou não gostas que emitam opiniões diferentes da tua.

        Como referes as pessoas são enganadas no MBway simplesmente porque não sabem nem querem saber minimamente como funciona o serviço. Ora aí está uma boa temática para um tema, ensinar as pessoas a servirem-se desse serviço, o que em abono da verdade até de vez em quando lá sai um artigo a falar do assunto, sabendo que se for um artigo sobre iphone vs android terá muito mais visualizações.

        E não a minha primeira recomendação seria sirvam-se do mbway é uma aplicação fantástica mas antes percebam como funciona.

        • Vítor M. says:

          Não, eu acordo sempre muito bem-disposto Jorge. Apenas entendo que opinar deve exigir de cada um de nós responsabilidade. E não me importo com as opiniões dos outros, bem pelo contrário, eu respeito e gosto do contraditório, por isso é que te respondo, e aos demais, para acrescentar informação de forma a corrigir essas opiniões que, neste caso, só estão a dar sinais que poderão aumentar o problema.

          Reforço, se nunca usou, se não domina a ferramenta, não a use quando solicitada numa troca comercial, há grande potencial de ser enganado(a) e mesmo que lhe digam “é seguro, é fácil” não use, porque já milhares de pessoas caíram nesse engodo.

          • TóSousa says:

            Ó Vitor

            Vamos lá com calma.
            Quantas operações há vigaristas no MBWay? Que percentagem é essa?
            Deve ser ínfima, pois deve haver muitas operações feitas legitimas.
            Não vamos deixar de usar uma APP ou apelar a que não se use quando a culpa é da burrice de algumas pessoas. Estas vigarices são a mesma coisa que perder o cartão MB com o código apontado na parte de trás do cartão. Tem o MB culpa disto?
            Quem não sabe usar um telemóvel e são muitos, então não deviam ter telemóvel, é isso? Não deveriam antes ser ensinados ?

            Cumps

          • Vítor M. says:

            Em 2020 deram entrada no Ministério Público mais 998 processos por cibercrime, o que representa um aumento de cerca de 15% relativamente a 2019. O valor dos roubos ultrapassa já os 3 milhões de euros. É tudo menos ínfima. A ideia é clara, no caso das pessoas que não domimam a app e são aquelas que são vítimas de burla, e que são o alvo do relatado no artigo, devem ser tomadas ações, entre elas: Não aceite fazer pagamentos através da aplicação;
            Sempre que possível, realize os seus negócios de forma presencial;
            Receba os pagamentos presencialmente ou através de transferência bancária;
            Nunca receba instruções de desconhecidos, sobre pagamentos por MB WAY;
            Antes de utilizar a aplicação, solicite sempre informação ao banco sobre o seu funcionamento.

            Porque as pessoas são enganadas pelo facto desta aplicação ter um sistema que pode facilmente levar as pessoas a serem enganadas. A fragilidade está mais que identificada.

  12. PitWeiler says:

    Mais uma vez este assunto de burlas/esquemas… xD
    Não consigo entender como é que as pessoas dizem que a vítima é culpada. Talvez 80% ou talvez mais, das pessoas que utilizam o PPLWARE são os utilizadores anormais de tecnologias, com isto quero dizer que o utilizador normal é aquele que não percebe nadinha de tecnologias, que em Portugal deve ser 80% ou mais. Estou a dar números sem base em estudo nenhum, mas acho que é um pouco lógico. Aqui o PPLWARE tenta deixar uma mensagem claramente para quem não sabe como funciona a app, que é a maior parte das pessoas em Portugal.
    Lembrem-se disso, a maior parte das pessoas não percebe nada de tecnologias, para além de fazer um post no insta ou no face. A maior parte das pessoas não sabe mexer num computador a não ser para fazer o que estão programadas para tal, ou seja mexer no programa da empresa onde trabalham e pouco mais.
    A minha questão, mais uma vez como já tenho perguntado noutros artigos, é, como é que a vítima tem culpa? As pessoas são enganadas, e tem culpa? Como assim? Os idosos que são enganados para pagar a conta não sei de quê, têm culpa? Acho que não, apenas estão desinformados.
    E depois vemos os comentários “Ah e tal não sabes usar, não uses”, que é exatamente o que eu acho que estão a tentar dizer aqui no PPLWARE com aquele paragrafo tão citado nos comentários, e que eu não discordo, mas que depois nos mesmos comentários dizem que o PPLWARE não devia dizer para as pessoas não usarem porque é uma tecnologia muito útil. Algo de errado não está certo xD
    Claro que é útil e que talvez o real problema não esteja na aplicação e sim nos utilizadores, ou então o problema esteja em ambos, aplicação e utilizadores normais. Isso não sei, mas que esta app facilita burlões a fazer das suas, lá isso facilita, e se assim é, há que melhorar, formando os utilizadores ou mudando a aplicação.

    Claramente isto é apenas uma opinião.

    • Piwi says:

      Não acho que as vitimas sejam culpadas, mas acho que devem ter cuidados. Ninguém cede o seu cartão multibanco e o PIN a um estranho. Não se deve andar a mostrar dinheiro na rua, por exemplo.
      Como já referi no meu comentário, a estratégia a seguir é a informação e não o martírio duma aplicação plena de funcionalidades e SEGURA. Também se acaba com os serviços de email e as sms por causa dos burlados por phishing/smishing?
      Quanto ao parágrafo está mal construído sim. Se querem fazer algo semelhante às recomendações das forças de segurança, podem fazer corretamente, como de resto já fizeram (https://pplware.sapo.pt/informacao/alerta-psp-aumento-das-burlas-atraves-do-mb-way-em-portugal/). Vejam o ponto 1 das recomendações da PSP. Não é para não se usar, é para não usar quem não sabe como funciona.

      • PitWeiler says:

        Penso que o que o PPLWARE quer dizer aqui é mesmo isso, recomendam a não usar, mas para quem não sabe.
        Quanto ao PIN, eu não dou porque estou informado, porque já é algo com muitos anos e praticamente todas as pessoas estão informadas, mas se deres um cartão a alguém que não faz ideia como se usa e lhe disseres “Você transfere para aí todo o seu dinheiro, isso vai-lhe facilitar porque desta forma só se consegue tirar dinheiro se souber o PIN, por isso se um ladrão roubar o cartão não lhe rouba dinheiro, e para me pagar terá de me dar acesso ao seu cartão e PIN, porque você confia em mim, dá-me acesso ao cartão e ao PIN para efetuar o pagamento” a pessoa desinformada pode acreditar e é enganada. Claro que é um exemplo estranho, mas que para quem não faz ideia de como funciona o cartão multibanco, pode fazer sentido. Claro que devia informar-se antes, não digo o contrário mas essa pessoa não deixou de ser enganada.
        Neste artigo não entendo que o PPLWARE diga para se acabar com o MBWAY, por isso essa comparação do e-mail não assenta muito bem. Entendo sim, que como se trata de dinheiro, o autor do artigo alerte para que quem não saiba utilizar a aplicação, não a utilize para fazer pagamentos e como diz no último ponto:
        “-Antes de utilizar a aplicação, solicite sempre informação ao banco sobre o seu funcionamento”
        Não vejo nada de errado no artigo.

  13. Euéquesei says:

    Há um ponto positivo nisto tudo, quem foi enganado passa a abrir os olhos, ou talvez não.
    Regra de ouro, que se aplica a quase tudo na vida, não sabe o que está a fazer? Não o faça, porque a probabilidade de fazer asneira é muito alta.

    Uso muito o MBNet porque faço bastantes compras online e uso sempre cartões virtuais.
    ANTES de usar a app pela primeira vez informei-me do seu modo de funcionamento e só depois de entender o mecanismo é que a comecei a usar.
    Diga-se de passagem que é tão simples que bastam uns minutos para perceber a coisa.

    Aves raras que clicam em qualquer link de um email da treta ou que vão ao MB meter o número de telefone de outra pessoa na conta e ainda por cima depois lhe dão os códigos, terão que aprender da pior maneira.

    Eu já disse aqui umas mil vezes, ninguém é infalível e há esquemas muito bem feitos em que todos nós, ou muitos, podemos ser enganados.
    Agora andar a meter números de outras pessoas na minha conta ou clicar em qualquer link que chegue por email..realmente, não havia nexexidade.

    Mas estes casos continuarão a acontecer, infelizmente. Há sempre chico espertos que se aproveitam das fragilidades de outras pessoas e ainda por cima sabem que se forem apanhados pouco ou nada lhes vai acontecer.
    Levassem com uns anos de trabalhos forçados numa pedreira ou parecido e as coisas mudavam logo.
    Ai não, e os direitos humanos? Pois, esqueci-me, siga a banda…

  14. Sandro Ferreira says:

    “Não aceite fazer pagamentos através da aplicação”
    Absolutamente ridículo este conselho… Enfim!

  15. Vicente Duarte says:

    Boa tarde,
    Estou de veras surpreendido com “Não aceite fazer pagamentos através da aplicação”.
    Por essa lógica deviam aconselhar a não utilização da internet porque encerra infinitos perigos … o não pagamento com cartões de crédito em qualquer estabelecimento ou internet por a clonagem e o acesso aos dados de forma ilícita todos os dias é noticiado … enfim … parece-me uma data de concelhos bastante tendenciosos …

    • Vítor M. says:

      Não esteja, porque é uma dica sensata a todos os que não dominam a ferramenta e que são alvos dos criminosos. Estranho é algumas pessoas estarem aborrecidas porque deixamos esta dica… estranho mesmo. Depois de milhões de euros roubados, milhares de pessoas prejudicadas, haver ainda quem queira que o processo continuem sabendo que muitas pessoas vão ser roubadas, eu acho mesmo muito estranho. Depois para fazer ruídos juntas outros problema sda internet, adensa-se a estranheza.

  16. Redin says:

    “Para tal eram usadas mensagens de correio eletrónico que simulavam serem remetidas pela entidade gestora da aplicação MB WAY,”
    Pensei que esta noticia já era muito antiga. Afinal fui ver e continua tudo na mesma.
    Whitepaper para promover uma solução, aqui: http://bit.ly/2Mml1ae

  17. Jorge says:

    Eu tenho a solução para os males da humanidade. Já que os humanos estão a mais neste planeta que tal um suicídio colectivo com data e hora marcada. Distribuem-se 8MilMilhões de pastilhas e aqui vai disto. Acabam-se todos os problemas do planeta!

  18. Andrea Gueifao says:

    Por favor… o MBWay é a ferramenta de pagamento mais simples, mais intuitiva, útil e segura alguma vez criada. É brilhante! Claro que, como tudo, é preciso saber como funciona. Faz lembrar as pessoas que vão para um país com outra moeda, não conhecem o dinheiro e nos pagamentos entregam o que lhes dizem. Pelo amor de Deus…
    Já para não falar dos conselhos apresentados que passam por não aceitar nem efetuar pagamentos via MBWay… que feio.

  19. PeterOak0 says:

    Pessoas que querem usar o MBway e não se informam como é que funciona, merecem ser enganadas!! Tal como tudo na vida, quem se quer aventurar em território desconhecido tem de fazer um estudo prévio e tentar obter o máximo de informação antes de “embarcar”. Se não o fizeram por preguiça, só têm o que merecem. É inevitável!

  20. Eu says:

    Meus caros,
    Ainda em Janeiro deste ano apresentei reclamação destas situações à própria MBWay indicando que é negligência deles e de todas as entidades bancárias envolvidas neste sistema, que poderiam facilmente cruzar os dados de cliente bancário registados e conhecidos pelo Banco de Portugal que se evitariam estas burlas baseadas em registos de serviço MBWay com números de telefone não pertencentes ao próprio cliente detentor do correspondente cartão bancário.
    Perante isto e após alguma insistência da minha parte, dado que inicialmente deram-me uma simples e disparatada resposta tipo sobre segurança de dados neste serviço MBWay, responderam-me finalmente à minha simples pergunta:
    – «Gostaria de saber porque facilitam tanto no registo do MB WAY e não validam desde logo o número de telemóvel inserido, cruzando-o com os dados de cliente existentes no banco e dessa forma evitarem o actual e recorrente esquema de burlas?»
    Resposta da MBWay, por parte do senhor Gonçalo Gonçalves do Departamento de Operações e Serviço a Cliente:
    – «Informamos que é possível aderir ao serviço MB WAY através do CA Multibanco e/ou através da própria App.
    Relativamente há suposta facilidade que refere no momento da adesão, informamos que, quer pelo canal ATM, quer pela App, existe total segurança e caso não exista partilha de dados bancários (PIN MB WAY, Pin do cartão), é um processo sem qualquer tipo de fraude.
    Passamos a detalhar:
    Na adesão num CA Multibanco, é necessário a instrução do cartão bancário e respetivo pin, que é pessoal e intransmissível. A configuração do PIN MB WAY e a introdução do número de telemóvel também é da responsabilidade do utilizador, que uma vez mais nunca deverá partilhar. Na ativação, é enviado um SMS para o numero de telemóvel que foi definido pelo utilizador, após as respetivas introduções dos PIN ’s (do cartão num CA MB, do pin mb way na App).
    Na adesão em APP, só é possível se o número de telemóvel indicado na adesão constar na base de dados do Banco e associado ao titular do respetivo cartão. De outra forma o processo de adesão nunca será concluído com sucesso. Desta forma, é garantido que o SMS de ativação será enviado para o numero de telemóvel associado ao cliente bancário e titular do respetivo cartão.
    Como reiteramos anteriormente, todas as comunicações e transações MB WAY são monitorizadas 24 horas por dia, 7 dias por semana e 365 dias por ano por uma equipa totalmente dedicada à prevenção e deteção de fraude. Equipas essas que colaboram de forma estreita e proactiva com as instituições aderentes ao serviço.
    Reforçamos também que a SIBS permanece disponível para, em colaboração com as autoridades judiciais e bancarias, prestar todo o seu auxilio na deteção e prevenção de casos fraudulentos.»

    Na minha opinião, não é bem assim!
    Ninguém cruza estes dados, porque ainda recentemente as pessoas relataram situações de registo com números de telemóvel que não lhes pertencem e as burlas foram executadas, certo?

    • Filipe Ribeiro says:

      Não percebi a sua questão. Isto do mbway é simples, quem sabe usar, usa. Quem não sabe não usa. Tem dificuldades em usar ou dúvidas de como funciona vai à página deles e tira as dúvidas. Uso desde que surgiu e até agora não tenho razão de queixa. Se alguém se oferece para pagar com mbway dou o número e espero que transfira. É igual a uma conta bancária. Quem foi apanhado no esquema não estava informado…

  21. Claudia Borges says:

    E verdade!! Que tem sido imensa gente lesada em centenas e milhões de euros sim eu fui uma delas agora pensem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.